Atualizações de fevereiro 2012 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Teclas de atalho

  • 10 fev

    Criaticidades, novo projeto de Economia Criativa apoiado pelo Santander, reflete e estimula novos olhares sobre o desenvolvimento socioeconômico 

    Iniciativa da Garimpo de Soluções, empresa liderada pela economista e urbanista Ana Carla Fonseca, e Umana Comunicação Inteligente, comandada pelo jornalista Ricardo Mucci, traz o portal http://www.criaticidades.com.br e programas de televisão.

    Protagonistas mundiais do tema, como Charles Landry, John Howkins, Anamaria Wills e Simon Evans participam do projeto.

    Do lado nacional, profissionais de alto nível, como o Embaixador Rubens Ricupero, o urbanista Jorge Wilheim e mais dezenas de peritos neste tema explicam e demonstram como economia criativa e cidades criativas funcionam na prática.

    São Paulo, 10 de fevereiro de 2012 – Está no ar a partir de hoje o portal Criaticidades. Trata-se de um projeto nacional que propõe estimular o potencial das cidades brasileiras dentro do conceito da Economia Criativa. A iniciativa apresenta, por meio de um site e cinco documentários com mais de 100 entrevistas realizadas em diversas partes do mundo a origem, a história, as dinâmicas, os protagonistas, e tudo que envolve esse universo que já é considerado por muitos como um dos pilares da nova ordem econômica global . Criaticidades é uma ideia original desenvolvida pela Garimpo de Soluções e pela Umana Comunicação Inteligente, com apoio do Santander.

    O site http://www.criaticidades.com.br oferecerá amplo conteúdo com notícias, vídeos e apresenta os integrantes do Comitê Criativo formado por profissionais de diversos setores que avalizam e participam das ações do projeto. Cases e entrevistas com brasileiros especializados mostram exemplos práticos e bem-sucedidos de municípios que conseguiram bons resultados na busca de novas alternativas de desenvolvimento econômico.

    Já os cinco programas de televisão da série serão veiculados pelas principais redes de educação e cultura do país. Os programas são dividos por temas: Economia Criativa mostra o que é, o surgimento do conceito como uma alternativa de desenvolvimento, na Austrália, seu desenvolvimento como política de Estado na Inglaterra, até a realidade brasileira; Cidades Criativas explica como as cidades encontram soluções para seus desafios e se transformam em locais mais interessantes para seus cidadãos e turistas; Setores Criativos – Design e Moda, exemplifica por meio de dois setores como a economia criativa se dá na prática; Empreendedorismo Criativo explora as características e necessidades dos empreendedores da economia criativa suas peculiaridades e inserção no contexto nacional; Paraty e Paulínia – Transformações urbanas ilustra por meio de duas cidades de contextos, perfis e modelos distintos como nossas cidades podem aspirar e concretizar seu potencial criativo, buscando benefícios econômicos, sociais, culturais e urbanos.

    A equipe da Umana/Garimpo viajou a Londres, para conhecer as transfomações que a Economia Criativa produziu na cidade e ainda entrevistar grandes especialistas no tema, como John Howkins, Charles Landry, Anamaria Wills e Simon Evans.

    Experts no tema aqui do Brasil também foram entrevistados, entre eles: Ana Luiza Trajano (restaurante Brasil a Gosto), Caio Luiz de Carvalho (ex-Ministro do Turismo), Cezar Vasquez (Superintedente do SEBRAE/RJ), Cláudia Leitão (Ministério da Cultura), Cláudia Ramalho (SESI), Cristiano Prado (FIRJAN), Cristina Lins (IBGE), Danilo Miranda (SESC/SP), Graça Cabral (São Paulo Fashion Week), Jorge Wilheim (Ex-Secretário de Planejamento/SP), Jurema Machado (UNESCO) Maurício Broinizi (Nossa São Paulo), Mauro Munhoz (FLIP) e o Embaixador Rubens Ricupero.

