Atualizações de setembro 2016 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Teclas de atalho

  • 21 set

    ONU lança documentário sobre empreendedorismo sustentável no Rio 

    ONU lança nesta quarta-feira (21) documentário sobre empreendedorismo sustentável no Rio

    Produzido inteiramente com telefones celulares, documentário será lançado nesta quarta-feira (21) no Cinema Odeon, centro da capital fluminense. A produção ficou a cargo de estudantes cariocas que percorreram o Rio e a Baixada em busca de negócios sustentáveis. Iniciativa de mobilização é do Centro RIO+ e será modelo a ser replicado nos 166 países onde atua o Programa da ONU para o Desenvolvimento (PNUD).


    Um olhar sustentável sobre o Rio de Janeiro, a partir de imagens feitas com telefones celulares. Essa é a proposta do documentário CenaRIO: Sustentabilidade em Ação, que estreia em 21 de setembro, no Cinema Odeon. A produção mostra a força e a criatividade de 16 microempreendedores que adotaram práticas mais conscientes em seus negócios.

     
  • 23 jul

    Horyou abre Convocatória Global para projetos socialmente inovadores 

    sigef2016_Simple-1   Empresários, startups, estudantes e organizações sem fins lucrativos podem inscrever seus projetos
    para o prêmio do Fórum de Inovação Social e Ética Global (SIGEF), evento paralelo da COP 22 É hora de inovar! Horyou, a rede social para o bem social, abriu a convocatória de projetos para a próxima edição do Fórum de Inovação Social e Ética Global (SIGEF), evento paralelo da COP 22 em Marrakesh, Marrocos, que acontece entre 9 e 11 de novembro. A convocatória é dirigida a
    estudantes, empreendedores sociais, organizações sem fins lucrativos e startups e está aberta até 20 de setembro.
    Os candidatos devem atender aos critérios de elegibilidade, que incluem a abordagem de pelo
    menos um dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, e o uso das redes
    sociais para sensibilizar e obter suporte on-line para o seu projeto. Os candidatos precisam ainda
    criar suas contas na plataforma Horyou; a inscrição é gratuita. Durante o , um júri internacional irá selecionar 10 finalistas que apresentarão seus projetos no palco para uma audiência global de empresários, oficiais de governos e tomadores de decisão, bem como mídia internacional e membros da sociedade civil. Um prémio pago em Spotlighs, a
    primeira moeda social global para a inclusão econômica, será concedido aos 3 melhores projetos, durante a cerimônia de premiação. Todos os participantes selecionados para a convocatória terão acesso livre ao evento e poderão ganhar visibilidade internacional e a oportunidade de expandir a sua rede.
    Para obter mais informações sobre a Convocatória de Projetos SIGEF 2016, acesse este link https://www.sigef2016.com/ ou envie um e-mail para projects@sigef2016.com
    Sobre SIGEF
    SIGEF 2016 é o primeiro evento paralelo da COP 22, que acontecerá entre 9 e 11 de novembro em Marrakesh, Marrocos. O SIGEF 2016 é organizado pela Horyou para dar visibilidade a iniciativas que contribuam para o avanço da inovação social, a ética global e bem social em todo o mundo, em consonância com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas. Um dos principais componentes do SIGEF 2016 é o Hub de Projetos, uma área dedicada a projetos socialmente inovadores e éticos. Durante os 3 dias do evento, haverá sessões plenárias, workshops, painéis, bem como atividades culturais, eventos e entrevistas.
    Sobre Horyou
    Horyou é a rede social para o bem social. Por meio da tecnologia, inovação e defesa do empreendedorismo social, Horyou promove interações significativas e globais entre suas organizações, membros e personalidades. Com sua plataforma, seu aplicativo e Spotlight, a primeira moeda social global, Horyou ajuda a transformar ideias positivas em ações concretas, construindo enquanto relações on-line e offline.

    COP22 http://climate-l.iisd.org/events/unfccc-cop-22

     
  • 22 jul

    Conversa Sustentável é selecionada na etapa de enquadramento da Chamada Cidades Inteligentes pela FAPESP 

    A Conversa Sustentável foi selecionada na etapa de enquadramento da Chamada Cidades Inteligentes pela FAPESP

    A FAPESP anuncia o resultado da etapa de enquadramento da chamada de propostas para Pesquisa sobre Tecnologias e Produtos para Aplicações em Cidades Inteligentes-Cidades Sustentáveis.

