Atualizações de fevereiro 2016 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Teclas de atalho

  • 1 fev

    Atitudes Positivas Porto Seguro por Vivian Blaso 

    No site Atitudes Positivas da Porto Seguro você vai encontrar alguns textos que produzi para a empresa que hoje vem se consolidando cada vez mais no ramo segurador no Brasil. Boa parte dos conteúdos tem como fonte de inspiração a sustentabilidade. Acesse e confira: Atitudes Positivas

     
  • 28 out

    Instituto Akatu começa a mobilizar recursos com pessoas físicas 

    Cidadãos preocupados com o consumo consciente agora podem colaborar financeiramente com projetos diretamente ligados à causa
    O Instituto Akatu lança, no dia 28 de outubro, campanha online para mobilização de recursos de pessoas físicas. O objetivo é dar a qualquer cidadão a oportunidade de contribuir financeiramente com projetos diretamente ligados ao consumo consciente.
    Além disso, a iniciativa diversifica a fonte de recursos de financiamento da instituição e contribui para o desenvolvimento de uma cultura de doações de pessoas físicas, incentivando cidadãos comuns a investir e a participar das causas de seu interesse.
    Os interessados em doar devem usar o site http://www.akatu.org.br/doacao. O doador pode contribuir de duas maneiras: para o Instituto Akatu, colaborando com a manutenção do Instituto e projetos estratégicos, ou para o projeto Edukatu, rede de aprendizagem para o consumo consciente com mais de 700 alunos e professores cadastrados, que promove escala e velocidade na disseminação da causa.
    Em seus 12 anos de história, o Akatu recebeu recursos e apoio de empresas envolvidas com a causa do consumo consciente. De acordo com Helio Mattar, diretor-presidente do Instituto Akatu, ao contar com a contribuição de pessoas físicas a organização diversifica suas fontes de recursos e fortalece a sustentabilidade institucional da própria entidade. “Com a doação de pequenas quantias, a partir de R$ 25,00, os cidadãos preocupados com a causa do consumo consciente podem se engajar e colaborar para que cada vez mais projetos sejam realizados neste âmbito”, afirma.
    Todos os doadores poderão acompanhar o destino de sua doação por meio de informativo trimestral e, também, pelo relatório de atividades do Instituto.
    Sobre o Instituto Akatu

    Criado em 15 de março de 2001 (Dia Mundial do Consumidor) no âmbito do Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, o Akatu é uma organização não governamental sem fins lucrativos que trabalha pela conscientização e mobilização da sociedade para o consumo consciente. As atividades do Instituto estão focadas na mudança de comportamento do consumidor em duas frentes de atuação: Educação e Comunicação, com o desenvolvimento de campanhas, conteúdos, pesquisas, jogos e metodologias. O Akatu defende o ato de consumo consciente como um instrumento fundamental de transformação do mundo, já que qualquer consumidor pode contribuir para a sustentabilidade da vida no planeta: por meio do consumo de recursos naturais, de produtos e de serviços e pela valorização da responsabilidade social das empresas. http://www.akatu.org.br
     
  • 4 out

    PRÊMIO EDP DE INOVAÇÃO 

     
  • 4 out

    Banco de Inovação Social (BIS) 

    O Banco de Inovação Social (BIS) é uma rede criada pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa que agrega 25 Instituições, entidades e empresas cujo conhecimento, vocação, experiência e recursos se destinam a promover a inovação social através do apoio a projetos e negócios sociais inovadores. A rede BIS pretende ser um polo importante de mobilização de talentos, recolha de ideias inovadoras e captação de meios de financiamento para desenvolver soluções inovadoras às necessidades sociais do país. O BIS lançará em breve o Programa de Apoio ao Empreendedorismo vocacionado para a criação de novos negócios posicionando-se como um importante instrumento de criação de emprego, de promoção do envelhecimento ativo, do combate ao desperdício e ao abandono escolar, necessidades sociais consideradas como prioritárias nesta sua primeira edição. Acesse: http://bancodeinovacaosocial.pt/

