Marcado como: VIVIAN BLASO Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • 19 fev

    Papo de RP – 22/02 Daniela Castro, Fundadora e Diretora Executiva da Impacta Advocacy 

    No Papo de RP dessa segunda, Vivian Blaso bate um papo com Daniela Castro, Fundadora e Diretora Executiva da Impacta Advocacy. Foi por 10 anos diretora executiva da ONG de advocacy Atletas pelo Brasil e trabalhou como secretária adjunta de esportes e lazer da Prefeitura de São Paulo. Advogada e mestre em Economia. Diretora do Advocacy Hub e diretora do Pacto pelo Esporte.
    ✅Segunda, 22/02, às 18horas no instagram @vivianblaso enviem perguntas, participem!
    #advocacy #vivianblaso #papoderp #relaçõespúblicas #comunicação #comunicaçãodasustentabilidade #comunicaçãoorganizacional #comunicaçãointerna #papoderp

     
  • 12 fev

    Papo de RP dia 15/02 às 18horas 

    👉🏼 ✅ Segunda às 18horas você tem um encontro comigo no #PapodeRP um bate papo descontraído e colado nas ativações de Relações Públicas que estão rolando no mercado. 🤝Você não pode perder! Ao vivo no meu perfil @vivianblaso #papoderp #relaçõespúblicas #comunicaçãodasustentabilidade #comunicaçãonasorganizações #culturaorganizacional #comunicaçãocomempregados

     
  • 12 fev

    Mudanças Climáticas: CPFL Energia é reconhecida como empresa que mais engaja seus fornecedores pelo CDP 

    Em dezembro de ano passado, empresa recebeu o destaque na categoria
    Liderança do ranking Carbon Disclosure Program (CDP) Mudanças Climáticas
    Campinas, 10 de fevereiro de 2021. A CPFL Energia recebeu mais um reconhecimento do CDP – Carbon Disclosure Program – Supplier Engagement Leader. Desta vez, a companhia entrou para o rol de empresas que mais contribuem com ações de seus fornecedores em relação a mudanças climáticas. A lista, divulgada neste mês, tem aproximadamente 400 empresas. Isso quer dizer que o grupo está entre os 7% que mais engajam junto a fornecedores em prol do tema.

    “Conquistar mais um reconhecimento do Carbon Disclosure Project prova que estamos no caminho certo da evolução e do comprometimento em impulsionar a transição para uma forma mais sustentável e inteligente de produzir e consumir energia não só internamente como também em relação à cadeia produtiva ao redor da CPFL Energia”, afirma Rodolfo Sirol, diretor de Sustentabilidade e Meio Ambiente do grupo.

    Ao influenciar na redução de emissões de carbono ao longo da cadeia de fornecimento, a CPFL Energia traz para a luta contra mudanças climáticas uma gama de novos players, criando um efeito cascata de ações importantes e efetivas em prol da proteção de recursos hídricos, preservação das florestas e do meio ambiente em geral.

    Plano de sustentabilidade. Até 2024, a CPFL Energia tem previsão de aplicar mais de R$ 1,8 bilhão em ações sustentáveis com objetivo de maximizar impactos positivos na comunidade e na cadeia de valor. A empresa assumiu 15 compromissos públicos focados em um modelo de negócio mais sustentável, por meio de soluções inovadoras, redução do impacto ambiental e compartilhamento de impactos positivos à sociedade.

    Sobre a CPFL Energia. A CPFL Energia, há 108 anos no setor elétrico, atua nos segmentos de distribuição, geração, transmissão, comercialização e serviços. Desde janeiro de 2017, o Grupo faz parte da State Grid, estatal chinesa que é a terceira maior organização empresarial do mundo e a maior empresa de energia elétrica, atendendo 88% do território chinês e com operações na Itália, Austrália, Portugal, Filipinas e Hong Kong.

    Com 14% de participação, a CPFL Energia é uma das maiores empresas no mercado de distribuição, totalizando mais de 9,9 milhões de clientes em 687 cidades, entre os estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraná. Na comercialização, é uma das líderes no mercado livre, com participação de mercado de 4%. É líder na comercialização de energia incentivada para clientes livres entre as comercializadoras.

    Na geração, é a terceira maior agente privada do País, com capacidade instalada de 4.305 MW, no final de setembro de 2020. Tem um portfólio baseado em fontes limpas e renováveis, como grandes hidrelétricas, usinas eólicas, térmicas a biomassa, Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH) e usina solar. A CPFL Renováveis é a maior empresa de geração da América Latina a partir de fontes alternativas de energia.

