Atualizações de fevereiro 2012 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Teclas de atalho

  • 29 fev

    1ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental 

    Mostra será realizada de 15 a 22 de março, em três salas da capital, gratuitamente
    Serão exibidos mais de 40 filmes, divididos em seis eixos temáticos, além da realização de sete debates; quatro convidados internacionais estarão presentesEntre os títulos confirmados estão os inéditos no Brasil e multipremiados “If a tree falls: a story of the earth liberation front”, indicado ao Oscar® 2012, e “Crude” Cenas dos filmes: Waking the tree tigers
    A partir da segunda quinzena de março, São Paulo contará com uma importante e rica programação audiovisual que terá o meio ambiente como protagonista.
    A 1ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental conta com o patrocínio da AES Eletropaulo, Instituto Votorantim e White Martins, recebe o incentivo do ProAC (Programa de Ação Cultural) e Secretaria de Estado da Cultura, e quer chamar a atenção da população para o tema, além de promover encontros e discussões por meio da exibição de longas, médias e curtas, debates, homenagens e participação de convidados internacionais.
    “Falar de meio ambiente hoje não é apenas para os entendidos. Estamos falando de questões básicas, do dia a dia, de ações que fazemos e que impactam a vida de todos. Além disso, é importante observar como o cinema tem se preocupado com a questão já há bastante tempo, através de inúmeros registros e documentários sobre o assunto. A mostra exibirá obras realizadas a partir da década de 50, que farão parte de um panorama histórico” – coloca Chico Guariba, diretor e idealizador da Mostra e um dos responsáveis pela Ecofalante, organização não governamental que atua na área socioambiental.
    A programação da Mostra será guiada pelos seguintes eixos temáticos: Ativismo, Povos e Lugares, Consumo, Energia, Água e Mudanças Climáticas. Além deles, haverá ainda um Panorama Histórico, uma Mostra Infantil e um debate a partir de cada um desses assuntos. Com entrada gratuita, esses eventos pretendem reunir na mesma mesa especialistas e realizadores para um debate com o público. Conheça a programação completa, dividida por tema, com sinopse e premiações clicando aqui: http://focojornalistico.com.br/conteudo_aberto.php?conteudo=1051
    O diretor homenageado dessa primeira edição será Adrian Cowell, que realizou trabalho histórico de documentação da destruição da Floresta Amazônica. Nascido na China, em 1934, começou a filmar no Brasil ainda nos anos 50. Companheiro dos irmãos Villas Boas e do também sertanista Apoena Meirelles, fez uma série de filmes sobre a Amazônia, entre eles, A Década da Destruição, uma série de onze filmes, feita ao longo de dez anos, com a qual conquistou importantes prêmios, entre eles, o BAFTA (British Academy). Cowell estava às vésperas de mais uma viagem ao Brasil, em outubro do ano passado, quando faleceu.
    A programação, que será apresentada em três salas de cinema da capital (Cine Livraria Cultura, Cine Sabesp e MIS), exibirá mais de 40 filmes, entre longas, médias e curtas-metragens, ficção e documentário. Entre as obras selecionadas, há mais de uma dezena de filmes totalmente inéditos no Brasil, como o indicado ao Oscar® 2012 If a tree falls: a story of the earth liberatin front, de Marshall Curry e Sam Cullman (sobre Daniel McGowan, ativista preso em 2006 sob acusação de eco-terrorismo), o premiadíssimo There once was an island (sobre como uma pequena comunidade no Pacífico lida com mudanças climáticas, dirigido por Briar March, um dos convidados da mostra) e Food Inc. (sobre a indústria alimentícia norte-americana, dirigido por Robert Kenner).
    Cena do filme: If a Tree Falls
    Destacam-se ainda na programação À margem do Xingu: vozes não consideradas, de Damià Puig, sobre a polêmica de Belo Monte, Sertão progresso, de Cristian Cancino, que aborda a problemática transposição do Rio São Francisco, e Waking the green tiger, de Gary Marcuse, sobre o movimento contra a construção de barragens na China que desalojariam mais de 100 mil pessoas. Marcuse é um dos convidados internacionais com presença confirmada na 1ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental e participará de debate com o público. No panorama histórico estão programados alguns clássicos da cinematografia brasileira, como Iracema, uma transa amazônica (dirigido por Jorge Bodanzky e Orlando Senna), o multipremiado curta de Jorge Furtado, Ilha das Flores, e Brasília, Contradição de uma cidade nova, de Joaquim Pedro de Andrade, filme de 1967, além de obras internacionais como Os Catadores e Eu, de Agnés Varda. Sobre a EcofalanteA ECOFALANTE nasceu em 2003, da ação de um grupo de educadores, comunicadores, cineastas e profissionais de diversas áreas do conhecimento científico voltados para questões culturais e sócio-ambientais e para a utilização das novas e disponíveis tecnologias que contribuam para o desenvolvimento sustentável, a preservação e a recuperação do meio ambiente. A ONG realiza documentários como a série Histórias da Mata Atlântica (composta por três episódios: O Pontal do Paranapanema, Visita à Aldeia Guarani e O Vale dos Quilombos). Outros filmes representativos da Ecofalante são os relacionados à cultura japonesa, como Histórias da Imigração Japonesa.
    Serviço1ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental
    Realização da Mostra: de 15 a 22 de março de 2012
    Produção: EcofalanteSalas de exibição: Cine Livraria Cultura (Av. Paulista, 2073), Cine Sabesp (R. Fradique Coutinho, 361) e MIS (Av. Europa, 158).
    Entrada gratuita.Atendimento à Imprensa – Foco Jornalísticohttp://www.focojornalistico.com.br/ / (11) 3023.3940 / 5814
    Regina Cintra – regina@focojornalistico.com.br / (11) 9169.2312