     
  • 17 abr

    InterCement investe em centro de pesquisa em construção sustentável da Poli-USP 

    Primeiro projeto do novo espaço da Escola Politécnica será para o  desenvolvimento de processo para produção de concreto ecoeficiente

     A InterCement, holding para os negócios de cimento do Grupo Camargo Corrêa,  patrocina um centro de pesquisa em construção sustentável na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), na Zona Oeste de São Paulo. Um prédio antigo do Departamento de Engenharia Civil será totalmente reformado para ganhar equipamentos de última geração. Na primeira etapa, o piso térreo, com 640 metros quadrados, será utilizado. O projeto executivo será concluído em maio pela InterCement e o centro de pesquisa entrará em atividade ainda em 2013.
    O projeto inovador de pesquisa com foco na indústria da construção civil foi planejado para comportar 30 professores, mestrandos e doutorandos e será coordenado pelos doutores em Engenharia Civil Vanderley John e Rafael Pileggi. Uma pesquisa pioneira na área de concreto ecoeficiente foi escolhida para estrear o novo equipamento de estudos da Poli. “A InterCement procura adotar soluções sustentáveis na cadeia de valor e para isso tem investido cada vez mais em projetos inovadores, como o do concreto ecoeficiente”, diz Adriano Nunes, diretor de Inovação e Sustentabilidade da InterCement.
    O produto já chegou a ser desenvolvido em ambiente controlado pela USP. O desafio, agora, é aplicar um processo produtivo em larga escala e de forma competitiva. O concreto ecoeficiente tem baixo impacto ambiental, com redução significativa de emissão de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera e consumo de energia. O produto deve apresentar ganho de desempenho do cimento na aplicação realizada pelo consumidor. .
    O método realiza de forma mais racional o controle, seleção e combinação das matérias-primas usadas para produzir o cimento, aumentando a qualidade e a maleabilidade do produto e permitindo substituir grande parte do material responsável pela emissão de CO2, podendo reduzir as emissões em até 40%. Segundo o professor John, a técnica desenvolvida na Poli amplia a produção sem investir em mais fornos e, consequentemente, aumentar o consumo de combustível e emissão de gases na operação.
    O cimento é o segundo produto mais consumido no mundo. A estimativa é de que mais de 2,5 bilhões de toneladas sejam produzidas por ano. O nível elevado de produção coloca o setor como um grande produtor de dióxido de carbono. Apesar disso, algumas iniciativas tem conseguido minimizar o impacto. A Fundação Getúlio Vargas concedeu a InterCement no ano passado, por exemplo, o Selo Ouro do Programa Brasileiro GHG Protocol pelo inventário de gases de efeito estufa. A taxa da empresa ficou em 531 kg CO2/tonelada, quando a média mundial entre as empresas do setor participantes do Cement Sustainability Initiative (CSI) é de 656 kg CO2 por tonelada.
    Investimento em pesquisa – A parceria com a Escola Politécnica da USP prevê desembolso de R$ 5 milhões pela InterCement nos próximos cinco anos. A universidade deverá ainda buscar recursos no âmbito de programas de apoio à inovação em nível federal e estadual para incrementar o orçamento do projeto. A parceria representa um dos maiores convênios já assinados pela Poli e o maior com dinheiro privado na área da construção civil.
    A InterCement tem investido com consistência em pesquisas que incentivam ideias inovadoras. A parceira firmada no início de 2013 com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), por exemplo, prevê desembolso de R$ 2, 5 milhões para produção de cimento à base de resíduos da construção civil. Trata-se de uma tecnologia inédita, que proporciona material de baixo  impacto ambiental – sem haver geração adicional de CO2.
    Mais informações para a imprensa:
    Francisco Itacarambi – (11) 5502-5461 – francisco@giusticom.com.br
    Maria Fernanda – (11) 5502-5451 – maria.fernanda@giusticom.com.br
    Assessoria de Imprensa da InterCement – Giusti Comunicação Integrada
     