    A CPFL Energia possui ações listadas no Novo Mercado da B3. O Grupo também ocupa posição de destaque em arte e cultura, entre os maiores investidores brasileiros, por meio do Instituto CPFL.


    Mais informações para a imprensa:

    Assessoria de Imprensa CPFL Energia


    jornalismo@cpfl.com.br

     
  • 6 out

    Cidades Resilientes Inovação e Inclusão 2019 

    Convidamos vocês a participar do CIDADES RESILIENTES: INOVAÇÃO E INCLUSÃO da Abraps dia 25 de outubro na Rua Marquês de Paranaguá, 111 – Consolação – Campus da Faculdade de Ciências Exatas e Tecnologia da PUC/SP

    É o espaço que a entidade reserva para falarmos de temas inovadores que tangenciam a sustentabilidade.

    Em 2018 falamos sobre os resultados do Habitat III – Moradia e Desenvolvimento Urbano Sustentável e temas como a igualdade de oportunidades para todos; o fim da discriminação; a importância das cidades mais limpas; a redução das emissões de carbono; o respeito pleno aos direitos dos refugiados e migrantes; a implementação de melhores iniciativas verdes e de conectividade, e construção de indicadores para cidades inteligentes e sustentáveis, onde abordamos a metodologia MACITI – Metodologia de Avaliação de Cidades e Territórios Inteligentes é formada por 108 indicadores agrupados em seis macrotemas com ênfase

    Em 2019 vamos alinhavar os temas de Cidades afetivas, uma via ecológica para o bem-viver; Economia Circular e os ODS, mais especificamente o ODS 12 Consumo e produção responsáveis no âmbito das cidades , Waste Management for Smart Cities;, gestão inteligente de resíduos em cidades e territórios; Saneamento e Recursos Hídricos no meio urbano novas tecnologias e desafios e Inclusão dos 50+ no mercado de trabalho das cidades inovadoras e resilientes

    FORMATO: Roda de Conversa com especialista na área de Cidades Inteligentes e Sustentáveis

    Facilitadores

    Vivian Blaso – Graduação em Comunicação Social – Habilitação Relações Públicas , Mestrado e Doutorado em Ciências Sociais; Experiência na área de Comunicação, com ênfase em Relações Públicas e Propaganda, atuando nos seguintes temas: consumo e sustentabilidade, responsabilidade social empresarial, tendências, governança corporativa, advocacy, relacionamento com a comunidade e terceiro setor, consumo responsável, comunicação, cidades, antropologia urbana, ativismos e coletivos; Membro da Comissão Estadual de São Paulo para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Coordenadora do GT Advocacy na Abraps – Associação Brasileira de Profissionais pelo Desenvolvimento Sustentável.
    Autora do livro: Cidades em Tempos Sombrios. Barbárie ou Civilização lançado pela Paco Editorial em 2017. Idealizadora e pesquisadora no Cidades Afetivas: observatório das manifestações afetivas nas cidades, tendências de consumo, comportamento do consumidor e movimentos ligados aos ativismos e os coletivos urbanos; Pesquisadora no Complexus Núcleo de Estudos da Complexidade da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo: Linha de Pesquisa: Diversidades Culturais e Pensamento Complexo. Pesquisas em andamento: Cidades Afetivas: Uma via Ecológica para o Bem Viver; Linguagens comunicacionais no espaço urbano: Projeto de análise das influências da regulação publicitária como ampliação de competências pedagógicas nos bacharelados em comunicação; Muralismo e pixação na cidade de São Paulo: novas perspectivas e análises das inscrições visuais urbanas; Professora Titular na Fundação Armando Álvares Penteado. Artista e empreendedora. Sócia Diretora na Conversa Sustentável que vem se destacando por sua atuação e expertise nos estudos de tendências no mercado da comunicação e estratégias para sustentabilidade.

