Atualizações de Janeiro 2011 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Teclas de atalho

  • 31 jan

    O Centro Max Feffer – Cultura e Sustentabilidade é finalista no prêmio GreenBest 2011 

    Uma das maiores premiações voltadas para a sustentabilidade indica o Centro Max Feffer – Cultura e Sustentabilidade como um dos 10 finalistas na categoria Arquitetura e Construção. A partir de agora a votação é popular. Por isso, nós contamos com o seu voto! Para votar clique no link: http://greenbest.greenvana.com/top10/arquitetura-e-construcao/
    O GreenBest reconhece, através do voto popular, as iniciativas sustentáveis que acontecem em todo o território nacional. O objetivo desta premiação é ressaltar as melhores iniciativas em Sustentabildiade capazes de guiar para uma cultura Sustentável A escolha das melhores iniciativas é feita por voto popular, passa por um júri especializado e é auditada pela Ernst & Young Terco.
    A indicação como finalista desta premiação mostra que o trabalho que vem sendo realizado pelo Instituto Jatobás (www.institutojatobas.org.br) está sendo reconhecido por várias entidades especializadas no assunto. E isto pode servir de referência para que mais iniciativas como esta.
     
  • 31 jan

    Fecomercio debate sobre a importância e o impacto da Política Nacional de Resíduos Sólidos e a Lei Municipal de Grandes Geradores 

    São Paulo, 31 de janeiro de 2011 – Nesta terça-feira, 1º de fevereiro, a partir das 9h, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio), por meio de seu Conselho de Sustentabilidade, promoverá debate sobre a aplicação da Política Nacional de Resíduos Sólidos e da Lei Municipal dos Grandes Geradores.

    Estarão presentes ao evento José Goldemberg, presidente do Conselho de Sustentabilidade da Fecomercio, o secretário de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente, Silvano Silvério da Costa, que irá tratar da regulamentação e aplicação da Política Nacional de Resíduos Sólidos e como as empresas podem se adaptar, e Dráusio Barreto, secretário de Serviços do Município de São Paulo, responsável pela coordenação e contratação dos serviços de limpeza pública do município, que abordará a Lei Municipal dos Grandes Geradores e as possibilidades de negócios consequentes.

    O ponto de vista do Movimento de Responsabilidade Social Empresarial será apresentado pelo gerente de comunicação e mobilização do Instituto Ethos, João Gilberto Azevedo. O evento também irá apresentar a ótica dos consumidores sobre as novas regulamentações por meio de Lisa Gunn, coordenadora executiva do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec). Por fim, o diretor-presidente da Associação Brasileira de Shoppings Centers (Abrasce), Luis Fernando Pinto Veiga, mostrará a visão dos shoppings centers sobre o tema.

    O evento conta com o apoio institucional da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), Instituto Triângulo e Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social

    A Política Nacional de Resíduos Sólidos e a Lei Municipal dos Grandes Geradores
    Local: Fecomercio. Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – Bela Vista
    Horário: 10h às 12h

    Credenciamento de imprensa:
    Clarisse Ferreira – clarisse.ferreira@fischer2.com.br
    (11) 3254-1752

    Confira a programação:

    9h – Credenciamento e Café da Manhã

    10h – Abertura Oficial
    José Goldemberg, presidente do Conselho de Sustentabilidade da Fecomercio

    10h10 – A Regulamentação e Aplicação da Política Nacional de Resíduos Sólidos – Como as empresas podem se adaptar
    Silvano Silvério da Costa, secretário de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente.

    10h30 – A Lei Municipal dos Grandes Geradores e as Oportunidades de Negócios
    Dráusio Barreto, secretário de Serviços do Município de SP, responsável pela coordenação e contratação dos serviços de limpeza pública do município (gerenciado pela LIMPURB).

    10h50 – A ótica dos shoppings centers
    Luis Fernando Pinto Veiga, diretor-presidente da Associação Brasileira de Shoppings Centers (ABRASCE).

    11h – A ótica do consumidor
    Lisa Gunn, coordenadora executiva do IDEC – Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor.

    11h10 – O Ponto de Vista do Movimento de Responsabilidade Social Empresarial
    João Gilberto Azevedo, gerente de comunicação e mobilização do Instituto Ethos.

