Marcado como: Consumo Responsável Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • 1 ago

    Vivian Blaso estará no Diálogos Gigantes para analisar 30 anos da “Constituição Cidadã” 

    Evento reúne debatedores no dia 02 de agosto de 2018 para analisar 30 anos da “Constituição Cidadã”

    A Constituição de 1988 completa 30 anos em outubro. Mas o que mudou desde então e quais foram as contribuições para a evolução da cidadania no Brasil? Para estimular a reflexão sobre os avanços e retrocessos do período, o Instituto NET Claro Embratel promove um novo Diálogos Gigantes com o tema “A Constituição de 88 e a ação democrática direta”.

    O evento acontece dia 2/8, das 8h às 15h, em parceria com o Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (Ipusp). A participação pode ser garantida presencialmente na plateia do Auditório Carolina Bori do Ipusp, em São Paulo (SP), pelo formulário de inscrição. Também, pode ser acompanhado por transmissão ao vivo na página do Instituto NET Claro Embratel no Facebook ou pelo YouTube do Ipusp.

    Serão três mesas de debates com o objetivo de discutir a chamada Constituição Cidadã dividida por temáticas: educação e cultura; meio ambiente e indígenas; e saúde e direitos trabalhistas (veja abaixo a programação completa). A mediação fica por conta do mestre em Comunicação e produtor de conteúdos de educação e cidadania Marcelo Abud.

    Os debates serão gravados e vão fazer parte da série especial de podcasts “A Constituição Cidadã e os dias de hoje”, com previsão de lançamento em setembro no portal do Instituto NET Claro Embratel.
    Confira mais informações na página do evento.

    Serviço

    Evento: A Constituição de 88 e a ação democrática direta
    Quando: 2 de agosto de 2018, das 8h às 15h
    Onde: Auditório Carolina Bori, Bloco G, Instituto de Psicologia da USP (Avenida Prof. Mello Moraes 1721, Cidade Universitária, São Paulo-SP)
    Parceria: Instituto NET Claro Embratel e Instituto de Psicologia da USP
    Inscrição para o presencial

    Programação

    8h – Mesa “Meio Ambiente e Indígenas”. Participam da conversa, Vivian Blaso, doutora em Ciências Sociais (Antropologia) pela PUC-SP; Sergio Leitão, advogado, fundador e diretor executivo do Instituto Escolhas; João Paulo Capobianco, biólogo e ambientalista.

    9h30 – Mesa “Educação e Cultura”. Estarão presentes Daniel Cara, educador, cientista político e coordenador geral licenciado da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, e Lisete Arelaro, doutora em Educação pela USP.

    11h – Mesa “Saúde e direitos trabalhistas”. Para discutir o tema, os convidados Christian Dunker, coordenador do Instituto de Psicologia da USP; Márcio Pochmann, doutor em Ciência Econômica pela Unicamp e Magda Biavaschi, doutora em Economia Aplicada (Economia Social do Trabalho) pela Unicamp.

    13h30 – Debate “Ação democrática direta”, promovido pelo Ipusp. As convidadas são Claudia Visoni, jornalista e militante de agricultura urbana, além de Maria Aparecida de Andrade Moreira Machado, pró-reitora de cultura e extensão da USP. Organizador: Christian Dunker.

     
  • 7 jul

    Na Prática, o que são Cidades Inteligentes? 

    Assista o Workshop Prática, o que são Cidades Inteligentes realizado no dia 03 de julho de 2017 no IETEC em Belo Horizonte.

     
  • 7 jul

    Cobertura Completa do Debate: Homo Consumans nas Cidades em Tempos Sombrios. 

    No contexto polissêmico das cidades não existem fronteiras nítidas entre o homo demens e o homo consumans. “O planeta terra avança à sombra da morte”. Em tempos sombrios é preciso abrir espaços para esperanças, resgatar o sentido de humanidade e dar luminosidade às sombras como proposto por Hannah Arendt em sua obra; “Homens em Tempos Sombrios”. Quais os desafios do homo consumans nas cidades? Este foi o tema do debate “Homo Consumans nas Cidades em Tempos Sombrios” realizado entre os pesquisadores: Fábio Mariano Borges doutor em sociologia do consumo pela PUC/SP atua há 25 anos com comportamento do consumidor, estudos etnográficos econsumer insights, desenvolvendo estudos acadêmicos e pesquisas de mercado e Vivian Blaso: doutora em antropologia pelo Complexus Núcleo de Estudos da Complexidade na PUC/SP, autora do livro Cidades em Tempos Sombrios. Barbárie ou Civilização. Realizado no dia 29 de junho de 2017 na Livraria da Vila na Alameda Lorena em São Paulo.