    Lançada em fevereiro em conjunto com a Finep, a chamada visa apoiar o desenvolvimento, por pequenas empresas paulistas, de produtos, processos e serviços inovadores para aplicações em cidades inteligentes e sustentáveis.

    A cidade inteligente é uma construção evolutiva, um processo que envolve a constante busca em resolver problemas por meio de soluções disruptivas, fazendo uso de materiais integrados com sensores, dispositivos eletrônicos e redes de comunicação, os quais são ligados com sistemas computadorizados, para análise de dados a partir de algoritmos inteligentes que tomam decisões.

    Vivian Aparecida Blaso Souza Soares Cesar
    Conversa Sustentável Consultoria e Assessoria Mercadológica Ltda
    Processo FAPESP: 2016/10246-5

    TIS – Territórios Inteligentes e Sustentáveis ‪#‎smartcities‬ ‪#‎maciti‬‪#‎sustentabilidade‬ ‪#‎rse‬ ‪#‎cidadesinteligentes‬ http://www.fapesp.br/10362

     
  • 21 jul

    Consumo Responsables y Smart Cities 26 de Septiembre al 21 de Octubre de 2016 

    De 26 de Setembro à 21 de Outubro irei lecionar o Módulo 05 –  Consumo Responsável e Cidades Inteligentes no curso Maestría Onlin en Sostenibilidad – Especialização em Gestão da Responsabilidade Social das Organizações.

    10 RAZONES PARA SUMARTE AL MASTER ONLINE DE SOSTENIBILIDAD ‪#‎MASTERSOST‬O Módulo 5 – Consumo Responsables y Smart Cities irá abordar os seguintes temas:

    • Consumo Responsable
    • Sostenibilidad e implicancia del posicionamiento estratégico de las marcas
    • Concepto y Posicionamiento de las Ciudades Inteligentes: Prototipos, Tecnologías y Aplicaciones
    • Movimientos y narrativas que impulsan nuevos modos de vivir y habitar las ciudades
    • El Consumidor Smart
    • Análisis de Ciudades Inteligentes y sus correlaciones con el Consumo Responsable
    • Modelos para viabilizar la implantación de ciudades inteligentes como propuesta de posicionamiento de las marcas en el consumidor Smart

    Este Módulo se dictará en Portugués 

    O conteúdo deste módulo é inédito e resultado das pesquisas realizadas durante o doutorado em Ciências Sociais na PUCSP no Complexus – Núcleo de Estudos da Complexidade.

    Os objetivos do curso:

    Capacitar os alunos para: Conhecer e entender o consumo responsável e suas implicações atuais e futuras no posicionamento estratégico das marcas nas cidades inteligentes que se apresentam como tendência nos novos modos de viver e habitar.

    Analisar as correlações, estruturas e as atividades que o consumo responsável impõe as marcas frente aos movimentos que impulsionam mudanças no comportamento do consumidor e diante as tendências cotidianas de consumo como a prática do slow food e outros movimentos relacionados a sustentabilidade.

    Compreender as correlações do consumo responsável e as novas forma de viver e habitar as cidades.

    Para saber mais sobre o curso acesse:  http://www.cursosderse.com/cursos/master-online-rse-sostenibilidad/

    Professora Vivian Blaso – Life Coach e Leader Coach com certificação internacional pela SLAC Coaching. Professora na FAAP – Fundação Armando Álvares Penteado e Universidade Presbiteriana Mackenzie. Doutoranda no Núcleo de Estudos da Complexidade e Mestre em Ciências Sociais (Antropologia) PUCSP. Especialista em Gestão Responsável para Sustentabilidade Fundação Dom Cabral. Autora do Blog Conversa Sustentável e sócia na Agência Conversa Sustentável.

    Email: vivianblaso@conversasustentavel.com.br

     

     
  • 16 maio

    5ª MOSTRA ECOFALANTE DE CINEMA AMBIENTAL CHEGA ÀS SALAS DE CINEMA EM JUNHO 

    De 15 a 29 de junho, filmes de diversos países, a maioria inédita no Brasil, serão exibidos gratuitamente em salas de cinema da capital paulista

    Filmes recentes de diversas partes do mundo abordando questões socioambientais voltam a ocupar as salas de cinema da capital paulista no mês de abril. A 5ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental traz mais de 100 filmes, com destaque para produções contemporâneas e inéditas no Brasil. São produções do Canadá, Alemanha, Turquia, EUA, China, França, Grécia, Itália, Israel, Índia, Reino Unido, Noruega, Bélgica, Luxemburgo, África do Sul, Quirguistão, dentre outros países.