  • 22 mar

    Dia Mundial da Água 

     
  • 21 mar

    Ambev e TNC lançam projeto para garantir abastecimento de água em São Paulo 

    ü  No Ano Internacional da Cooperação pela Água, da ONU, companhia se une a The Nature Conservancy (TNC) para proteger importante bacia hidrográfica de São Paulo;
    ü  Ação faz parte do Movimento CYAN, criado pela cervejaria para preservar a água e chamar a atenção da sociedade ao tema;
    São Paulo, março de 2013– Com um Sistema de Gestão Ambiental (SGA) consolidado há 20 anos, a Ambev tem o cuidado com o meio ambiente como uma prioridade. E, a água, como principal matéria-prima para a companhia, não poderia estar de fora de suas maiores ações ambientais.
    Em linha com essa atuação, a Ambev, lança uma iniciativa no interior de São Paulo em conjunto com a maior organização ambiental do mundo, a The Nature Conservancy (TNC). O objetivo é preservar a Bacia Hidrográfica dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí, a qual tem grande importância para o abastecimento hídrico do estado. O trabalho será desenvolvido na região de Jaguariúna e tem como principal conceito o Pagamento por Serviços Ambientais, que está centrado na ideia de que as áreas naturais prestam uma série de serviços para a sociedade. Sendo que garantir a quantidade e a qualidade da água é um dos mais importantes deles. Por isso, manter as florestas em pé tem um valor que pode ser pago por quem se beneficia deste serviço ambiental e recebido por quem as protege – os produtores rurais.
    Dessa forma, os produtores locais que se comprometerem a adotar práticas de conservação em suas propriedades – como ações de recuperação de áreas degradadas, de conservação dos remanescentes florestais, e de manejo adequado do solo – podem receber uma compensação financeira pelos benefícios prestados à sociedade.
    A iniciativa em Jaguariúna com a TNC é uma nova etapa do Projeto Bacias, uma das principais ações do Movimento CYAN – quem vê água enxerga o seu valor. Lançado pela Ambev em 2010, o CYAN tem como intuito chamar atenção da sociedade para a importância de se conservar a água. E, o Projeto Bacias é sua ação especifica voltada para a recuperação e preservação de bacias hidrográficas importantes do país.
    “Com essa expansão do Projeto Bacias, vamos trazer o que há de mais moderno entre as práticas de conservação ambiental para ajudar a garantir que não falte água nas principais cidades do estado de São Paulo. Para isso vamos contar com o apoio e expertise da TNC”, afirma Ricardo Rolim, diretor de relações socioambientais da Ambev.   

    O Projeto Bacias em Jaguariúna está em fase inicial e a primeira etapa será a formação de um grupo de parceiros locais e identificação das áreas mais críticas. A ação está inserida em uma estratégia ampla da TNC para garantir a segurança hídrica na América Latina, que tem como carro-chefe no Brasil, o programa Produtor de Água, conceito desenvolvido pela Agência Nacional das Águas, e implementado em mais de dez municípios em sete estados brasileiros.
    “Há alguns anos, a TNC tem buscado mobilizar uma ampla coalisão de atores dos setores público, privado e da sociedade civil organizada na implementação de soluções economicamente viáveis e focadas na conservação e restauração do capital natural para assegurar a disponibilidade e qualidade de água para a população de grandes centros urbanos. Realizaremos nossos trabalhos em mais de 30 municípios do estado de São Paulo e a iniciativa com a Ambev em Jaguariúna é um importante passo para cumprir esse objetivo”, explica João Campari, diretor do Programa de Conservação da Mata Atlântica e Savanas Centrais da TNC.
    Sobre o Movimento CYAN
    Lançado pela Ambev em 2010, o Movimento CYAN – Quem vê água enxerga seu valor um amplo conjunto de ações que visam mobilizar e conscientizar a sociedade sobre o uso racional da água.
    Ao longo de três anos, o Movimento contou com inúmeras ações. Dentre as principais estão:

    ·         Projeto Bacias, focado na recuperação e preservação de Bacias Hidrográficas. Começou em 2010 com a adoção da Bacia do Corumbá-Paranoá (Brasília) para o desenvolvimento de estudos sobre o melhor aproveitamento da água. Na região, trabalhamos para recuperação do solo em quatro nascentese fizemos o plantio de 5.200 mudas e de 150 m² de agroflorestas. Desde o início do projeto, 6.500 pessoas já foram mobilizadas ou engajadas, através de oficinas, eventos, entrevistas etc. Hoje, a companhia mantém um viveironas dependências do Clube da Ambev com capacidade para a produção de pelo menos 10 mil mudas.
    ·         Banco CYAN. Lançado no Dia Mundial da Água de 2011 é uma espécie de programa de milhas às avessas, já que premia o não consumo. Por meio do Banco CYAN, as pessoas têm acesso à média de consumo de água de seu imóvel e, à medida que elas diminuem (ou até mesmo mantêm) o consumo, ganham pontos que podem ser usados como desconto para comprar nos sites Americanas.com, Submarino.com., ShopTime e Ingresso.com, e ainda para assinar revistas da Editora Abril. Desde o seu lançamento, já proporcionou a economia de mais de 200 milhões de litros de água e conta a parceria das concessionárias de água Sabesp (São Paulo), CODAU (Uberaba – MG) e Cedae (Rio de Janeiro).
    ·         Outras ações: Parceria com Bioplanet para transformar óleo de cozinha em biodiesel, evitando que o descarte errado polua milhares de litros de água; Festival Aqualume, durante a Rio+20 na Lagoa Rodrigo de Freitas; estudo em conjunto com a Universidade de São Paulo para calcular a “pegada hidrológica” da cadeia produtiva da Ambev; prêmio para reportagens que tratassem do tema água em parceria com a agência de notícias IPS; lançamento de uma disputa na internet, no site Battle of Concepts, para estimular jovens; o apoio à mega exposição Água, em São Paulo e no Rio de Janeiro; parceria na organização do concurso Água, do Festival do Minuto; apoio a exposição fotográfica “Contando as margens: Rios de São Paulo”,  no metro da capital paulista sobre os três principais rios da cidade de São Paulo – Tietê, Pinheiros e Tamanduateí; lançamento de um dos mais completos acervos de informação geral sobre água site do Movimento CYAN (http://www.movimentocyan.com.br); apoio ao projeto Gastronomia Sustentável, ação que envolveu cem restaurantes de São Paulo, estimulados a reduzir seu impacto no meio ambiente.
    Sobre a The Nature Conservancy
    A The Nature Conservancy é uma das organizações referência no desenvolvimento de projetos de Pagamentos por Serviços Ambientais no Brasil. Hoje, atua em mais de 10 projetos em parceria com municípios, estados e a iniciativa privada, beneficiando mais de 700 proprietários rurais. Maior organização ambiental do mundo, a TNC tem como missão conservar as terras e águas das quais a vida depende. No Brasil, onde atual desde 1988, a organização promove iniciativas de na Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica e Pantanal, com o objetivo de compatibilizar o desenvolvimento econômico e social dessas regiões com a conservação dos ecossistemas naturais.

    Ambev em Jaguariúna
    A pouco mais de 100 quilômetros da capital São Paulo, Jaguariúna é uma das mais importantes cidades do interior de São Paulo. A unidade da Ambev no município é a segunda maior da companhia do país e apresenta excelentes índices de ecoeficiência. Nos últimos cinco anos, a produção da fábrica praticamente dobrou e a quantidade de água captada não sofreu alteração. Graças à eficiência de se encontrar técnicas para consumir menos água na linha operacional. Em 2012, o índice de consumo de água por litro de bebida produzido da unidade foi de 2,8 HL/HL, um dos melhores da Ambev. A unidade tem em seu entorno uma área ambiental de 240 mil m2 e sua estação de tratamento de efluentes trata um volume de água equivalente ao consumo de uma cidade de 400 mil habitantes por um mês.
    Informações à Imprensa
    Máquina Public Relations
    (11) 3147-7900 / (11) 2122-1370
     
