Atualizações de março 2011 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Teclas de atalho

  • 14 mar

    Cartuns ambientais 

    Acesse http://www.greennation.com.br/ e confira a Galeria de Cartuns Ambientais.

    O blog irá reunir trabalhos de cartunistas de todo o brasil.

    Este é o trabalho de Léo Valença – Cartunista carioca e organizador do livro “Aquecimento Global em cartuns que atualmente está sendo vendido pela internet através do site http://www.podeditora.com.br/.

    Dedica-se desde 2002 a produção de cartuns para sites de humor na internet como o portal Ora Pois. Em 2009 recebeu menção Honrosa na categoria charge no II Festival Internacional de Menções Honrosas para Cartunistas no Rio de Janeiro.

    Sobre o GreenNation

    O GreenNation é um ambiente colaborativo online que interage com os usuários para convergir cultura, informação e proteção ambiental a partir de questões que envolvem o futuro do planeta.
    Nossa primeira atração é GreenNationFest: festival ambiental de cinema e novas mídias.

    O objetivo do GreenNationFest é sensibilizar pessoas para agir por um mundo mais sustentável

    http://www.greennation.com.br/pt/quemsomos

     
  • 14 mar

    Povos indígenas: Cultura, história e desafios 

     
  • 14 mar

    Eco-Challenge 2011 – Inscrições até primeiro de abril 

    Prorrogada as inscrições e envio de projetos socioambientais do Eco-Challenge 2011. Competição para empreendedores, de 13 a 35 anos, que estejam desenvolvendo empresas ou projetos que colaborem ou potencializem soluções relacionadas à conservação da água. O vencedor concorre a 5 mil dólares a serem investidos no projeto.

    As novas datas são:

    – Inscrição pelo site http://www.ticamericas.net/: 01 de abril de 2011.

    – Envio da versão final do projeto: 01 de maio de 2011.

     
  • 14 mar

    Debate aberto: Meio Ambiente e Sustentabilidade 

    O Papo Social promove no dia 19 de março, sábado, um debate aberto com Aron Belinky sobre o tema Meio Ambiente e Sustentabilidade. O especialista participou da fundação da SOS Mata Atlântica e foi coordenador executivo da campanha internacional TicTacTicTac. Ele falará sobre as principais urgências que enfrentamos hoje relacionadas a Meio Ambiente e Sustentabilidade, não apenas no nosso país mas também na esfera internacional.

    O Papo Social é um grupo aberto de jovens interessados em conhecer melhor os problemas sociais, econômicos, políticos e ambientais do Brasil e do mundo que regularmente promove debates com especialistas de diversas áreas. Os encontros são gratuitos e acontecem a cada três semanas sempre aos sábados à tarde. Os palestrantes são principalmente profissionais do terceiro setor e acadêmicos.

    Os temas dos encontros são divididos em módulos específicos: Educação, Habitação e Urbanismo, Meio Ambiente e Sustentabilidade, Segurança Pública, etc. Lia Diskin, Sergio Haddad, Jair Ribeiro, Raquel Rolnik, João Sette Whitaker, Ana Valéria Araújo e Sérgio Leitão são alguns dos palestrantes que já participaram dos encontros.

    Após o término de cada módulo é marcado um encontro extra para os interessados em se envolver com atividades relacionadas aos assuntos explorados, que podem incluir fazer trabalho voluntário em uma ONG ou visitar projetos que estão sendo desenvolvidos por outros grupos e organizações.

    Serviço

    Papo Social com Aron Belinky – Meio Ambiente e Sustentabilidade

    Data: 19 de março, sábado

    Horário: 15 horas
    Convidado: Aron Belinky
    Tema: Meio Ambiente e Sustentabilidade
    Local: Prédio da Ação Educativa – R. General jardim, 660, sala 22 (próximo ao Mackenzie, ao shopping Pátio Higienópolis e à estação Santa Cecília do metrô) – São Paulo/SP
    Entrada franca

    Outras informações: http://www.paposocial.com.br

     
  • 12 mar

    Ambiente & sociedade – ” Traditional populations” and natural resources protection in conservation units 

    Este artigo analisa a pretensa oposição entre populações tradicionais e as necessidades de conservação dos recursos naturais, avaliando criticamente as características da política de preservação ambiental vigente no Brasil, centrada na criação de Unidades de Conservação de caráter restritivo à ocupação humana. Como superação dos equívocos deste modelo, o autor propõe outra via: a da inclusão da perspectiva das populações rurais no conceito de conservação e o investimento no reconhecimento de sua identidade, na legitimação de seu saber, na melhoria de suas condições de vida, na garantia de sua participação na construção de uma política de conservação da qual sejam também beneficiados.