    Os filmes serão exibidos em salas do circuito de cinema de São Paulo: Caixa Belas Artes, Reserva Cultural, Cinemateca, Centro Cultural São Paulo, Cine Olido e Matilha Cultural. A programação é gratuita e se completa com uma série de debates com a participação de especialistas, diretores e convidados.

    A Mostra promove sessões também na Biblioteca Mário de Andrade, em Centros Educacionais Unificados (CEUs) da Prefeitura de São Paulo, unidades das Fábricas de Cultura, faculdades, colégios e em Escolas Técnicas Estaduais (ETECs), levando a programação para um público novo, localizado em diferentes regiões da cidade de São Paulo.

    “O público pode esperar, mais uma vez, filmes de grande qualidade cinematográfica, que abordam questões socioambientais e contribuem para despertar a reflexão e promover o debate em torno desses temas tão presentes em nosso dia a dia. São filmes de diversas partes do mundo que compõem um mosaico dos problemas e soluções encontrados pelo planeta, um retrato da relação da humanidade com a Terra e, consequentemente, consigo mesma”, afirma o Diretor da 5ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental, Chico Guariba.

    Programas

    Compõem a Mostra os seguintes programas: Mostra Contemporânea Internacional, Panorama Histórico, Competição Latino-Americana, Homenagem, Circuito Universitário, Mostra Escola e Curta Ecofalante.

    A Mostra Contemporânea Internacional traz 39 filmes das mais diversas nacionalidades, sobre os temas cidades, consumo, economia, mudanças climáticas, recursos naturais e povos & lugares. São produções recentes, que raramente entram em circuito nas salas de cinema.

    Dentre os destaques estão filmes como O Céu e a Geleira, de Luc Jacquet (A Marcha dos Pinguins), sobre a atuação do glaciologista francês Claude Lorius, cuja pesquisa com o gelo da Antártica ajudou a provar que o aquecimento global vem sendo provocado pela ação humana; Isso Muda Tudo, baseado no livro da jornalista, escritora e ativista canadense Naomi Klein, com produção executiva do cineasta Alfonso Cuarón; O Mercado da Dúvida e Doce Mentira, filmes que evidenciam como os negacionistas do clima e a indústria do açúcar se apropriaram de estratégias usadas pela indústria do tabaco para gerar dúvida sobre a veracidade dos estudos científicos em suas respectivas áreas; O Verdadeiro Preço, que aborda a cadeia produtiva envolvida em torno do fast fashion, apontando os custos humanos e ambientais; Não Posso Te Dar Minha Floresta e Para Onde Foram as Andorinhas, sobre a situação dos povos originais afetados pelas questões ambientais; A Experiência Cecosesola, sobre um bem sucedido experimento de economia solidária na Venezuela; Negócio Sujo, sobre relações comerciais entre Israel e Palestina, dentre muitos outros.

    Para o Panorama Histórico deste ano, a Mostra foi buscar na rica cinematografia francesa títulos que, das mais variadas maneiras e sob os mais diversos registros, tocam em questões que nos dizem respeito. Sem quaisquer restrições relacionadas a gêneros, categorias cinematográficas ou períodos, o Panorama surpreende pela aptidão do cinema para (re) inventar formas de refletir sobre o mundo em que vivemos, partindo da década de 1920 do século passado e reunindo grandes cineastas como Louis Malle, Robert Bresson, Jean Epstein, Jean Painvelé, Jacques Tati, Jean Rouch, Yves-Jacques Cousteau, dentre outros.

    A Competição Latino-Americana registrou recorde de inscrições desde sua criação, há dois anos. Foram recebidas 255 produções, entre longas e curtas, com representantes de quase todos os países latinos. Deste total, 22 filmes foram selecionados para participar da competição, que premia as melhores produções escolhidas pelo júri e pelo público. Os filmes percorrem múltiplos cenários da realidade latino-americana e tornam possível entender as consequências sociais provocadas pelas mudanças climáticas, quais são os danos socioambientais causados pelo uso desenfreado dos recursos naturais e como as populações nacionais estão reagindo e se organizando para lidar com essas transformações. Há produções da Venezuela, Colômbia, Bolívia, Argentina, do Equador, México, Peru, Paraguai, Uruguai, Chile, Equador e Brasil.

