Marcado como: pensamento complexo Ativar/desativar aninhamento de comentários | Atalhos do Teclado

  • 17 set

    Entrevista com a Professora Vivian Blaso no Programa Retrato Urbano – RádioFaap 

     
  • 17 set

    Qual o Papel da Comunicação e das Artes para o Futuro das Cidades? Um debate com Juliana Russo e Vivian Blaso 

    Dia 21/9 – quinta-feira das 21h às 22h30 vai ter sessão de autógrafos do Livro Cidades em Tempos Sombrios. Barbárie ou Civilização e palestra com a Profa. Vivian Blaso.
    Qual o Papel da Comunicação e das Artes para o Futuro das Cidades?
    Um debate com Juliana Russo, Artista Plástica; e Vivian Blaso, Professora da FAAP.
    Centro de Convenções. Este evento é aberto ao público!

    Informações e inscrições: http://www.faap.br/40SEMANA/
    Centro de Convenções. Este evento é aberto ao público! #nafaap @nafaap #rpnafaap #cidadedasartes #cidadesafetivas #viverascidades#comunicacaoartecidades #40semanacomunicacaodafaap #complexidade#conversasustentavel #arteurbanasp

     
  • 9 ago

    Convite para o lançamento do livro: Conexões da Vida: Uma antropologia da existência do Professor Edgard de Assis Carvalho 

    No dia 12 de agosto em Natal (RN) será realizado o lançamento do livro: Conexões da Vida: Uma antropologia da existência do Professor Edgard de Assis Carvalho, Professor Titular do Departamento de Antropologia na empresa Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e coordenador do Complexus Núcleo de Estudos da Complexidade. Vida e obra entrelaçadas em uma antropologia da existência.

      

     
  • 30 jul

    VII Conferência Brasileira de Estudos em Comunicação e Mercado. Um Mergulho na Multiterritorialidade 

    Proposta temática

    COMUNICAÇÃO E MERCADO – UM MERGULHO NA MULTITERRITORIALIDADE

    O desafio de recortar temas e abordagens no campo das ciências sociais aplicadas, tem se constituído em uma constante autorreflexão sobre a inseparável subjetividade inerente as leituras possíveis como também os limites dos campos (territórios) envolvidos na produção de saberes, ou da legitimação de determinadas abordagens teóricas-conceituais. Uma vez que contribuem para a compreensão do fenômeno comunicação e consumo, mais precisamente focado na comunicação de mercado. Em edições anteriores buscamos apoio nos aportes tecnológicos, na discursividade poética, na complexidades das relações sociais vivenciadas pelos sujeitos da contemporaneidade, no caráter plural de uma sociedade composta por crescentes coletivos e tribos. O argumento presente em todas as edições tem sido sempre a multiplicidade de olhares e pensares e a visível emergência de um indivíduo coletivizado (socius), ou ainda da multiplicidade do indivíduo em suas interações individuais.

    A proposta assumida para a VII edição da Conferência Brasileira de estudos de comunicação e mercado, busca não apenas reforçar a sedimentação dessa trajetória, mas avançar na compreensão de que estamos diante da multiterritorialidade, conceituado por Haesbaert (2004) como produto da sobreposição de territórios hierarquicamente articulados ou encaixados. Os avanços teóricos no contexto da contemporaneidade, implica na identificação dos diversos territórios e suas contribuições, todavia as trocas efetivas extra territórios, resulta na busca de aberturas que promovam a sobreposição, a apropriação, a mimetização, a ressignificação e demais contribuições que só poderão ocorrer se houver o movimento de saída de um determinado território, ou seja, uma desterritorialização e o consequente retorno agregando-se novas contribuições, ou melhor, uma reterriorialização, como propõe Deleuze e Guattari (1997), ao apresentarem esse movimento como indissociáveis e portanto pertinente a máxima de que toda relação social, acarreta uma interação territorial. As relações de consumo mediadas pela comunicação e materializadas pelas organizações, encontram-se ou deveriam encontrar-se em uma busca permanente por trocas e novas apropriações teóricas-conceituais para além das práticas convencionais diante da multiterritorialidade que tem caracterizado a contemporaneidade.

     

     
  • 11 jul

    Confira a cobertura completa do evento realizado no IETEC em Belo Horizonte. O que são cidades inteligentes na prática? 

    http://

     
  • 7 jul

    Na Prática, o que são Cidades Inteligentes? 

    Assista o Workshop Prática, o que são Cidades Inteligentes realizado no dia 03 de julho de 2017 no IETEC em Belo Horizonte.

     
  • 7 jul

    Cobertura Completa do Debate: Homo Consumans nas Cidades em Tempos Sombrios. 

