Atualizações de novembro 2010 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Teclas de atalho

  • 29 nov

    Livro Aquecimento Global em Cartuns 

    A proposta do livro “Aquecimento Global em cartuns” é dar um alerta para a vida, no qual os cartunistas terão o desafio de mostrar o risco que o planeta e a humanidade correm. Desta forma, os autores participantes são convidados a fazer um traçado sobre as consequências do aquecimento global, e assim, despertar a sociedade para a seriedade do problema.

    Os cartuns abordam a questão do aquecimento global com bom humor e bastante irreverência que visa expressar, através do humor gráfico, um alerta sobre a importância da preservação ambiental em nosso planeta.

    O cartunista Léo Valença desenvolveu o projeto do livro em parceria com o portal Brazil Cartoon, que realizou um processo de seleção de cartunistas, onde foram selecionados 25 trabalhos inscritos para a publicação.

    A coletânea visa criar um espaço de divulgação de novos talentos do humor gráfico e desenvolver uma reflexão sobre a questão do aquecimento global.

    Cada cartunista selecionado e autor participante da publicação contribui com um cartum que ele desenvolveu sobre o tema. Os autores participantes são: Léo Valença, Leite, Jottas, Da Costa, Jorge Barreto, Alex Larcher, J. Bosco, Waldez Duarte, Alan Souto Maior, José Alves Neto, Casso, Ferreth, Kampos, Lederly Mendonça, Jota A, Lex Franco, Gustavo Oliveira, Bira Dantas, Marcelo Rampazzo, Melo, Marcos Noel, Adriano Louzada, Moises Macedo, Max e Edra.

    O livro poderá ser comprado pelo site da editora POD no link abaixo:

    http://www.podeditora.com.br/produtos.asp?lang=pt_BR&tipo_busca=subcategoria&codigo_categoria=1&codigo_subcategoria=28

    A utilização do POD – Print On Demand, impressão sob demanda – é um recurso de alta tecnologia de preservação do planeta, disponível há alguns anos e de eficiência comprovada. O que vem a ser o POD?

    Mais do que um recurso tecnológico, em si, o POD é uma ferramenta de administração de recursos: ao invés de produzir estoques de livros impressos, estes são impressos à necessidade em que são requeridos. Dessa forma, evita-se desperdício financeiro e ambiental.

     
    • umnovomundo.org 23:33 em 30 de novembro de 2010 Link permanente | Faça login para responder

      Eu li sobre isso (até publiquei no meu blog)

      A ideia eh mto legal!
      Talvez usando o humor, as pessoas pensem mais né?!!

    • Rede Global 12:07 em 3 de dezembro de 2010 Link permanente | Faça login para responder

      Muito interessante! Não li o livro, mas devo dizer que a ação, em si, é admirável: levar informação sobre um assunto importante de forma acessível e, talvez, até lúdica.

      Também li por esses dias uma notícia interessante sobre sustentabilidade. Fizeram uma pesquisa na América Latina e a cidade considerada mais sustentável é uma brasileira. Veja a divulgação aqui: http://migre.me/2zqZY

      Abs e parabéns pelo blog!

      Suelen Trevizan.