    O ambientalista Paulo Nogueira Neto, hoje com 93 anos, será o homenageado desta edição da Mostra. Considerado patrono do ambientalismo no país, advogado, professor e pesquisador, dirigiu a Secretaria Especial de Meio Ambiente (SEMA) de 1974 a 1986, órgão do governo federal ligado à época ao Ministério do Interior, responsável então pelo setor ambiental no Brasil. Foi membro da Comissão Brundtland de Meio Ambiente e Desenvolvimento das Nações Unidas, que criou o conceito de Desenvolvimento Sustentável.

    Circuito Universitário, Mostra Escola e Curta Ecofalante

    O Circuito Universitário e a Mostra Escola já acontecem desde o início de março em diversas faculdades, escolas e instituições de ensino, com objetivo de promover a reflexão e o debate a partir da experiência do cinema e chamar os estudantes para assistirem aos filmes nas salas de cinema. São sessões voltadas aos estudantes, seguidas de debates com professores e convidados.

    Participaram das sessões universidade, faculdades, escolas, colégios, Fábricas de Cultura e ETECs. Ao todo, cerca de 14 mil pessoas já assistiram a filmes da 5ª Mostra e participaram de debates em diversas regiões da Região Metropolitana de São Paulo. Foram mais de 70 sessões em dezenas de lugares, cobrindo uma área de 550 km².

    Uma novidade da Mostra é o concurso Curta Ecofalante, voltado a estudantes universitários. Foram recebidos quase 40 trabalhos das mais diversas faculdades, de diversos locais do país. Destes, foram selecionados cinco curtas, que serão exibidos durante a Mostra. O melhor trabalho, escolhido pelos curadores da Ecofalante e também por votação do público, será premiado ao fim da Mostra. O objetivo deste programa é incentivar a produção universitária, que muitas vezes não tem espaço para ser exibida.

    A 5ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental é uma realização da ONG Ecofalante e do Programa de Apoio à Cultura (ProAC) do Governo do Estado de São Paulo, com patrocínio da White Martins e apoio da Goodyear e da Reciclo Pepsico. A correalização é da Secretaria de Cultura da Prefeitura de São Paulo, Spcine e Escola do Parlamento da Câmara Municipal de São Paulo. A Mostra tem apoio institucional do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), Embaixada da França no Brasil, Institut Français, La Cinémathéque Française, Le Monde Diplomatique Brasil, São Paulo Turismo (SPTuris), Observatório do Clima, SOS Mata Atlântica, Greenpeace, Instituto Socioambiental (ISA), Grupo de Institutos Fundações e Empresas (GIFE), Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS), Instituto Akatu, Instituto de Energia e Ambiente (IEE)/USP, Governos Locais Pela Sustentabilidade (ICLEI), Matilha Cultural, Fábricas de Cultura (Poiesis e Catavento), Rede Nossa São Paulo, Instituto Envolverde, Videocamp, Catraca Livre, Conexão Planeta e Horizonte Educação e Comunicação.

    A programação será divulgada em breve. Acompanhe as novidades nos canais da Mostra:

    Informações para a Imprensa

    ProCultura

    11 3263.0197

    Flávia – flavia@procultura.com.br

    Cláudia – claudia@procultura.com.br

     
  • 13 maio

    Macrotendencias sobre o Brasil por Li Edelkoort 

    Conheça o “Manifesto anti-fashion” Manifesto anti fashion

     
  • 9 maio

    MÓDULOS INDUSTRIALIZADOS TRANSPORTÁVEIS DA KRONAN EVIDENCIAM INTELIGÊNCIA CONSTRUTIVA SUSTENTÁVEL 

    O protótipo de residência modular chegou ao canteiro e está na Casa Aqua da mostra Casa Cor 2016

    casa_aqua_2016Os visitantes da Casa Aqua – um espaço conceitual criado pela Inovatech Engenharia, com projeto arquitetônico de Rodrigo Mindlin Loeb e Caio Dotto – que está em exposição na Casa Cor São Paulo, podem conferir, na prática e de forma interativa, o sistema construtivo de placas de concreto armado da Kronan. Com mínimo impacto na construção, o sistema reúne, com inteligência, a velocidade da solução, com qualidade e longa vida útil. Graças à flexibilidade dos elementos, a edificação combina uma aptidão natural para compor com unidades de captação de água da chuva ou de energia solar.