    Ricardo Oliani – Consultor, especialista em Sustentabilidade, Marketing Ambiental, Jogos & Dinâmicas, Atuou durante 7 anos na liderança de projetos de mobilização social do Instituto Akatu na área de Sustentabilidade, Consumo Consciente e o Poder Transformador do Consumidor e atua há mais de 20 anos na criação e aplicação de Jogos e Dinâmicas nos mais variados temas, transformando conteúdos em ferramentas lúdicas e participativas que facilitam a interação do conhecimento com a prática e a integração dos participantes entre si e com os temas que estão sendo trabalhados.É fundador e atual Conselheiro da Abraps – Associação Brasileira dos Profissionais de Sustentabilidade

    Francisco Luiz Biazini Filho – Sócio da REDERESÍDUOS é Doutor em Ciências pela USP – Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares com o Título: RESPONSABILIDADE SOCIAL DA ENERGIA NUCLEAR PARA GERAÇÃO ELÉTRICA NO BRASIL (2014). Especialização em Gestão de Segurança da Informação pelo Instituto Pesquisas Energéticas e Nucleares, IPEN/SP com o Título: OTIMIZAÇÃO NO GERENCIAMENTO DE RISCOS EM SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Metodologias para avaliação e análise de risco e tomada de decisão (2005). Graduação em Tecnologia em Processamento de dados pela Universidade Ibirapuera, UNIB, Brasil.(2005 e 1990). Presidente da TRANSFORMA – COOPERATIVA DE TRABALHO EM SISTEMAS TECNOLÓGICOS INOVADORES E SUSTENTÁVEIS, Vice Presidente do Instituto Dínamo de Desenvolvimento Sustentável. Vice Presidente do Sindicato das Cooperativas de Produção do Estado de São Paulo. Vice Presidente do Instituto Lixo Zero Brasil. Conselheiro do Fórum de Desenvolvimento da Zona Leste. Conselheiro da Associação Brasileira dos Profissionais de Sustentabilidade. Membro do Observatório Nacional da Política Nacional de Resíduos Sólidos.Tem experiência na área de descontaminação de recursos hídricos, resíduos sólidos, desenvolvimento sustentável, responsabilidade social, lixo zero, reciclagem, resíduos sólidos e revalorização de resíduos.

    Patrícia Moreno – Graduada em Tecnologia Hidráulica e Saneamento Ambiental pela FATEC (2016) e em Sistemas de Gestão Ambiental pela Universidade Estácio de Sá (2009). Experiência como educadora ambiental, visando a preservação da água e orientação para a reciclagem dos resíduos sólidos e utilizando a robótica e a programação EV3 para programar , operar e controlar robôs criados pelos educandos, favorecendo a interdisciplinaridade, promovendo a integração de conceitos de diversas áreas. Atuei como consultora ambiental na elaboração de Planos Municipais de Saneamento e em projetos de sistemas alternativos de esgotos em áreas isoladas, Aplicação de pesquisa, tabulação, levantamento de dados na área de soluções alternativas de tratamento de esgotos. Atuação com a inclusão social e implementação de tecnologias para otimizar a gestão no processo de comercialização de resíduos em cooperativas de catadores. Voluntária na ABRAPS no Comitê Lixo Zero e como Coordenadora do Grupo de Trabalho de Saneamento e Recursos Hídricos, e na ABES-SP na Câmara Técnica de Saúde e Saneamento em Comunidades Isoladas Coordenadora do Grupo de Trabalho de Saneamento e Recursos Hídricos da Abraps;

    Ely Antonio Tadeu Dirani – Professor do Departamento de Engenharia da PUC-SP é Doutor e Mestre em Microeletrônica pela Escola Politécnica da USP e Bacharel em Física pelo Instituto de Física da USP. Atuou em diversos projetos de pesquisa e desenvolvimento na universidade e em parcerias com empresas do setor privado. Participou como orientador no Programa ALI – Agentes Locais de Inovação, uma parceria entre o SEBRAE e o CNPq, atuando, através dos agentes, para promover a prática continuada de ações de inovação em micro e pequenas empresas das áreas da indústria, comércio e serviços.

    Ismael Rocha – Doutor em Educação, Mestre em Sociologia, Mercadólogo formado pela ESPM com pós-graduação em Marketing pela UTA – University of Texas at Arlington. Professor universitário, autor de livros didáticos nas áreas de Marketing, Comunicação e Sustentabilidade, artigos publicados em revistas, jornais e participação em Congressos no Brasil e no Exterior. Diretor de Extensão da ESPM, Fundador e Coordenador da ESPM Social, do CEDS – Centro ESPM de Desenvolvimento Socioambiental e Fundador da Incubadora de Negócios da ESPM. Cursos de Especialização no Canadá, EUA, Inglaterra, Finlândia, China, Malásia, Chile e México. Consultor de Marketing e Planejamento Estratégico para Empresas, ONGs, Institutos e Fundações. Climate Reality Leader. Idealizador do NEXT 49+ que trabalha com a inclusão de pessoas com mais de 50 anos no mercado de trabalho