  • 25 nov

    Supermercados vão reduzir em 40% o uso de sacolas plásticas até 2015 

    Meta faz parte do Plano Abras de Ação Sustentável e engloba diversas iniciativas voltadas ao incentivo do consumo consciente
    Dando continuidade à sua política de sustentabilidade e incentivo ao consumo consciente, a Associação Brasileira de Supermercados (Abras) anuncia a meta de reduzir em 40% o uso de sacolas plásticas nos supermercados de todo o país até 2015. O objetivo da entidade é atingir 30% de redução até 2013. A iniciativa faz parte do Plano Abras de Ação Sustentável, que engloba diversas ações setoriais, em consonância com a Política Nacional de Resíduos Sólidos, e que visam à promoção da sustentabilidade e do consumo consciente. Entre as ações do Plano, além daquelas específicas sobre sacolas, estão o desenvolvimento do Manual de Condutas do Setor e a intensificação da redução do uso de gases que causam o efeito estufa (HCFC).
    “O problema das sacolas plásticas faz parte de uma discussão mais ampla a respeito da própria relação entre sociedade e meio ambiente. A Abras se propõe a ser parte da solução deste problema e também ser multiplicadora do consumo consciente. Vamos fazer a nossa parte. No entanto, para que isso aconteça, é preciso que o Poder Público também faça a sua parte. Primeiro, criando uma lei federal única para disciplinar a utilização das sacolinhas – assim, impedindo a multiplicação de leis estaduais e municipais que vêm mais para confundir e impossibilitam qualquer aplicação prática. Segundo, criando ações efetivas para aprimorar a coleta seletiva e a reciclagem”, defende Sussumu Honda, presidente da Abras.
    Sobre o assunto, institucionalmente, a Associação Brasileira de Supermercados defende:
    • Redução do uso de sacolas plásticas, por meio do consumo consciente e do uso de sacolas retornáveis;
    • Eliminação da distribuição gratuita de sacolas plásticas ou de qualquer material, desde que não prejudique o consumidor e as relações de consumo/comércio;
    • Ampliação das ações de conscientização do consumidor para o uso correto das sacolas;
    • Criação de lei para eliminar a distribuição gratuita em nível federal;
    • Criação de ações do Poder Público para melhorar a coleta seletiva – evitando o usoa sacolinha no lixo.
    A entidade que engloba o setor supermercadista não apoia:
    • Leis municipais e estaduais que disciplinam a utilização de sacolas plásticas;
    • Imposição de um tipo de sacola, de uma só tecnologia, para ser utilizada em determinada localidade (sem a devida comprovação científica);
    • Eliminação das sacolas sem a devida conscientização do consumidor (seria um desserviço aos clientes).
    Para atingir o objetivo, a Abras vai promover diversas ações setoriais. Estão previstas a criação de um sistema de mensuração – por empresa – para acompanhar o cumprimento das metas de redução no uso das sacolas e a elaboração de um Manual de Ações de Boas Práticas no Ponto de Venda (PDV), para conscientização de funcionários e consumidores sobre os benefícios da diminuição. A ideia é contar com o apoio de entidades não-governamentais e alcançar a totalidade das empresas do setor supermercadista.
    Será criada também uma ampla Campanha Publicitária Abras, com outdoors, anúncios de encarte, cartazes no PDV etc., aberta para adesão voluntária das empresas. A Abras também vai premiar os cases de sucesso na redução do consumo de sacolas com o Prêmio Abras Sustentabilidade, além de divulgar, por meio dos cursos operacionais da Escola Nacional de Supermercados, as boas práticas no uso das sacolinhas em todas as 27 estaduais da entidade.
    “A sustentabilidade é um tema muito importante para os supermercados. Temos trabalhado nesse assunto com afinco. Desde 2007, a Abras vem realizando diversos fóruns para discutir o tema varejo sustentável em todo o Brasil. Além disso, incentivamos as redes supermercadistas a criar suas próprias campanhas de redução do uso de sacolas plásticas e de conscientização de funcionários e consumidores”, completa Sussumu Honda.
    Informações para a imprensa:
    Ex-Libris Comunicação Integrada – (11) 3266.6088, 3266.6609
    Fernando Kadaoka – fernando@libris.com.br – ramal 219 – cel. (11) 7686-9141 e (11) 8162-9130
    Geralda Privatti – geraldaprivatti@libris.com.br – ramal 205 – (11) 9392-1014
     
  • 25 nov

    Dia 29 de novembro lançamento do Selo Procel Residencial 

    A Eletrobrás, no âmbito do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica – Procel e o Instituto Nacional de Metrologia,Normalização e Qualidade Industrial – Immetro convidam para o lançamento da Etiqueta Nacional de Conservação de Energia de Edificios Residenciais.

