Atualizações de abril 2013 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Teclas de atalho

  • 28 abr

    Artigo – Professor Edgar de Assis Carvalho – Cultura, Complexidade e Antropologia 

     
  • 27 abr

    Belo Monte documentário denuncia 

     Somos todos brasileiros!Comovente e necessário o documentário serve de alerta aos danos que já estão sendo causados em nosso povo e todos nos fazemos parte desse contexto!  Também somos indígenas!

     
  • 27 abr

    INTELI Cidades do Futuro 

    INTELI

     
  • 21 abr

    A ocupação em áreas de várzea e os desenvolvimento imobiliário 

    Fonte: Podcast Unesp
    José Xaides de Sampaio Alves, especialista em planejamento urbano e regional da Unesp em Bauru, acredita que o mercado imobiliário representa atualmente o maior risco para recursos hídricos das cidades brasileiras.

     
  • 18 abr

    Duratex divulga Relatório de Sustentabilidade 2012 

    Destaques
    Em 2012, foram certificados os sistemas de gestão ambiental ISO 14001 de cinco plantas da empresa – duas da Divisão Painéis (Uberaba e Agudos) e três da Divisão Deca (Louças Sul, Metais Jundiaí e Metais São Paulo). Além disso, a Companhia já está com as certificações do FSC (Forest Stewardship Councill®) desde a década de 90. No ano, a Duratex investiu R$ 27,9 milhões em Proteção Ambiental, valor 4% superior ao de 2011.
    Com base nos critérios definidos pela Comissão de Sustentabilidade em 2011, a Duratex estabeleceu metas para diversos aspectos ambientais. As unidades de Painéis, Louças e Metais devem reduzir o consumo de água, gerar efluentes e reduzir resíduos. As medidas visam reduzir em 1% o consumo de energia elétrica da empresa ainda esse ano.
    Aproximadamente 65% da energia utilizada pela empresa em 2012 foi gerada a partir de recursos naturais renováveis. Os 35% restantes foram divididos em uso de gás natural, óleo BPF, gasolina, diesel e GLP. Em 2012, a Duratex consumiu 11.235.688,15 GJ, uma redução de cerca de 3% em relação aos 11.549.235,75 GJ de 2011.
    O investimento social externo totalizou R$ 9,3 milhões, 121% superior a 2011. Foram mais de 13 projetos sociais que envolveram áreas do conhecimento como esporte, cultura, educação socioambiental e que estiveram presentes em várias unidades da empresa.
    No ano de 2012, a Duratex apresentou um valor de venda na ordem de R$ 8,2 bilhões e uma receita líquida de R$ 3.394,4 milhões, 14,3% a mais do que o resultado do ano anterior. A EBITDA somou R$ 1.021,4 milhões, com margem de 30,1%, e o lucro líquido foi de R$ 459,7 milhões. Para a expansão orgânica e aquisições estratégicas, foram destinados R$ 832 milhões, dos quais R$ 207,3 milhões para as compras da Metalúrgica Ipê Mipel e Tablemac, esta última situada na Colômbia.
    Houve, também, a aquisição da Thermosystem Indústria Eletro Eletrônica Ltda, por R$ 58 milhões, o que acrescentou ao portfólio Duratex o segmento de chuveiros eletrônicos e sistemas de aquecimento solar.
    Para 2013, a previsão de investimentos é de R$ 660 milhões. Vale destacar que a estratégia de expansão também demanda o investimento em pesquisa e desenvolvimento, que em 2012 foi de R$ 19,1 milhões.
    Acesse o relatório Anual e de Sustentabilidade de 20012 no site http://www.duratex.com.br/ri/
    Sobre a Duratex
    A Duratex S.A. é uma empresa brasileira, privada e de capital aberto, com controle compartilhado entre os conglomerados Itaúsa – Investimentos Itaú S.A e Companhia Ligna de Investimentos.
    Maior produtora de painéis de madeira industrializada, louças e metais sanitários do Hemisfério Sul, é líder no mercado brasileiro com as marcas Durafloor, Duratex, Deca e Hydra.
    A empresa tem sede em São Paulo e conta com cerca de 11 mil colaboradores, que atuam em 16 Unidades Industriais estrategicamente localizados nos estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Pernambuco, Paraíba, Santa Catarina e Rio de Janeiro, além de três fábricas de painéis na Colômbia, através de sua participação de 37% na Tablemac.
    A Duratex possui 230 mil hectares com florestas plantadas e áreas de conservação nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Foi a primeira empresa florestal da América Latina a receber a certificação FSC (Forest Stewardship Council®), em 1995. A Companhia tem suas ações listadas na carteira do Dow Jones Sustainability World Index – DJSWI (Índice Mundial de Sustentablidade Dow Jones) e do Índice de Sustentabilidade Empresarial da BM&FBovespa – ISE.
     