    Mediação: Marilena Lavoratto – Publicitária com especialização em marketing, negócios e gestão socioambiental. É a idealizadora do Programa Benchmarking Brasil (selo de sustentabilidade que certifica boas práticas desde 2003). Atualmente é Membro do Conselho Consultivo da ABRAPS (Associação Brasileira dos Profissionais pelo Desenvolvimento Sustentável) e da Câmara de Comércio Brasil Argentina. É colunista do Portal Vya Estelar, conferencista e ganhadora do Prêmio von Martius de Sustentabilidade da Câmara Brasil Alemanha, categoria Humanidade, 1º lugar em 2013. É Presidente do Instituto MAIS que trabalha pela Cultura de Sustentabilidade, palestrante, editora de livros e revistas especializadas e autora de diversos artigos publicados

    Facilitação Gráfica: Andressa Batelochio – Agente de Transformação para projetos e processos de inovação para educação e pelo desenvolvimento sustentável na empresa Horizontte Sustentável; educadora e articuladora de processos de comunicação e educação, no projeto EducaVisT – a facilitação gráfica como ferramenta complementar de metodologias ativas. Formada em Comunicação Social pela FAAP com pós-graduação em Marketing de Negócios pela ESPM-SP e como consultora em sustentabilidade pela consultoria Migliori e pelo SENAC-SP; especialista em Responsabilidade Social e Terceiro Setor pelo CEATS-FIA-USP. Designer de informação e profissional de colheita/ facilitação gráfica com especialização na Holanda. Associada da ABRAPS – Associação Brasileira dos Profissionais pelo Desenvolvimento Sustentável, coordenadora do GT Educação; facilitadora em jogos cooperativos, cultura de paz, vivências com a natureza (Sharing Nature Worldwild) e agente sociambiental pela UMAPAZ – Universidade Livre de Meio Ambiente e Cultura de Paz – Prefeitura de São Paulo-SP.

    Evento Gratuito – Vagas Limitadas – inscreva-se clicando no link – https://forms.gle/vPDpeQ4a6GGP1HYc6

    Associação Brasileira dos Profissionais pelo Desenvolvimento Sustentável
    DATA: Sexta feira, 25 de outubro das 15h30 às 19h00 horas.
    LOCAL: Rua Marquês de Paranaguá, 111 – Consolação – Campus da Faculdade de Ciências Exatas e Tecnologia da PUC/SP

    GTs Integração e Advocacy

    Apoio 

     
  • 1 abr

    Artigo: Rumo à Metamorfose Democrática? 

    O movimento triádico individuo-espécie-sociedade revigora a regeneração contínua e simultânea entre democracia e diversidade de ideias. Tal regeneração acentua-se nas relações antagônicas, concorrentes, complementares que fundamentam a política como um sistema multidimensional complexo. O processo pretensamente civilizatório contido na mundialização traz consigo a destruição das biodiversidades no planeta. 

    A despolitização da política, que se autodissolve na administração, na técnica, na burocracia, na economia e na quantificação resulta na política fragmentada e impede a compreensão da vida, dos sofrimentos, dos desamparos, das solidões, das necessidades não quantificáveis.

    A insustentável condição humana na era planetária é fruto das profecias neoliberais, que apostaram no quadrimotor “ciência-técnica-economia-lucro” e na sua capacidade de salvaguardar o futuro da humanidade. Fruto da política fragmentada, o excesso de disciplinamento produz sujeitos experts, organizações compartimentalizadas, que dão origem a indivíduos dissociados da natureza e da cultura e acabam impedidos de ver que a dimensão humana é de caráter multidimensional. Tudo isso contribui para a gigantesca regressão democrática, com os cidadãos apartados dos problemas fundamentais da cidade.   

    Presente nas democracias atuais, tal fenômeno é resultado da cosmovisão cartesiana da qual o quadrimotor “ciência-técnica-economia-lucro” é o fio condutor do atual estágio de humanidade. As policrises políticas, econômicas, culturais, ecológicas, sociais atestam a inverdade contida nessa formulação considerada hegemônica.

     Dissociados e fragmentados, os indivíduos se deixam anestesiar pelo consumismo, o que tem levado a um novo estágio de barbárie na era planetária. Esse processo também produz um sujeito apartado da sua relação com a comunidade. O coletivo fica à margem da sociedade; mesmo assim tenta resistir aos desafios impostos pelo sistema neoliberal; a noção de coletivo ressurge em recentíssimos movimentos sociais que ocupam praças, constroem hortas urbanas, preservam parques, ocupam artisticamente espaços, na tentativa de resgatar as invisibilidades das cidades contemporâneas.    