    Data: 29/11/10
    Horário: 14horas
    Local:Hotel Transamérica, São Paulo – Av. das Nações Unidas, 18591

    Confirmação de Presença: (21) 2514 5360 ou pelo e-mail: dtpe@eletrobras.com.br

     
  • 25 nov

    Palestra reuniu pensadores sobre Sustentabilidade 

    O auditório na FEA-USP conferiu as diferentes ideias e debateu com os convidados sobre as soluções para encontrarmos a sustentabilidade

    No dia 22 de novembro de 2010, no auditório da FEA (Faculdade de Economia e Administração) da USP em São Paulo, aconteceu o Diálogo Visionário para Convivência e Harmonia. Uma iniciativa do Instituto Jatobás, do Progresa-FIA e da FEA-USP, o encontro reuniu grandes nomes do mercado e da universidade para discutir ideias sobre como podemos viver de maneira sustentável.
    O encontro marcou o início das atividades para o “Fórum de Sustentabilidade – Convivência e Harmonia”, que será realizado em março de2011. “Ficamos felizes com a palestra, tivemos uma ótima participação do público e interação com os convidados. Isso só aumenta nossa expectativa para o Fórum, que com certeza vai gerar grandes discussões e a busca por soluções reais para a sustentabilidade”, afirma Betty Feffer, presidente do Instituto Jatobás.
    Depois da apresentação do Instituto Jatobás e do Modelo Ecopolo aplicado em Pardinho (SP), Lia Diskin, co-fundadora da Associação Palas Athena – Centro de Estudos Filosóficos e Editora, falou sobre Ética para a sustentabilidade abordando temas recentes como independência, dominação, padrão de consumo e comportamento da sociedade atual com um dos principais pontos a serem revistos pelo homem atual que necessita de uma religação entre individuo-espécie e sociedade, esquema proposto por Morin, que aponta a ética como um caminho de mudança cultural para a sustentabilidade. Já Fernando Veiga, gerente de serviços ambientes da TNC (The Nature Conservancy), deu destaque aos serviços ambientais, explicando que são todas as práticas adotadas para a manutenção e/ou restauração dos serviços prestados pelos ecossistemas naturais e suas espécies.
    Na segunda parte do encontro, Ronaldo Seroa da Mota trouxe para discussão a economia de carbono zero e como a questão ambiental avançou em termos de política de mudança do clima no Brasil, entretanto, para Ronaldo, é necessária uma boa estrutura de governança para avançar nos processos regulatórios das atividades econômicas ambientais. Depois, Christianne Urioste, diretora de sustentabilidade do Wal Mart, e Lisa Gunn, do Idec, trouxeram exemplos práticos sobre produtos e consumo sustentáveis. Urioste abordou políticas e práticas sustentáveis utilizadas na rede de varejo, enquanto Lisa enfocou o que é o consumo sustentável e realidade social empresarial. O encontro contou no encerramento com o professor do SENAC-SP, Hélio Silva discutiu o que são as cidades sustentáveis e seus principais desafios.
    O encontro teve organização da Agência de Relações Públicas Conversa Sustentável e contou com o apoio da Secretaria do Verde e Meio Ambiente de São Paulo, ESPM Social e do Programa Nacional das Nações Unidas (PNUMA).
    Sobre o Instituto Jatobás
    O Instituto Jatobás (www.institutojatobas.org.br) é uma organização não governamental, sem fins lucrativos, cuja missão é influir para a ampliação da consciência e oferecer conhecimento para a construção de um caminho coletivo solidário e sustentável. Atua com base na ética humanista e ocupação de espaços de modo sustentável, está fortemente ancorada no entendimento de Desenvolvimento Sustentável pelo uso equilibrado de recursos econômicos, ambientais e sociais, por tempo indeterminado. Tem como referência especial os centros urbanos, de onde emerge a maior parte dos problemas econômicos, ambientais e sociais da atualidade e que nos afligem, hoje e no futuro próximo.
    Sobre o PROGESA-FIA
    O PROGESA (Programa de Gestão Estratégica Socioambiental) desenvolve inovações e conhecimentos inovadores para estratégias e ferramentas de sustentabilidade, e foi criado pela FIA, uma entidade privada sem fins lucrativos estabelecida em 1980 por iniciativa de professores do Departamento de Administração da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade – FEA/USP, dedicada à consultoria e desenvolvimento profissional, cujos cursos de MBA´s são reconhecidos pelo MEC – Ministério da Educação e qualidade certificada pela AMBA – Association of MBA´s, entidade sediada em Londres e que reúne as mais conceituadas escolas de negócios do mundo
     
