SUSTENTABILIDADE NAS PRÁTICAS DE UMA ESCOLA

Caros amigos há uns 15 dias atrás recebi através do Blog dúvidas de um proprietário de uma pequena escola no interior da Bahia interessado em adotar práticas de sustentabilidade na sua gestão e para os seus alunos.

O objetivo deste texto não é encerrar o assunto, mas, sobretudo apontar caminhos que facilitem a vida principalmente de empreendedores que tenham a vontade de inserir o tema na prática empresarial. Dividimos o texto em alguns passos conforme adotamos em nossos projetos de consultoria em outros segmentos.

Lembrando-se de que para que a sustentabilidade crie raiz é necessário que se tenha como base na gestão princípios e valores éticos com todos os seus públicos de interesse sejam eles: alunos, professores, pais de alunos, comunidade vizinha, imprensa, governo, mídia dentre outros.

O primeiro passo
Levantamento dos Stakeholders serve para empreender práticas de sustentabilidade na gestão de uma escola. O importante é dar bons exemplos de cidadania, não adianta a escola propagar a cultura da sustentabilidade se não fizer a lição de casa. Então, o primeiro passo é levantar todos os diálogos que são estabelecidos com alunos, professores comunidade, pais de alunos, desde a preparação de uma reunião até o preparo da aula pelos professores.

Nestes diálogos, a escola tem condições de incluir práticas e exemplos de uma conduta ética, de respeito ao próximo e ao planeta? E o mais importante quem são estes públicos com os quais a escola se relaciona? Quais interferem direta ou indiretamente no negócio ou são afetados por ela?

O segundo passo
Formalidade/Legalidade, o segundo passo é verificar se a escola atende todas as leis ambientais, municipais, se possui alvará de funcionamento, ou seja, o objetivo dessa tarefa é verificar se a escola está atuando de forma legal respeitando as legislações e se está em dia com impostos etc.

O terceiro passo
Engajamento com os Stakeholders, neste passo é fundamental comunicar de forma clara e objetiva os motivos pelos quais a escola está preocupada com a sustentabilidade. Por exemplo, é possível viabilizar através da implantação da coleta seletiva um engajamento com todos os stakeholders e até solicitar a equipe de professores para criar uma gincana solidária convidando todos os stakeholders para uma ação social de mobilização contra o desperdício, campanhas de combate a Dengue? Estes são exemplos de práticas de envolvimento social que apresentam grande retorno no engajamento com o tema.

O quarto passo
Formação de um comitê de sustentabilidade, neste passo é fundamental envolver pelo menos 01 pessoa de cada processo da empresa assim terá um grupo formado por multistakeholders com o olhar e a visão de cada processo. O importante é estabelecer 01 líder para este comitê e fazer com que este comitê entenda que sustentabilidade por ser um conceito transversal o maior desafio do grupo é fazer com que este conceito seja entendido por todos os stakeholders. O líder deverá estabelecer 01 reunião por semana até a implantação do programa e também metas e objetivos claros para motivar a equipe.

O quinto passo
Indicadores de Sustentabilidade, o comitê de sustentabilidade deverá avaliar dentro da realidade da empresa se já trabalham com alguns indicadores que sejam relevantes ao processo de sustentabilidade e também quais seriam os indicadores que hoje conforme a disponibilidade no mercado está mais apropriado para ser implantado como ferramenta na gestão da escola. Hoje temos: ISE – Índice de Sustentabilidade Empresarial, Ethos, GRI – Global Reporting Initiative, IBASE, dentre outros. Todos eles são amplamente difundidos e utilizados e muitas empresas também adotam o desenvolvimento e implantação de indicadores próprios.
O Ethos é gratuito basta fazer download no site: http://www.ethos.org.br/docs/conceitos_praticas/indicadores/default.asp.

O grupo deverá aplicar os indicadores de sustentabilidade. Estes indicadores servem como diagnóstico sobre todos os grandes temas que envolvem sustentabilidade tais como: Valores, Transparência, Governança, Público Interno, Fornecedores, Consumidores e Clientes, Comunidade, Governo e Sociedade.

O sexto passo
O grupo de sustentabilidade deverá estabelecer as metas e os objetivos que irão fazer parte do programa de sustentabilidade da empresa e também deverão consolidar essas metas com os multistakeholders e com a alta direção e a partir daí se preparar para a elaboração do programa de sustentabilidade da escola.

O sétimo passo
Implantação do Programa de Sustentabilidade e Comunicação. Após a validação pela alta administração o comitê ficará encarregado de liderar a implantação do programa, além disso, de reportar aos seus públicos o que está acontecendo. Por isso, a comunicação neste aspecto é utilizada como ferramenta estratégica para gestão da mudança organizacional.

O oitavo passo
Comunicação / Relatório de Sustentabilidade, a publicação do relatório de sustentabilidade é muito importante, pois além de agregar valor a marca serve como ferramenta para avaliação da gestão da empresa para tomada de decisão, o ideal é que este relatório seja publicado com periodicidade entre 01 a 02 anos.

Veja mais informações sobre sustentabilidade no Blog:

http://conversasustentavel.blogspot.com/

Outros links interessantes sobre sustentabilidade:
http://www1.ethos.org.br/EthosWeb/Default.aspxhttp://www.ecodesenvolvimento.org.br/colunas/vivian-blaso

Autora: Vivian Aparecida Blaso Souza Soares César, Relações Públicas especialista em Sustentabilidade