    Palavras-chave: política ambiental; unidades de conservação; populações indígenas; populações tradicionais.

    ——————————————————————————–

     
  • 11 mar

    Fundação Itaú Social oferece curso gratuito de avaliação econômica para gestores de projetos em São Paulo 

    Programa apresenta metodologia e ferramentas para avaliar o impacto e o retorno econômico de ações sociais

    Estão abertas as inscrições para o curso de Avaliação Econômica de Projetos Sociais da Fundação Itaú Social que será ministrado em São Paulo. O curso oferece aos participantes acesso a metodologias e ferramentas específicas para avaliar o impacto de projetos e calcular o retorno econômico para a sociedade.

    Podem se inscrever gestores de projetos sociais de organizações não-governamentais, órgãos governamentais, institutos e fundações empresariais. Os inscritos devem ter experiência no uso de Excel e noções básicas de matemática financeira e estatística.

    O curso é uma das ações do Programa de Avaliação Econômica de Projetos Sociais, desenvolvido em parceria com a área de Controles de Risco e Financeiro do Itaú, sob orientação de Sérgio Werlang, vice-presidente, e Naercio Menezes, consultor.

    Esse programa, desenvolvido desde 2004, já capacitou em torno de mil gestores e atua na disseminação da cultura de avaliação econômica, por meio, principalmente, de seminários, cursos e avaliação de projetos sociais próprios e de organizações parceiras da Fundação Itaú Social. O curso tem duração de 72 horas.

    As informações estão disponíveis na página da Fundação Itaú Social (http://www.fundacaoitausocial.org.br / Avaliação Econômica de Projetos Sociais / Conheça o Programa), onde os interessados também podem inscrever-se. As vagas são limitadas.

    Serviço:

    Curso de Avaliação Econômica de Projetos Sociais

    São Paulo

    Aulas de 26 de março a 18 de junho, das 10h às 17h (sábados)

    Endereço: Av. Engenheiro Armando Arruda Pereira, nº 707 – Centro de Treinamento Itaúsa – Piso -3

    Período de inscrições: até 22 de março

     
  • 10 mar

    Associação Brasileira dos Profissionais de Sustentabilidade, hoje 20h00 ao vivo on-line, na AllTV 

    O idealizador da Associação dos Profissionais de Sustentabilidade, Marcus Nakagawa estará hoje, 09 de março de 2011, ao vivo, no programa Sustentável S.a. da AllTV (http://www.alltv.com.br) sendo entrevistado pelo apresentador Ricardo Espigado.

    Todos podem acompanhar direto pelo site e podem participar com perguntas e comentários no chat e no linha direta.

    Assistam…Participem…

     
  • 4 mar

    Certificação para produtos orgânicos passou a ser obrigatória 

    Desde janeiro deste ano os produtos orgânicos são obrigados a apresentarem o selo de garantia do Ministério da Agricultura (MAPA). O objetivo é garantir ao consumidor a correta procedência dos alimentos o que dará mais credibilidade ao setor.

    Nos últimos anos o alimento orgânico vem ganhando espaço nas prateleiras dos super mercados. São frutas, verduras e até carnes. Eles são considerados mais saudáveis e nutritivos, além de cuidarem do meio ambiente. Mas sua popularidade ainda é baixa. O custo para produzir esses alimentos é alto, o que acaba refletindo no preço final para o consumidor.

