Atualizações de setembro 2009 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Teclas de atalho

  • 30 set

    Ètica , afinal porquê? 

    Olá Colegas do Blog, leitores fieis e demais amigos que me acompanham neste espaço!
    Outro dia, uma jornalista rejeitou um artigo que escrevi porque estava “muito profundo.”Na verdade o que eu havia sugerido como pauta para minha coluna era um artigo que tratava a ètica. Para quem não leu, vale a pena retomar alguns conceitos que abordamos no texto publicado neste Blog:
    E por falar sobre a Ètica ela exige reflexão, religação como diz Morin, entre indivíduo, espécie e sociedade. E para que essa religação ocorra é necessário o auto conhecimento e reflexão.

    “A palavra Ética é originada do grego ethos, que significa modo de ser, caráter. Através do latim mos (ou no plural mores), que significa costumes, derivou-se a palavra moral.[1]. Em Filosofia, Ética significa o que é bom para o indivíduo e para a sociedade, e seu estudo contribui para estabelecer a natureza de deveres no relacionamento indivíduo – sociedade”. “Define-se Moral como um conjunto de normas, princípios, preceitos, costumes, valores que norteiam o comportamento do indivíduo no seu grupo social”.

    Por que tudo isso é importante? Ètica significa sobretudo um agir com olhar nos impactos das ações que temos com o outro.
    Estou cada vez mais convicta que para ter ética não basta apenas se posicionar, é necessário também argumentar, comunicar as pessoas com clareza suas intenções.
    O mundo está tão impregnado por pessoas que usam seu poder e suas relações para fins duvidosos que não é mais possivel simplesmente acreditar é necessário comprovar que você está dizendo a verdade.
    Ai piorou mas afinal o que é verdade? O que eu enxergo ou o que o outro conta?
    As ferramentas de comunicação hoje estão tão dinâmicas e globalizadas que o esforço para alinhar o discurso á prática das empresas também precisa ser adequado a rapidez , seja no envio de um twite ou de email.
    Contudo meus caros, a lição do dia é não basta ficar indignado com determinadas situações, é necessário agir imediatamente antes que o meio ( como a internet por exemplo) acabe fazendo o feitiço virar contra o feiticeiro.
    Profissionais de comunicação! Comuniquem-se com clareza, Declarem suas intenções e por pior que seja este ato de se pronuciarem de forma contrária a determinados fatos Façam! antes que o veículo acabe lhe comprometendo ou mesmo que você não tenha consciência total sobre os fatos!
    Melhor pecar pela quantidade de twites do que pela falta deles, mesmo que isso possa gerar uma crise de imagem. Afinal é melhor uma crise de imagem do que de dignidade!
    Autora: Vivian Aparecida Blaso Souza Soares César, Relações Públicas, especialista em Sustentabilidade
     
