Braskem conclui estudo inédito sobre cooperativas de reciclagem na cidade de São Paulo

Diagnóstico sobre panorama do setor abrange ainda cidades dos estados de Alagoas e Bahia e será entregue ao CEMPRE – Compromisso Empresarial para a Reciclagem

A Braskem, empresa líder das Américas em produção de resinas termoplásticas e maior produtora mundial de biopolímeros, filiou-se ao CEMPRE – Compromisso Empresarial para a Reciclagem. Como primeira contribuição para a instituição, a empresa entrega um diagnóstico sobre as cooperativas de catadores de material reciclável em cidades dos estados de São Paulo, Alagoas e Bahia.

O levantamento teve por objetivo identificar as principais características e dificuldades para o aumento e desenvolvimento da produção nas cooperativas, dados estes que orientarão potenciais investimentos no segmento.

A filiação ao CEMPRE e a elaboração do levantamento fazem parte de uma série de ações da empresa visando promover o desenvolvimento sustentável e o investimento no mercado de reciclagem de plástico no Brasil.

Na cidade de São Paulo, o mapeamento foi feito com 50 grupos relacionados à coleta seletiva e triagem de material reciclável no município de São Paulo. Deste total, 82% são formalizadas e metade destes grupos surgiu entre 2000 e 2004.

Foi identificado que 90% destes grupos possuem algum tipo de parceria com empresas privadas, poder público ou ONGs. Do total de grupos, apenas cinco possuem espaço próprio. A maioria desenvolve suas atividades em espaços cedidos, principalmente pelo Poder Público. É possível dizer que as Centrais de Triagem apresentam melhores condições quanto às instalações físicas e equipamentos disponíveis, em relação aos demais grupos.

A pesquisa revela ainda a informação de que em 72% dos empreendimentos a carga horária de trabalho é de 8 horas e remuneração dos trabalhadores está entre R$ 400,00 e R$ 800,00 em 57% dos casos, e, em 14%, menor do que R$ 400,00.

“Este estudo tem como objetivo orientar potenciais investimentos no segmento e é parte do esforço de alinhar os investimentos sociais de forma a contribuir efetivamente para o desafio da Braskem de fortalecer seu papel como agente de desenvolvimento humano”, diz André Leal, que atua na área de Desenvolvimento Sustentável da Braskem.

O diagnóstico traz detalhes sobre as cooperativas de várias cidades próximas às plantas da empresa. Já nas cidades de Mauá e Santo André foram entrevistados os gestores locais vinculados às prefeituras e às associações de catadores. Em Maceió foram identificadas 47 entidades entre cooperativas de materiais recicláveis, comerciantes, empresas e indústrias ligadas à reciclagem de plástico e realizou entrevista com 97 catadores independentes. Para a Bahia, o estudo coletou detalhes de como o mercado está organizado no estado e do volume de resíduos recicláveis disponíveis e separados nas maiores cidades do estado.

O levantamento conclui que as principais dificuldades encontradas em todos os locais analisados se referem à falta de capacitação e organização de mão-de-obra, precárias condições de funcionamento das cooperativas, ineficiência na coleta e na triagem, falta de valorização do material reciclado e assimetria de informação na rede de comercialização.

O resumo do Diagnóstico Socioambiental de Reciclagem com o detalhamento das informações em cada cidade pode ser encontrado no portal http://www.braskem.com.br/reciclagem.