  • 24 nov

    Consórcio holandês BE-BASIC e FAPESP apoiam pesquisa 

    Acordo prevê financiamento por até cinco anos a projetos para avaliar os reflexos
    sociais, econômicos e ambientais do consumo de energia de fontes renováveis

    Tecnologias com potencial de aplicação para a indústria do etanol serão o alvo principal das pesquisas apoiadas pelo consórcio holandês BE-BASIC (sigla em inglês para indústria química baseada em recursos biológicos renováveis, ecologicamente equilibrada e sustentável) e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) – em seu Programa de Pesquisa em Bioenergia, BIOEN. A discussão de temas que poderão ser desenvolvidos no âmbito do acordo entre as duas instituições acontecerá durante o Workshop sobre Impactos Ambientais, Sociais e Econômicos dos Biocombustíveis, organizado pelo BIOEN, em 25 de novembro (veja programação abaixo).

    Formado por onze universidades, quatro institutos de pesquisa e dez empresas – sob a coordenação da Universidade de Tecnologia de Delft, na Holanda –, o BE-BASIC conta com um orçamento de 120 milhões de euros para pesquisa, desenvolvimento e inovação pautados por critérios de sustentabilidade socioambiental e competitividade.

    O Workshop discutirá interesses comuns entre a organização europeia e a FAPESP. Envolve questões sobre o potencial de desenvolvimento da indústria sucroalcooleira e da agricultura pela expansão e intensificação da produção de biocombustíveis, a relação dessa produção com a proteção da vegetação natural e legislação ambiental, e o etanol obtido a partir da biomassa da cana. A educação e a comunicação é outra vertente do acordo. Projetos nessa área pretendem levar a alunos de todos os níveis do ensino informações sobre efeitos da produção de bioenergia para apoiar decisões conscientes de consumo.

    Programa BIOEN
    Lançado em julho de 2008, o Programa FAPESP de Pesquisa em Bioenergia (BIOEN) estimula e faz articulação de atividades públicas e privadas de pesquisa para produção de biocombustíveis. A iniciativa conta com investimentos iniciais de R$ 73 milhões em projetos em três linhas de pesquisa: produção de biomassa para bioenergia, processos de fabricação de biocombustíveis e pesquisas sobre impactos. Nas próximas chamadas, o programa avaliará propostas sobre aplicações do etanol para motores automotivos (motores de combustão interna e células a combustível), biorrefinarias e alcoolquímica.

    Workshop sobre Impactos Ambientais, Sociais e Econômicos dos Biocombustíveis
    25 de novembro, das 9h às 17h30
    Espaço APAS, rua Pio XI, 1200
    Apresentações com tradução para o português
    Informações: http://www.fapesp.br/bioen/evento/impacts

    Programação
    9:00 – 9:30h: Abertura
    Carlos Henrique de Brito Cruz, Glaucia Souza, Heitor Cantarella (FAPESP)
    Luuk van der Wielen, Patricia Osseweijer (BE-Basic)

    Perspectivas da Indústria sobre Inovação e Impactos dos Biocombustíveis
    09:30 – 10:45h
    Alfred Szward (UNICA – União da Indústria de Cana-de-Açúcar); Marco Bootz (Purac América Latina)

    Impactos Socioeconômicos dos Biocombustíveis
    11.00 – 12:00h
    Andre Faaij (Universidade de Utrecht, Holanda); Arnaldo Walter (Unicamp)
    13:30 – 14:30
    Bram Brouwer (BE-BASIC); Gerd Sparovek (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz – Esalq/USP)
    15.45 -16:15h
    Hans van Meijl (Universidade de Wageningen, Holanda)