    11h20 – Debate

    11h50 – Conclusões e encerramento
    José Goldemberg, presidente do Conselho de Sustentabilidade da Fecomercio.

    Sobre a Fecomercio
    A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio) é a principal entidade sindical paulista dos setores de comércio e serviços. Representa empresas e congrega 153 sindicatos patronais, que abrangem cerca de 700 mil companhias e respondem por 11% do PIB paulista – cerca de 4% do PIB brasileiro – gerando em torno de cinco milhões de empregos.

    Mais informações:
    Assessoria de Imprensa Fecomercio
    Clarisse Ferreira – imprensa@fecomercio.com.br
    (11) 3254-1752
    Raphael Ferrari – imprensa@fecomercio.com.br
    (11) 3251-3113
    Thiago Dias – imprensa@fecomercio.com.br
    (11) 3251-3113
    Enzo Bertolini – imprensa@fecomercio.com.br
    (11) 3251-3113

    Diretor de Comunicação Integrada
    Marcus Barros Pinto – imprensa@fecomercio.com.br
    (11) 3251-3113

    Siga a Fecomercio no Twitter – http://www.twitter.com/fecomercio

     
  • 31 jan

    Itautec recebe estudantes 

    A Itautec, empresa especializada no desenvolvimento de soluções e serviços de computação, automação bancária e comercial, dá início ao programa anual de visitas à sua fábrica, localizada em Jundiaí (SP). O projeto é direcionado a escolas e alunos de faculdades e cursos técnicos interessados em conhecer a prática do processo produtivo da empresa, que inclui suas linhas de montagem e as instalações de reciclagem de lixo eletrônico. O programa iniciou-se em 2003 e, no ano passado, recebeu 636 alunos de 19 diferentes instituições de ensino.

    O objetivo é permitir que os alunos de escolas, universidades ou cursos técnicos possam consolidar e vivenciar os conhecimentos adquiridos em sala de aula, além de conhecerem o processo produtivo da Itautec. Um funcionário da empresa acompanha os estudantes para explicar os detalhes da operação e a companhia oferece um lanche para os visitantes.

    A produção de equipamentos está em linha com as políticas de responsabilidade ambiental. Após um investimento de R$ 3 milhões, a Itautec aboliu de toda sua linha de produção de equipamentos eletrônicos o chumbo e outros metais pesados considerados altamente tóxicos. Além disso, a companhia possui um programa de tratamento de resíduos dos equipamentos que produz, dando a destinação adequada aos resíduos eletrônicos de materiais obsoletos. Após sua vida útil, todos os produtos recolhidos são desmontados e seus componentes são encaminhados para a reciclagem. Por conta destas ações, a Itautec tem sua produção adequada à norma européia RoHS, que restringe o uso de substâncias nocivas ao meio ambiente.

    Para participar, os interessados devem entrar em contato pelo e-mail falecom@itautec.com.br.

    Sobre a Itautec
    A Itautec é uma empresa 100% nacional, com mais de 30 anos de atuação no mercado de tecnologia, especializada no desenvolvimento de soluções e serviços de computação, automação bancária e comercial. Parte integrante do grupo Itaúsa, maior grupo privado do Brasil, segundo o ranking Exame Melhores e Maiores 2010, a Itautec possui, 35 unidades de serviços e dez laboratórios de suporte, que atendem a mais de 3700 cidades brasileiras. A empresa atua de forma consistente no exterior, com clientes nas Américas, Europa e África e é reconhecida pelo Retail Banking Research por ter a décima maior base instalada de ATMs no mundo e a segunda na América Latina. A empresa foi a única brasileira listada entre os 25 maiores provedores de serviços de tecnologia para o mercado financeiro do mundo pelo ranking FinTech 100, do instituto IDC Financial Insights, ocupando o 23° lugar na lista geral neste ano. Em 2010, foi apontada pelo World Finance Technology Institute como a melhor fornecedora de tecnologia para o setor financeiro da América Latina. A Itautec é a primeira empresa do setor de eletroeletrônicos totalmente preparada para atender às exigências da Política Nacional de Resíduos Sólidos, e é pioneira na reciclagem de resíduos eletrônicos. Figura na 1ª posição no ranking de Responsabilidade Social de “As Melhores da Dinheiro 2010” no setor eletroeletrônico.

