Atualizações de março 2015 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Teclas de atalho

  • 25 mar

    Prof. Dr. Wolfgang Dietrich – Cátedra Unesco de Estudos da Paz de Innsbruck, Áustria 

     

    Visita Internacional 

     Prof. Dr. Wolfgang Dietrich – Cátedra Unesco de Estudos da Paz de Innsbruck, Áustria

     

     

    Palestra Gratuita

    Conflito – como lidar com suas múltiplas dimensões
    – no âmbito familiar, profissional e cívico

    Nesta palestra o Prof. Dietrich apresentará novas formas de pensar e facilitar a promoção da paz, viabilizando sua aplicação na prática e nos variados cenários em que o profissional de transformação de conflitos transita.

    Data: 9 de abril
    Horário: 19h30
    Local: Auditório da Palas Athena – Alameda Lorena, 355 – Jardim Paulista, São Paulo.

    Inscrições abertas: http://goo.gl/w0vjey

     

     

    Seminário Internacional 

    O potencial do conflito para promover mudanças positivas mais profundas. Método elicitivo de transformação de conflitos

    Neste seminário analisaremos as mudanças sociais contemporâneas e seus efeitos na abordagem e trabalho de construção de paz e transformação de conflitos. Apresentaremos ainda a ferramenta para “Mapeamento de Conflitos por Elicitação”.

    Data: 10 a 12 de abril
    Horário: sexta-feira 19h30 a 21h30 • sábado 9h a 17h30 • domingo 9h a 13h
    Local: Auditório da Palas Athena – Alameda Lorena, 355 – Jardim Paulista, São Paulo.

    Inscrições abertas: http://goo.gl/TCBDuW 

     

    Wolfgang Dietrich é detentor da Cátedra UNESCO de Estudos de Paz da Universidade de Innsbruck, na Áustria, é diretor do Programa de Mestrado em “Paz, Desenvolvimento, Segurança e Transformação de Conflitos Internacionais” na mesma universidade. É membro da Austrian UNESCO Commission e professor visitante no Instituto de Ciências Políticas da Universidade de Viena, no Centro de Estudos de Paz e Desenvolvimento da Universidade de Castellón/Espanha e na United Nation’s Peace University na cidade de Colón/Costa Rica. Entre suas obras destacamos The Pelgrave International Handbook of Peace Studies: A Cultural Perspective, considerada referência mundial para estudos contemporâneos sobre democracia, pluralidade cultural e estudos sobre a paz.

     

     
  • 24 mar

    PL que acaba com rotulagem de alimentos transgênicos pode ser votado em 24 de março   

     
    Direito dos consumidores à informação é ameaçado pelo PL 4.148, que prevê a não obrigatoriedade de rotulagem de alimentos que possuem ingredientes transgênicos. Idec reforça campanha “Fim da rotulagem de alimentos transgênicos: Diga não!”
    O PL nº 4.148, de 2008, de autoria do deputado Luiz Carlos Heinze, que prevê a não obrigatoriedade de rotulagem de alimentos que possuem ingredientes transgênicos, independentemente da quantidade, entrou na pauta da Câmara dos Deputados do dia 24 de março de 2015.

    Caso o projeto de lei seja aprovado, alimentos como óleos, bolachas, margarinas, enlatados e papinhas de bebê serão comercializados sem identificação sobre a presença de transgênicos, o que contraria expressamente o artigo 6º do CDC (Código de Defesa do Consumidor), que determina o direito legal à informação clara e adequada sobre o que é comprado e consumido no Brasil, incluindo as informações sobre seus componentes e potenciais riscos à saúde.

    Liberar o “PL Heinze” significa, entre outras coisas, autorizar que tanto o mercado como a cadeia produtiva de alimentos no Brasil seja exposta à contaminação transgênica sem conhecimento do consumidor final. A informação presente hoje na rotulagem de alimentos, e que possibilita o direito do consumidor escolher o que consumir, pode ficar totalmente comprometida pela manobra que visa diluir a percepção dos consumidores sobre a presença de Organismos Geneticamente Modificados (OGMs) que está comprando.

    Sem saber se um produto é ou não transgênico, o consumidor pode ficar confuso com a ausência do tradicional símbolo de “Transgênicos” (um triângulo amarelo com a letra T na cor preta) ao qual já está acostumado, levando-o a acreditar que está comprando um produto livre de OGM.

    A introdução de transgênicos na natureza expõe a biodiversidade a riscos como a perda ou alteração do patrimônio genético e ao dramático aumento no uso de agrotóxicos. Além disso, ela torna a agricultura e os agricultores reféns de poucas empresas que detêm tecnologias de patentes e põe em risco a saúde de agricultores e consumidores.