  • 17 abr

    InterCement investe em centro de pesquisa em construção sustentável da Poli-USP 

    Primeiro projeto do novo espaço da Escola Politécnica será para o  desenvolvimento de processo para produção de concreto ecoeficiente

     A InterCement, holding para os negócios de cimento do Grupo Camargo Corrêa,  patrocina um centro de pesquisa em construção sustentável na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), na Zona Oeste de São Paulo. Um prédio antigo do Departamento de Engenharia Civil será totalmente reformado para ganhar equipamentos de última geração. Na primeira etapa, o piso térreo, com 640 metros quadrados, será utilizado. O projeto executivo será concluído em maio pela InterCement e o centro de pesquisa entrará em atividade ainda em 2013.
    O projeto inovador de pesquisa com foco na indústria da construção civil foi planejado para comportar 30 professores, mestrandos e doutorandos e será coordenado pelos doutores em Engenharia Civil Vanderley John e Rafael Pileggi. Uma pesquisa pioneira na área de concreto ecoeficiente foi escolhida para estrear o novo equipamento de estudos da Poli. “A InterCement procura adotar soluções sustentáveis na cadeia de valor e para isso tem investido cada vez mais em projetos inovadores, como o do concreto ecoeficiente”, diz Adriano Nunes, diretor de Inovação e Sustentabilidade da InterCement.
    O produto já chegou a ser desenvolvido em ambiente controlado pela USP. O desafio, agora, é aplicar um processo produtivo em larga escala e de forma competitiva. O concreto ecoeficiente tem baixo impacto ambiental, com redução significativa de emissão de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera e consumo de energia. O produto deve apresentar ganho de desempenho do cimento na aplicação realizada pelo consumidor. .
    O método realiza de forma mais racional o controle, seleção e combinação das matérias-primas usadas para produzir o cimento, aumentando a qualidade e a maleabilidade do produto e permitindo substituir grande parte do material responsável pela emissão de CO2, podendo reduzir as emissões em até 40%. Segundo o professor John, a técnica desenvolvida na Poli amplia a produção sem investir em mais fornos e, consequentemente, aumentar o consumo de combustível e emissão de gases na operação.
    O cimento é o segundo produto mais consumido no mundo. A estimativa é de que mais de 2,5 bilhões de toneladas sejam produzidas por ano. O nível elevado de produção coloca o setor como um grande produtor de dióxido de carbono. Apesar disso, algumas iniciativas tem conseguido minimizar o impacto. A Fundação Getúlio Vargas concedeu a InterCement no ano passado, por exemplo, o Selo Ouro do Programa Brasileiro GHG Protocol pelo inventário de gases de efeito estufa. A taxa da empresa ficou em 531 kg CO2/tonelada, quando a média mundial entre as empresas do setor participantes do Cement Sustainability Initiative (CSI) é de 656 kg CO2 por tonelada.
    Investimento em pesquisa – A parceria com a Escola Politécnica da USP prevê desembolso de R$ 5 milhões pela InterCement nos próximos cinco anos. A universidade deverá ainda buscar recursos no âmbito de programas de apoio à inovação em nível federal e estadual para incrementar o orçamento do projeto. A parceria representa um dos maiores convênios já assinados pela Poli e o maior com dinheiro privado na área da construção civil.
    A InterCement tem investido com consistência em pesquisas que incentivam ideias inovadoras. A parceira firmada no início de 2013 com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), por exemplo, prevê desembolso de R$ 2, 5 milhões para produção de cimento à base de resíduos da construção civil. Trata-se de uma tecnologia inédita, que proporciona material de baixo  impacto ambiental – sem haver geração adicional de CO2.
    Mais informações para a imprensa:
    Francisco Itacarambi – (11) 5502-5461 – francisco@giusticom.com.br
    Maria Fernanda – (11) 5502-5451 – maria.fernanda@giusticom.com.br
    Assessoria de Imprensa da InterCement – Giusti Comunicação Integrada
     
  • 16 abr

    Relatório Anual Natura 2012: a caminho da comunicação integrada de resultados financeiros, sociais e ambientais 