  • 28 set

    Leonardo Boff – Etica da Vida 

    Yin e Yang: o equilíbrio do movimentoA tradição do Tao vê a história como um jogo dialético e complementar de dois princípios: yin e yang, forças subjacentes a todos os fenômenos humanos e cósmicos. Procurando luzes para entender e sair da crise global talvez este olhar holístico dos sábios orientais nos possa inspirar.A figura de referência para representar estes dois princípios é a montanha. O lado norte, coberto pela sombra, é o yin, que em chinês quer dizer sombreamento e corresponde à dimensão Terra. Ele se expressa pelas qualidades da anima, do feminino nos homens e nas mulheres: o cuidado, a ternura, a acolhida, a cooperação, a intuição e a sensibilidade pelos mistérios da vida.O yang significa a luminosidade do lado sul e corresponde à dimensão Céu. Ele ganha corpo no animus, as qualidades masculinas no homem e na mulher como o trabalho, a competição, o uso da força, a objetivação do mundo, a análise e a racionalidade discursiva e técnica.A sabedoria milenar do Taoísmo ensina que estas duas forças devem ser balanceadas para que o caminhar das coisas se faça de forma, a um tempo, dinâmica e harmônica. Pode ocorrer que uma predomine sobre a outra, mas importa buscar, o tempo todo, o equilíbrio difícil entre elas. O yin e o yang remetem a uma energia mais originária, um círculo que contem a ambos: o Shi. O Shi é a energia cósmica que tudo sustenta, penetra e move A teologia yorubá e nagô, tão presentes na Bahia, ensina que essa energia é o Axé universal, com as mesmas funções do Shi. Os cristãos falam do Spiritus Creator, ou do Sopro cósmico, que enche e dinamiza toda a criação. Os modernos cosmólogos se referem à constante cosmológica que é Energia de fundo que produziu aquele minúsculo ponto que se inflacionou e depois explodiu – big bang – dando origem ao nosso universo. Após esta incomensurável explosão a Energia de fundo se desdobrou nas quatro forças fundamentais que atuam sempre juntas e que subjazem a todos os eventos – a energia gravitacional, eletromagnética, nuclear fraca e forte – para as quais não existe, na verdade, nenhuma teoria explicativa.Nossa cultura ocidental, hoje globalizada, rompeu esta visão integradora e dinâmica. Ela enfatizou tanto o yang que tornou anêmico o yin. Por isso, permitiu que o racional recalcasse o emocional, que a ciência se inimizasse com a espiritualidade, que o poder negasse o carisma, que a concorrência prevalecesse sobre a cooperação e a exploração da natureza descurasse o cuidado e o respeito devidos. Este desequilíbrio originou o antropocentrismo, o patriarcalismo, a pobreza espiritual, a cultura materialista e predadora e a atual crise ecológica global. Somente com a integração da força do yin, da anima, da logique du coeur (Pascal), do mundo dos valores, corrigindo a exacerbação do yang, do animus, do espírito de dominação, podemos proceder às correções necessárias e dar um novo rumo ao nosso projeto planetário. Na tradição do cânon ocidental expressamos o mesmo fenômeno do yin e do yang referindo-nos a duas figuras mitológicas: Apolo e Dionísio. A dimensão Apolo está no lugar da ordem, da razão, da disciplina, numa palavra da lei do dia sob a qual se rege a sociedade organizada. A dimensão Dionísio representa a liberdade face às leis, a coragem de violar interditos, a exaltação da alegria de viver e a inauguração do novo, numa palavra, a lei da noite, que é o momento em que as censuras caem e tudo fica gris e indefinido.Atualmente vivemos uma conjuntura toda particular, marcada pelo excesso. Perdemos a coexistência do yin com o yang, de Apolo com Dionísio. Se não encontrarmos um ponto de equilíbrio tudo pode acontecer, até um flagelo antropológico. Precisamos de uma loucura sábia que possibilite uma nova síntese entre esses dois pólos para reinventar um novo caminho que nos garanta o futuro.

    Leonardo Boff é autor de Etica da vida: a nova centralidade, Record 2009.
     
    • Érica Sena 03:00 em 29 de setembro de 2009 Link permanente | Faça login para responder

      Oi Vivian,

      Obrigada pela dica, ja está postada. Será bem legal…vou me inscrever.

      Parabéns pelo blog e ele é citado em minha lista de blogs recomendados.
      ABS,

      ÉRICA SENA/ PENSAR ECO

    • Fabiano Facó 15:02 em 1 de outubro de 2009 Link permanente | Faça login para responder

      Sou fã do Mestre Boff! Tenho um DVD dele falando sobre Ecologia e Gestão Ambiental. Posso emprestar para o time da Conversa se quiserem. Ele é uma voz de conforto, equilibrio e realização. Abraços, Facó

  • 26 set

    Inédito – Relatório do PNUMA sobre Impacto das Mudanças Climáticas 

    Desde a perda de geleiras até a acidificação dos oceanos – Os impactos das Mudanças Climáticas surgem cada vez mais rápido.O novo relatório do PNUMA destaca a urgência de os governos fecharem o acordo em Copenhague, como declarou o Diretor Executivo do PNUMA, Achim Steiner.

    Na América Latina, a deterioração potencial da floresta amazônica dentro de 50 anos é visto como um ponto de “mudança drastica” resultante de um aumento médio da temperatura de superfície de entre três e quatro graus centígrados.

    As tendências atuais das emissões de dióxido de carbono são susceptíveis de conduzir a uma mudança irreversível das condições no leste da América do Sul (principalmente no Nordeste do Brasil) para um aumento de 10 por cento na aridez durante a estação seca.