    Alimentos orgânicos são todos aqueles que receberem técnicas naturais de cultivo e criação. Sem uso de agrotóxicos, hormônios ou fertilizantes químicos prometem trazer mais benefícios a saúde de quem os consome. Acredita-se que a ingestão de substâncias químicas industrializadas possa trazer prejuízos ao perfeito funcionamento do organismo humano. Já os orgânicos, por serem cultivados na ausência destes produtos, são mais saudáveis e mais nutritivos. A fertilização do solo é feita com esterco animal ou da decomposição vegetal. E para garantir que o solo não perderá seus nutrientes os agricultores se utilizam de outras técnicas consideradas “amigas” do meio ambiente: a rotação de culturas, a adubação verde e a compostagem. A rotação de culturas consiste em trocar a cada plantio a espécie vegetal, afim de que uma possa repor os nutrientes extraídos pela outra. A adubação verde é a técnica onde vegetais leguminosos com pouco valor econômico são adicionados na superfície do solo, afim de enrique-lo de nutrientes. A compostagem é feita com o controle da decomposição de matéria orgânica. Ela ficará rica em nutrientes, o que a torna um excelente fertilizante natural. As pragas, insetos, fungos e outros seres “inimigos” da plantação, são controlados sem adicionar substâncias que possam contaminar o solo e o alimento. O controle biológico das pragas é feito colocando outro organismo que ataca aquele que esteve prejudicando a plantação. E não são apenas frutas, verduras e legumes que poder ser considerados orgânicos. Carne animal quando deixa de receber hormônios de crescimento e engorda, sais de alimentação e antibióticos entram na listas dos alimentos mais saudáveis.

    A produção deste tipo de alimento vem crescendo no Brasil, porém esse mercado representa apenas 1% dos consumidores. O grande destaque está mesmo nas exportações. De acordo com o Organics Brasil, organização não-governamental do setor, as 72 empresas associadas somaram faturamento de 108 milhões de dólares. Um aumento de 130% em relação a 2009. Desse total, “o setor de alimentos representou 96% com destaque para: açúcar, polpas de frutas (açaí, acerola e laranja), mel, castanhas, e produtos industrializados como os derivados de frutas, grãos e café”, segundo Ming Liu, coordenador executivo do Projeto Organics Brasil, no artigo Brasil amplia participação no mercado de orgânicos. Os principais compradores destes produtos são Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido, Espanha, Coréia do Sul, China e Canadá. A tendência para 2011 é a forte expansão do mercado interno, com a expectativa da oficialização da instituição do selo nacional de orgânicos e a regulamentação nacional a partir de janeiro. Os mercados internacionais tendem a ter crescimento continuo”, segundo Ming Liu no artigo 2010 foi um ano bom para exportação de orgânicos. A Certificação para os produtos passou a ser obrigatório a partir de janeiro de 2011. O Brasil é o segundo maior produtor de alimentos orgânicos. Fica atrás apenas da Austrália. Essas e mais informações podem ser lidas no site da Organics Brasil (http://www.organicsbrasil.org/).

    Além de todos os benefícios à saúde a cultura de uma alimentação orgânica interfere também no quadro social. O cultivo destes alimentos exige mais mão de obra e menos máquinas o que participa da fixação do trabalhador rural no campo. Os direitos trabalhistas dos empregados são respeitados. Eles têm registro em carteira, benefícios e o salário ficam um pouco acima da média do mercado.

    Mas, apesar de todo a crescimento do setor, os alimentos orgânicos ainda são caros para o consumidor final. No mercado nacional o consumo de orgânicos representa apenas 1%. O preço é o principal motivo deste número. O leite orgânico, por exemplo, é 50% mais caro que o convencional, segundo o site http://www.portaldoagronegocio.com.br. Uma forma de reduzir os preços é estimulando a compra dos produtos orgânicos. De acordo com o site http://www.natureba.com.br incluir produtos orgânicos nas compras incentiva a produção e no longo prazo, torna os orgânicos mais baratos.

     
  • 3 mar

    Idec participa de mutirão de educação financeira promovido pelo Procon-SP 

    Em evento realizado na semana do Dia Mundial do Consumidor, serão distribuídos materiais de orientação sobre como o consumidor pode gerenciar melhor o orçamento doméstico

    Para comemorar o Dia Mundial do Consumidor e os 35 Anos da instituição, o Procon-SP realizará um mutirão de educação financeira.

    O Idec, juntamente com outras entidades, participará do evento esclarecendo as principais dúvidas dos participantes sobre o assunto e distribuindo materiais sobre serviços financeiros e direitos do consumidor.

    O evento será realizado no Vão Livre do MASP, na Av. Paulista, 1578 – São Paulo. As atividades ocorrerão nos dias 16, 17 e 18 de março, das 9h às 17h.

