Avanços do Brasil em desenvolvimento sustentável recebe elogio no 3º Fórum Mundial de Sustentabilidade

Gro Brundtland, ex-primeira ministra da Noruega, lembrou que o país precisa ser cauteloso com o pré-sal

“Fiquei contente ao ver as mudanças ocorridas no Brasil nos últimos 25 anos. Os olhares do mundo, desde aquela época, já estavam voltados para a Amazônia e os riscos que ela enfrenta. A visita que fizemos à cidade de Cubatão, que 27 anos atrás era um terrível modelo de poluição industrial, destaca um exemplo de que podemos mudar as coisas com políticas ambientais e tecnologia. Cubatão está diferente.” Foi assim que Gro Brundtland,ex-primeira ministra da Noruega, abriu sua fala em entrevista coletiva durante o 3º Fórum Mundial de Sustentabilidade que acontece em Manaus. O evento é promovido pelo LIDE – Grupo de Líderes Empresariais, com organização da XYZ Live.

Sobre a Rio +20, que acontece em junho, Gro disse esperar que o encontro atenda expectativas não alcançadas anteriormente. “O mundo precisa superar as dificuldades de negociação em bloco durante a Rio+20. A agenda da conferência do Rio é muito mais ampla e os países estão investindo em negociações mais próximas, olho a olho. O Brasil tem a responsabilidade pela Rio+20, mas vamos ajudar o Rio a identificar os problemas ambientais e sociais que são relevantes para todo o mundo”.

Pré-sal

Gro recomendou cautela ao Brasil na exploração das jazidas de petróleo descobertas recentemente na camada do pré-sal, pois há uma série de riscos ambientais relacionados à atividade petrolífera. “Nos últimos 50 anos, as perfurações em mar aberto têm gerado vários problemas. A Noruega é um dos países que têm feito esse tipo de exploração, e aprendemos muitas coisas. O importante é fazer uma avaliação geral em todos os aspectos antes de começar a perfuração. É preciso verificar as consequências para o meio ambiente”, afirmou. Deste modo, deixou uma sugestão ao governo brasileiro: fazer avaliações sobre os recursos envolvidos antes do início das perfurações, para evitar danos ambientais. “Uma das coisas que o Brasil pode fazer é consultar outros países que fizeram esse mesmo tipo de perfuração em águas profundas, para absorver experiências negativas e positivas. A Noruega é um desses países”, completou.

Sustentabilidade

Questionada se a palavra sustentabilidade é corretamente aplicada, a ex-ministra lembrou “sustentabilidade é uma palavra que pode ser vazia ou significar a busca pela erradicação da pobreza, pela igualdade social e o respeito ao meio ambiente. Tudo isso faz parte do conceito de desenvolvimento sustentável. Precisamos observar o que as pessoas estão fazendo nesse conceito, e não as palavras que elas estão usando”.

SOBRE O LIDE – Fundado em junho de 2003, o LIDE – Grupo de Líderes Empresariais possui oito anos de atuação, registrando crescimento de 700%. Atualmente são 920 empresas associadas (com os braços regionais e internacionais), que representam 46% do PIB privado nacional. O objetivo do Grupo é difundir e fortalecer os princípios éticos de governança corporativa no Brasil, promover e incentivar as relações empresariais e sensibilizar o apoio privado para programas comunitários. Para isso, são realizados inúmeros eventos ao longo do ano, promovendo a integração entre empresas, organizações, entidades privadas e representantes do poder público, por meio de debates, seminários e fóruns de negócios.

Mais informações para a imprensa:

CDN – Comunicação Corporativa: http://www.cdn.com.br

Erica Valério–erica.valerio@cdn.com.br(92 8151 0371 e 11 3643.2710)

Rose Rocha – rose-rocha@cdn.com.br (92 8151 0371 e 11 3643.2952)

Dora Lopes – dora.lopes@cdn.com.br(92 8151 0371 e 11 3643.2793)

CRÉDITOS DA FOTO: IMAGEM PAULISTA