    Educação e Comunicação
    14:30 – 15:30
    Janneke van Seters (Universidade de Wageningen, Holanda); Marcos Fava Neves (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade – FEA/USP)

    Gerência de Comunicação da FAPESP / Assessoria de Comunicação
    Tel.: 11.3838-4151 / fapesp-imprensa@fapesp.br

     
  • 24 nov

    Evento lança primeiro portal brasileiro voltado à criação de uma rede de investidores a empreendedores de baixa renda 

    São Paulo, 23 de novembro de 2010 – O Instituto Walmart, que já apoiou mais de 30 projetos de geração de renda desde 2005 e a ONG Impulso Crédito ao Microempreendedor (organização responsável pelo microcrédito da Aliança Empreendedora) promoveram nesta terça-feira (23) o evento “Microcrédito: Um aliado para inclusão social”, com a apresentação de três cases de sucesso voltados ao Microcrédito Produtivo Orientado.

    Os projetos foram apresentados por Lina Useche da Impulso Crédito ao Microempreendedor; Lília Prado da Acreditar Capital Humano e Alessandra França do Banco Pérola e o painel contou com a mediação de Lauro Gonzalez, professor da EAESP-FGV e Coordenador do Centro de Estudos em Microfinanças da FGV.

    “É fundamental alavancar as iniciativas que tratam do tema pois trata-se de uma inovação social com grande poder de transformação. Ainda mais se considerarmos como isso afeta a inclusão de mulheres empreendedoras. É com grande satisfação que destacamos três projetos liderados por mulheres e promovemos o debate sobre o tema”, diz Paulo Mindlin diretor do Instituto Walmart.

    Durante o evento, a Impulso apresentou o primeiro portal brasileiro – Portal IMPULSO de Anjos Investidores – com a finalidade de criar uma rede de crédito exclusiva a empreendedores de baixa renda em todo o País.

    Segundo estimativas de 2009, do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia Estatística – a demanda por microcrédito no Brasil envolve entre 10 e 12 milhões de empreendimentos. Destes, a maioria encontra-se em situação informal e sem acesso a bancos. Este universo é composto por pessoas físicas que produzem os mais variados tipos de produtos – costureiras, artesãos, cozinheiras ou ainda grupos formados em pequenas comunidades isoladas ou distantes, geograficamente, de centros de comercialização.

    O Portal IMPULSO de Anjos Investidores (www.impulso.org.br), que recebe o apoio do Instituto Walmart, foi criado a partir de um modelo que já faz sucesso nos Estados Unidos (www.kiva.com) e nasce como ferramenta pioneira e estratégica para a captação de recursos, fazendo com que o número de microempreendedores beneficiados possa crescer, com doações voluntárias dos chamados “Anjos Investidores”.

    O investimento pode ser feito pelo site por qualquer pessoa física dentre uma série de negócios pré-selecionados e chancelados pelos consultores da IMPULSO. Lá é possível também acompanhar o desenvolvimento dos projetos investidos e as histórias das microempresas.

    “O ideal do Portal IMPULSO de Anjos Investidores é dar as pessoas a possibilidade real, segura e eficaz de contribuir para a transformação da vida de uma pessoa, de uma comunidade, de um estado e de um país”, explica Lina Useche, co-fundadora e Diretora Executiva da IMPULSO – Crédito ao Microempreendedor. Quando o empreendedor paga o crédito, o investidor pode novamente usá-lo para outros negócios, sem ter que investir novamente.

    “A parceria do Instituto Walmart com a Aliança Empreendedora vem de longo prazo e juntos tivemos as primeiras experiências de apoio ao microcrédito, que foram muito positivas para gerar a inclusão social e econômica. O Instituto Walmart acredita que essa estratégia tem um grande poder transformador ao empreendedor de baixa renda e não nos resta dúvida de que o Portal vem para ampliar e fortalecer as inúmeras iniciativas e projetos existentes no País”, complementa Paulo Mindlin.

