Atualizações de novembro 2012 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Teclas de atalho

  • 26 nov

    Com tema água, Unilever apresenta TEDxVilaMadá 

    Gratuito, o evento trará grandes nomes para debater a importância da água no planeta. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas pela internet
    Com o tema Nosso Planeta Água, acontece, em 29 de novembro, mais uma edição do TEDxVilaMadá, realizado sob licença do TED, conferência mundial que desde 1984 transmite experiências e inspira projetos globais. O evento, oferecido por Pureit, marca de purificadores da Unilever, será o primeiro voltado exclusivamente para o tema água e reunirá profissionais e pensadores das mais diversas áreas, como saúde, meio-ambiente, educação, tecnologia, arte, consumo consciente, economia, entre outras, para falar sobre suas histórias, experiências e ideais relacionados ao assunto.
    “Estamos juntos neste projeto com o mesmo objetivo: abrir espaço para ideias que merecem ser espalhadas e que podem mudar a percepção da população com relação a esse tema. Queremos cada vez mais levantar a bandeira de que água limpa e segura é um direito de todos”, afirma Joana Fleury, diretora de marketing da marca. A entrada da companhia no mercado de águas está alinhada às premissas de seu plano de sustentabilidade, que prevê resultados significativos até 2020, entre eles a meta de tornar a água limpa e segura disponível a 500 milhões de pessoas no mundo e desenvolver produtos que tenham o menor impacto ambiental possível.
    Nomes como Clóvis Boufleur, Gestor de Relações Institucionais da Pastoral da Criança, Édson Carlos, presidente do Instituto Trata Brasil, Cesar Harada, inventor, ambientalista e empreendedor franco-japonês, Kaká Werá, escritor, ambientalista e conferencista brasileiro de origem indígena, Joelma Pereira, agricultora do sertão de Pernambuco e Andrée de Ridder Vieira, coordenadora geral do Instituto Supereco, estão na programação. Ao todo serão 12 palestras, com no máximo 18 minutos cada uma, além de intervenções artísticas.
    “A água é parte fundamental no nosso cotidiano e merece ser debatida com responsabilidade e criatividade”, diz Maurício Curi, organizador do TEDxVilaMadá. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas pelo site http://www.tedxvilamada.com.br.
    No espírito de disseminar ideias, o TEDx é um programa de eventos locais sem fins lucrativos, organizados de forma independente, que reúne pessoas para dividir uma experiência ao estilo TED. O TED surgiu como uma conferência anual na Califórnia e já teve entre seus palestrantes Bill Clinton, Paul Simon, Bill Gates, Bono Vox, Al Gore, Michelle Obama e Philippe Starck. Cerca de 500 das palestras estão disponíveis no site do evento e já foram acessadas por mais de 50 milhões de pessoas de 150 países.
    Serviço:
    TEDxVilaMadá
    Data: 29/11, quinta-feira
    Horário: das 18 às 22 horas
    Local: Teatro da Vila – Escola Estadual Carlos Maximiliano – Rua Jericó, 256, Vila Madalena, São Paulo.
    Informações e inscrições: http://www.tedxvilamada.com.br.
    Sobre o TEDxVilaMadá:
    É um evento gratuito, aberto ao público em geral, realizado periodicamente desde 2009 sob licença do TED e organizado com o trabalho voluntário de e para pessoas apaixonadas. Em sua 18ª edição, o TEDxVilaMadá aborda sempre temas de impacto socioambiental. A seleta plateia é composta por pessoas com um perfil multiplicador, crítico e formador de opinião incluindo empreendedores, estudantes, executivos, jornalistas, entre outros, que se mantém conectadas, compartilhando e debatendo suas ideias na comunidade.
    Sobre Pureit:
    Sucesso de vendas na Índia, onde mais de quatro milhões de unidades já foram vendidas, Pureit traz ao Brasil um novo conceito em purificação de água. A Unilever anunciou sua entrada no mercado de água no Brasil em 2011 e o novo produto está alinhado às premissas de seu plano de sustentabilidade, que prevê resultados significativos até 2020, entre eles ajudar mais de um bilhão de pessoas a tomar iniciativas para melhorar sua saúde e bem-estar.
    Combinando alta tecnologia com preço acessível, Pureit remove 99,9% das bactérias, vírus e parasitas* da água, além de reduzir contaminantes como metais pesados e compostos farmacêuticos.
    * Microorganismos testados: Escherichia coli (bactéria), MS2 bacteriophage (vírus) e Cryptosporidium parvum oocyst (parasita).
     