  • 18 mar

    CBIC lança Guia de Boas Práticas em Sustentabilidade no dia 22 de março 

     A Indústria da Construção, que teve um exponencial crescimento nos últimos anos, está cada vez mais envolvida no amplo debate público que tem buscado oferecer à sociedade brasileira alternativas para os graves problemas sociais e estruturais que o país ainda enfrenta. O setor tem dado provas do seu amadurecimento, incorporando no dia a dia das suas empresas uma preocupação cada vez mais presente com o desenvolvimento e a inclusão social aliada ao cuidado ambiental. Essa evolução das empresas da cadeia produtiva da Construção ocorre em um momento importante em que a sociedade vem estabelecendo compromissos para a erradicação da miséria e do déficit habitacional, pela universalização do saneamento e pela ampliação da infraestrutura do país, conferindo maior competitividade aos seus produtos e serviços.
    Neste contexto, a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) lança na próxima sexta-feira (22), na sede do Seconci-Rio, o primeiro Guia de Boas Práticas em Sustentabilidade na Indústria da Construção. O livro é resultado de uma parceria entre a CBIC e a Fundação Dom Cabral (FDC) e reúne um conjunto de iniciativas empresarias que se tornaram referência ao alcançar resultados significativos nas áreas ambiental, econômica e social. O objetivo da CBIC e da Fundação Dom Cabral com o lançamento deste Guia é estimular as mais de 170 mil empresas que integram o setor, para que incorporem os conceitos e práticas de sustentabilidade corporativa ao seu cotidiano.
    O Guia organiza as boas práticas em seis grupos. As divisões foram pensadas para facilitar o processo de leitura e permitir que o público interessado possa consultar rapidamente as experiências nas áreas de seu maior interesse: Gestão Empresarial e Governança, Relacionamento com os Stakeholders, Melhorias no Processo Construtivo, Saúde e Segurança do Trabalhador, Formação de Mão de Obra e Desenvolvimento Imobiliário Urbano. Ao todo, foram reunidas 29 boas práticas, em quatro regiões do país (Sul, Sudeste, Nordeste e Centro-oeste). Os estados que mais se destacaram no levantamento foram: Goiás, Minas Gerais e São Paulo.