     
  • 12 jun

    Homo Consumas nas Cidades em Tempos Sombrios será o tema do debate entre Fábio Mariano Borges e Vivian Blaso no dia 29 de junho em São Paulo. 

     Nosso desenvolvimento técnico/industrial /urbano degrada a biosfera. Imersas em concreto e colapsada pelo excesso de automóveis, pelo hiperconsumo, pela falta de saneamento, superlotada pelas fugas das guerras e das fomes, na busca pela vida, as cidades agonizam.
    Neste contexto polissêmico das cidades não existem fronteiras nítidas entre o homo demens e o homo consumans. “O planeta terra avança à sombra da morte”. Em tempos sombrios é preciso abrir espaços para esperanças, resgatar o sentido de humanidade e dar luminosidade às sombras como proposto por Hannah Arendt em sua obra; “Homens em Tempos Sombrios”. Quais os desafios do homo consumans nas cidades? Este será o tema do debate “Homo Consumans nas Cidades em Tempos Sombrios” que será realizado entre os pesquisadores: Fábio Mariano Borges doutor em sociologia do consumo pela PUC/SP atua há 25 anos com comportamento do consumidor, estudos etnográficos econsumer insights, desenvolvendo estudos acadêmicos e pesquisas de mercado.e Vivian Blaso: doutora em antropologia pelo Complexus Núcleo de Estudos da Complexidade na PUC/SP, autora do livro Cidades em Tempos Sombrios. Barbárie ou Civilização.
    O debate será realizado no dia 29 de junho, às 19horas na Livraria da Vila na Alameda Lorena. As inscrições são gratuitas e as vagas limitadas. Após o debate haverá sessão de autógrafos com Vivian Blaso, autora do livro: Cidades em Tempos Sombrios. Barbárie ou Civilização publicado pela Paco Editorial.

    Informações para imprensa

    contato@conversasustentavel.com.br

     
  • 4 jun

    Cidades em Tempos Sombrios. Barbárie ou Civilização traz os desafios das cidades inteligentes 

    Cidades em Tempos Sombrios. Barbárie ou Civilização propõem um olhar reflexivo sobre as cidades e o estilo de vida de seus habitantes. A obra está organizada em cinco metatemas: Sustentabilidade, Consumo e Meio Ambiente, Tecnologias Sustentáveis, Smart Cities e Estilo de Vida nas Cidades Inteligentes e sugere aos leitores buscar  caminhos que possam transformar  a qualidade de vida, resgatar a empatia, a fraternidade, o reconhecimento, a afetividade, bases fundamentais de uma política de civilização planetária baseada na colaboração efetiva das culturas do mundo. O livro já está disponível  no site da Paco Editorial https://www.pacolivros.com.br/Cidades_em_Tempos_Sombrios/prod-4787970/

    Sobre a autora:

    Vivian Blaso – Doutora em Ciências Sociais (Antropologia) PUCSP. Especialista em Gestão Responsável para Sustentabilidade pela Fundação Dom Cabral. Especialista em Gestão Estratégica de Marketing UFMG Universidade Federal de Minas Gerais. Sócia na Agência Conversa Sustentável. Life e Leader Coach pela SLAC Coaching. Certified Practitioner (PNL) pela Master Solution Institute. Professora na FGV-EAESP -Escola de Administração de Empresas de São Paulo, FAAP – Fundação Armando Álvares Penteado, Mackenzie – Universidade Presbiteriana Mackenzie. Pesquisadora no Complexus – Núcleo de Estudos da Complexidade na PUCSP. Linha de pesquisa: Diversidades Culturais e Pensamento Complexo.

     
  • 4 mar

    Responsabilidade Social Empresarial e Sustentabilidade: Reflexões Teóricas e Algumas Práticas no Nordeste Brasileiro 

    Capítulo de livro publicado em 2016 disponível para leitura no link:

    https://issuu.imagescom/eduern/docs/responsabilidade_social_empresarial

    Dados da Publicação:

    ISBN 978-85-7621-095-5                                                                                                               “Responsabilidade Social Empresarial: reflexões teóricas e algumas práticas no nordeste brasileiro”

    Capítulo: “A EVOLUÇÃO DO CONCEITO DE SUSTENTABILIDADE ? DA CONFERÊNCIA ESTOCOLMO 72 À RIO+ 20”

    Autora: Vivian Aparecida Blaso Souza Soares César

     
  • 29 ago

    Na China o fast fashion está virando coisa do passado 

    As iniciativas para conter a poluição ambiental na China chegaram no universo da moda fast fashion