  • 23 nov

    Recomendação de leitura 

    Redes Digitais e Sustentabilidade: as interações com o meio ambiente na era da informação, do professor Massimo di Felice, do Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo (CRP), em conjunto com os doutorandos Julliana Cutollo Torres e Leandro Key Higuchi Yanaze.O livro, produzido com o apoio do Centro de Pesquisa Atopos, trata da estreita relação entre os meios de comunicação, suas arquiteturas informativas e a forma com que o ser humano se relaciona ao meio ambiente.

    Existe uma estreita relação entre os meios de comunicação, suas arquiteturas informa tivas e a forma de nos relacionarmos com o meio ambiente. A passagem de uma estrutura comunicativa analógica frontal, baseada na separação entre emissor e receptor, para um modelo comunicativo re ticular e interativo, cria uma profunda transformação na nossa relação com o território, inaugurando uma nova condição habitativa. Nesta, realiza-se o advento de um novo contrato natural no qual a natureza e o meio ambiente deixam de ser paisagem externa, imagem frontal, para assumir as formas de uma arquitetura relacional informativa, nem externa nem interna. 

    A parti r desta perspectiva, evidencia-se como as redes digitais contribuem para a realização da passagem de um contrato social, baseado exclusivamente nas relações entre os atores humanos, para uma nova forma de contratualidade ecológico-comunicativa, reunindo os coletivos-atores, humanos e não-humanos, que constituem os componentes de uma inédita arquitetura social reticular, na qual a tecnologia, o meio ambiente e os humanos são os membros interagentes dos mesmos ecossistemas comunica vos. 


    Sumário sintetizado 


    As redes sociais da cibercultura pós-moderna

    Michel Maffesoli 


    Parte I: Epistemologias reticulares e ecossistemas informativos 

    As gêneses da perspectiva reticular

    A representação gráfica das redes sociais na internet

    As redes digitais como ecossistemas informativos 


    Parte II: Eco-network: a ação para a sustentabilidade nas redes digitais 

    A sustentabilidade e a crise da externalidade

    A pesquisa em contextos reticulares

    A pesquisa atópica para a sustentabilidade 

    Existe uma estreita relação entre os meios de comunicação, suas arquiteturas informa tivas e a forma de nos relacionarmos com o meio ambiente. A passagem de uma estrutura comunicati va analógica frontal, baseada na separação entre emissor e receptor, para um modelo comunicati vo re ticular e interati vo, cria uma profunda transformação na nossa relação com o território, inaugurando uma nova condição habitati va. Nesta, realiza-se o advento de um novo contrato natural no qual a natureza e o meio ambiente deixam de ser paisagem externa, imagem frontal, para assumir as formas de uma arquitetura relacional informati va, nem externa nem interna. 

    A parti r desta perspec tiva, evidencia-se como as redes digitais contribuem para a realização da passagem de um contrato social, baseado exclusivamente nas relações entre os atores humanos, para uma nova forma de contratualidade ecológico-comunica tiva, reunindo os cole tivos-atores, humanos e não-humanos, que cons tituem os componentes de uma inédita arquitetura social reti cular, na qual a tecnologia, o meio ambiente e os humanos são os membros interagentes dos mesmos ecossistemas comunica vos. 

    Sumário sintetizado 


    As redes sociais da cibercultura pós-moderna

    Michel Maffesoli 


    Parte I: Epistemologias reticulares e ecossistemas informativos 

    As gêneses da perspectiva reticular

    A representação gráfica das redes sociais na internet

    As redes digitais como ecossistemas informativos 


    Parte II: Eco-network: a ação para a sustentabilidade nas redes digitais 

    A sustentabilidade e a crise da externalidade

    A pesquisa em contextos reticulares

    A pesquisa atópica para a sustentabilidade 

    A parti r desta perspec tiva, evidencia-se como as redes digitais contribuem para a realização da passagem de um contrato social, baseado exclusivamente nas relações entre os atores humanos, para uma nova forma de contratualidade ecológico-comunica tiva, reunindo os cole tivos-atores, humanos e não-humanos, que cons tituem os componentes de uma inédita arquitetura social reti cular, na qual a tecnologia, o meio ambiente e os humanos são os membros interagentes dos mesmos ecossistemas comunica vos. 