    Para Ana Carla Fonseca, “este é mais do que um projeto de economia criativa no ambiente urbano; é um catalisador de novos olhares da população sobre a realidade em que vive, estimulando um processo de transformação de dentro para fora”. Já Ricardo Mucci afirma que “Criaticidades pretende contribuir para que governos, cidades, comunidades, ONGs, empresas e cidadãos compreendam o potencial transformador da Economia Criativa e sejam capazes de implementar ações e políticas dentro deste novo conceito, que está no DNA empreendedor do Brasil e dos brasileiros”.

    Fernando Byington Egydio Martins, vice-presidente de Marca, Marketing, Comunicação e Interatividade do Santander, destaca que “o banco acredita na economia criativa como fonte de desenvolvimento econômico sustentável. Mais do que isso, acredita no potencial criativo brasileiro para fortalecer as economias locais e inseri-las no universo macroeconómico por meio de pesquisas e da difusão de informações sobre o tema, ainda pouco debatido no Brasil e no mundo”.

    As redes sociais presentes no projeto são:

    Youtube: youtube.com/criaticidades

    Twitter: Twitter.com/criaticidades

    Facebook: http://www.facebook.com/criaticidades

    Sobre a Garimpo de Soluções

    Liderada pela economista Ana Carla Fonseca, a Garimpo de Soluções é uma empresa pioneira em economia criativa e cidades criativas. Com sede em São Paulo, atua no Brasil e no exterior, nas áreas de consultoria, assessoria, curadoria, pesquisa e palestras.

    Ana Carla Fonseca – Autoridade mundial em economia criativa e cidades criativas, é Administradora Pública pela FGV; Economista, Mestre em Administração e Doutora em Urbanismo pela USP (com tese pioneira em cidades criativas), é sócia-diretora da Garimpo de Soluções – economia, cultura & desenvolvimento. É consultora e conferencista internacional em cinco línguas e 22 países, assessora em economia criativa para a ONU, curadora de congressos nacionais e internacionais e autora ou editora de oito livros referenciais nas temáticas ligadas ao seminário, comoEconomia da Cultura e Desenvolvimento Sustentável (Prêmio Jabuti 2007). Foi executiva de multinacionais por 15 anos, tendo atuado em projetos globais, baseada na América Latina, em Londres e Milão. É professora convidada da FGV/SP, da Universidade Candido Mendes/RJ, da Universidad Nacional de Córdoba (Argentina) e da Universidad Rey Juan Carlos (Espanha), membro do Corpo Mundial de Peritos em Políticas Públicas da UNESCO, do Conselho Editorial da Revista Página 22, dos Conselhos Consultivos da Virada Sustentável e da New Ventures Brasil e do Conselho Deliberativo do Instituto Pensarte.

    Sobre a Umana Comunicação Inteligente

    Umana é uma empresa que desenvolve projetos transmídia. O foco central são conteúdos e formatos inovadores destinados às diversas plataformas: TV, web, mobile e as que ainda virão por aí. Os desafios impostos pela tecnologia, pela sustentabilidade, pela globalização e pela valorização da cidadania exigem estratégias de comunicação sintonizadas com este cenário. É neste universo que a Umana se sente à vontade para atuar, apoiada principalmente na expertise de sua equipe, liderada pelo jornalista Ricardo Mucci.

    Ricardo MucciJornalista formado pela Fundação Armando Álvares Penteado em 1974, com mais de 35 anos de experiência em televisão e internet. Foi editor de telejornais da TV Cultura, Rede Bandeirantes e Rede Globo. Sócio proprietário da TVi – Televisão e Cinema Ltda., da Promon Inteligens S.A. e da Umana Marketing e Comunicação Ltda. É consultor de projetos estratégicos de Tecnologia da Informação e Comunicação, dirigiu o Núcleo de Novas Mídias da Fundação Padre Anchieta e coordenou a campanha nacional pelo Uso Seguro da Internet.

