MEDIÇÃO INDIVIDUALIZADA É PRATICA ADOTADA EM CONDOMÍNIOS E EMPREENDIMENTOS MULTIFAMILIARES EM SÃO PAULO

Após a Conferência Mundial das Nações Unidas sobre a água realizada em 1992, no qual apontaram que a água é um recurso vulnerável e finito, muitos esforços têm sido feitos para preservação e conservação dos recursos hídricos no mundo inteiro, no Brasil, um dos esforços foi a criação da ANA (Agência Nacional das Águas) cujo sua missão é “implementar e coordenar a gestão compartilhada e integrada dos recursos hídricos e regular o acesso à água, promovendo o seu uso sustentável em benefício da atual e das futuras gerações”.

Na região metropolitana de São Paulo, os recursos hídricos disponíveis para manter os quase 20 milhões de habitantes não são mais suficientes para abastecer a cidade. Neste sentido, a preocupação com este recurso natural tem incentivado inclusive a Sabesp – Companhia de Saneamento Básico de São Paulo que mantém convênio com o CEDIPLAC e ProAcqua para estruturar, desenvolver e elaborar documentação técnica e funcional para o sistema de medição individualizada de água em edifícios.

”O objetivo geral do Programa será a Garantia da Qualidade dos Serviços nas diversas etapas (projeto, execução e manutenção) dos sistemas, a segurança dos perfis de consumo, a justa cobrança de água dos diversos consumidores, bem como o uso racional de água”.


Com este programa, que visa a capacitação profissional, qualificação e certificação de empresas e processos para adoção de critérios adequados para medição, a Sabesp espera alcançar um modelo de uso racional de água levando a economia aos usuários e conscientização ambiental. O Programa foi instituído em 2007, por iniciativa do CEDIPLAC – Centro de Desenvolvimento e Documentação da Habitação e Infraestrutura Urbana.

A medição individualizada tem sido aplicada por construtoras de São Paulo e o objetivo principal é fazer com que o consumidor pague apenas pelo que consumiu dessa forma, ele terá condições de avaliar o quanto está desperdiçando de água no mês. Este sistema permite a reeducação dos consumidores para um consumo de água mais racional. A partir dele será possível identificar, por exemplo, a existência de vazamentos.
Para utilização deste sistema é necessária a instalação de um hidrômetro em cada unidade habitacional.
“A individualização dos hidrômetros por apartamento não interfere nas atividades da Sabesp, pois a leitura continua sendo feita em um único hidrômetro: o da entrada do prédio. A maior dificuldade encontrada para a medição individual é que, em prédios já construídos, a obra de instalação dos hidrômetros mostra-se inviável devido aos custos elevados, pois é necessária a troca quase total das instalações hidráulicas internas, além de um sistema de medição que exige um remodelamento técnico e administrativo do imóvel. Em empreendimentos novos, a solução é mais fácil, pois os hidrômetros individuais podem ser previstos na concepção do projeto arquitetônico”.

O ideal é que em condomínios multifamiliares, seja estabelecido também um programa de educação ambiental para uso racional da água, pois o sistema nada poderá fazer milagres se o condômino não reagir aos seus resultados. È necessária a mudança nos hábitos dos moradores.
Para maiores informações acesse os sites:

http://www.ana.gov.br/
http://www.proacqua.org.br/
http://www.sabesp.com.br/

Autora: Vivian Aparecida Blaso Souza Soares César, Relações Públicas, especialista em Sustentabilidade