    Sumário sintetizado 

    As redes sociais da cibercultura pós-moderna

    Michel Maffesoli 


    Parte I: Epistemologias reticulares e ecossistemas informativos 

    As gêneses da perspectiva reticular

    A representação gráfica das redes sociais na internet

    As redes digitais como ecossistemas informativos 


    Parte II: Eco-network: a ação para a sustentabilidade nas redes digitais 

    A sustentabilidade e a crise da externalidade

    A pesquisa em contextos reticulares

    A pesquisa atópica para a sustentabilidade 

    Sumário sintetizado 

    As redes sociais da cibercultura pós-moderna

    Michel Maffesoli 


    Parte I: Epistemologias reticulares e ecossistemas informativos 

    As gêneses da perspectiva reticular

    A representação gráfica das redes sociais na internet

    As redes digitais como ecossistemas informativos 


    Parte II: Eco-network: a ação para a sustentabilidade nas redes digitais 

    A sustentabilidade e a crise da externalidade

    A pesquisa em contextos reticulares

    A pesquisa atópica para a sustentabilidade 

    As redes sociais da cibercultura pós-moderna

    Michel Maffesoli 

    Parte I: Epistemologias reticulares e ecossistemas informativos 

    As gêneses da perspectiva reticular

    A representação gráfica das redes sociais na internet

    As redes digitais como ecossistemas informativos 


    Parte II: Eco-network: a ação para a sustentabilidade nas redes digitais 

    A sustentabilidade e a crise da externalidade

    A pesquisa em contextos reticulares

    A pesquisa atópica para a sustentabilidade 

    Parte I: Epistemologias reticulares e ecossistemas informativos 

    As gêneses da perspectiva reticular

    A representação gráfica das redes sociais na internet

    As redes digitais como ecossistemas informativos 

    Parte II: Eco-network: a ação para a sustentabilidade nas redes digitais 

    A sustentabilidade e a crise da externalidade

    A pesquisa em contextos reticulares

    A pesquisa atópica para a sustentabilidade 

    Parte II: Eco-network: a ação para a sustentabilidade nas redes digitais 

    A sustentabilidade e a crise da externalidade

    A pesquisa em contextos reticulares

    A pesquisa atópica para a sustentabilidade 


    Prefácio de Michel Maffesoli 

    Confira também a entrevista do Professor Massimo sobre Ecosofia!

     
  • 22 nov

    DIAGNÓSTICO: MARCA/PRODUTO SUSTENTÁVEL 

    Por – Profa. Vivian A. Blaso S. S. Cesar – Doutoranda e Mestre em Ciências Sociais, Especialista em Marketing e Sustentabilidade.

    Caros amigos selecionamos 05 etapas que poderão nortear os processos de diagnósticos de posicionamento de marcas e produtos sustentáveis: Situação da Marca no Mercado, Situação da Comunicação, Estratégia de Conteúdo por Produto, Sustentabilidade do Produto e Sustentabilidade da Empresa. 