    Sobre o Santander

    Com projetos que apoiam o atendimento às demandas e os repertórios locais e contribuem para a transformação social, o Santander atua na área da cultura com foco no desenvolvimento do setor, seja em ações institucionais, programas, projetos ou nas unidades culturais que mantém nas cidades do Recife, PE e Porto Alegre, RS.

    O Santander Cultural Recife e o Santander Cultural Porto Alegre já receberam cerca 4 milhões de frequentadores desde o ano 2000, desempenhando função educativa e desenvolvendo iniciativas com olhar global, mas atento às necessidades e perfis locais. Tendo como principal foco de atuação as artes visuais, a música e a educação, as unidades promovem ainda encontros, seminários, oficinas, palestras e várias outras atividades de reflexão.

    A unidade em Porto Alegre desenvolve também importantes iniciativas nas áreas de cinema e patrimônio além do Centro de Capacitação Digital, que promove a inclusão digital para a terceira idade. Sua sede conta com os serviços de restaurante e café e uma Loja Koralle, especializada em materiais artísticos, livros, objetos de design e papelaria. Já a unidade no Recife mantém uma biblioteca especializada em arte, arquitetura, moda e fotografia e o acervo de obras contemporâneas da Coleção Marcantonio Vilaça, com serviço disponível para consultas do público em geral.

     
  • 8 fev

    Abertas as inscrições para o evento de lançamento do livro Os 50 mais importantes livros em Sustentabilidade 

    O encontro marcará a publicação inédita da tradução da obra The top 50 sustainability Books, da Universidade de Cambridge, e promoverá debate sobre a Economia Verde.

    Dando continuidade à campanha O que é Sustentabilidade? e adiantando as discussões que devem aquecer a Rio+20, o Instituto Jatobás lançará no dia 12 de março de 2012, na Fundação Getulio Vargas (FGV), o livro Os 50 mais importantes livros em sustentabilidade em um evento que discutirá “Os novos rumos para Economia Verde”.

    O livro trará sinopse e principais ideias dos livros mais importantes relacionados ao tema de acordo com 3.000 líderes e ex-alunos do Programa de Sustentabilidade da Universidade de Cambridge. Contemplará, também, entrevistas e biografias de autores, todos referências mundiais, tais como Aldo Leopold, Rachel Carson, Joseph Stiglitz, Herman Daly, Jeffrey Sachs, Buckminster Fuller e E.F. Schumacher.

    No debate, será feito um paralelo entre as ideias abordadas na publicação e o conceito de Economia Verde, seu papel no Brasil, na sociedade e nas organizações. A abertura do encontro será da advogada, doutora em gestão pública e especialista em sustentabilidade, Rachel Biderman e, em seguida, será composta uma mesa de debate com especialistas, líderes empresarias e do terceiro setor.

    O encontro acontecerá das 8h30 às 12h, no Salão Nobre da FGV, que fica na Rua Itapeva, 432, Bela Vista, São Paulo. As inscrições são limitadas, 100 lugares, e podem ser feitas pelo site da Conversa Sustentável – pelo link: http://conversasustentavel.com.br/?page_id=2865 – ou pelo telefone (11) 2501-4064. A entrada é gratuita.

    Parceiros da iniciativa

    Co-edição: Instituto Jatobás e Editora Peirópolis

    Patrocínio: Braskem

    Co-patrocínio: WWF e UNIP – Universidade Paulista

    Apoio Institucional: Universidade de Cambridge, LABIES – Laboratório de Inovação, Empreendedorismo e Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas, PROGESA – Programa de Gestão Estratégica Socioambiental da Universidade de São Paulo, Secretaria do Verde e Meio Ambiente do Município de São Paulo, Governo de Minas Gerais, Consulado Britânico, Global Footprint Network, TNC – The Nature Conservancy, Greenovation, Instituto EcoFuturo, Instituto Verdescola, Praça Victor Civita, Instituto Saúde e Sustentabilidade, Instituto EcoAnima, IBGC – Instituto Brasileiro de Governança Corporativa, Associação Brasileira dos Profissionais de Sustentabilidade – Abraps, Mercado Ético, Palas Athena, Fórum de Líderes, Shift agentes transformadores, Fundação Estadual do Meio Ambiente, ABCDE Ambiente Brasil, Ambientação – educação ambiental em prédios público de MG e Virada Sustentável.