     
  • 28 fev

    Pavilhão Brasil no Fórum Mundial da Água terá espaço dedicado à Rio+20 

    Este ano, o Brasil terá sua maior participação na história do Fórum. País é candidato a sediar o encontro em 2018

    Com uma delegação de aproximadamente 250 pessoas, de 50 instituições ligadas à temática da água, o Brasil vai à cidade francesa de Marselha, entre 12 e 17 de março, para sua maior participação numa edição do Fórum Mundial da Água. Esta mobilização é resultado de 18 meses de preparativos, uma vez que o Brasil também sediará em junho a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) e a Assembleia da Rede Internacional de Organismos e Bacias (RIOB) em 2013. O País também é candidato a sediar o Fórum Mundial da Água de 2018.

    A Seção Brasil, responsável pela organização da participação mais expressiva do País, organizou o Pavilhão Brasil, com 345m², auditório de 50m² com capacidade para reunir até 70 pessoas, quatro estandes de 10m², Media Center e espaço dedicado à Rio+20. O Pavilhão Brasil é organizado pelas instituições brasileiras que vão participar do Fórum, cujo objetivo é aumentar a importância da água na agenda política dos governos, aprofundar discussões, trocar experiências para os atuais desafios e formular propostas concretas de soluções.

    O Pavilhão Brasil terá um espaço dedicado à Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20). O objetivo é divulgar o encontro, que acontecerá no Rio de Janeiro, entre 20 e 22 de junho, e recolher contribuições sobre os desafios em torno da água, um dos temas da Rio+20.

    As instituições responsáveis pelo Pavilhão farão 30 reuniões de trabalho, sessões técnicas e outras ações relacionadas ao Fórum para difundir e compartilhar experiências com instituições de vários países e identificar oportunidades de parcerias.

    A viabilização do Pavilhão Brasil é uma iniciativa da Seção Brasil do Conselho Mundial da Água, importante espaço de discussão internacional das questões ligadas a recursos hídricos, que reúne as instituições brasileiras e contará com a presença de países latino-americanos.

    Toda a concepção do Pavilhão adota o conceito ambiental sustentável, com material certificado, distribuição de documentos digitais (no-paper) por meio de estações multimídias, com tela sensível ao toque para seleção e gravação de arquivos digitais.