    1 – SITUAÇÃO DA MARCA NO MERCADO
    Principais Oportunidades:
    Principais Ameaças:
    Principais Concorrentes:
    Equipe de vendas:
    Formas de distribuição do produto:
    Diferenciais:
    Principais clientes:
    Principais produtos:
    Preço:
    2 – SITUAÇÃO DA COMUNICAÇÃO
    Estratégias de Comunicação:
    () Material Promocional
    () Participação em Feiras e Eventos
    () Imprensa
    () Site
    () Email Marketing
    () Publicidade em revistas
    () Mídias Sociais
    Público alvo da comunicação:
    Principal mensagem a ser comunicada:
    Conteúdo a ser comunicado:
    3 – ESTRATÉGIA DE CONTEÚDO POR PRODUTO
    Público alvo da comunicação
    Benefício a ser comunicado
    Justificativa pra o benefício
    Concretude em relação aos benefícios comunicados
    4 – SUSTENTABILIDADE PRODUTO
    Características do Produto
    De que é feito
    Quem produz
    A embalagem é reutilizável/reciclável
    É possível no rótulo ter informações úteis à saúde sobre a composição, as características e as propriedades do produto?
    Qual é a vida útil do produto?
    Pode ser reparado ou reusado?
    O que acontece quando ele não é mais útil?
    De que maneira a empresa está se adequando para atender a nova política nacional de resíduos sólidos
    Como ele será eliminado?
    Atende as normas técnicas?
    Possui algum tipo de certificação ambiental?
    Preço
    O preço inclui garantia de reparo ou substituição?
    O preço reflete adequadamente o uso dos serviços ambientais?
    O preço é utilizado para incentivar o consumo excessivo do produto?
    Praça
    Onde o produto é fabricado?
    Como ele é transportado?
    É possível um transporte mais eficiente?
    A embalagem para o transporte é reutilizável ou reciclável?
    Onde e como o produto é vendido?
    Como o produto chega ao cliente final?
    Promoção
    Os atributos dos produtos são verdadeiros e honestos, ou exageram?
    Os distribuidores e revendedores são capazes de divulgar sustentabilidade para os próprios clientes?
    Que recursos são utilizados para comunicar os atributos dos produtos?
    Os produtos dizem algo sobre os valores da organização? O que ?
    Existe a oportunidade de usar os produtos para melhorar a reputação da organização?
    Estão sendo utilizados, na publicidade e na promoção dos produtos, links com a sustentabilidade da empresa? Quais?
    5. SUSTENTABILIDADE DA EMPRESA
    A empresa possui relatório de sustentabilidade ou responsabilidade social  ( ) Sim  ( ) Não
    A empresa possui licença ambiental para operar? ( ) Sim ( ) Não
    Os produtos atendem as normas técnicas e de qualidade setorial? ( ) Sim ( ) Não
    A empresa está constituída no cadastro nacional de pessoas jurídicas ( ) Sim  ( ) Não
    A empresa possui trabalho escravo ou infantil em alguma de suas plantas industriais?
    A empresa pratica propaganda verde enganosa?

    Além disso, a empresa deverá relatar os objetivos estratégicos destacando as necessidades de comunicação com cada parte interessada. A partir disso, os profissionais de comunicação e marketing conseguirão enxergar as necessidades de outras pesquisas e os métodos mais adequados para a estruturação de um plano de comunicação estratégico que vise o a comunicação sustentável. 
     
  • 16 nov

    PRODUTOS: FAÇA VALER SEUS DIREITOS NA HORA DA COMPRA E NO PÓS-VENDA! 

     
  • 13 nov

    Conhecimento Sustentável, Responsabilidade Global e Tendências Sustentáveis – Inscrições Abertas! 