     
  • 8 fev

    CNseg divulga pesquisa inédita de sustentabilidade em seguros 

    A CNseg (Confederação Nacional das Empresas de Seguros) anunciou nesta terça-feira, 7/2, o resultado da pesquisa inédita sobre práticas sustentáveis adotadas pelas empresas de seguros no Brasil. O estudo, realizado pela BSD Consulting em agosto de 2011, observou práticas de 28 empresas que concentram 80% da arrecadação do setor. O levantamento concluiu que quase 60% das empresas criaram campanhas ou usam seus canais de relacionamento com os clientes para incentivar práticas sustentáveis; metade delas estimula consumo consciente e a eficiência energética nos processos internos; e 35% envolvem seus funcionários em práticas verdes.

    O mercado segurador brasileiro vem intensificando a discussão sobre sustentabilidade e vai aderir aos princípios da ONU na Rio+20. Nesta terça-feira, os líderes do setor estiveram reunidos na sede do Sindicato das Seguradoras de São Paulo para o I Workshop Inovação e Oportunidades em Sustentabilidade. “Essa discussão deve estar presente no dia-a-dia de cada empresa. O grande desafio é incorporar as práticas de sustentabilidade nos processos do negócio e fazer com que sejam adotadas de forma natural”, disse o vice-presidente do Itaú e presidente do Itaú seguros, Marcos Lisboa, presente ao encontro.

    Com os resultados da consultoria, os líderes do mercado presentes ao encontro foram estimulados a divulgar e expandir suas práticas. “Precisamos divulgar os cases de sucesso. A pesquisa apresentada mostrou que há um envolvimento do setor, mas temos que ampliar esse tipo de atuação”, falou Patrick Larragoiti, presidente da SulAmérica.

    O setor de saúde suplementar foi representado por Marcio Coriolano, presidente da FenaSaúde (Federação Nacional de Saúde Suplementar). Coriolano discutiu a questão da sustentabilidade sob a ótica da prevenção e qualidade de vida, levando-se em conta o aumento da expectativa de vida da população. “O tema na saúde perpassa sobre um programa amplo de promoção à saúde. Nesse sentido, a Federação está participando da campanha do Ministério da Saúde sobre qualidade de vida”, explicou o presidente.

    Solange Beatriz, diretora-executiva da CNseg, encerrou o evento ressaltando a importância do encontro e reforçando a importância da adoção, pelo setor, de ações práticas e comuns às empresas. A diretora-executiva também anunciou que a segunda edição do Prêmio Antônio Carlos de Almeida Braga em Inovação em Seguros, em 2012, terá foco em sustentabilidade.

     
  • 4 fev

    CNseg estimula sustentabilidade na agenda do mercado segurador 

    Com a adesão aos Princípios para o Desenvolvimento Sustentável de Seguros das Nações Unidas, Confederação Nacional das Seguradoras espera tornar práticas de excelência do setor conhecidas e influenciar no comportamento da sociedade