    O Fórum

    Organizado pelo Conselho Mundial da Água (WWC – World Water Council) e o país anfitrião, o Fórum Mundial da Água ocorre a cada três anos, sempre no mês de março, quando no dia 22 celebra-se o Dia Mundial da Água. O tema escolhido para esta edição é “Tempo para Soluções”. As edições anteriores ocorreram no Marrocos (1997), Holanda (2000), Japão (2003), México (2006) e Turquia (2009). O próximo Fórum está confirmado para Daegu, Coreia do Sul, em 2015.

    Mais informações

    Data: 12 a 17 de março de 2012
    Local: Marselha – França
    Site Oficial: http://www.worldwaterforum6.org
    Credenciamento de Imprensa: http://www.worldwaterforum6.org/en/press/media-form/?id=237
    Inscrição: http://www.worldwaterforum6.org/en/registration/

    Contato de Imprensa Fórum Mundial da Água:
    Aurore Sun: +33 (0) 4 95 09 01 45 / +33 (0) 6 19 80 42 67 a.sun@worldwaterforum6.org; press@worldwaterforum6.org
    Contato de Imprensa na Agência Nacional de Águas (ANA):
    Cláudia Dianni e Raylton Alves: + 55 61 2109 5103/ 55 61 9138 4898 / imprensa@ana.gov.br

    Instituições brasileiras da Seção Brasil do Conselho Mundial da Água

    Agência Nacional de Águas – http://www.ana.gov.br
    Associação Brasileira de Águas Subterrêneas – http://www.abas.or.br
    Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústria de Base – http://www.abdib.org.br
    Associação Brasileira de Recurso Hídricos – http://www.abrh.org.br
    Agência Reguladora de Águas e Saneamento do Distrito Federal – http://www.adasa.df.gov.br
    AES Brasil – http://WWW.aesbrasil.com.br
    Associação Pró-Gestão das Águas da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul – http://www.ceivap.org.br
    Agência Goiâna de Regulação, Controle e Fiscalização – http://www.agr.go.gov.br
    Associação de Engenharia Sanitátia e Ambiental – http://www.aidis.org.br
    Associação Brasileira dos Fabricantes de Materiais para Saneamento – http://www.asfamas.org.br
    Fundação Banco do Brasil – http://www.fbb.org.br
    Conselho Empresarial Brasileiros para o Desenvolvimento Sustentável – http://www.cebds.org
    Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil- http://www.cna.org.br
    Confederação Nacional da Indústria – http://www.cni.org.br
    Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba – http://www.codevasf.gov.br
    Consórcio Intermunicipal das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí – http://www.água.org.br
    Serviço Geológico do Brasil – http://www.cprm.gov.br
    Departamento de Água e Energia Elétrica do Estado de São Paulo – http://www.daee.sp.gov.br
    Departamento Nacional de Obras contra as Secas – http://www.dnocs.gov.br
    Escola Politécnica da Universidade de São Paulo – http://www.poli.usp.br
    Foz do Brasil – http://www.fozdobrasil.com.br
    Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura – http://www.iica.org.br
    Instituto Ipanema – http://www.institutoIpanema.net
    Itaipu Binacional – http://www.itaipu.gov.br
    Ministério das Cidades – http://www.cidades.gov.br
    Ministério das Integração Nacional – http://www.integração.gov.br
    Neoenergia S/A – http://www.neoenergia.com
    Norte Energia S/A – http://www.norteenergiasa.com.br
    Odebrecht Energia – http://www.odebrecht.com
    Petróleo Brasileiro S/A – http://www.petrobras.com.br
    Rede Basileira de Organismos de Bacia – http://www.rebob.org.br
    Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo – http://www.sabesp.com.br
    Santo Antonio Energia – http://www.santoantonioenergia.com.br
    Secretaria de Recursos Hídricos do Estado do Rio Grande do Norte – http://www.semarh.rn.gov.br
    Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo – http://www.sma.sp.gov.br
    TDA Brasil – http://www.tda.com.br

     
  • 26 fev

    Recomendação de Leitura: Economia Criativa por Ana Carla Fonseca Reis 

     
  • 24 fev

    Os 50 + Importantes Livros em Sustentabilidade 


    O livro, agora traduzido para o Português trará sinopse e principais ideias dos livros mais importantes relacionados ao tema de acordo com 3.000 líderes e ex-alunos do Programa de Sustentabilidade da Universidade de Cambridge. Contemplará, também, entrevistas e biografias de autores, todos referências mundiais, tais como Aldo Leopold, Rachel Carson, Joseph Stiglitz, Herman Daly, Jeffrey Sachs, Buckminster Fuller e E.F. Schumacher, John Elkington.