    Uma análise recente de imagens fotográficas das geleiras na Patagônia nordeste revelou que eles recuaram drasticamente entre 1912 e 2002. Significativo aquecimento e secagem na região tem sido associada a uma redução da vazão a leste dos Andes, sinalizando significativos impactos futuros para a região de tendências de aquecimento continuar.
    O compêndio também documenta um número significativo de anomalias climáticas recentes para a América Latina, incluindo:

    Em abril de 2009, nordeste do Brasil sofreu sua mais pesadas chuvas em mais de 20 anos, causando inundações e deslizamentos de terra que obrigou mais de 186.000 pessoas de suas casas.
    Algumas regiões Argentina, Paraguai, Uruguai e Chile sofreu a sua pior seca em mais de cinqüenta anos em 2008.

    Equador sofreu sua pior inundação já em fevereiro de 2008.

    Estados do sul do Brasil, especialmente Santa Catarina, sofreu chuvas excepcionalmente fortes e inundações em Novembro de 2008, que afectam cerca de 1,5 milhões de pessoas.

    To download the full report, visit http://www.unep.org/compendium2009/
     
  • 24 set

    Empregos Verdes faça parte do nosso banco de talentos 

    Caros Amigos,
    Estamos organizando um banco de talentos de profissionais para atuar com sustentabilidade, responsabilidade social e meio ambiente e construção sustentável caso tenham interesse em fazer parte deste grupo, pedimos a gentileza de nos enviar um curriculo vitae para o email: conversasustentavel@uol.com.br assunto: Banco de Talentos.
    ***Serão aceitos somente os curriculos através do email indicado.
    ***Este serviço é gratuito, e na oportunidade enviaremos as vagas disponíveis para os candidatos do grupo.
    Atenciosamente,
    Vivian Blaso
     
  • 23 set

    Posicionamentos do CBCS – Diretrizes para Construção Sustentável no Brasil 

    Produzido pelos comitês temáticos do CBCS – Conselho Brasileiro de Construção Sustentável os posicionamentos os posicionamentos são resultados das atividades realizadas pelos comitês de água, energia, materiais, avaliação de sustentabilidade, projeto e econômico financeiro e foram lançados durante o II Simpósio Brasileiro de Construção Sustentável no dia 24 de agosto no WTC Convention Center em São Paulo.
    Os documentos estão disponíveis para download no site http://www.cbcs.org.br/ e poderão ser utilizados como ferramenta estratégica para a tomada de decisão de toda a cadeia da construção civil.

    Segundo Marcelo Takaoka, presidente do CBCS, os posicionamentos estão entre a gama de ferramentas utilizadas pela organização para fomentar ações voltadas para a sustentabilidade que buscam promover o diálogo no setor, orientando o mercado a lidar com as exigências socioambientais por uma produção mais eficiente e menos agressiva. “A conscientização por uma cadeia de produção mais sustentável deve ser uma atitude adotada por todos para que se apresentem resultados positivos, para tanto é necessária a informação” afirma Takaoka.

    Posicionamento Comitê Temático Água

    Aquecimento Solar de Água x Consumo de Água
    O uso de aquecedores solares quando combinado com consumo consciente de água ajuda a reduzir o impacto que a construção civil exerce sobre o consumo de recursos naturais e, principalmente, energia. Com este documento, o CBCS pretende estimular o diálogo entre os agentes envolvidos (órgãos governamentais, entidades não-governamentais, universidades, fabricantes, projetistas, construtores, incorporadores e profissionais) na busca de soluções eficazes para a construção sustentável, em particular, na consolidação do uso do aquecimento solar. Acesse o conteúdo completo através do link:
    http://www.cbcs.org.br/comitestematicos/agua/producaocbcs/index.php?