    PRÁTICA SE FORTALECE NO SETOR –
    A Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) divulgou em 2011 os resultados de um estudo inédito sobre ações sociais no setor da construção: “Um Panorama da Atuação Social da Indústria da Construção”. Os dados da pesquisa mostraram que, embora ainda haja espaço para avançar, esse segmento da economia está atento ao tema e já desenvolve ações previstas na norma ISO 26000, que trata de diretrizes com relação à responsabilidade social-empresarial. Entre as mais de 200 empresas ouvidas, 58% delas promovem ações na área, com destaque para aquelas situadas nas regiões Norte e Nordeste.
    A iniciativa da CBIC em promover o diagnóstico é importante, especialmente no momento em que o setor da construção assume um papel estratégico na economia brasileira e vem sendo cada vez mais demandado em relação à qualificação profissional de seus trabalhadores. O público interno das empresas, uma força de trabalho que historicamente tem origem nos setores mais excluídos da sociedade, vem sendo o público prioritário das ações sociais na construção. Nesse sentido, a condição socioeconômica é o principal fator para a tomada de decisão quanto ao desenvolvimento dos projetos.
    As áreas nas quais as empresas vêm atuando de forma mais significativa são: meio ambiente; saúde; geração de trabalho e renda; e educação. A pesquisa detectou também que 13% dos dirigentes entrevistados admitiram promover somente uma modalidade de ação social, enquanto 36% assinalaram sete ou mais áreas.
    SOBRE AS BOAS PRÁTICAS E EMPRESAS INTEGRANTES DO GUIA
    ·         GESTÃO EMPRESARIAL – A primeira subseção trata da Gestão Empresarial e Governança, parte essencial de qualquer desenvolvimento corporativo, inclusive para a sustentabilidade. São apresentadas no início quatro boas práticas de desenvolvimento de sistemas de gestão, usando como base a gestão da qualidade, gestão integrada, gestão de riscos e gestão da responsabilidade social. Em seguida, apresentamos duas experiências de relatos do desempenho corporativo em sustentabilidade e de emissões de gases de efeito estufa.
    ·         RELACIONAMENTO COM STAKEHOLDERS – A segunda subseção aborda o Relacionamento com Stakeholders, que começa com uma experiência de como organizar o diálogo com esses grupos e de como alinhar a busca pela sustentabilidade com a estratégia corporativa. Depois seguem exemplos de atendimento aos interesses de acionistas, fornecedores e comunidades.
    ·         MELHORIAS NO PROCESSO CONSTRUTIVO – O Guia reúne nesta subseção projetos que alcançaram destaque na adoção do Building Information Modeling (BIM), na Implantação da Produção mais Limpa em Obras, na Otimização do Processo Construtivo para Minimizar Geração de Resíduos, na obtenção de Melhorias do Desempenho Ambiental dos Canteiros, na Implantação da Gestão de Resíduos, na Obtenção do Selo Casa Azul da Caixa Econômica Federal e no processo de certificação em Eficiência Energética em Edificações – Etiqueta Procel Edifica
    ·         SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR – Por sua importância para a Construção, dividimos o relacionamento com os trabalhadores em duas subseções. A quarta, que trata da Saúde e Segurança do Trabalhador (SST), começando com a organização do sistema de gestão de saúde e segurança do trabalhador, passando pelo alinhamento entre desempenho de SST em projetos de construção e seus resultados financeiros, fechando com a promoção de Ergonomia.
    ·         MÃO DE OBRA – E, ainda no universo dos trabalhadores do setor, a quinta subseção aborda a Formação de Mão de Obra, que envolve a preparação e contratação de moradores de comunidades vizinhas às obras, de mão de obra feminina e de detentos e egressos do sistema prisional e do trabalho escravo.
    ·         DESENVOLVIMENTO IMOBILIÁRIO URBANO – A sexta e última subseção busca levantar o potencial de empresas da cadeia produtiva da Construção para apoiar o Desenvolvimento Imobiliário Urbano. Ainda há muito para se explorar nesse tópico, mas para o guia apresentamos um exemplo de construção de calçadas, seguindo os princípios da acessibilidade e da sustentabilidade, e outro exemplo de planejamento de manutenção preventiva eretrofit em condomínios.
    PROGRAMAÇÃO DO EVENTO DE LANÇAMENTO
    Durante o evento de lançamento do Guia, serão feitas as apresentações de seis das 29 boas práticas apresentadas na publicação. As demais experiências estarão expostas em painéis durante toda a programação.
    O evento de lançamento também vai contar com uma palestra de Paulo Itacarambi (vice-presidente do Instituto Ethos), que abordará a questão da promoção das mudanças econômicas que influenciam as atividades das empresas, estimulando uma base para promoção da sustentabilidade corporativa e apontando caminhos também para o setor da Indústria da Construção.
    Serão distribuídos exemplares do guia a todos os convidados para ser utilizado como uma ferramenta de consulta, com conceitos e práticas de sustentabilidade que possam ser aplicadas no negócio de sua empresa.
    Ao final do evento, os participantes serão convidados para uma visita guiada ao Espaço Cultural Clara Steinberg, onde o Seconci-Rio apresenta a exposição “Dos Réis ao Real: as diversas faces da nossa moeda” com o objetivo de provocar uma reflexão histórica sobre a importância da moeda e do dinheiro no Brasil. A proposta é instigar a cerca do significado e da influência que a economia exerce no desenvolvimento humano e como ela se constitui enquanto objeto de transformação social. A exposição tem como público direto todos os profissionais do setor da Indústria da Construção.
    SOBRE O GUIA
    O Guia será disponibilizado para download gratuito 

    SOBRE O EVENTO
    Data: 22 de março de 2013 (sexta-feira)
    Horário: 9h30 – 15h
    Local: Seconci-Rio (Rua Pará, 141 – Praça da Bandeira – Rio de Janeiro-RJ)
    Mais informações através do telefone: (21) 2101-2555
    Assessoria de Imprensa – CBIC
    Carlos Ely – (61) 8132-8832
    Sandra Bezerra – (61) 8103-2983
    Mariana Spezia – (61) 8112-5400
     