    Mais informações:

    Máquina da Notícia – Assessoria de imprensa Itautec
    Tel: 55 11 3147.7467 / 3147-7498
    Caroline Romero – caroline.romero@maquina.inf.br
    Fernando Kadaoka – fernando.kadaoka@maquina.inf.br

     
  • 27 jan

    CIDADES SUSTENTÁVEIS 

    Há algum tempo o tema das cidades sustentáveis e do desenvolvimento urbano sustentável tem sido comentado e falado por especialistas e organizações da sociedade civil. Cidades sustentáveis remetem a cidades construídas e projetadas pensando nos impactos ambientais, sociais e econômicos de seu desenvolvimento e crescimento. Primeiramente falava-se de ecocidades, apenas no aspecto ambiental, em diminuir a “pegada ecológica” das áreas urbanas, com o mínimo de poluição possível e uso eficiente dos recursos através da reciclagem, energias renováveis, etc. Estima-se que mais da metade da população mundial viva em cidades e áreas urbanas nos dias de hoje, o que ressalta a importância do conceito de cidades sustentáveis para o futuro, no combate às mudanças climáticas, à miséria, e a degradação da biodiversidade.
    Existem várias estratégias e modelos para cidades sustentáveis, principalmente na Europa, o conceito está sendo difundido através da mobilização da sociedade civil em parcerias com empresas e governos. Um exemplo é a Campanha das Cidades Européias Sustentáveis – The Sustainable Cities and Towns Campaign-, por exemplo, começou em 1994 na Conferência Européia sobre Cidades Sustentáveis em Aalborg na Dinamarca, onde foi formulada a Carta das Cidades Européias para a Sustentabilidade, conhecida como Aalborg Charter. Atualmente a campanha possui 2500 governos locais, em 40 países da Europa, signatários da Carta de Aalborg. Já no final da década de 1990, especificamente em 1996, um Grupo de Peritos sobre Ambiente Urbano juntamente com a Comissão Européia sobre Ambiente, Segurança Nuclear e Proteção Civil, apresentaram um Relatório sobre Cidades Européias Sustentáveis, em Bruxelas na Bélgica. O relatório apresentava como as idéias de sustentabilidade lançadas em 1992 na Cúpula da Terra poderiam ser aplicadas nos ambientes urbanos europeus, e como as cidades européias poderiam contribuir localmente e globalmente para o desenvolvimento sustentável. Também foram apresentados princípios como quadro para a ação local:
    1. Princípio de Gestão Urbana: A gestão urbana para a sustentabilidade é um processo político e administrativo com vista à formulação de políticas urbanas sustentáveis.
    2. Princípio de Integração Política: É preciso que as ações aconteçam por meio de sinergia dos governos nacionais, regionais, locais e entidades supranacionais.
    3. Princípio de Reflexão Ecossistêmica: A cidade é um sistema complexo caracterizado pelos processos contínuos de transformação e desenvolvimento. O consumo de energia, dos recursos naturais, a produção de resíduos, regulamentação do tráfego e transportes, são elementos de reflexão ecossistêmica.
    4. Princípio de cooperação e parcerias: A sustentabilidade é uma responsabilidade partilhada, por isso a cooperação e parcerias em diferentes níveis de organizações e interesses é essencial para o desenvolvimento urbano sustentável.