     
  • 12 nov

    Comunicação, Cultura e Sustentabilidade 

    Autora: Profa. Msc. Vivian Ap. Blaso S.S. Cesar
    A partir dos movimentos globais pela sustentabilidade um novo ambiente regulatório vem se configurando e transformando a maneira das empresas de comunicar produtos e seus benefícios de maneira mais ética, com linguagem e discursos condizentes com suas práticas empresariais, priorizando a responsabilidade socioambiental. É nesse cenário que as empresas podem assumir o papel de agentes  da transformação social, pois influenciam e são influenciadas pelos seus consumidores. Sob este aspecto, podemos perceber que as empresas também têm um papel de influência para a transformação dos hábitos de consumo, pois interagem conforme as expectativas e desejos da sociedade, que hoje atribui ao consumo de bens e serviços um lugar relacionado à felicidade. Por outro lado, os consumidores de hoje já possuem informações e estão mais conscientes sobre seus direitos e deveres e vêm adotando posturas políticas, resgatando aspectos ligados à cidadania e apresentando tendências na busca por informações sobre a Saudabilidade, Sustentabilidade, Ética, Justiça Social, Bem-estar Animal, Origem e Formas de Produção de produtos e serviços, tanto na orientação no processo de escolha como na restrição ao próprio consumo.
    Segundo Daniel Miller (2010), o consumo pode ser definido como atividade que envolve tomar decisões políticas e morais praticamente todos os dias.
    Os resultados dessas novas tendências vêm impactando de maneira significativa a reputação das marcas das empresas, uma vez que os consumidores, hoje mais emponderados de informações e interconectados em redes, são codesenvolvedores de informações. Hoje os usuários das redes sociais são convocados a partilhar suas experiências, a emitir suas opiniões, e as empresas oferecem pagamento em dinheiro para que usuários desenvolvam recursos inovadores para melhorar seus negócios ou para influenciar seus amigos sobre determinadas marcas, produtos ou serviços. 
    È neste sentido que destacamos a comunicação como uma ferramenta estratégica para disseminação, consolidação e posicionamento de um novo valor social – “o valor  sustentável”. A comunicação é responsável  pela construção legítima de uma nova sociedade, uma sociedade de consumidores cada  vez mais políticos, que visam acima de tudo não só os seus interesses individuais mas os interesses coletivos. Estamos falando aqui de um resgate a cidadania, de uma politica voltada para a solidariedade que se faz necessária não apenas em tempos de crises  mas na perpetuação de uma transição politica que possa assegurar a sobrevivência do homem no planeta terra.
    A comunicação na sua essência é transversal aos processos de mudança ela comunica, orienta, direciona e consolida valores e práticas da sociedade e por isso, a comunicação pode mobilizar a sociedade” na formação dessa nova cultura, influenciando as pessoas a adotarem um estilo de vida urbano que aponte para a transição da sociedade do consumo para a sociedade do bem-estar pautada por padrões éticos e de solidariedade. 
    Agora cabe as empresas enxergarem além do seu papel social que é o de gerar emprego e renda está o papel de produtoras, coprodutoras de conteúdos que poderão mais do que nunca influenciar os  consumidores a adotarem posturas ecológicas e morais rumo a sociedade de bem estar.
     
  • 8 nov

    Instituto Cyrela promove o Dia da Ação Voluntária 

    Voluntários da incorporadora realizarão ações em benefício da comunidade em diversas capitais do Brasil


    O Instituto Cyrela promove no dia 10 de novembro o Dia da Ação Voluntária 2012. O evento, que já está no segundo ano, acontece em oito capitais brasileiras e consiste na organização e participação de colaboradores da companhia e acompanhantes em atividades em benefício da sociedade. Em 2011 a ação contou com 223 voluntários em quatro capitais: São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Salvador. Para esse ano quatro novas praças serão beneficiadas com o projeto, incluindo Curitiba, Recife, Belém e São Luis.
    Os colaboradores participam tanto na organização da ação como no dia do evento em atividades de obras, oficinas com a comunidade e como equipe de apoio. Em São Paulo, o comitê selecionou a escola Professor Emygdio de Barros, localizada no bairro do Butantã. As instituições serão beneficiadas com melhorias de infraestrutura e com a realização de atividades especiais voltadas para a comunidade, coordenadas pelos próprios voluntários, como oficina de artesanato, oficina de teatro, futebol freestyle, oficina de informática e orientação profissional com elaboração de currículo e workshop sobre como se comportar em entrevistas.
    O principal objetivo do Instituto Cyrela para este evento é reunir o maior número de voluntários possíveis para beneficiar as comunidades em cada uma destas grandes cidades brasileiras. Os voluntários se cadastram por meio da intranet da Cyrela e podem levar um acompanhante para ajudar a transformar a realidade de muitas pessoas. 
    Sobre o Instituto Cyrela
    No final de 2010, a Cyrela decidiu concentrar seus investimentos sociais externos em uma organização sem fins lucrativos, voltada exclusivamente para a gestão desses recursos. Assim nasceu o Instituto Cyrela (IC). O objetivo principal do Instituto é melhorar a qualidade vida dos operários da construção civil e de seus familiares e a forma escolhida para realiza-lo é através do investimento em educação.
    Os programas operados pelo Instituto Cyrela atuam na diminuição do analfabetismo nos canteiros de obra, na capacitação de profissionais para o mercado da construção civil e na educação das famílias dos operários visando o aumento da renda mensal familiar.
    Além dos programas próprios, o IC apoia diversos projetos operados por organizações sociais comprometidas com a educação, sempre com base no conceito do valor compartilhado, isto é, a capacidade de produzir simultaneamente benefícios relevantes para a sociedade e para a organização doadora.
    Os recursos para o Instituto são provenientes da Cyrela, com a destinação de 1% do lucro líquido da Companhia do exercício do ano anterior. 
    Sobre a Cyrela Brazil Realty
    A Cyrela Brazil Realty é uma das melhores incorporadoras do mercado imobiliário brasileiro. Em seus 50 anos de história, mais de 200 mil famílias optaram por morar ou investir em empreendimentos valorizados pelo alto padrão de engenharia, solidez e segurança da companhia. Por seus valores, realizações e trajetória inovadora, a Cyrela construiu um nome respeitado e tornou-se sinônimo de qualidade com 189 canteiros de obras em andamento em 67 cidades de 16 estados brasileiros e no Distrito Federal.
    Atualmente, emprega mais de 9.000 colaboradores diretos e investe constantemente em pessoas por meio da sua Universidade Corporativa e programas de responsabilidade social. Uma empresa que valoriza os bairros onde atua por meio de melhorias urbanas, cuida do meio-ambiente ao praticar ações sustentáveis em seus empreendimentos e que, acima de tudo, melhora a vida das pessoas.
    Esta é a Cyrela, uma companhia de credibilidade, solidez e realização de valor.
    Mais informações sobre a Cyrela Brazil Realty e seus produtos, acesse: http://www.s2publicom.com.br e http://www.cyrela.com.br
     