  • 6 mar

    ONU Mulheres, UNICEF e ONU-Habitat lançam aplicativo no Dia Internacional da Mulher 

    No próximo 8 de março, Dia Internacional da Mulher, ONU MulheresUNICEF e ONU-Habitat, com apoio da Embaixada Britânica, vão lançar um aplicativo gratuito para celular e computador que reúne informações sobre o atendimento a mulheres e meninas vítimas de violência na cidade do Rio de Janeiro.
    A ferramenta foi desenvolvida para facilitar o acesso às informações e aos serviços de apoio existentes na Rede de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres.
    O objetivo é auxiliar a sociedade a conhecer cada um dos órgãos de assistência da rede, os locais de atendimento, as responsabilidades, como e em que momento acessá-los, como deve ser feito o encaminhamento de vítimas e o acompanhamento de cada caso nas áreas da Saúde, Segurança, Justiça e apoio psicológico.
    A ferramenta é parte da iniciativa “Safe and Friendly Cities for All” (Cidades Seguras e Amigáveis para Todos), desenvolvida em mais de 20 cidades em todo o mundo, incluindo o Rio de Janeiro.

    Presenças já confirmadas

    • Paula Walsh, cônsul britânica
    • Luciana Phebo, coordenadora do escritório do UNICEF no Rio de Janeiro
    • Daniela Pinto, ONU Mulheres
    • Rayne Ferretti Moraes, ONU-Habitat
    • Angela Fontes, Subsecretária de Estado de Políticas para as Mulheres

    Mais informações

    Assessoria de imprensa: Lilia Giannotti | (21) 3551-1509 e 8754-4547
    Comunicação do UNICEF: Immaculada Prieto | (21) 8237-0856
    Comunicação da ONU Mulheres: Gisele Netto | (61) 3038-9287 e (61) 8175-6315
     
  • 2 mar

    BM&FBOVESPA e FGV-GVces abrem o calendário de atividades do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) para 2013 

    A BM&FBOVESPA e a FGV-GVces lançam nesta terça-feira, 05/03, a partir das 9 horas, o calendário de atividades do ISE 2013. O evento terá a participação de executivos das empresas, investidores e público interessado no tema. No período da tarde, haverá um Workshop de Comunicação e Sustentabilidade voltado para profissionais de comunicação e imprensa. O workshop será ministrado pela Imagem Corporativa, agência de comunicação especializada em gestão de imagem e reputação.  
    Lançamento do processo 2013 do ISE e Workshop de Comunicação e Sustentabilidade
    Data: 05/03/2012
    Horário: a partir das 9h
    Local: BM&FBOVESPA (Rua XV de Novembro, 275 – 1º andar).
    Programação:
    Lançamento ISE 2013
    9h00 –  Abertura
    9h10 – Processo 2013 – Cronograma de atividades e novidades: Sônia Favaretto (BM&FBOVESPA) e Roberta Simonetti (GVces)
    9h40 – O valor do ISE: a visão do investidor: Tatiana Regiani (PETROS)
    10h10 – O valor da transparência para o investidor: Gladis Ribeiro (IFC)
    11h10 – Intervalo para café
    11h30 – Painel com Empresas – em busca de mais transparência (SULAMERICA, VALE, LIGHT, ELETROBRAS e WEG)
    12h45 – Encerramento
    Workshop de Comunicação e Sustentabilidade
    14h00 – Breve histórico da sustentabilidade
    14h40 – A preocupação com a sustentabilidade no centro das organizações
    Credenciamento: Favor confirmar a presença pelo email: imprensa@bvmf.com.br
    BM&FBOVESPA
    Diretoria de Comunicação
    Gerência de Imprensa
    Tel: 55 11 2565-7865
     
c
Compor novo post
j
Próximo post/próximo comentário
k
Post anterior/comentário anterior
r
Responder
e
Editar
o
Mostrar/Ocultar Comentários
t
Ir para o Topo
l
Ir para o login
h
Mostrar / Esconder ajuda
shift + esc
Cancelar