    Na ONU o movimento por cidades sustentáveis iniciou com o Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos, UN HABITAT em inglês, estabelecida em 1976 como resultado da Conferência das Nações Unidas sobre os Assentamentos Humanos (Habitat 1) em Vancouver, Canadá. A segunda conferencia (Habitat 2), realizada em Istambul na Turquia em 1996, foi responsável por trazer o conceito de cidades sustentáveis para o UN HABITAT, devido a influencia da Cúpula da Terra em 1992. Nessa conferencia foi apresentada a Agenda Habitat, assinadas pelos Estados membros, com o objetivo de promover a sustentabilidade nas cidades e assentamentos humanos.
    No Brasil um dos principais modelos é o da Plataforma Cidades Sustentáveis, desenvolvida pela Rede Social Brasileira por Cidades Justas e Sustentáveis e a Rede Nossa São Paulo em 2010. A Rede Social Brasileira por Cidades Justas e Sustentáveis foi fundada em 2008 por movimentos e organizações da sociedade civil brasileira com o intuito de difundir o desenvolvimento sustentável nas cidades. Já a Rede Nossa São Paulo, foi fundada em 2007 com o objetivo de propagar os princípios da democracia participativa e do desenvolvimento sustentável. Em 2010, a Plataforma foi lançada pelas duas entidades para proporcionar referencias de ação para a sustentabilidade através de exemplos públicos e privados no Brasil, bem como trazer o tema cidades sustentáveis para a arena política brasileira. A estrutura da publicação da plataforma foi inspirada pela Carta de Aalborg da Campanha das Cidades Européias Sustentáveis. A rede já conta com movimentos em cerca de 40 cidades brasileiras e tem dado passos significativos no controle social das políticas públicas no sentido de promover o desenvolvimento sustentável nas cidades. No Brasil, o conceito de cidades sustentáveis tem tido grande impacto visto à tendência cada vez maior de urbanização. Urbanistas, arquitetos e engenheiros civis têm trazido a sustentabilidade para sua atuação profissional, um exemplo disso é o desenvolvimento para viabilizar habitações e construções sustentáveis. O desafio da construção sustentável é pensar todo o processo de construção e manutenção dos prédios e habitações na cidade de forma sistêmica, englobando aspectos ambientais, econômicos e sociais. O que é possível constatar é que as cidades sustentáveis são uma tendência global já no presente e ainda mais para um futuro sustentável.

    Para saber mais acesse:
    Plataforma Cidades Sustentáveis – Brasil
    http://www.cidadessustentaveis.org.br/
    ONU HABITAT
    http://www.unhabitat.org/
    Nossa Cidade, Nós Mesmos
    http://www.ourcitiesourselves.org/

     
  • 27 jan

    METACONSUMIDOR: O impacto da Sustentabilidade no mercado 

    A GS&MD, consultoria empresarial em marketing e varejo, publicou no final do ano passado o livro Metaconsumidor: A Transformação do mercado pela percepção do consumidor global sobre a sustentabilidade e consumo consciente. Em Metaconsumidor, são analisadas e discutidas as mudanças que a sustentabilidade e o consumo consciente têm sobre o público ao se tornarem temas de grande relevância para estes. O livro apresenta cases, análises do tema em relação à resultados, aspectos legais, branding, suprimentos e uma pesquisa realizada pela Ebefolt Group, rede de consultorias global. Esta pesquisa é um dos principais destaques do livro, o estudo “Metaconsumidor” foi desenvolvido em 17 países em um total de 9.000 entrevistas. O estudo mostra que nos países emergentes existia uma maior preocupação dos consumidores em relação à sustentabilidade e o consumo consciente, e responde perguntas como: O metaconsumidor está disposto a pagar mais por produtos ”verdes”? Ele deixa de comprar de empresas “não-sustentáveis”? Está mais crítico sobre aquilo que consome?
    Nos capítulos também são apresentados 23 cases de varejistas e indústrias de bens de consumo, nacionais e internacionais na adoção de estratégias para a sustentabilidade. Um destaque é o capítulo sobre Endosustentabilidade abordando os desafios da sustentabilidade e suas implicações no relacionamento com os colaboradores e o conceito de “endosustentabilidade”. Entre os dados apresentados no capítulo está a conclusão de um estudo comparativo da Universidade de São Paulo entre empresas brasileiras, que mostrou que as empresas indicadas como melhores para trabalhar são as com médias de desempenho superiores em relação às demais, destacando-se as variáveis Crescimento e Retorno sobre o Patrimônio Liquido. Outro destaque é um capítulo as “Questões Legais” da sustentabilidade, um tema muito debatido no âmbito político e jurídico pelas implicações e questões delicadas e até polemicas da normatização como forma de promover sustentabilidade. Também é discutido o papel da opinião pública e da ética como instrumentos para esse fim fora do âmbito político-legal. No capítulo 9 o tema é “O turismo e a sustentabilidade” de grande importância para o Brasil, principalmente devido à previsão de crescimento do setor e dos grandes eventos esportivos (Copa do Mundo e Olimpíadas) a serem realizados no país. Por fim a pesquisa final realizada por todo mundo revela que o consumidor global está disposto a pagar 7,6% por produtos que ele reconheça como sustentáveis no Brasil a proporção aumenta para 8%, o que mostra o alinhamento dos brasileiros em relação ao tema. De maneira muito acurada são apresentadas as principais tendências e estratégias no mercado em relação à sustentabilidade e o consumo consciente.