    Diante desse perigo, o Idec reforça a sua Campanha permanente contra o fim da rotulagem de alimentos transgênicos. Até hoje já foram quase 25 mil mensagens enviadas por apoiadores para todos os deputados se posicionarem contrariamente a esse projeto de lei. O Idec seguirá em campanha na defesa do direito dos consumidores garantido por Lei.

    Entenda o caso:

    Em agosto de 2012, o Tribunal Regional Federal da Primeira Região, acolhendo o pedido da Ação Civil Pública proposta pelo Idec e pelo MPF, tornou exigível a rotulagem dos transgênicos independentemente do percentual e de qualquer outra condicionante, garantindo o direito à informação e à livre escolha estabelecidos no Código de Defesa do Consumidor.

    A ABIA – Associação Brasileira da Indústria de Alimentos e a União recorreram diretamente ao Supremo Tribunal Federal (Rcl 14.873 e Rcl 14.859) e conseguiram em uma medida liminar do Ministro Ricardo Lewandowski para suspender os efeitos da decisão do Tribunal Regional Federal até o julgamento final do recurso. Até hoje não houve decisão final do Min. Lewandowski, mesmo com o parecer da Procuradoria Geral da República pela improcedência dos recursos da ABIA e da União.

    No fim de 2013 o projeto de lei de 2008, de autoria do deputado Luiz Carlos Heinze, poderia ir à votação em caráter de urgência, a pedido do deputado Eduardo da Fonte (PP-PE). Felizmente, a ameaça não se confirmou.

    Dia 29 de abril de 2014, o PL voltou a pauta por conta de uma manobra parlamentar. Um outro projeto de lei, sobre a separação de produtos transgênicos em prateleiras de estabelecimentos comerciais (cópia de uma lei estadual de São Paulo) entrou em pauta e o PL Henize voltou para a ordem do dia, por estar ligado a ele. Graças a mobilização de organizações como o Idec, consumidores e consumidoras ele não foi votado novamente.

    Conheça a campanha do Idec para pressionar os deputados em relação ao caso.

     
  • 10 mar

    “Engajamento de stakeholders: uma abordagem prática na responsabilidade social da Porto Seguro” 

     
  • 3 mar

    Slow Food 

    “É inútil forçar os ritmos da vida. A arte de viver consiste em aprender a dar o devido tempo às coisas”.
    Carlo Petrini, fundador do Slow Food

    1525680_999777880050740_8965682275085379851_nConheci o movimento Slow Food na Itália o ano passado quando visitei a Rua Corso Como 40 está entre as ruas mais badaladas da cidade. Lá encontrei a Rede Eataly com sede em outros países fora da Itália e que hoje mantem um franqueado da sua rede na Cidade de Itú em São Paulo o restaurante Macorronaria Di Grano. A Macarronaria Di Grano segue  a estratégia Slow Food e seus princípios universais propostos por Carlo Petrini, fundador do Slow Food: alimentação orgânica, sem conservantes, preço acessível com ênfase na sustentabilidade. Incrível quando os sentidos e a sincronicidade da vida seguiram nessa direção e desaguaram nas  pesquisas que venho fazendo para a minha tese sobre Smart Cities. A força que o pensamento complexo opera em nossas vidas me fizeram enxergar  conexões onde aparentemente não existiriam.  Contudo, outro dia um colega perguntou: mas se o seu  estudo é sobre o impacto das tecnologias sustentáveis no estilo de vida contemporâneo que é Smart o que isso tem haver com o tema central da sua tese? Eu respondi: Tudo, porque o movimento Slow Food,ou seja,o movimento anti fast food clama por resgatarmos dentre outros o prazer pela alimentação e isso acontece bem diante dos nossos olhos só não enxerga quem não quer. Ao mesmo tempo que clamamos velocidade também queremos cultivar o tempo, a boa conversa, a boa alimentação e os prazeres de sentarmos à mesa com os amigos e familiares um fenômeno que pode ser compreendido diante da compreensão da complexidade que a vida requer. Inspirada na vida como ela é estou preparando um artigo que será apresentado durante o Congresso Brasileiro de Sociologia além de integrar as minhas aulas, e a tese. Para saber mais sobre Slow Food acesse:http://www.slowfoodbrasil.com/slowfood/o-movimento

     

     
c
Compor novo post
j
Próximo post/próximo comentário
k
Post anterior/comentário anterior
r
Responder
e
Editar
o
Mostrar/Ocultar Comentários
t
Ir para o Topo
l
Ir para o login
h
Mostrar / Esconder ajuda
shift + esc
Cancelar