    No contexto polissêmico das cidades não existem fronteiras nítidas entre o homo demens e o homo consumans. “O planeta terra avança à sombra da morte”. Em tempos sombrios é preciso abrir espaços para esperanças, resgatar o sentido de humanidade e dar luminosidade às sombras como proposto por Hannah Arendt em sua obra; “Homens em Tempos Sombrios”. Quais os desafios do homo consumans nas cidades? Este foi o tema do debate “Homo Consumans nas Cidades em Tempos Sombrios” realizado entre os pesquisadores: Fábio Mariano Borges doutor em sociologia do consumo pela PUC/SP atua há 25 anos com comportamento do consumidor, estudos etnográficos econsumer insights, desenvolvendo estudos acadêmicos e pesquisas de mercado e Vivian Blaso: doutora em antropologia pelo Complexus Núcleo de Estudos da Complexidade na PUC/SP, autora do livro Cidades em Tempos Sombrios. Barbárie ou Civilização. Realizado no dia 29 de junho de 2017 na Livraria da Vila na Alameda Lorena em São Paulo.

     
  • 13 jun

    Poema: Cidades em Tempos Sombrios 

    Cidades em tempos sombrios

    A relva

    O perfume matinal

    Extraído na umidade das flores,

    Beija-flores, serpentes coloridas,

    Um paraíso despertando um ciclo,

    Um novo tempo.

    Um verde escuro

    Deixando suas cores

    No calor do dia.

    Os micro-organismos

    Se consolidam na inanição,

    Uma nova forma

    Um princípio da evolução:

    Uns sequer se iniciam.

    O homem pisoteia

    Sem observar por onde passa,

    Em suas pegadas descompassas,

    Mata o que não sente,

    O que não vê.

    A gente que passa

    Passando ao passo,

    Ao passo

    Que leva ao longe,

    Ao longe que leva ao nada.

    Belo Horizonte, 13 /06/17 -ATALIR Ávila.

    Fonte inspiradora: Livro – Cidades  em tempos sombrios de Vivian Blaso

     
  • 12 jun

    Homo Consumas nas Cidades em Tempos Sombrios será o tema do debate entre Fábio Mariano Borges e Vivian Blaso no dia 29 de junho em São Paulo. 

     Nosso desenvolvimento técnico/industrial /urbano degrada a biosfera. Imersas em concreto e colapsada pelo excesso de automóveis, pelo hiperconsumo, pela falta de saneamento, superlotada pelas fugas das guerras e das fomes, na busca pela vida, as cidades agonizam.
    Neste contexto polissêmico das cidades não existem fronteiras nítidas entre o homo demens e o homo consumans. “O planeta terra avança à sombra da morte”. Em tempos sombrios é preciso abrir espaços para esperanças, resgatar o sentido de humanidade e dar luminosidade às sombras como proposto por Hannah Arendt em sua obra; “Homens em Tempos Sombrios”. Quais os desafios do homo consumans nas cidades? Este será o tema do debate “Homo Consumans nas Cidades em Tempos Sombrios” que será realizado entre os pesquisadores: Fábio Mariano Borges doutor em sociologia do consumo pela PUC/SP atua há 25 anos com comportamento do consumidor, estudos etnográficos econsumer insights, desenvolvendo estudos acadêmicos e pesquisas de mercado.e Vivian Blaso: doutora em antropologia pelo Complexus Núcleo de Estudos da Complexidade na PUC/SP, autora do livro Cidades em Tempos Sombrios. Barbárie ou Civilização.
    O debate será realizado no dia 29 de junho, às 19horas na Livraria da Vila na Alameda Lorena. As inscrições são gratuitas e as vagas limitadas. Após o debate haverá sessão de autógrafos com Vivian Blaso, autora do livro: Cidades em Tempos Sombrios. Barbárie ou Civilização publicado pela Paco Editorial.

    Informações para imprensa

    contato@conversasustentavel.com.br

     
  • 11 jun

    Complexus Núcleo Apresenta: VXIII Películas e Ideias – Imagens nas Cidades 

    Poderíamos ser felizes mesmo na Paris dos anos 1960?

    O filme: Crônica de um verão foi dirigido por Edgar Morin  e Jean Rouch. A obra, premiada no Festival de Cannes de 1961, é considerada fundadora do movimento chamado “cinema-verdade”. Após a exibição do filme será realizado um debate com os Professores Edgard de Assis Carvalho, Representante da Cátedra itinerante da Unesco Edgard Morin,  professor titular de Antropologia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e Coordenador do Núcleo de Estudos da Complexidade e  Edmilson Felipe, professor assistente doutor e Chefe do Departamento de Antropologia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Participa do Núcleo de Estudos da Complexidade, psicanalista e escritor.

    Data: 23 de junho

    Horário: 14h30 às 17h30

    Local: Auditório 100 PUC/SP. Rua  Monte Alegre, 984

    Evento gratuito!

    Vagas limitadas

    Site: http://www.complexusnucleo.com/

     
c
Compor novo post
j
Próximo post/próximo comentário
k
Post anterior/comentário anterior
r
Responder
e
Editar
o
Mostrar/Ocultar Comentários
t
Ir para o Topo
l
Ir para o login
h
Mostrar / Esconder ajuda
shift + esc
Cancelar