    Os ativismos urbanos insurgentes acionam outras vias na direção do futuro para a humanidade, e tal fenômeno pode ser observado sob a luz da ideia de “Metamorfose”. Morin reitera que a metamorfose traz consigo o princípio da incerteza e ao mesmo tempo da esperança em prol de um futuro sempre imprevisível. Apostar na regeneração democrática, no resgate da solidariedade e da responsabilidade, é colocar em prática uma ética da espécie que realize a unidade planetária contida na diversidade natural e cultural.   

    Metamorfose: Ilustração em aquarela by Vivian Baso
     
  • 9 ago

    “Cidades Afetivas” promove aula aberta no próximo sábado em São Paulo 

    Aula Aberta na Àgora!

    No próximo sábado dia 11 de agosto acontecerá em São Paulo uma aula aberta na Praça Oswaldo Cruz com a participação de coletivos. “A ideia é compartilhar as observações relativas ao bem viver, convivialidade e a vida em comum presentes nas atuações dos coletivos de diferentes naturezas no contexto urbano e suas atuações-manifestações-performances políticas, culturais e artísticas que vem ocorrendo nas cidades”, afirma Vivian Blaso idealizadora do “Cidades Afetivas”, Doutora em Antropologia, pesquisadora no Complexus Núcleo de Estudos da Complexidade na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, autora do livro: Cidades em Tempos Sombrios: Barbárie ou Civilização.  Sydney Cincotto Júnior, Doutor em Antropologia e pesquisador no Complexus Núcleo de Estudos da Complexidade na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo um dos idealizadores do projeto irá fazer uma breve exposição apresentando as principais reflexões desde do início das pesquisas, resultados de algumas publicações cientificas e participações em congressos.

    “Cidades Afetivas”, é um observatório das manifestações afetivas que vem ocorrendo nas cidades. Uma cidade afetiva aposta no resgate das relações comunitárias e na arte de viver juntos, que possibilitam aos humanos cuidar uns dos outros, do meio em que vivem, da natureza e, por extensão, de todo planeta.

    A aula aberta faz parte da Semana do Caminhar – http://bit.ly/semanadocaminhar2018 idealizado pela ONG SampaPé.

    Serviço:

    Aula Aberta: “Cidades Afetivas uma via convivialista para o bem viver”

    Data: Sábado dia 11 de Agosto

    Horário: 10:00 às 11:30

    Local: Praça Oswaldo Cruz, São Paulo (próximo estação de metrô Brigadeiro)

    Gratuito

    Sobre o evento: https://www.facebook.com/events/482465632199636/

    Informações para imprensa

    contato@conversasustentavel.com.br

     
  • 1 ago

    Vivian Blaso estará no Diálogos Gigantes para analisar 30 anos da “Constituição Cidadã” 

    Evento reúne debatedores no dia 02 de agosto de 2018 para analisar 30 anos da “Constituição Cidadã”

    A Constituição de 1988 completa 30 anos em outubro. Mas o que mudou desde então e quais foram as contribuições para a evolução da cidadania no Brasil? Para estimular a reflexão sobre os avanços e retrocessos do período, o Instituto NET Claro Embratel promove um novo Diálogos Gigantes com o tema “A Constituição de 88 e a ação democrática direta”.

    O evento acontece dia 2/8, das 8h às 15h, em parceria com o Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (Ipusp). A participação pode ser garantida presencialmente na plateia do Auditório Carolina Bori do Ipusp, em São Paulo (SP), pelo formulário de inscrição. Também, pode ser acompanhado por transmissão ao vivo na página do Instituto NET Claro Embratel no Facebook ou pelo YouTube do Ipusp.

    Serão três mesas de debates com o objetivo de discutir a chamada Constituição Cidadã dividida por temáticas: educação e cultura; meio ambiente e indígenas; e saúde e direitos trabalhistas (veja abaixo a programação completa). A mediação fica por conta do mestre em Comunicação e produtor de conteúdos de educação e cidadania Marcelo Abud.

    Os debates serão gravados e vão fazer parte da série especial de podcasts “A Constituição Cidadã e os dias de hoje”, com previsão de lançamento em setembro no portal do Instituto NET Claro Embratel.
    Confira mais informações na página do evento.