  • 8 nov

    Entrevista do Antropólogo – Rinaldo Arruda 

    “O Brasil é um país de muitos povos” – Confiram a entrevista do Antropólogo Rinaldo Arruda,   professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e  Coordenador o NEMA – Núcleo de Estudos de Etnologia Indígena, Meio Ambiente e Populações Tradicionais da PUC-SP.

     
  • 6 nov

    Fundo de Democracia das Nações Unidas convida sociedade civil para seleção de projetos 

    O Fundo de Democracia das Nações Unidas (UNDEF) convida organizações da sociedade civil a solicitar financiamento para projetos de promoção e apoio à democracia. As propostas podem ser enviadas online entre 15 de novembro de 2012 e 31 de dezembro de 2012 em http://www.un.org/democracyfund
    Você pode encontrar linhas de orientação, perguntas e respostas e as lições aprendidas de concursos anteriores emhttp://www.un.org/democracyfund/Applicants/applicants_index.html
    Todos aqueles que querem enviar candidaturas são fortemente encorajados a visitar esta página o mais rápido possível para se familiarizarem com os requisitos.
    Apenas candidaturas online em inglês ou francês serão aceitas.
    O UNDEF apoia projetos que fortaleçam a voz da sociedade civil, promovam os direitos humanos e incentivem a participação de todos os grupos nos processos democráticos. A grande maioria do financiamento do UNDEF vão para organizações da sociedade civil local – quer sociedades em fases de transição quer em fases de consolidação da democracia. Desta forma, o UNDEF desempenha um novo papel que complementa o trabalho mais tradicional da ONU – o trabalho com os governos – para fortalecer a governança democrática em todo o mundo.
    Esta é a sétima edição do UNDEF, que oferece subsídios de até 400 mil dólares por projeto.
    Até esta edição, o UNDEF já apoiou mais de 400 projetos em mais de 100 países, a um valor total de quase 140 milhões de dólares. As candidaturas estão sujeitas a um processo de seleção altamente rigoroso e com menos de 2% de todas as candidaturas aprovadas para financiamento. Os projetos têm a duração de dois anos e numa ou mais das seis áreas principais:
    o   Desenvolvimento comunitário;
    o   Estado de Direito e os direitos humanos;
    o   Ferramentas para a democratização;
    o   Mulheres;
    o   Juventude;
    o   Mídia.
    Para saber mais sobre o UNDEF, acesse http://www.un.org/democracyfund



     
  • 2 nov

    FIMAI – 06 a 08 de Novembro – Acompanhe pela Internet 

    ACOMPANHE A FEIRA INTERNACIONAL DO MEIO AMBIENTE!
    AO VIVO NA NET!

     
c
Compor novo post
j
Próximo post/próximo comentário
k
Post anterior/comentário anterior
r
Responder
e
Editar
o
Mostrar/Ocultar Comentários
t
Ir para o Topo
l
Ir para o login
h
Mostrar / Esconder ajuda
shift + esc
Cancelar