    É possível adquirir o livro no próprio site da GS&MD:
    http://gsmd.lojatemporaria.com/metaconsumidor.html

     
  • 26 jan

    Sustentabilidade na prática em Pardinho 

    No dia 22 de janeiro o Jornal da Cultura publicou uma matéria sobre o Instituto Jatobás e as atividades do Centro Max Feffer Cultura e Sustentabilidade. Assista o vídeo:
     
  • 22 jan

    Hora do Planeta e Planeta no Parque 2011 no Parque Ibirapuera 

    Do dia 22 ao 25 de Janeiro de 2011, das 10h às 18h, ocorrerá o evento Planeta no Parque, organizado pelo projeto Planeta Sustentável da Editora Abril, com programação lúdica e gratuita sobre sustentabilidade. Esta já é a quarta edição do evento e contará com o apoio oficial da WWF-Brasil, que participa com diversas atividades: como uma oficina de sombras de animais, a apresentação do documentário “Tabuleiro do Embaubal e os quelônios da Amazônia” sobre uma espécie de tartaruga ameaçada na Amazônia, e outras atividades lúdicas sobre a Hora do Planeta 2011. Acontecerão oficinas estimulando a ações que podem ser feita durante o “apagar das luzes” da Hora do Planeta.
    Esta quarta edição do Planeta no Parque tem como tema “A florestal invade a cidade” e marca o Ano Internacional das Florestas (2011) instituído pela ONU no início da “década da biodiversidade” (2011-2020), buscando chamar a atenção para a preservação da natureza, terá diferentes atividades programadas como caminhadas pela fauna e flora do parque e oficinas de sustentabilidade.

    Programação WWF-Brasil

    WWF-Brasil: Mobilização e Conservação: apresentação da Hora do Planeta 2011 e veiculação do documentário “Tabuleiro do Embaubal e os quelônios da Amazônia”.
    Sábado, 22 de Janeiro – 17h às 18h

    Oficina de sombras de animais
    Domingo, 23 de Janeiro – 15h30 às 16h30
    Terça, 25 de Janeiro – 17h às 18h

    PLANETA NO PARQUE 2011
    Data: de 22 a 25 de janeiro de 2011
    Horário: das 10h às 18h
    Local: Marquise do Parque Ibirapuera
    Endereço: Avenida Pedro Álvares Cabral, s/nº – Portão 3, 8 e 10 – São Paulo/SP
    Entrada Gratuita
    Realização: Planeta Sustentável – Editora Abril

    Mais informações: http://planetasustentavel.abril.com.br/planetanoparque/ ; http://www.horadoplaneta.org.br/

     
  • 21 jan

    Globo Ecologia – Lixo eletrônico (parte 1) 

     
  • 20 jan

    Campanha de coleta de lixo eletrônico na C&C Nova Tietê é um sucesso! 

    Janeiro 2011: Irá até o final de janeiro, na loja da C&C Casa e Construção localizada na Marginal Tietê, O Programa de Recolhimento de Lixo Eletrônico. Esse programa teve inicio em dezembro de 2010 e até o momento foram coletadas mais de uma tonelada de material (1277,6 Kilos em equipamentos eletrônicos). Esse material, certamente acabaria sendo descartado em lugares inapropriados provocando algum tipo de contaminação ambiental. A partir deste programa da C&C em parceria com a Reciclo Ambiental, empresa especializada na destinação correta destes componentes, este material será descartado em conformidade com a legislação ambiental minimizando os impactos gerados. O Programa de Sustentabilidade C&C: Recolhimento de Lixo Eletrônico visa promover os valores da sustentabilidade e a conscientização de seus clientes em dar uma destinação correta para o Lixo Eletrônico.