    Os principais objetivos do Portal IMPULSO de Anjos Investidores:

    1. Dar acesso a microcrédito produtivo orientado de baixo custo com prazos de reembolso flexíveis para microempreendedores urbanos e rurais de baixa renda em todo o Brasil;

    2. Dar possibilidade a pessoas de todo mundo investir e interagir com microempreendimentos e contribuir para o seu desenvolvimento e de suas comunidades, gerando transformações efetivas sem precisar “sair de casa”.

    3. Formar uma rede de organizações sociais aliadas que atuam no apoio à microempreendedores, geração de trabalho e renda no Brasil, compartilhando o acesso ao Portal e Microcrédito.

    Sobre a IMPULSO – Crédito ao Microempreendedor

    A Impulso Microcrédito é uma organização social que apoia microempreendedores de baixa renda provendo acesso a microcrédito produtivo orientado, e através de parcerias estratégicas com outras Organizações, amplia o apoio abrindo oportunidades de acesso a Conhecimento e comercialização. Ao mesmo tempo a Impulso conta Portal de “Anjos Investidores” para conectar os microempreendedores a pessoas físicas que queiram investir e acompanhar o desenvolvimento dos microempreendedores. Pelo trabalho realizado, em 2010, a Impulso foi premiada pela International Youth Foundation no programa Global: YouthActionNet.

    Sobre o Instituto Walmart

    O Walmart Brasil mantém no país desde 2005 o Instituto Walmart, agente social da empresa que busca desenvolver comunidades locais por meio de projetos de geração de renda, profissionalização de jovens, desenvolvimento local e valorização cultural. O Instituto Walmart financia hoje 43 projetos no país, frutos de investimentos da ordem de R$ 8,5 milhões este ano.

    http://www.institutowalmart.com.br

    Walmart Brasil – Assessoria de Imprensa

    Cristina Cassis – (11) 2103 5103 / (11) 9440 1034 – cristina.cassis@wal-mart.com
    Simone Cardoso – (11) 2103-5536 / (11) 8379-5666 – simone.carodoso@wal-mart.com

    http://www.walmartbrasil.com.br
    http://www.twitter.com/imprensawalmart

     
  • 23 nov

    Em Carta, Tribunais de Contas assumem compromissos com meio ambiente 

    Manaus, 22 de novembro de 2010 – “Hoje foi dado um passo no caminho da humanidade. 19 de novembro de 2010, vocês fizeram história e o mundo vai se lembrar desse dia”. A afirmação do diretor do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), Bakary Kante, encerrou o I Simpósio Internacional de Gestão Ambiental e Controle de Contas Públicas, promovido pelo Tribunal de Contas do Estado do Amazonas em parceria com o Instituto Rui Barbosa (IRB). O evento reuniu alguns dos maiores nomes do mundo no assunto de 16 a 19 de novembro no Hotel Tropical, em Manaus.

    Por diversas vezes em sua fala, Kante enalteceu e destacou a iniciativa inédita dos Tribunais de Contas em organizar um evento para debater questões ambientais. O diretor do PNUMA ressaltou a importância do Protocolo de Nagoya. “É mais importante que o de Kyoto e digo a razão a vocês: porque biodiversidade é vida”.

    Ele também pediu a participação dos Tribunais de Contas na formação de uma agenda de compromissos para serem levados para Rio 2012. “Nós não podemos falhar depois do que houve em Copenhagen. Temos que ir ao fundo das negociações para conseguir salvar a biodiversidade mundial. Eu quero que as Cortes de Contas estejam conosco nesse momento histórico nesse evento de 2012”.

    Quem também falou à platéia de quase 900 pessoas foi o ministro do Superior Tribunal de Justiça, Mauro Campbell. Campbell salientou que a lei visa inibir os crimes ambientais, já que “os danos à natureza na maioria das vezes são irreversíveis”. E alertou: ”nós podemos até caçar os direitos políticos do cidadão, podemos levar uma empresa à bancarrota. A punição vai além da multa”, disse.