    O mercado brasileiro de seguros vai aderir aos Princípios para o Desenvolvimento Sustentável de Seguros, uma iniciativa do Programa das Nações Unidades para o Meio Ambiente. A adesão será celebrada na Rio+20, conferência que será realizada de 20 a 22 de junho no Rio de Janeiro, e representará um compromisso público de longo prazo do setor de seguros com o desenvolvimento sustentável. “A iniciativa das Nações Unidas de estabelecer princípios para o Desenvolvimento Sustentável de Seguros está alinhada com o que o mercado segurador brasileiro tem defendido ao longo dos anos e, por isso, fortalecerá a cultura e a disseminação deste conceito no mercado nacional”, diz Solange Beatriz Palheiro Mendes, diretora-executiva da CNseg (Confederação Nacional das Seguradoras).
    Os quatro princípios são o resultado de um processo consultivo realizado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente em parceria com o setor mundial de seguros nos últimos dois anos e serão apresentados às seguradoras brasileiras pela CNseg ao longo de 2012. A primeira apresentação será no dia 7 de fevereiro, em São Paulo, durante o I Workshop Inovação e Oportunidades em Sustentabilidade.
    “A tendência mundial de valorização das empresas socialmente responsáveis e sustentáveis já está consolidada. No Brasil, muitas empresas do setor de seguros já abriram área específica para o estudo de ações para uma economia sustentável”, observa Solange Beatriz. O desafio da CNseg é tornar essas práticas de excelência conhecidas, para que possam permear de uma forma pragmática toda a cadeia do mercado segurador, influenciando no comportamento dos clientes – pessoas físicas ou jurídicas –, de investidores, da sociedade, de reguladores e do governo
    No workshop, a CNseg também apresentará os resultados de uma pesquisa realizada com 28 seguradoras sobre práticas sustentáveis e lançará um questionário com indicadores de ações sociais, meio ambiente, governança corporativa e transparência. “A proposta é identificar o nível de adesão das seguradoras a esses indicadores”, explica a diretora-executiva da CNseg. O evento contará com a participação de diversos executivos do setor de seguros que atuam na área de sustentabilidade e o objetivo é discutir como aplicar critérios socioambientais na gestão de riscos e o papel do mercado.

    Princípios para o Desenvolvimento Sustentável de Seguros

    1. Considerar sistematicamente as questões ambientais, sociais e de governança no negócio, princípios, estratégias e operações.
    2. Aumentar a consciência da indústria de seguros sobre questões ambientais, sociais e de governança, reduzir o risco e encontrar soluções.
    3. Trabalhar em conjunto com a sociedade para reforçar nossa eficiência na implementação dos Princípios.
    4. Ser transparente ao comunicar as nossas atividades e progressos na implementação dos Princípios.

    SERVIÇO:
    I Workshop Inovação e Oportunidades em Sustentabilidade
    Dia: 07 de fevereiro de 2012
    Hora: 8h30 às 14h30
    Local: Sindicato das Seguradoras de São Paulo (Av. São João, 313 – 6º andar – SP)

    Grupo Informe
    Tayná Xavier – 2173-0057 tayna.xavier@grupoinforme.com.br
    Eduardo Nunes – 2173-0056 eduardo.nunes@grupoinforme.com.br
    Gloria Santos – 2173-0053 gloria.santos@grupoinforme.com.br
    Gustavo Kaye – 2173-0063
    gustavo.kaye@grupoinforme.com.br
    Patricia Gonzalez – 2173-0050
    patricia.gonzalez@grupoinforme.com.br

     
  • 4 fev

    Bairro da Vila Olímpia inova com a implantação de modelo socioambiental de coleta seletiva 

    Parceria de associação do bairro, com a Prefeitura, ONG e cooperativas de catadores cria modelo inovador para melhorar a coleta seletiva de lixo na cidade.