    O lixo eletrônico poderá ser depositado na unidade da C&C Nova Tietê por qualquer pessoa sem custo algum. A C&C receberá um certificado de destinação correta destes materiais recolhidos para assegurar a conformidade da ação junto aos órgãos ambientais competentes. “É importante a emissão deste documento porque atesta a responsabilidade do programa junto à comunidade”, explica o gerente da loja Nova Tietê, Marcos Preto. A iniciativa da unidade Nova Tietê, pretende servir de referência no recolhimento e devida destinação do lixo eletrônico, e com isso, chamar a atenção para o problema que tende a aumentar com a expansão do consumo destes produtos.

    Os materiais a serem coletados são:
    Computadores (Monitores, Mouses, Teclados, CPU’s); Servidores; Notebooks; Modens; Hub’s; Telefones Celulares (Aparelhos, Carregadores); Impressoras, Scaners; Aparelhos Telefonia Fixa; Fax; Microsystem; DVD’s; Vídeos Cassetes; Câmeras (Vídeo e Fotográficas); Cabos; Estabilizadores; Nobreaks; Roteadores; Home Theaters; Projetores; Calculadoras; Agendas Eletrônicas.

    Um problema crescente
    O problema do lixo eletrônico é crescente em nosso contexto atual, principalmente em grandes metrópoles como São Paulo. O cidadão tem pouca informação do como e onde deve descartar aquele material eletrônico que não funciona mais. Por um tempo se acumulam nas residências e empresas até que um dia, na maioria das vezes, acaba indo parar em um lixão da cidade. Um material que poderia, se tivesse a destinação correta, ter seus componentes reciclados. Segundo estudos da ABINEE o consumo de computares cresceu 23% no ano de 2010 e de acordo com a ANATEL vamos passar dos 200 milhões de celulares em 2011. De acordo com a ONU o Brasil é campeão na produção per capita de lixo eletrônico e poucos são os municípios que de fato realizam políticas efetivas com relação ao tema.

    Eco-eficiente – A loja Nova Tietê é o primeiro home-center de materiais de construção no Brasil a seguir as diretrizes de construção sustentável desde sua concepção. Todo o mobiliário foi fabricado com madeira certificada, evitando uso de matéria-prima vinda de cortes ilegais. A C&C investiu ainda em recursos limpos e renováveis. Uma torre eólica e um sistema de captação de energia solar produzem parte da energia elétrica utilizada no local. Além disso, todas as árvores nativas do terreno foram preservadas e para auxiliar na passagem de luz natural, o telhado da nova loja tem 8% de transparência. Há ainda estações de reciclagem, nas quais os visitantes podem descartar lixo, incluindo pilha, baterias e lâmpadas fluorescentes. Um sistema de captação armazena a água da chuva para ser utilizada na irrigação do jardim e na lavagem do estacionamento da loja.
    A C&C Casa e Construção, empresa 100% nacional, conta atualmente com 40 unidades distribuídas pelos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Em São Paulo são 32 lojas na capital, Grande São Paulo, interior e baixada santista. No Rio de Janeiro são oito lojas, seis na capital do Estado, uma em Niterói e outra em Duque de Caxias.

    A Loja C&C Casa e Construção Nova Tietê fica localizada na Avenida Marginal Tietê, 7207. Barra Funda – São Paulo.
    O Lixo Eletrônico será recolhido de segunda a sábado das 8h às 23h.
    Mais Informações:

    Vivian Blaso
    Tel.: 11 9616 5360 / 11 4108 4064
    E-mail: vivianblaso@conversasustentavel.com.br

    Douglas Lotto
    Tel.: 11 9135 3600 / 11 2501 4064
    E-mail: imprensa@conversasustentavel.com.br

     
  • 19 jan

    SETOR VIDREIRO SAI NA FRENTE PARA SE ADAPTAR À NOVA LEGISLAÇÃO SOBRE RESÍDUOS SÓLIDOS 

    A Abividro, associação que reúne fabricantes automáticos de vidros, tomou dianteira entre os demais setores da indústria da embalagem no processo de adaptação à nova legislação sobre resíduos sólidos, sancionada em agosto passado.

    A partir de um estudo desenvolvido pelo Monitor Group, uma consultoria de estratégia, a Abividro apresentou ao Ministério do Meio Ambiente seu Plano de Logística Reversa, já atendendo as diretrizes da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).