    Amazonense, o ministro se emocionou ao falar da degradação das savanas amazônicas. “Nós aqui não degradamos, nós aqui não poluímos. Nós só queremos viver bem no nosso habitat. O caboclo amazônico tem ambições, mas não é ambição sua degradar o ambiente onde viveram seus pais e seus avós”.

    Também foram palestrantes Sérgio Turra, subprocurador geral do MPE/SP e Márcia Farias, procuradora do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas do Distrito Federal.

    Carta da Amazônia

    Por fim, foi lida a Carta da Amazônia, um documento contendo compromissos assumidos pelos Tribunais de Contas brasileiros em relação ao meio ambiente (confira abaixo). Para o presidente do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas e idealizador do evento, Júlio Pinheiro, a Carta da Amazônia é um marco importante para o Controle Externo brasileiro. “Que daqui saiam futuras práticas para a prevenção e que se acresce às nossas práticas o controle ambiental efetivo para garantir uma vida melhor para as gerações futuras”.

    O presidente do Instituto Rui Barbosa, Severiano Costandrade, ressaltou a quantidade e a qualidade dos painéis e das oficinas. “Foi uma excepcional contribuição aos membros e técnicos das Cortes de Contas. Depois desse Simpósio, tenho certeza que as questões ambientais serão tratadas com muito mais cuidado nos Tribunais”, comentou.

     
  • 20 nov

    Instituto Jatobás desenvolve modelo pioneiro para o desenvolvimento municipal sustentável 

    O Instituto Jatobás desenvolveu um modelo pioneiro para o desenvolvimento municipal sustentável, o Modelo Ecopolo – um sistema estratégico de gestão político-administrativa para promover o Desenvolvimento Sustentável em Municípios. O objetivo é gerar benefícios para as organizações e toda a comunidade, a partir do comprometimento com a qualidade de vida e com os princípios da sustentabilidade, através do uso equilibrado de recursos econômicos, sociais e naturais locais – hoje e no futuro.

    O modelo é aplicado a partir de um diagnóstico do Município para identificar as potencialidades e os problemas econômicos, ambientais e sociais da região e também organizar junto às instituições e comunidade local os procedimentos e ações coletivas, criando condições para desenvolver a sustentabilidade.

    O Modelo Ecopolo tem 05 frentes de atuação: Educação para Sustentabilidade, Cultura, Agroecologia, Gestão Municipal e Empreendedorismo.
    Ecopolo Educação para Sustentabilidade: promove o desenvolvimento das pessoas ao ampliar a consciência, compreensão e incorporação de novos conhecimentos e condutas, visando a harmonia entre as dimensões pessoal e coletiva. No Município de Pardinho o Ecopolo Educação é aplicado através de Oficinas de capacitação e formação de equipes e parceiros, Expedição Rio Pardo, que mobiliza as escolas da região para falar sobre a importância da conservação do aquífero que circunda e abastece os Municípios de Pardinho e Botucatu, Educação para Melhor Idade, Olimpíadas Literárias, que têm o intuito de estimular a produção literária, a capacitação de professoras das escolas municipais, Biblioteca Comunitária em parceria com o Instituto Ecofuturo e o Centro de Inclusão Digital (CID) em parceria com a Fundação Bradesco.
    Ecopolo Cultura: promove o resgate, a preservação e a difusão das manifestações locais por meio da programação cultural em Pardinho. É aplicado através de festivais culturais, arte de rua, Soletrando Sustentabilidade, cujo intuito é estimular o estudo da língua portuguesa vinculando a temática da Sustentabilidade, além da Cultura da Sustentabilidade por meio de fóruns e eventos para discutir a temática na região.
    Ecopolo Agroecologia: promove as bases da agricultura sustentável, que permite a fixação do homem e de sua família no campo, na sua propriedade, com saúde e qualidade de vida em Pardinho. É aplicada através da formação de Jovens Aprendizes, Cadeia Agroecológica e Agricultura Familiar.
    Ecopolo Gestão Municipal: é o resultado de uma parceria entre o Instituto Jatobás e a Prefeitura de Pardinho. Atua através de dois ecotimes: Ecotime Prefeitura e Ecotime Vereadores. O Ecotime Prefeitura atua por meio de grupos de trabalho visando a articulação entre o público, o privado e a comunidade para a construção de um Plano Diretor Sustentável, discussão e leitura integrada do Diagnóstico de Pardinho e contribuição para inserção de elementos de Desenvolvimento Sustentável na elaboração de políticas públicas. Já o Ecotime Vereadores atua através da contribuição para a formulação de instrumentos legislativos e marcos legais para o desenvolvimento sustentável.
    Ecopolo Empreendedorismo: estimula o desenvolvimento econômico do Município de Pardinho como forma de promover a melhoria do nível de vida das famílias e da comunidade local. O modelo é aplicado através da Economia Solidária e do Artesanato em Bambu por meio de cursos de movelaria, utensílios e brinquedos.