    Posicionamento Comitê Temático Avaliação de Sustentabilidade – Avaliação de Sustentabilidade de Empreendimentos
    Os sistemas de avaliação e, quando pertinente, certificação ambiental ou de sustentabilidade empreendimentos, têm por objetivo definir e estruturar categorias de preocupações e requisitos, indicadores e critérios de desempenho que permitam avaliar se um dado empreendimento, usualmente envolvendo um edifício em projeto e construção, em reforma ou em operação, responde à agenda ambiental e de sustentabilidade de um dado local, num dado momento.
    A experiência tem demonstrado que os saltos nos níveis mínimos de desempenho aceitáveis dependem necessariamente de alterações nas demandas do mercado, sejam elas voluntárias ou originadas de exigências normativas. Este posicionamento sumariza o entendimento corrente sobre avaliação ambiental e de sustentabilidade de empreendimentos e fornece uma indicação do papel do CBCS na redução de impactos ambientais e recomendações para possíveis ações.
    Acesse o conteúdo completo através do link:
    http://www.cbcs.org.br/comitestematicos/agua/producaocbcs/index.php?

    Posicionamento Comitê Temático Econômico Financeiro – Políticas Públicas, institucionais e empresariais para estímulo ao desenvolvimento de empreendimentos imobiliários mais sustentáveis .

    O setor imobiliário representa cerca de 10% do PIB mundial, 40% dos materiais consumidos, 30% da geração de lixo sólido, 20% do consumo de água e 35% de toda a energia consumida pela sociedade, sendo que aproximadamente 80% do consumo é devido ao uso e operação dos edifícios, com relevante impacto nas mudanças climáticas do planeta.

    Os impactos no mercado imobiliário, decorrentes da implantação de um novo empreendimento, ocorrem cerca de cinco anos após a tomada da decisão de investir, considerando o tempo gasto para conceituar, projetar, construir e entregar o imóvel para ocupação.

    Nesse cenário, é importante que questões socioambientais façam parte da decisão de investimento, tendo em vista os impactos e a sensibilidade a fatores de risco ambientais e
    sociais com repercussão no longo prazo. Um ativo imobiliário pode ter seu valor (ou sua capacidade de geração de renda) influenciado, por exemplo, por questões relacionadas à falta de segurança, à possibilidade de inundações, à existência de agentes poluidores ou até por impactos no tráfego.
    Acesse o conteúdo completo através do link:
    http://www.cbcs.org.br/comitestematicos/economicofinanceiro/producaocbcs/index.php?

    Posicionamento Comitê Temático Materiais – Uso sustentável da Madeira na Construção Civil
    O posicionamento do CBCS tem como objetivo motivar o uso sustentável dos materiais de construção civil, visando à redução de seus impactos no meio ambiente através do incentivo à compra de produtos de empresas que cumprem com suas obrigações fiscais e legais e ao estudo do melhor produto a ser utilizado em cada projeto, considerando a existência de produtos locais, forma de transporte, qualidade e desempenho, ciclo de vida do produto e durabilidade e vida útil, além de incentivar a redução do consumo de materiais através da racionalização da produção.
    Acesse o conteúdo completo através do link: http://www.cbcs.org.br/comitestematicos/materiais/producaocbcs/index.php?

    Posicionamento Comitê Temático Projeto – O Projeto e a Sustentabilidade do Ambiente Construído
    O CBCS reconhece que esta abordagem de projeto é condição para garantir o atendimento às demandas de sustentabilidade. A falta de qualidade do projeto limita a sustentabilidade do empreendimento.

    A produção e o uso dos edifícios apresentam oportunidades de redução de seus impactos sócio-ambientais negativos, seja na fabricação dos materiais de construção, seja no processo de projeto, na produção em canteiro de obra, na operação e na demolição e deposição dos resíduos finais.

    Este documento tece considerações e recomendações que auxiliam uma mudança na postura de projeto,propondo procedimentos na busca de mais sustentabilidade e sugerindo propostas para a elaboração de políticas públicas que auxiliem a incorporação destes conceitos nos projetos, papel do CBCS neste processo.

    Acesse o conteúdo completo através do link:
    http://www.cbcs.org.br/comitestematicos/projeto/producaocbcs/index.php?