    Canibais com Garfo e Faca, por John Elkington

    Idéias Chave

    A agenda da sustentabilidade incorpora um resultado final tríplice, focado na prosperidade econômica, na qualidade ambiental e na justiça social.
    Os negócios cada vez mais impulsionarão a agenda sustentável, na maioria dos casos em resposta a experiências dolorosas, mas também porque cada vez mais vislumbram oportunidades comerciais.
    O sucesso em um ou dois aspectos do tripé não basta para garantir sustentabilidade no longo prazo; há que se ter uma abordagem equilibrada.

    Engajamento dos atores chave como decisivo para garantir que as empresas detectem potenciais riscos e oportunidades sociais, econômicas e ambientais.

    O livro Os 50 mais importantes livros em sustentabilidade é uma excelente ferramenta para professores, consultores e gestores de empresas na abordagem da sustentabilidade.A comercialização será realizada pela Editora Peirópoles http://www.editorapeiropolis.com.br/ em todo territorio nacional.

    A publicação é uma iniciativa do Instituto Jatobás e conta com o patrocínio da Braskem e

    Co patrocinio da WWF Brasil e Unip – Universidade Paulista.

    Acesse o link e confira o video depoimento do Professor Doutor João Salvador Furtado, conselheiro do Instituto Jatobás sobre o livro http://youtu.be/r-deNwno-yU
     