    O corpo de concreto, sombreado por uma fachada ventilada, contribui para a estabilidade térmica e o conforto acústico dos ambientes. Segundo o gerente técnico da Kronan, Martin Paul Schwark, a Casa Aqua foi produzida em uma semana na fábrica e fechada em dois dias, no canteiro da Casa Cor.

    Os módulos, chegaram ao canteiro em quatro caminhões e foram içados por guindaste. A cozinha e o banheiro, produzidos em módulos pela empresa Tecnobagno, foram conectados ao módulo principal já com as conexões elétricas e hidráulicas instaladas. Na cobertura, a laje foi impermeabilizada e coroada por uma placa metálica de sombreamento. O vão interno dos 50 m2 de área construída com concreto estrutural leve ficaram livres mas, em casos de edificações com paredes internas, o gesso acartonado ou outros sistemas de alvenaria poderiam ser usados para dividir os ambientes. A residência está apoiada em uma fundação industrializada. O sistema da Kronan permite trabalhar com amplas aberturas e grandes vãos livres, de até 20 metros.

    A partir da unidade de produção em Itapecerica da Serra, a Kronan fornece elementos construtivos num raio de 300 quilômetros a incorporadores que queiram construir com menos mão de obra, mais qualidade e prazo reduzido – no caso da Casa Aqua a montagem foi executada com quatro operários – prazo menor e baixo custo com manutenção futura. “Essa antecipação do lucro pode gerar um retorno maior sobre o investimento”, adianta Schwark.

    Os equipamentos foram compradas pela Kronan na Finlândia, da empresa Elematic, e a tecnologia foi desenvolvida no Brasil. A produção teve início em 2014. O sistema permite a construção de prédios de até 40 andares e a Kronan já entregou um 28 casas em , 2015.

    Para conhecer: pertencente ao grupo Abril, a Casa Cor, reconhecida como a maior mostra de arquitetura, decoração e paisagismo das Américas, reúne ambientes criados por profissionais, e será aberta ao público a partir do dia 17 de maio até o dia 16 e julho, de terça a quinta das 12 às 21 horas; sexta, sábado e feridos, das 12 às 21:30 horas e aos domingos das 12 às 20 horas. Neste ano, a Casa Cor São Paulo chega à trigésima edição no Jockey-Club de São Paulo.

     

    Saiba mais em http://www.kronan.com.br

     

    Alzira hisgail e eduardo gomes

    (55.11) 3675.0809 | (55.11) 99292.9126

    http://www.ateliedetextos.com.br | atelie@ateliedetextos.com.br

     
  • 22 mar

    São Paulo receberá o primeiro empreendimento residencial com mata atlântica na fachada 

    Perspectiva Seed -  GamaroConcebido pela incorporadora Gamaro e assinado pelo botânico Ricardo Cardim, o projeto batizado de Seed oferecerá para cada unidade até 4,8m2 de jardim composto por bioma nativo

    A preocupação com temas como qualidade de vida e meio ambiente tornou-se um movimento crescente nos últimos anos e inspirou incorporadoras ao redor do mundo a se empenharem no resgate do verde em meio ao cinza das grandes construções. Essa realidade já pode ser vista, por exemplo, em Paris, Milão e Nova Iorque e, agora, no primeiro semestre de 2016, chega também a São Paulo.

    Em Paris, os mais influentes arquitetos apresentaram recentemente projetos que refletem a cidade ideal em 2050. A conclusão deste chamamento público para tornar os prédios já existentes e os que virão em opções mais verdes e bonitas foi que a nova Paris dos sonhos seja urbana, mas natural e mágica. Já em Milão, vemos um projeto concreto que confirma a necessidade e o desejo pelo verde. O condomínio Bosco Verticale (bosque vertical, em português) foi construído com uma fachada que integra a vegetação e a coloca dentro da vida das pessoas e tornou-se um ícone da arquitetura ao vencer o International Highrise Award, considerado o prêmio Nobel da arquitetura.

    Já em São Paulo, a incorporadora Gamaro irá lançar na Vila Olímpia um empreendimento imobiliário residencial completamente inovador e singular. Batizado de Seed (semente, em inglês), o projeto segue a tendência mundial de valorização da natureza em meio ao concreto e traz para o contato direto com os moradores o conceito de terraço pocket forest, que dá origem à primeira fachada integrada a espécies de floresta construída em ambiente residencial.