    Por iniciativa da Associação Colméia-SP, de que fazem parte empresários e moradores da Vila Olímpia, uma parceria com a ONG Instituto GEA e o programa de coleta seletiva da Prefeitura está trazendo mais sustentabilidade ao bairro, que fica na zona oeste da cidade. Com a grande quantidade de lixo produzida pelos condomínios e estabelecimentos comerciais, bares e restaurantes existentes na área, foi preciso criar um modelo pioneiro para permitir a realização da coleta desses resíduos para reciclagem.
    Para evitar a circulação dos caminhões de coleta, que mal podiam transitar pelas ruas estreitas do bairro, a Associação Colméia contratou um veículo de porte menor para realizar o serviço de forma mais eficiente, entrando nas garagens para recolher os resíduos , sem atrapalhar o trânsito e poluindo muito menos que os caminhões. Quando lotado, o veículo se direciona ao Ecoponto da região, localizado no viaduto da Av. dos Bandeirantes, onde descarrega os resíduos, que são retirados de uma só vez, à noite, pelo caminhão das cooperativas. O trabalho de coleta é efetuado pelas cooperativas de catadores da Zona Sul de São Paulo: Sempre Verde, Coopergaia e Cooperpac, que são as beneficiárias do projeto.
    O uso do Ecoponto como local de descarga provisória evita que os caminhões tenham que circular pela cidade para levar os materiais até as cooperativas, durante as horas de maior movimentação de veículos. Com a implantação do novo sistema de coleta, espera-se criar um modelo que possa ser replicado em outras regiões de São Paulo, otimizando o uso dos Ecopontos já existentes e melhorando o serviço de coleta seletiva oferecido à população.
    O Instituto GEA – Ética e Meio Ambiente é uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) que tem como finalidade principal desenvolver a cidadania e a educação ambiental, assessorando a população para implantação de programas de coleta seletiva de lixo e reciclagem. O GEA quer proporcionar à população interessada em participar na solução dos problemas ambientais os instrumentos práticos para que essa participação seja possível.

    Informações a imprensa:

    Marcela Lage – (11) 8555-1999

     
  • 1 fev

    Em relatório, Painel sobre Sustentabilidade Global da ONU afirma que futuro precisa ser baseado em custos reais para as pessoas e para o meio ambiente 

    Adis Abeba – Agora mais do que nunca, os líderes precisam se concentrar no que mais importa – a resiliência de longo prazo das pessoas e do planeta. É o que afirma o o Painel de Alto Nível sobre Sustentabilidade Global, que apresentou hoje (30/1) seu relatório ao Secretário-Geral da ONU Ban Ki-moon, em Adis Abeba (Etiópia).

    O Painel é composto por 22 membros e foi criado pelo Secretário-Geral em agosto de 2010 para formular um novo projeto de desenvolvimento sustentável e de baixo carbono. A Ministra do Meio Ambiente do Governo do Brasil, Izabella Teixeira, integra o Painel.

    Copresidido pelo presidente finlandês Tarja Halonen e pelo presidente sul-africano Jacob Zuma, o Painel lançou seu relatório final – “Pessoas Resilientes, Planeta Resiliente: Um Futuro que Vale Escolher” – com 56 recomendações para colocar em prática o desenvolvimento sustentável e integrá-lo às políticas econômicas o mais rápido possível.

    Ban Ki-moon, ao receber o relatório do Painel, afirmou que o desenvolvimento sustentável é uma prioridade para seu segundo mandato. “Precisamos traçar um novo rumo, mais sustentável para o futuro, que fortalece a igualdade e o crescimento econômico ao mesmo tempo em que protege o nosso planeta”.

    “Pessoas Resilientes, Planeta Resiliente” pede pela integração dos custos sociais e ambientais do mesmo modo como são os preços mundiais e as medidas de atividades econômicas. Exige também um conjunto de indicadores de desenvolvimento sustentável que vão além da abordagem tradicional do Produto Interno Bruto (PIB) e recomenda que os governos desenvolvam e apliquem um conjunto de objetivos de desenvolvimento sustentável que possam mobilizar a ação global e ajudar a monitorar o progresso.

    O relatório do Painel de Alto Nível é uma contribuição significativa para o trabalho da ONU no campo do desenvolvimento sustentável e proporciona uma contribuição oportuna para a preparação da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) no Brasil em junho de 2012.

    Os 22 membros do Painel de Alto Nível sobre Sustentabilidade Global incluiu chefes e ex-chefes de Estado, ministros e representantes do setor privado e da sociedade civil.

    O relatório está disponível em http://www.un.org/gsp

     
c
Compor novo post
j
Próximo post/próximo comentário
k
Post anterior/comentário anterior
r
Responder
e
Editar
o
Mostrar/Ocultar Comentários
t
Ir para o Topo
l
Ir para o login
h
Mostrar / Esconder ajuda
shift + esc
Cancelar