     
  • 31 maio

    A prática do Slow Food nas Cidades Inteligentes 

    italia_25

    Matéria do Globo Repórter sobre  Slow Food nas Cidades Italianas!

    http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia/2016/05/cidade-na-italia-ensina-comer-sem-pressa-e-com-mais-prazer.html

     
  • 16 maio

    5ª MOSTRA ECOFALANTE DE CINEMA AMBIENTAL CHEGA ÀS SALAS DE CINEMA EM JUNHO 

    De 15 a 29 de junho, filmes de diversos países, a maioria inédita no Brasil, serão exibidos gratuitamente em salas de cinema da capital paulista

    Filmes recentes de diversas partes do mundo abordando questões socioambientais voltam a ocupar as salas de cinema da capital paulista no mês de abril. A 5ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental traz mais de 100 filmes, com destaque para produções contemporâneas e inéditas no Brasil. São produções do Canadá, Alemanha, Turquia, EUA, China, França, Grécia, Itália, Israel, Índia, Reino Unido, Noruega, Bélgica, Luxemburgo, África do Sul, Quirguistão, dentre outros países.

    Os filmes serão exibidos em salas do circuito de cinema de São Paulo: Caixa Belas Artes, Reserva Cultural, Cinemateca, Centro Cultural São Paulo, Cine Olido e Matilha Cultural. A programação é gratuita e se completa com uma série de debates com a participação de especialistas, diretores e convidados.

    A Mostra promove sessões também na Biblioteca Mário de Andrade, em Centros Educacionais Unificados (CEUs) da Prefeitura de São Paulo, unidades das Fábricas de Cultura, faculdades, colégios e em Escolas Técnicas Estaduais (ETECs), levando a programação para um público novo, localizado em diferentes regiões da cidade de São Paulo.

    “O público pode esperar, mais uma vez, filmes de grande qualidade cinematográfica, que abordam questões socioambientais e contribuem para despertar a reflexão e promover o debate em torno desses temas tão presentes em nosso dia a dia. São filmes de diversas partes do mundo que compõem um mosaico dos problemas e soluções encontrados pelo planeta, um retrato da relação da humanidade com a Terra e, consequentemente, consigo mesma”, afirma o Diretor da 5ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental, Chico Guariba.

    Programas

    Compõem a Mostra os seguintes programas: Mostra Contemporânea Internacional, Panorama Histórico, Competição Latino-Americana, Homenagem, Circuito Universitário, Mostra Escola e Curta Ecofalante.

    A Mostra Contemporânea Internacional traz 39 filmes das mais diversas nacionalidades, sobre os temas cidades, consumo, economia, mudanças climáticas, recursos naturais e povos & lugares. São produções recentes, que raramente entram em circuito nas salas de cinema.

    Dentre os destaques estão filmes como O Céu e a Geleira, de Luc Jacquet (A Marcha dos Pinguins), sobre a atuação do glaciologista francês Claude Lorius, cuja pesquisa com o gelo da Antártica ajudou a provar que o aquecimento global vem sendo provocado pela ação humana; Isso Muda Tudo, baseado no livro da jornalista, escritora e ativista canadense Naomi Klein, com produção executiva do cineasta Alfonso Cuarón; O Mercado da Dúvida e Doce Mentira, filmes que evidenciam como os negacionistas do clima e a indústria do açúcar se apropriaram de estratégias usadas pela indústria do tabaco para gerar dúvida sobre a veracidade dos estudos científicos em suas respectivas áreas; O Verdadeiro Preço, que aborda a cadeia produtiva envolvida em torno do fast fashion, apontando os custos humanos e ambientais; Não Posso Te Dar Minha Floresta e Para Onde Foram as Andorinhas, sobre a situação dos povos originais afetados pelas questões ambientais; A Experiência Cecosesola, sobre um bem sucedido experimento de economia solidária na Venezuela; Negócio Sujo, sobre relações comerciais entre Israel e Palestina, dentre muitos outros.

    Para o Panorama Histórico deste ano, a Mostra foi buscar na rica cinematografia francesa títulos que, das mais variadas maneiras e sob os mais diversos registros, tocam em questões que nos dizem respeito. Sem quaisquer restrições relacionadas a gêneros, categorias cinematográficas ou períodos, o Panorama surpreende pela aptidão do cinema para (re) inventar formas de refletir sobre o mundo em que vivemos, partindo da década de 1920 do século passado e reunindo grandes cineastas como Louis Malle, Robert Bresson, Jean Epstein, Jean Painvelé, Jacques Tati, Jean Rouch, Yves-Jacques Cousteau, dentre outros.