  • 23 fev

    A grande contradição brasileira 

    Por Leonardo Boff
    Mais e mais cresce a convicção, inclusive entre os economistas seja do stablisment seja da linha neokeynesiana, de que nos acercamos perigosamente dos limites físicos da Terra. Mesmo utilizando novas tecnologias, dificilmente poderemos levar avante o projeto do crescimento sem limites. A Terra não aguenta mais e somos forçados a trocar de rumo.
    Economistas como Ladislau Dowbor entre nós, Ignacy Sachs, Joan Alier, Herman Daly, Tim Jack e Peter Victor e bem antes Georgescu-Roegen incorporam organicamente o momento ecológico no processo produtivo. Especialmente o inglês T. Jack se celebrizou pelo livro “Prosperidade sem crescimento”(2009) e o canadense P. Victor pelo “Managing sem crescimento”(2008). Ambos mostraram que o aumento da dívida para financiar o consumo privado e público (é o caso atual nos países ricos), exigindo mais energia e uso maior de bens e serviços naturais não é de modo algum sustentável.
    Os Prêmios Nobel como P. Krugman e J. Stiglitz, porque não incluem explicitamente em suas análises os limites da Terra, caem na armadilha de propor como saída para a crise atual um maior gasto público no pressuposto de que este produzirá crescimento econômico e maior consumo com os quais se pagarão mais à frente as astronômicas dívidas privadas e públicas. Já dissemos à saciedade, que um planeta finito não suporta um projeto desta natureza que pressupõe a infinitude dos bens e serviços. Esse dado já é assegurado.
    O que Jack e Victor propõem é uma “prosperidade sem crescimento”. Nos países desenvolvidos o crescimento atingido já é suficiente para permitir o desabrochar das potencialidades humanas, nos limites possíveis do planeta. Então chega de crescimento. O que se pode pretender é a “prosperidade” que significa mais qualidade de vida, de educação, de saúde, de cultura ecológica, de espiritualidade etc. Essa solução é racional mas pode provocar grande desemprego, problema que eles resolvem mal, apelando para uma renda universal básica e uma diminuição de horas de trabalho. Não haverá nenhuma solução sem um prévio acerto de como vamos nos relacionar com a Terra, amigavelmente, e definir os padrões de consumo para que todos tenham o suficiente e o decente.
    Para os países pobres e emergentes se inverte a equação. Precisa-se de “crescimento com prosperidade”. O crescimento é necessário para atender as demandas mínimas dos que estão na pobreza, na miséria e na exclusão social. É uma questão de justiça: assegurar a quantidade de bens e serviços indispensáveis. Mas simultaneamente deve-se visar a prosperidade que tem a ver com a qualidade do crescimento. Há o risco real de que sejam vítimas da lógica do sistema que incita a consumir mais e mais, especialmente bens supérfluos. Então acabam agravando os limites da Terra, coisa que se quer exatamente evitar. Estamos em face de um angustiante círculo vicioso que não sabemos como fazê-lo virtuoso sem prejudicar a sustentabilidade da Terra viva.
    A contradição vivida pelo Brasil é esta: urge crescer para realizar o que o governo petista fez: garantir os mínimos para que milhões pudessem comer e, por políticas sociais, serem inseridos na sociedade. Para as classes já atendidas, precisa-se cobrar menos crescimento e mais prosperidade: melhorar a qualidade do bem viver, da educação, das relações sociais menos desiguais e mais solidariedade a partir dos últimos. Mas quem vai convencê-los se são violentamente cooptados pela propaganda que os incita ao consumo? Ocorre que até agora os governos apenas fizeram políticas distributivas: repartiram desigualmente os recursos públicos. Primeiro garantem-se 140 bilhões de reais para o sistema financeiro a fim de pagar a dívida pública, depois para os grandes projetos e somente cerca de 60 bilhões para as imensas maiorias que só agora estão ascendendo. Todos ganham, mas de forma desigual. Tratar de forma desigual a iguais é grande injustiça. Nunca houve políticas redistributivas: tirar dos ricos (por meios legais) e repassar aos que mais precisam. Haveria equidade.
    O mais grave é que com a obsessão do crescimento estamos minando a vitalidade da Terra. Precisamos de um crescimento mas com uma nova consciência ecológica que nos liberte da escravidão do produtivismo e do consumismo. Esse é o grande desafio para enfrentar a incômoda contradição brasileira.
    Leonardo Boff é teólogo e professor emérito de ética da UERJ.
     
  • 22 fev

    Brasil será sede do Dia Mundial do Meio Ambiente de 2012 

    O anúncio oficial foi feito pelo Diretor Executivo do PNUMA e pela Ministra do Meio Ambiente do Brasil durante coletiva de imprensa realizada na sede do PNUMA em Nairóbi

    Nairóbi (Quênia), 22 de fevereiro de 2012 – O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) anunciou hoje que o Brasil, dono de uma das economias que crescem mais rápido no mundo, será a sede das celebrações globais do Dia Mundial do Meio Ambiente (WED, na sigla em inglês), comemorado anualmente no dia 5 de junho.

    O tema deste ano: “Economia Verde: Ela te inclui?” convida o mundo a avaliar onde a Economia Verde está no dia-a-dia de cada um e estimar se o desenvolvimento, pelo caminho da Economia Verde, abrange os resultados sociais, econômicos e ambientais necessários em um mundo de 7 bilhões de pessoas, que deve chegar a 9 bilhões de pessoas em 2050.

    O Brasil foi sede do WED em 1992, durante a Cúpula da Terra, quando chefes de Estado, líderes mundiais, oficiais de governo e organizações internacionais se encontraram para reorientar, recalibrar e traçar um caminho rumo ao desenvolvimento sustentável.

    “Ao celebrar o WED no Brasil em 2012, estamos voltando às raízes do desenvolvimento sustentável contemporâneo para criar um novo caminho que reflita as realidades, mas também as oportunidades do novo século”, declarou Achim Steiner, Subsecretário Geral da ONU e Diretor Executivo do PNUMA.

    “Três semanas após o WED, o Brasil recebrá a Rio+20, onde líderes mundiais e nações se reencontrarão para desenhar um futuro que faça do desenvolvimento sustentável uma prática bem-sucedida – um futuro que pode fazer crescer economias e gerar trabalhos decentes sem pressionar os limites do planeta”, adicionou.