    Serviço

    Evento: A Constituição de 88 e a ação democrática direta
    Quando: 2 de agosto de 2018, das 8h às 15h
    Onde: Auditório Carolina Bori, Bloco G, Instituto de Psicologia da USP (Avenida Prof. Mello Moraes 1721, Cidade Universitária, São Paulo-SP)
    Parceria: Instituto NET Claro Embratel e Instituto de Psicologia da USP
    Inscrição para o presencial

    Programação

    8h – Mesa “Meio Ambiente e Indígenas”. Participam da conversa, Vivian Blaso, doutora em Ciências Sociais (Antropologia) pela PUC-SP; Sergio Leitão, advogado, fundador e diretor executivo do Instituto Escolhas; João Paulo Capobianco, biólogo e ambientalista.

    9h30 – Mesa “Educação e Cultura”. Estarão presentes Daniel Cara, educador, cientista político e coordenador geral licenciado da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, e Lisete Arelaro, doutora em Educação pela USP.

    11h – Mesa “Saúde e direitos trabalhistas”. Para discutir o tema, os convidados Christian Dunker, coordenador do Instituto de Psicologia da USP; Márcio Pochmann, doutor em Ciência Econômica pela Unicamp e Magda Biavaschi, doutora em Economia Aplicada (Economia Social do Trabalho) pela Unicamp.

    13h30 – Debate “Ação democrática direta”, promovido pelo Ipusp. As convidadas são Claudia Visoni, jornalista e militante de agricultura urbana, além de Maria Aparecida de Andrade Moreira Machado, pró-reitora de cultura e extensão da USP. Organizador: Christian Dunker.

     
  • 17 jul

    Convite: aula aberta na Casa do Saber 

    Cidades Afetivas e a Sociedade do Cansaço Edgar Morin, Byung-Chul Han e Michel Serres com Vivian Blaso

    As cidades são sistemas abertos: sua dinâmica emite e recebe mensagens, e é neste contexto que o homo urbanus afeta e é afetado. As suas vivências e experiências refletem a sociedade do cansaço. Eros agoniza! Nas cidades, o homem contemporâneo significa e ressignifica o seu sentido de existência no mundo. Compreender as cidades a partir do homo urbanus traz o desafio de sair da posição de sujeitos passivos, permitindo a compreensão das subjetividades e das intermitências da alma que transitam entre o homo sapiens demens e o homo urbanus.

    O encontro coloca um diálogo entre três grandes pensadores dos dias atuais: Edgar Morin, Byung-Chul Han e Michel Serres. São eles que norteiam as reflexões sobre cidades e afetividades, sociedade do cansaço e agonia de Eros, natureza e cultura. No encontro, a professora apresenta o seu trabalho “Cidades Afetivas”, mostrando como os afetos conduzem as possibilidades de reconhecimento de si e do outro a partir do processo evolutivo do homem no espaço urbano.

    A aula aberta é gratuita e destinada a apresentar um novo professor ao público da Casa do Saber e, para os novos alunos, é também uma oportunidade de ter contato com o ambiente e a dinâmica das aulas. O tema, geralmente panorâmico, serve como uma porta de entrada para assuntos a serem aprofundados em um futuro curso ministrado pelo professor da aula aberta.

    Inscrições no site: https://casadosaber.com.br/sp/checkout/cart/

     
  • 15 abr

    Apoie o Cidades Afetivas no Catarse.Me 

    Acesse o projeto no link:  https://www.catarse.me/cidadesafetivas?project_id=75129

     
  • 12 abr

    Inscreva-se no Canal Cidades Afetivas e acompanhe as novidades 

    Cidades Afetivas é um observatório dos movimentos afetivos nas cidades. Um resgate atropoético do bem viver. Atuamos com a religação dos saberes, olhamos para a cidade como flâneurs contemporâneos e das nossas vivências relatamos as experiências e transformamos em conhecimentos. Compartilhamos ideias, tecemos redes conectivas em busca de vias transformadoras e regeneradoras do pensamento. Acreditamos que a melhor forma de compreender quem somos, de onde viemos e para onde vamos é nos deixar levar pelo #viverascidadesSydney Cincotto Junior e Vivian Blasohttp://www.cidadesafetivas.com.br/

    Inscreva-se em nosso Canal Cidades Afetivas 

     
c
Compor novo post
j
Próximo post/próximo comentário
k
Post anterior/comentário anterior
r
Responder
e
Editar
o
Mostrar/Ocultar Comentários
t
Ir para o Topo
l
Ir para o login
h
Mostrar / Esconder ajuda
shift + esc
Cancelar