     
  • 23 set

    1º Encontro SINDIMASP debaterá o desenvolvimento sustentável do setor madeireiro, 

    Com o objetivo de fomentar a utilização consciente e sustentável da madeira o SINDIMASP – Sindicato do Comércio Atacadista de Madeiras do Estado de São Paulo, realizará o 1º Encontro para o Desenvolvimento Sustentável do Setor Madeireiro, com intuito de desmistificar a imagem negativa do setor associada ao uso da madeira e fortalecê-la como um produto limpo e ecológico para uma sociedade cada vez mais consciente e responsável. O Encontro acontecerá na FECOMÉRCIO, em São Paulo, dia 25 de setembro, das 14h00 às 19h00.
    Na programação, representantes das entidades ligadas aos temas de normatização, fiscalização e controle no âmbito federal, estadual e municipal, que estão a frente de projetos e programas na Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Fórum Nacional das Atividades de Base Florestal, Policia Militar Ambiental do Estado de São Paulo, WWF-Brasil, SindusCon – SP, IBAMA, FGV e Secretaria do Verde e do Meio Ambiente que buscam a legalidade e o incentivo a certificação, contribuindo assim para o desenvolvimento sustentável do setor.
    O Encontro reunirá lideranças do setor madeireiro, de entidades ambientalistas, revendedores, lojistas, empresas de materiais de Construção, entre outros.O SINDIMASP conta com o apoio da iniciativa privada, de entidades públicas e privadas e organizações não-governamentais.
    Para Rafik Hussein Saab Filho, executivo do SINDIMASP, faz parte do nosso compromisso promover a aproximação e estimular o diálogo entre os atores da cadeia produtiva de produtos florestais e esse Encontro cumpre esse papel de fomentar a discussão e trazer para o debate temas que propiciem o desenvolvimento sustentável desse importante setor da economia.
    As inscrições podem ser efetuadas até 15/09/2009, com valor promocional de R$ 120,00 e para empresas afiliados às entidades apoiadoras o valor é de R$ 70,00 .
    Após 15/09/09 o valor da inscrição será de R$ 150,00 e para empresas afiliados às entidades apoiadoras R$ 90,00. Mais informações e inscrições pelo site http://www.sindimasp.org.br/ pelo telefone (11) 3567 9233 (11) 3567 9233 ou pelo e-mail encontro@sindimasp.org.br
     
  • 23 set

    Video sobre mudanças climáticas 

     
  • 23 set

    Depoimento Fabio Barbosa 

     
  • 23 set

    Dicas de Reciclagem 

     
  • 22 set

    Construção Sustentavel Diretrizes para a Cidade de São Paulo 

    No dia 06 de outubro das 9h ás 12h

    Objetivo Apresentar a Política de Mudanças Climáticas , seu Comitê Gestor e o desenvolvimento de atividades e trabalhos para regulamentação da Lei Municipal.

    Despertar a importância da participação do setor da construção civil, desenvolvimento urbano, órgãos do governo e sociedade civil na formulação de propostas para uma São Paulo Mais Sustentável.

    Programação Preliminar
    9h Recepção e credenciamento
    9h30 Cerimônia de Abertura

    Gilberto Natalini – Vereador Câmara Municipal de São PauloEduardo Jorge Alves Martins Sobrinho – Secretário Municipal do Verde e Meio Ambiente Miguel Bucalem – Secretário Municipal de DesenvolvimentoSérgio Watanabe – Presidente do SindusCon-SPMarcelo Takaoka – Presidente do CBCS

    10h30 Apresentação do Comitê Municipal de Mudanças ClimáticasVolf Steinbaum – Assessor Técnico do Gabinete da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente Painel I – Contribuições para a regulamentação da Política Municipal de Mudanças Climáticas

    10h50
    Desenvolvimento UrbanoPalestrante a definir
    11h10
    ConstruçãoFrancisco Vasconcellos Neto – Vice-presidente de Meio Ambiente do SindusCon-SP
    11h30
    Debates
    12h
    Encerramento
    LocalSalão Nobre da Câmara Municipal de São Paulo Viaduto Jacareí, 100 República – São Paulo – SP Confirmação de presença CAA – Centro de Atenção ao Associado11 3334-5600 – caa@sindusconsp.com.br

     
c
Compor novo post
j
Próximo post/próximo comentário
k
Post anterior/comentário anterior
r
Responder
e
Editar
o
Mostrar/Ocultar Comentários
t
Ir para o Topo
l
Ir para o login
h
Mostrar / Esconder ajuda
shift + esc
Cancelar