    O Brasil tem o quinto maior território do mundo, com quase 8,5 milhões de Km2 onde vivem mais de 200 milhões de pessoas, o que o torna o quinto país mais populoso do mundo.

    Em anos recentes, o Brasil deu grandes passos para resolver problemas como o desmatamento da Amazônia por meio do monitoramento da região.

    Estimativas mostram que o Brasil alcançou uma redução significativa de gases causadores de efeito estufa como resultado da redução das taxas de desmatamento.

    Segundo o relatório do PNUMA chamado Economia Verde: Caminhos para o Desenvolvimento Sustentável e a Erradicação da Pobreza, o Brasil tem tido uma posição de destaque na construção de uma economia que inclui a reciclagem, a energia renovável e a geração de empregos verdes.

    A indústria de reciclagem do Brasil gera um retorno de dois bilhões de dólares, ao passo que reduz as emissões de gases de efeito estufa em dez milhões de toneladas.

    Só no Brasil, na China e nos Estados Unidos, a reciclagem, em todas as suas formas, já emprega doze milhões de pessoas.

    O Brasil é também líder na produção sustentável de etanol como combustível de veículos e está se expandindo em outras formas de energia renovável como a eólica e solar.

    Recentemente, a construção de 500.000 novas casas com instalações de paineis solares no Brasil gerou 300 mil novos empregos.

    “Nós estamos muito felizes por sediar as celebrações globais pelo meio ambiente. O Dia Mundial do Meio Ambiente no Brasil será uma grande oportunidade para apresentar os aspectos ambientais do Desenvolvimento Sustentável nas semanas que antecedem a Conferência Rio+20”, declarou a Ministra do Meio Ambiente do Brasil, Izabella Teixeira, que esta semana está participando da Sessão Especial do Conselho Administrativo do PNUMA em Nairóbi, Quênia.

    “A história do Brasil, com a complexidade de sua economia diversa e dinâmica, a sua riqueza de recursos naturais e seu atual papel nas relações internacionais, oferece uma perspectiva única por meio da qual um resultado amplo e transformador se tornará possível na Rio+20”, adicionou Achim Steiner. “O forte comprometimento do Brasil com a equidade social e seu papel de destaque entre economias desenvolvidas e em desenvolvimento, pode guiar e moldar debates”.

    “O conceito contemporâneo de desenvolvimento sustentável nasceu no Brasil e podemos considerar que o potencial que esse modelo apresenta para responder a desafios e oportunidades futuras será definido no Brasil daqui a quatro meses”, completou Steiner.

    As celebrações do WED no Brasil, na semana do dia 5 de junho, é parte de milhares de eventos que acontecem no mundo todo. O WED 2012 vai enfatizar o modo como ações individuais podem ter um impacto exponencial, com uma variedade de atividades que vão desde uma maratona até mutirões de limpeza, competições entre blogueiros, exibições, seminários, campanhas nacionais e internacionais e muito mais.

    A Kia Motors, a segunda maior produtora de carros da República da Coreia, doou cinco veículos ao PNUMA em resposta ao tema do WED 2012 – Economia Verde: Ela te inclui? –, marcando o comprometimento da Kia com a sustentabilidade ambiental.

    Os carros incluem o Kia Rios e um Kia Optima Híbrido 2012, escolhidos pela comprovada eficiência de combustível.

    “Ao participar de parcerias ambientais como esta com o PNUMA, temos o objetivo de apoiar esforços para solucionar os desafios ambientais globais”, disse Soon-Nam Lee, Diretor de Marketing Exterior da Kia Motors. “O tema deste ano ressoa os objetivos principais da nossa gerência ambiental de alcançar menores emissões de carbono e eficiência de recursos e colocar o meio ambiente à frente de todas as nossas atividades corporativas”.

    Achim Steiner aproveitou a oportunidade para agradecer ao apoio da Kia e infomou que o PNUMA e a Kia lançarão uma competição mundial em que organizações e grupos de todos os setores da sociedade poderão ganhar um dos veículos.