    “Estamos assistindo a um movimento de decisão pela reinvenção. As grandes cidades querem o verde como protagonista e São Paulo é uma das cidades que começou a despertar para esta tendência. A maior ocupação dos parques públicos e a política de ciclovias já são sinais de que estamos indo para o mesmo caminho das outras metrópoles que estão preocupadas com a inclusão de hábitos mais saudáveis em meio à natureza. E nós chegamos com o que queremos que seja uma primeira semente plantada para que São Paulo enxergue o verde como a cor do futuro da cidade”, declara Vinicius Amato, diretor de incorporação da Gamaro.

    Cada unidade contará com até 4,8m2 de jardim composto por vegetação da mata atlântica e por árvores frutíferas, já cultivadas em viveiro próprio e entregues em fase adulta. Assinado pelo botânico Ricardo Cardim, responsável por mais de 500 projetos de telhados verdes, jardins verticais e paisagismo sustentável e criador das três primeiras reservas públicas de vegetação nativa de Cerrado na cidade de São Paulo, o empreendimento usará no plantio da vegetação uma tecnologia própria de substrato para manter jardins típicos de terra firme com leveza e baixa espessura em espaços mais compactos e elevados.

    “O empreendimento apresenta o conceito inédito da convivência entre a cidade e a rica biodiversidade brasileira. Com tecnologia avançada, o pocket forest insere vegetação de mata atlântica nas fachadas e permite o melhor dos dois mundos – o conforto moderno e o contato com a verdadeira natureza em casa”, destaca Cardim.

    O projeto das sacadas foi feito de forma estrutural para que as espécies tenham espaço para crescer e para conviver em harmonia com as atividades realizadas no espaço. Ele segue um padrão de alinhamento intercalado e também de variação das espécies, que podem ser Ipê Amarelo, Jabuticabeira, Embaúba, Ingazeiro entre outros. O espaço estará conectado a uma estação meteorológica que terá a missão de realizar o cuidado eletrônico, como a irrigação correta, de acordo com as condições climáticas.

    Além disso, a manutenção das plantas será realizada pela Gamaro, sem custo adicional, durante os cinco primeiros anos do edifício, tempo necessário para que a vegetação se consolide por completo. A partir de então, com o jardim formado, o custo de manutenção será minimizado e representará um valor de aproximadamente R$100 mensais na taxa condominial para que a equipe especializada dê continuidade no trabalho. “Estamos preocupados desde a concepção do projeto até a manutenção posterior da vegetação para que ele seja um modelo mundial de fachada verde integrada com a arquitetura residencial e um incentivo para que o Brasil, um país com clima e solo propícios, adote esta tendência”, explica Amato.

    Com o slogan “o verde venceu” a proposta da Gamaro é proporcionar uma melhor qualidade de vida e a valorização do tempo das pessoas que enxergam na natureza uma reconexão com suas origens e com atividades que as aliviam da tensão diária imposta pela rotina. Além disso, de forma comprovada, essa espécie de jardim vertical beneficia os moradores do Seed ao proporcionar um ambiente mais natural e saudável. A transformação do CO2 em O2, fruto da fotossíntese, cria uma barreira que protege da radiação direta do sol e gera a redução da temperatura interna no ambiente em 30% no verão. Já no inverno, ela permite mais passagem de luz e mantém o pulmão mais aquecido, por exemplo. Com isso, o ar interno é mais puro (já que a barreira natural barra partículas de sujeira), a umidade do ar é mais equilibrada e também é menor a exposição à poluição sonora, uma vez que a vegetação melhora a acústica geral do ambiente.

    Esse impacto positivo também está relacionado a um ambiente mais sustentável, pois contribui para que os moradores desperdicem menos recursos, como energia e água, por exemplo, assim como insere novamente a mata atlântica no coração de um dos bairros mais movimentados da cidade. Esses benefícios foram observados no Bosco Verticale e serão replicados no Seed.

    O empreendimento com torre única ocupará um terreno de 2.800 metros na Rua Casa do Ator, 200, na Vila Olímpia, em São Paulo. São duas opções de metragem para as unidades (81 m2 e 84m2) e mais um espaço de até 6m2 de terraço pocket Forest com as floreiras e, na composição modelo, a planta contempla duas suítes. Ao todo serão quatro unidades por pavimento. O hall dos elevadores é único: são três equipamentos para quatro apartamentos (dois sociais e um para serviços). Para completar, o projeto terá spa, espaço fitness, sauna, piscina, espaço gourmet com churrasqueira e salão de festas.