    O modelo proposto foi inspirado nas práticas de reciclagem adotadas com sucesso em países europeus. A precursora foi a Alemanha, que em 1991 instituiu uma agência gerenciadora para centralizar o processo. Essa entidade tem a responsabilidade de coordenar a logística reversa de materiais utilizados em embalagem em âmbito nacional.

    A gerenciadora que a Abividro propõe instalar no Brasil será uma instituição sem fins lucrativos e terá o papel de intermediar as relações com o poder municipal, cooperativas de catadores, beneficiadoras, fabricantes de vidro e envasadoras. Entre suas atribuições estão: coordenar a participação dos municípios, capacitar e credenciar cooperativas de catadores e beneficiadoras, negociar operações de compra e venda de recicláveis triados, gerir a logística reversa dos recicláveis, promover campanhas de conscientização sobre reciclagem. Para a execução dessas funções a gerenciadora terá capacidade de investir até R$ 60 milhões por ano.

    Na opinião de Lucien Belmonte, superintendente da Abividro, a fórmula proposta atende todos os pontos da PNRS, ao implementar a responsabilidade compartilhada, criar sistema de logística reversa e assegurar a destinação adequada dos materiais recicláveis.

    Esse modelo tem ainda vantagens adicionais. É aplicável em escala nacional, proporciona inclusão social com geração de renda ao contemplar a participação de cooperativas de catadores, e é atraente para a indústria como uma alternativa econômica para os envasadores e empacotadores. Por fim, é uma fórmula que pode ser expandida para toda a gama de materiais recicláveis. Vale ressaltar que, para que o modelo seja economicamente viável, é necessária a adesão e participação dos envasadores e empacotadores, que compartilham a responsabilidade sobre a logística reversa do resíduo.

    Belmonte anuncia que as indústrias vidreiras irão investir inicialmente R$ 10 milhões na criação da gerenciadora, que será administrada por uma equipe profissional independente e terá um conselho composto por membros das várias instâncias envolvidas.

    Segundo ele, a estimativa é que após quatro anos de sua instalação, a gerenciadora fará com que o índice de reciclagem do setor vidreiro atinja 50%. Em termos financeiros, equivale a passar dos atuais R$ 60 milhões movimentados por ano pelo setor para R$ 120 milhões/ano. Se os esforços resultarem na adesão de todos os envasadores existentes no país e de todos os municípios brasileiros, é possível que o setor de reciclagem de vidro movimente cerca de R$ 220 milhões/ano.

    A Abividro, que assume com essa iniciativa a liderança entre os setores, sugere a implantação no país de uma gerenciadora única e integrada que, respeitando as especificidades de cada material, fique responsável pela logística reversa de todos eles.

    Os investimentos da Abividro começarão a ser efetuados em 2011 e em quatro anos a gerenciadora estará em operação integral.

    Sobre a Abividro
    Fundada em 1962, a Abividro – associação técnica brasileira das indústrias automáticas de vidro – reúne 15 empresas instaladas no país que atuam junto aos mercados da construção civil, utilidades domésticas, embalagem e indústrias automobilística e moveleira.

    Tem por objetivo promover e intensificar a utilização do vidro, sistematizar informações de todos os setores da cadeia produtiva, estimular o contínuo aprimoramento da técnica dessa atividade industrial e representá-la em tudo que for de seu interesse comum.

    A entidade foi responsável pela criação do primeiro programa de reciclagem de vidro do país, em 1986, e desde então vem trabalhando ativamente para o aumento da reciclagem no Brasil.

    A Abividro fica na R. General Jardim, 482 – 16o São Paulo. Tel: 11. 3255 3033
    Site: http://www.abividro.org.br

    Informações à imprensa na Profession Comunicações
    Tel: 11. 3816 3769 / Fax: 11 3032 3212
    Contatos: Isa Melaragno / Daniela Bonacorso
    E-mail: profession@profession.com.br / daniela@profession.com.br
    http://www.twitter.com/_profession / http://www.profession.com.br

     
c
Compor novo post
j
Próximo post/próximo comentário
k
Post anterior/comentário anterior
r
Responder
e
Editar
o
Mostrar/Ocultar Comentários
t
Ir para o Topo
l
Ir para o login
h
Mostrar / Esconder ajuda
shift + esc
Cancelar