    O PNUMA anunciará maiores detalhes sobre a competição no próximo mês no site oficial.

    Nota aos Editores

    Dia Mundial do Meio Ambiente – WED 2012
    Este ano, o PNUMA almeja promover a maior celebração do Dia Mundial do Meio Ambiente da história, quebrando o record do ano passado, quando 112 países registraram mais de quatro mil atividades no site do WED.
    O novo site do WED vai inspirar, informar e envolver as pessoas por meio de sua interatividade, dicas diárias, material informativo e estatísticas sobre Economia Verde. O site, que já está disponível em inglês e terá sua versão em português em breve, também oferece uma plataforma pela qual pessoas do mundo todo podem registrar suas atividades e campanhas. http://www.unep.org/WED

    Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável – Rio+20

    Em 1992, foi realizada, no Rio de Janeiro, a histórica Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, conhecida popularmente como Cúpula da Terra. Em junho deste ano, também no Rio de Janeiro, um novo encontro reunirá países para discutir os progressos dos últimos 20 anos e futuros desafios a serem enfrentados pelo planeta: a Rio+20.

    Site do WED: http://www.unep.org/wed

    Site da 12a Sessão Especial do Conselho Administrativo do PNUMA: http://www.unep.org/GC

    Detalhes sobre o aniversário de 40 anos do PNUMA: http://www.unep.org/40thanniversary

    Relatório Economia Verde: http://www.unep.org/greeneconomy

    Em português:
    http://www.pnuma.org.br/
    http://www.twitter.com/PNUMABrasil
    http://www.facebook.com/PNUMABrasil

    Para maiores informações, favor contatar:

    Nick Nuttall, Porta-Voz e Diretor de Comunicação do PNUMA
    Tel: +254 7623084 / Cel: +254 (0)733632755
    E-mail: nick.nuttall@unep.org

    Em português:
    Amanda Talamonte, Assessora de Comunicação do PNUMA Brasil
    Tel: +55 61 3038 9237/ Cel: +55 61 81752751
    E-mail: comunicacao@pnuma.org

     
  • 17 fev

    Novos Rumos para a Economia Verde 

     
  • 17 fev

    Meu Mundo Sustentável 2 por André Trigueiro 

    ‘Desejo que o livro acelere o processo’, diz André Trigueiro
    “O livro na verdade procura, a quatro meses da mais importante conferência de sustentabilidade do ano, oferecer subsídios para a compreensão do problema e a busca de soluções”, definiu o autor que não duvida da mudança, mas afirma que precisamos “saber se haverá tempo”.

     
  • 17 fev

    Palestra sobre Economia Verde e Lançamento do livro Os 50 mais importantes livros em sustentabilidade 

    O Instituto Jatobás, dando sequência à campanha O que é Sustentabilidade?, promoverá no dia 12 de março um encontro para lançamento do livro Os 50 mais importantes livros em sustentabilidade tradução de The Top 50 Sustainability books, de Wayne Visser e Universidade de Cambridge com palestra e debate sobre Economia Verde no contexto da Rio+20.
    Horário: 9h ás 12h Local do evento: Fundação Getúlio Vargas – FGV, Salão Nobre – Avenida Nove de Julho, 2029, Bela Vista, São Paulo
    Informações: (11) 2501 4064 (11) 4108 4064 Cadastre-se gratuitamente e participe do evento
    http://conversasustentavel.com.br/?page_id=2865

     
  • 15 fev

    Alunos de escola municipal da Zona Sul vão aprender como fazer uso racional da Energia dentro do projeto Rio Cidade Sustentável 

    Iniciativa organizada pelo Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) em parceria com as empresas Furnas/Eletrobrás, Goodyear e Itaú

    Quase 300 alunos da Escola Municipal Santo Tomas de Aquino, no Leme, zona sul carioca, participam nesta quarta-feira (15/02) de oficinas sobre o tema Energia, que compõe o projeto Rio Cidade Sustentável, realizado pelo Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) com a colaboração do Governo do Estado e da Prefeitura do Rio de Janeiro. Essa frente, denominada “Sustentabilidade nas Escolas e nos Lares”, tem o apoio das empresas Furnas/Eletrobrás, Goodyear e Itaú e tem como objetivo disseminar o conceito da sustentabilidade entre alunos e professores, para torná-los replicadores do assunto. A escola Santo Tomas de Aquino foi escolhida porque 70% de seus alunos são moradores das comunidades da Babilônia e do Chapéu Mangueira, onde o projeto Rio Cidade Sustentável acontece.