    A equipe de profissionais envolvidos com o Seed é composta por nomes importantes e reconhecidos nacional e internacionalmente. A arquitetura é assinada por Francisco Petracco, renomado arquiteto que desde a década de 70 se dedica a mudar o panorama da arquitetura paulista e soma no portfólio importantes iniciativas acadêmicas. O paisagismo foi projetado por Eduardo Mera, que tem no DNA do seu trabalho o conceito de brasilidade bastante alinhado com a proposta do botânico Ricardo Cardim de inserção de mata atlântica na fachada. E, por fim, a decoração é obra de Carlos Rossi, responsável pelo design de interiores de projetos nacionais e internacionais e que acaba de ser premiado como melhor decorador em Dubai.

    “Nós queremos que as famílias moradoras do Seed sintam prazer em poder colher no seu próprio terraço uma fruta fresca em uma pausa do trabalho ou que sintam que dentro daquele seu espaço a vida acontece com mais calma e com mais alma do que nas ruas agitadas que cercam o trabalho e o lazer”, completa o diretor de incorporação da Gamaro.

    Perspectiva Seed - Gamaro 3

    Sobre a Gamaro

    A GAMARO é uma sociedade anônima de capital fechado, constituída em 2005 tendo como atividade principal a administração de imóveis e incorporação de empreendimentos imobiliários.

    Com sede na cidade de São Paulo, a GAMARO construiu mais de 100.000 m2 em edifícios comerciais, além de possuir diversos terrenos em locais estratégicos, permitindo a expansão de suas atividades.

    O Grupo GAMARO foi fundado em 2005 a partir da cisão com a Universidade Anhembi Morumbi como uma empresa patrimonial com foco na administração dos imóveis da universidade. Em 2014, depois de construir quase 110 mil m2² em edifícios comerciais, o Grupo criou a GAMARO INCORPORADORA com o objetivo de diversificar o seu portfólio com foco no segmento residencial de médio e alto padrão. A incorporadora possui diversos terrenos em locais estratégicos, permitindo a expansão de suas atividades. A empresa irá lançar nos próximos anos 2,8 bilhões em VGV, que representam 500.000 m2 construídos, diversificados entre imóveis residências, comerciais e educacionais. Além da incorporadora, o Grupo GAMARO conta com o Teatro Gamaro fundado em 2009 localizado no bairro da Mooca e com a Fundação Brasil 2000.

    Perspectiva Seed - Gamaro 3Para mais informações sobre o Seed Gamaro

    Growth Comunicações

    Nathália Sanches – nathalia@growthcomunicacoes.com.br

    Débora Folego – debora@growthcomunicacoes.com.br

    Sergio Sanches – sergio@growthcomunicacoes.com.br

    (11) 2626-0567

     
  • 1 fev

    Atitudes Positivas Porto Seguro por Vivian Blaso 

    No site Atitudes Positivas da Porto Seguro você vai encontrar alguns textos que produzi para a empresa que hoje vem se consolidando cada vez mais no ramo segurador no Brasil. Boa parte dos conteúdos tem como fonte de inspiração a sustentabilidade. Acesse e confira: Atitudes Positivas

     
  • 14 out

    CONSUMO SUSTENTÁVEL: QUAL O LIMITE E A NOSSA RESPONSABILIDADE? 

    No dia 24 de outubro às 16h30 irei palestrar no evento: enter +

    CONSUMO SUSTENTÁVEL: QUAL O LIMITE E A NOSSA RESPONSABILIDADE?

    Por Vivian Blaso – Conversa Sustentável – Consultoria e Assessoria Mercadológica

    Depois de um dia inspirador sobre criatividade, planejamento e comportamento do consumidor é hora de parar para pensar que há condições e cenários que precisam ser considerados pelo mercado de comunicação. Até que ponto o consumo consciente deve fazer parte da pauta dos comunicadores?

    Informações: enter +

     
c
Compor novo post
j
Próximo post/próximo comentário
k
Post anterior/comentário anterior
r
Responder
e
Editar
o
Mostrar/Ocultar Comentários
t
Ir para o Topo
l
Ir para o login
h
Mostrar / Esconder ajuda
shift + esc
Cancelar