    A Natura apresenta seu principal instrumento de comunicação de resultados à sociedade: o Relatório Anual 2012. Essa é a 13ª edição da publicação na versão G3.1 da Global Reporting Initiative (GRI) e a primeira alinhada às diretrizes do International Integrated Reporting Committee (IIRC), que serão lançadas no final do ano e procuram favorecer a análise conjunta do desempenho econômico, financeiro, social e ambiental. Todo o conteúdo foi auditado pela Ernst & Young Terco.
    Ainda mais conciso e objetivo, e com linguagem jornalística, o relatório inclui entrevistas com especialistas nacionais e internacionais. O relacionamento com os diversos stakeholders da Natura – colaboradores, consultoras e consultores, consultoras orientadoras (CNOs), consumidores, fornecedores, comunidades fornecedoras, comunidades do entorno, acionistas e governo – é detalhado no decorrer de todo o relato. Um estímulo ao engajamento e diálogo qualificado e transparente com todos os públicos.
    Neste ano, os temas prioritários de sustentabilidade foram privilegiados, ou seja, os tópicos da matriz de materialidade, resultado de um processo coconstrutivo que cruza os temas socioambientais mais relevantes para a Natura e seus stakeholders.
    Para reforçar o conceito de conectividade das informações, a empresa reformulou o site do Relatório Anual (http://www.natura.net/relatorio) e a nova versão dispõe de recursos como vídeos e links para outras publicações da Natura. Com proposta dinâmica, o site será atualizado ao longo do ano, transformando a comunicação de resultados em oportunidade de aprendizado contínuo. No mesmo endereço, é possível encontrar o arquivo completo do Relatório Anual para download, com o detalhamento dos mais de 100 indicadores que direcionam a performance da Natura.
    Pioneira em relato na América Latina, a Natura segue as diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI) desde 2000, antes mesmo da abertura de capital da empresa em 2004. Há 11 anos, publica os relatórios de sustentabilidade e o financeiro em um único documento. Para aprender mais sobre o tema, a empresa participa dos principais fóruns mundiais que discutem a questão. Alinhada a essas iniciativas, a Natura patrocina o desenvolvimento da quarta geração de indicadores GRI, cuja primeira versão tem lançamento previsto para maio deste ano.
    Sobre a Natura
    Fundada em 1969, a Natura é a maior fabricante brasileira de cosméticos e produtos de higiene e beleza e líder no setor de venda direta no Brasil, com uma receita líquida anual superior a R$ 6,3 bilhões.  A companhia conta com quase 7 mil colaboradores, que atuam nas operações do Brasil, Argentina, Chile, México, Peru, Colômbia e França. A paixão pelas relações fez a companhia adotar a venda direta como modelo de negócios e atualmente reúne mais de 1,573 milhão de consultoras, que disseminam a proposta de valor da empresa aos consumidores.
    A Natura acredita na inovação como um dos pilares para o alcance de um modelo de desenvolvimento sustentável. No ano passado, destinou R$ 158,9 milhões em inovação e lançou 104 itens. Este investimento fez com que a empresa atingisse um índice de inovação, percentual da receita proveniente de produtos lançados nos últimos dois anos, de 67,2%. Por conta da atuação consistente ao longo de anos num comportamento empresarial alinhado com a sustentabilidade, a Natura foi eleita, pelo segundo ano consecutivo, como a segunda empresa mais sustentável do mundo – e primeira do hemisfério sul – no ranking Global 100, da organização canadense Corporate Knights.
    Informações à imprensa

    Burson-Marsteller BrasilThaís Télis (11) 4446.3961 thais.telis@bm.com Aline Veríssimo | (11) 3094.2276 aline.verissimo@bm.com Cinthia Rodrigues | (11) 3040.2417 | cinthia.rodrigues@bm.com Gabriela Hopf | (11) 3094.2240 ramal 2435 gabriela.hopf@bm.com

     
  • 7 abr

    Recomendação de leitura – Polegarzinha, Michel Serres 


    Quem é a polegarzinha? “Mora na cidade,Admira a natureza apenas para lazer ou turismo,Sua expectativa de vida aumentou,Não tem mais o mesmo corpo,São formatados pela mídia,Por celular tem acesso a todas as pessoas,Pelo GPS tem acesso a todos os lugares, Não terão os mesmos trabalhos, A polegarzinha não lê nem quer ouvir o escrito recitado”.

    Polegarzinha é recomendado para pais, educadores, e profissionais que desejam compreender as influências das novas tecnologias nos espaços que não são mais os mesmos desde de a década de 70. Hoje, estamos conectados com novo saber, na ponta dos polegares instantaneamente e isso já faz parte de uma nova reconfiguração de espaço, tempo e modos de vida. Polegarzinha no feminino para remeter a posição da mulher na contemporaneidade. Compreender quem é a Polegarzinha faz parte do nosso entendimento cotidiano e diz muito sobre essa nova história que não tem conexão com nossos antepassados, mas que experimenta novas relações de sociabilidade jamais vividas pelas gerações anteriores a década de 70.
    Sobre o autor: Michel Serres é um filósofo francês. Escreveu entre outras obras “O terceiro instruído” e “O contrato natural”. Hominesciencia, Ramos. Atuou como professor visitante na USP. Desde 1990 ele ocupa a poltrona 18 da Academia francesa.
    Veja a participação do autor no programa Roda Viva  http://www.rodaviva.fapesp.br/materia/386/entre

     
  • 5 abr

    Respeito, ética e cidadania – sim nós acreditamos no poder de influência das marcas em nossas vidas – Parabéns Mercure 

     
  • 5 abr

    Comitê da Cultura de Paz: “I have a dream” – 50 anos de um discurso que mudo…: Na próxima terça-feira, dia 9 de abril, às 19h, o Comitê da Cultura de Paz realizará seu 103º fórum no Grande Auditório do MASP, dentro do…

     
c
Compor novo post
j
Próximo post/próximo comentário
k
Post anterior/comentário anterior
r
Responder
e
Editar
o
Mostrar/Ocultar Comentários
t
Ir para o Topo
l
Ir para o login
h
Mostrar / Esconder ajuda
shift + esc
Cancelar