    Em um primeiro momento das oficinas, através de atividades lúdicas como jogos, filmes e histórias, crianças de 6 a 12 anos aprenderão o que é energia, suas fontes, importância e vão receber dicas de conservação. Alunos mais velhos, de até 15 anos, participam de uma demonstração de como funciona o sistema elétrico, desde a geração até a distribuição, com o apoio de maquetes e filmes. É importante lembrar que com o crescimento de economias emergentes, cada vez mais pessoas estão inseridas no mercado de consumo e, consequentemente demandando energia. Por isso, o trabalho de conscientização de crianças e jovens para a utilização racional deste bem é fundamental. A frente contará ainda com atividades voltadas para temas como Água, Floresta, Lixo/Reciclagem, Geologia, entre outras. As ações estão programadas para acontecer até dezembro deste ano.

    Rio Cidade Sustentável

    Além da Frente Sustentabilidade nas Escolas e nos Lares, outras seis iniciativas integram o projeto Rio Cidade Sustentável. São elas: Melhoria Habitacional Sustentável, Infraestrutura Urbana Verde, Agricultura Urbana Orgânica, Turismo Comunitário, Sustentabilidade nas Escolas e nos Lares, Gestão Comunitária de Resíduos Sólidos e Desenvolvimento de Empreendedores Locais.

    O Rio Cidade Sustentável é um projeto de infraestrutura urbana e transformação social com foco em sustentabilidade. O projeto articula poder público, empresas e moradores para melhorar a qualidade de vida das comunidades. As ações do Rio Cidade Sustentável foram definidas em conjunto com os moradores das comunidades da Babilônia e do Chapéu Mangueira, localizadas na Zona Sul carioca, considerando as necessidades apontadas por eles em pesquisa realizada pelo projeto. A linha de trabalho tem o foco na busca da independência das comunidades, com soluções que gerem o censo de propriedade, o desenvolvimento socioeconômico local e inserção das comunidades no contexto urbano.

    As empresas responsáveis pelas iniciativas do projeto são: Itaú e Bradesco; Phillips, Michelin e Votorantim; Goodyear, Souza Cruz, Vale, Even, Furnas/Eletrobras e Coca-Cola, com apoio do Sebrae e da Caixa Econômica Federal.

    Sobre o CEBDS

    O Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) é uma associação civil, sem fins lucrativos, que reúne os mais expressivos e maiores grupos empresariais brasileiros, com o fim de promover o desenvolvimento sustentável no País. Fundada em 1997, a organização tem mais de 70 empresas associadas. Além disso, é a representante no Brasil do World Business Council for Sustainable Development (WSBCD), que conta com mais de 60 conselhos nacionais e regionais ao redor de 30 países no mundo.

    In Press Porter Novelli

    Consultora de Comunicação: Mariana Brenner – mariana.brenner@inpresspni.com.br. Tel: (21) 3723-8126/ (21) 9939-0325

    Gerente de Atendimento: Renato Nassar – renato.nassar@inpresspni.com.br. Tel: (21) 3723-8110/

    Mariana Brenner
    In Press Porter Novelli Assessoria de Comunicação
    Tel.: 55 21 – 3723-8126
    mariana.brenner@inpresspni.com.br
    http://www.inpresspni.com.br
    Siga o nosso Twitter: @inpresspni

     
c
Compor novo post
j
Próximo post/próximo comentário
k
Post anterior/comentário anterior
r
Responder
e
Editar
o
Mostrar/Ocultar Comentários
t
Ir para o Topo
l
Ir para o login
h
Mostrar / Esconder ajuda
shift + esc
Cancelar