    Sobre o Instituto Jatobás
    Desde 2004 a organização foca em assuntos como o desenvolvimento sustentável e pegada ecológica até a implementação do Modelo Ecopolo na cidade de Pardinho, no interior de São Paulo, servindo de modelo para a ocupação sustentável do espaço. Mais informações: http://www.institutojatobas.org.br/

    Autora: Relações Públicas,Vivian Aparecida Blaso Souza Soares César
     
  • 17 nov

    Recuperação Socioambiental da Serra do Mar 

    Governo do Estado de São Paulo Secretaria da Habitação (CDHU)

    São Paulo, 16 de novembro de 2010

    AVISO DE PAUTA

    Seminário vai discutir recuperação socioambiental da Serra do Mar

    A Secretaria de Estado da Habitação e a Companhia de Desenvolvimento

    Habitacional e Urbano (CDHU) promovem nas próximas quinta e sexta-feira,

    dias 18 e 19 de novembro, na Capital, o seminário “Recuperação

    Socioambiental da Serra do Mar”. O evento acontece no Instituto de

    Engenharia, Avenida Dante Pazzanese, 120, Vila Mariana, São Paulo.

    A abertura do seminário será realizada, na quinta-feira, às 9 horas,

    pelo Secretário de Estado da Habitação e Presidente da Companhia de

    Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), Lair Krähenbühl, pelo

    Secretário de Estado do Meio Ambiente, Pedro Ubiratan Escorel de Azevedo e

    por representantes do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

    O seminário tem como objetivo compartilhar e debater a experiência de

    recuperação socioambiental da Mata Atlântica e as possibilidades de

    ampliação das políticas de conservação destas unidades e os mecanismos de

    financiamentos. Ele é destinado a técnicos estaduais e municipais das áreas

    de Habitação, Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, professores,

    universidades, ONGs especializadas e consultores das áreas de políticas

    públicas.

    Seminário “Recuperação Socioambiental da Serra do Mar”

    Data: 18 de novembro das 9h às 17h30, abertura às 9 horas

    19 de novembro das 9h às 12h

    Local: Instituto de Engenharia, Avenida Dante Pazzanese, 120, Vila Mariana,

    São Paulo.

    SH/CDHU ? Assessoria de Imprensa
    Fones: (11) 2505.2490
    E-Mail: imprensa@cdhu.sp.gov.br

    Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano

     
  • 12 nov

    Glossário Sustentável elaborado para facilitar o dia dia das pessoas envolvidas e interessadas em sustentabilidade 

    O Glossário Sustentável foi desenvolvido pelo Prof. João Salvador Furtado e traz com exclusividade aos leitores do Blog Conversa Sustentável termos e conceitos relacionados ao desenvolvimento sustentável. A publicação é fruto de uma coletânea de termos e expressões de interpretação do próprio Furtado e foi concebido para subsidiar atividades de treinamento com propósito de compartilhar informações com as pessoas interessadas pelo tema.

     
c
Compor novo post
j
Próximo post/próximo comentário
k
Post anterior/comentário anterior
r
Responder
e
Editar
o
Mostrar/Ocultar Comentários
t
Ir para o Topo
l
Ir para o login
h
Mostrar / Esconder ajuda
shift + esc
Cancelar