    Saiba mais sobre o dia do consumidor
    O Dia Mundial do Consumidor é comemorado todo dia 15 de março. O motivo é que nessa data, em 1962, o ex-presidente americano John Kennedy anunciou quatro direitos básicos do consumidor: informação, segurança, escolha e participação.

    Exatos 23 anos depois, em 1985, a ONU (Organização das Nações Unidas) chancelou tais diretrizes, que ganharam legitimidade internacional. Em 1990, com a Lei 8.078/90 foi criado no Brasil o CDC (Código de Defesa do Consumidor), que veio amparar as relações entre fornecedor e destinatário final.

     
  • 2 mar

    Trata Brasil assina termo de cooperação com Sinaenco 



    São Paulo, março de 2011 _ O Instituto Trata Brasil e o Sindicato da Arquitetura e da Engenharia – Sinaenco – assinaram na manhã desta terça-feira, 1º de março, um termo de cooperação técnica e institucional para atuação conjunta em prol da universalização do saneamento básico.

    O acordo tem como objetivos coordenar os esforços das duas entidades em oferecer informações à sociedade quanto aos impactos da falta de serviços de coleta e tratamento dos esgotos no país e também dar amplo apoio e orientação aos municípios interessados em desenvolver seus Planos Municipais de Saneamento Básico, uma exigência da Lei 11.445 de 2007.

    O acordo também prevê o desenvolvimento conjunto de ações de mobilização visando mostrar às autoridades, sobretudo aos gestores das cidades-sede da Copa do Mundo de 2014, a importância de aproveitar este momento priorizando a busca por recursos para as carências dos serviços de coleta e tratamento dos esgotos. As entidades entendem que o melhor legado desta Copa deveria ser a implantação destes serviços como forma de melhorar a saúde e qualidade de vida da população local. O saneamento não pode ser esquecido em detrimento das demais demandas (estádios, aeroportos, metrôs, etc.).

    O documento foi assinado pelo presidente do Instituto Trata Brasil, Édison Carlos, e o presidente do Sinaenco, João Alberto Viol. De acordo com Carlos, “esta cooperação com o Sinaenco abre ótimas oportunidades de comunicação e de apoio às cidades comprometidas em solucionar estas carências.” Já o presidente João Viol afirmou: “O Trata Brasil traz informação organizada e de credibilidade para os membros do Sinaenco que podem, assim, melhor informar o mercado e os formadores de opinião da importância ao país dos investimentos em coleta e tratamento dos esgotos.”

    Apenas 43% da população brasileira está ligada a uma rede de esgotos e de todo o esgoto coletado, apenas 30% é tratado, segundo dados do Ministério das Cidades (SNIS 2008). Estes esgotos jogados “in natura” nos cursos d’água trazem doenças que afetam sobretudo as crianças, como provado por vários estudos do Instituto Trata Brasil. Apesar dos avanços trazidos pela criação do Ministério das Cidades em 2003 e o PAC – Programa de Aceleração do Crescimento em 2007, esse quadro ainda está longe de ser resolvido. Segundo estimativas do setor, são necessários investimentos de R$ 270 bilhões para atingir a universalização do saneamento básico no País.

    O Sinaenco é uma entidade que abrange as empresas que prestam serviços relativos à arquitetura e à engenharia, responsáveis pelo planejamento, projeto e gerenciamento de empreendimentos. Hoje o Sinaenco representa cerca de 20 mil empresas em todo o país. Desde que o Brasil foi anunciado como sede da Copa, em 2007, a entidade promoveu uma série de estudos e eventos, mostrando a importância de se planejar com cuidado todas as ações para aproveitar a grande oportunidade que o Mundial representa de melhorar a infraestrutura das cidades e deixar um grande legado para a população, sobretudo na área de saneamento, tornando-se assim referência no assunto.

    O Instituto Trata Brasil coordena uma ampla campanha de mobilização nacional para se alcançar a universalização do saneamento básico, com o objetivo de melhorar a saúde da população, reduzir a mortalidade infantil, preservar o meio ambiente e promover o desenvolvimento sustentável do País.

     
c
Compor novo post
j
Próximo post/próximo comentário
k
Post anterior/comentário anterior
r
Responder
e
Editar
o
Mostrar/Ocultar Comentários
t
Ir para o Topo
l
Ir para o login
h
Mostrar / Esconder ajuda
shift + esc
Cancelar