    A Competição Latino-Americana registrou recorde de inscrições desde sua criação, há dois anos. Foram recebidas 255 produções, entre longas e curtas, com representantes de quase todos os países latinos. Deste total, 22 filmes foram selecionados para participar da competição, que premia as melhores produções escolhidas pelo júri e pelo público. Os filmes percorrem múltiplos cenários da realidade latino-americana e tornam possível entender as consequências sociais provocadas pelas mudanças climáticas, quais são os danos socioambientais causados pelo uso desenfreado dos recursos naturais e como as populações nacionais estão reagindo e se organizando para lidar com essas transformações. Há produções da Venezuela, Colômbia, Bolívia, Argentina, do Equador, México, Peru, Paraguai, Uruguai, Chile, Equador e Brasil.

    O ambientalista Paulo Nogueira Neto, hoje com 93 anos, será o homenageado desta edição da Mostra. Considerado patrono do ambientalismo no país, advogado, professor e pesquisador, dirigiu a Secretaria Especial de Meio Ambiente (SEMA) de 1974 a 1986, órgão do governo federal ligado à época ao Ministério do Interior, responsável então pelo setor ambiental no Brasil. Foi membro da Comissão Brundtland de Meio Ambiente e Desenvolvimento das Nações Unidas, que criou o conceito de Desenvolvimento Sustentável.

    Circuito Universitário, Mostra Escola e Curta Ecofalante

    O Circuito Universitário e a Mostra Escola já acontecem desde o início de março em diversas faculdades, escolas e instituições de ensino, com objetivo de promover a reflexão e o debate a partir da experiência do cinema e chamar os estudantes para assistirem aos filmes nas salas de cinema. São sessões voltadas aos estudantes, seguidas de debates com professores e convidados.

    Participaram das sessões universidade, faculdades, escolas, colégios, Fábricas de Cultura e ETECs. Ao todo, cerca de 14 mil pessoas já assistiram a filmes da 5ª Mostra e participaram de debates em diversas regiões da Região Metropolitana de São Paulo. Foram mais de 70 sessões em dezenas de lugares, cobrindo uma área de 550 km².

    Uma novidade da Mostra é o concurso Curta Ecofalante, voltado a estudantes universitários. Foram recebidos quase 40 trabalhos das mais diversas faculdades, de diversos locais do país. Destes, foram selecionados cinco curtas, que serão exibidos durante a Mostra. O melhor trabalho, escolhido pelos curadores da Ecofalante e também por votação do público, será premiado ao fim da Mostra. O objetivo deste programa é incentivar a produção universitária, que muitas vezes não tem espaço para ser exibida.

    A 5ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental é uma realização da ONG Ecofalante e do Programa de Apoio à Cultura (ProAC) do Governo do Estado de São Paulo, com patrocínio da White Martins e apoio da Goodyear e da Reciclo Pepsico. A correalização é da Secretaria de Cultura da Prefeitura de São Paulo, Spcine e Escola do Parlamento da Câmara Municipal de São Paulo. A Mostra tem apoio institucional do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), Embaixada da França no Brasil, Institut Français, La Cinémathéque Française, Le Monde Diplomatique Brasil, São Paulo Turismo (SPTuris), Observatório do Clima, SOS Mata Atlântica, Greenpeace, Instituto Socioambiental (ISA), Grupo de Institutos Fundações e Empresas (GIFE), Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS), Instituto Akatu, Instituto de Energia e Ambiente (IEE)/USP, Governos Locais Pela Sustentabilidade (ICLEI), Matilha Cultural, Fábricas de Cultura (Poiesis e Catavento), Rede Nossa São Paulo, Instituto Envolverde, Videocamp, Catraca Livre, Conexão Planeta e Horizonte Educação e Comunicação.

    A programação será divulgada em breve. Acompanhe as novidades nos canais da Mostra:

    Informações para a Imprensa

    ProCultura

    11 3263.0197

    Flávia – flavia@procultura.com.br

    Cláudia – claudia@procultura.com.br

     
  • 13 maio

    Macrotendencias sobre o Brasil por Li Edelkoort 

    Conheça o “Manifesto anti-fashion” Manifesto anti fashion

     
c
Compor novo post
j
Próximo post/próximo comentário
k
Post anterior/comentário anterior
r
Responder
e
Editar
o
Mostrar/Ocultar Comentários
t
Ir para o Topo
l
Ir para o login
h
Mostrar / Esconder ajuda
shift + esc
Cancelar