Atualizações de agosto 2009 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Teclas de atalho

  • 29 ago

    Inovações Sustentáveis 

    Hoje as empresas estão em busca da inovação por questão de sobrevivência e também por questões de imagem. O desafio das equipes de novos projetos é o de buscar novos caminhos que assegurem ao consumidor a iniciativa de um consumo mais consciente através da fabricação de produtos inovadores com tecnologias mais limpas garantindo a sua qualidade. Neste caminho, muitas empresas fornecedoras de insumos para a construção civil, têm adotado novas medidas em seus processos de fabricação ou até agregando novos produtos em seu mix com essa filosofia permitindo cada vez mais a redução dos impactos ambientais e sociais gerados pelas suas atividades.Estamos ainda no Brasil muito atrasados em relação ao restante do mundo, por exemplo no setor da Construção Civil, o processo de incorporação de resíduos na indústria começa a ser adotado. No setor cerâmico é utilizado o vidro plano na incorporação da produção de pastilhas de vidro como a Ecoglass da Cerâmica Gyotoku. No caso do setor siderúrgico, geladeiras e até carros tem o aço totalmente reaproveitados, reprocessados.O aço é derretido sendo retirado as suas impurezas ele é transformado em aço liquido que se transforma novamente em vergalhão, arame, telas, fibras de aço, perfis etc utilizados como insumo básico no setor da construção civil no Brasil. Outro exemplo interessante é o movimento do setor de iluminação que através dos sistemas de dimerização e leeds conseguem uma redução do consumo energético de um empreendimento de até 40% em relação a um sistema de iluminação convencional. Paises como Japão, Dinamarca já possuem em estagio avançado e o ciclo de vida do produto é fechado através da reutilização e reaproveitamento. As indústrias têm um papel muito importante na transformação do consumo, mas também é necessária a implantação de políticas públicas e campanhas de conscientização ambiental para que os usuários antes de adquirirem um novo produto tenham condições de descartar corretamente todo o lixo que produz. Hoje o mundo passa por 03 grandes crises: mudanças climáticas, econômica e energética, entretanto, essas crises geram oportunidades como, por exemplo, na construção de casas de interesse social proposto pelo programa minha casa minha vida no Brasil só com instalação de painéis solares poderá gerar até 18 mil novos empregos se pensarmos na instalação dos painéis em 500 mil casas, ou seja, será necessário mão de obra especializada que precisa ser formada para atender essa demanda.Hoje as empresas já sabem o que fazer, tem tecnologia disponível para fazer mas o que falta é fazer. Hoje segundo a Eletrobrás 40% do uso de energia elétrica no Norte do país se deve ao uso do ar condicionado, isso significa que precisamos alterar a forma de projetar, aplicando medidas como sombreamento nas fachadas, utilização de energia solar dentre outras. Por isso, na hora de escolher um empreendimento, estes aspectos são relevantes para uma escolha mais sustentável. Em São Paulo, já temos algumas iniciativas do governo que deram certo na redução de CO2 como, por exemplo, o caso dos 02 aterros sanitários que hoje através dos gases gerados pelo lixo abastecem com energia elétrica 02 cidades no interior do estado que possuem mais 700mil habitantes. Ou seja, hoje já sabemos o que precisa ser feito o que falta é fazer.As pressões estão cada vez maiores nessa direção, principalmente porque o varejo começa a incorporar estes aspectos e a catequizar ou educar os consumidores sobre os temas pertinentes a sustentabilidade, O Pão de Açúcar conseguiu mostrar para seus usuários os conceitos aplicados na construção e também as ações tomadas pela empresa desde a seleção dos fornecedores tanto na fase de obra como na fase de operação com critérios de sustentabilidade na implantação da sua loja localizada em Indaiatuba no interior de São Paulo. No setor de aparelhos celulares fabricantes como a Motorola acabaram e lançar no mercado o primeiro celular produzido com matéria prima proveniente de garrafas pets, já a Sansung acabou de lançar o primeiro celular que poderá ser recarregável com energia solar. Outra iniciativa interessante destes fabricantes é a redução das embalagens para economizar papel e também o programa de recolhimento de baterias e aparelhos antigos que são destinados à indústria de eletroeletrônicos para países como a índia.O Instituto Ethos acabou de lançar um relatório de uma pesquisa realizada com instituto Akatu e Ibope sobre o panorama geral da Responsabilidade Social no Brasil, e uma das conclusões para o instituto é que o movimento voluntário da RS nas empresas já atingiu seu patamar, ou seja para as empresas mudarem e passarem a incorporar a responsabilidade social em seu negócio será necessário incentivos tributários e fiscais e adoção de políticas públicas setoriais para o avanço da sustentabilidade no Brasil. Autora: Vivian Aparecida Blaso Souza Soares César, Relações Públicas, especialista em Sustentabilidade
     
    • Renato Guimaraes 22:22 em 7 de setembro de 2009 Link permanente | Faça login para responder

      Olá André,

      Sou Renato Guimaraes, jornalista especializado em temas de sustentabilidade e editor do blog SustentaNews (http://sustentanews.wordpress.com

      Incluí o Conversa Sustentável na lista dos blogs recomendados do SustentaNews. Também gostaria de saber se voces têm alguma restrição quanto a incluir eventualmente algum texto no SustentaNews baseado em artigo publicado no Mercado Sustentável. Evidentemente a fonte será sempre devidamente referenciada.

      Um grande abraço!

      Renato Guimarães
      Editor

  • 27 ago

    Tendência – Produtos ecologicamente corretos e consumo consciente 

    De acordo com pesquisa, brasileiro sabe que tem o poder de influenciar atitudes sustentáveis nas empresas

    Estimular a ação do consumo consciente e a busca por produtos e serviços sustentáveis é uma das preocupações da ECO Business Show 2009, que acontece de 01 a 03 de setembro no Centro de Convenções Imigrantes, em São Paulo. Com o ideal de que a sustentabilidade está ao alcance de todos a iniciativa propõe ampliar o diálogo entre empresa e consumidor, direcionando o consumo para produtos ecosustentáveis.

    De acordo com pesquisa realizada pelo Instituto Akatu e Instituto Ethos em 2006/2007 – sobre as pretensões dos consumidores frente ao movimento de Responsabilidade Social das Empresas, o brasileiro sabe que tem o poder de influenciar as atitudes empresariais, porém, os números ainda crescem timidamente. Em 2002, 77% dos entrevistados disseram que acreditam interferir na maneira de como uma empresa atua de forma responsável. Em 2004, o percentual subiu para 76% e em 2007 abaixou para 75%. Atualmente, um em cada três brasileiros busca informações sobre o comportamento das empresas e quase na mesma proporção, ouviu ou leu sobre esforços de empresas em melhorar seu desempenho social e ambiental.

    A prática do consumo consciente deve ser aplicada diariamente. Ler o rótulo das embalagens antes de comprar, conhecer a empresa que fabrica os produtos consumidos, perceber a real necessidade de usar ou descartar recursos naturais, como a água são algumas ações responsáveis e que são contribuições voluntárias e solidárias para garantir a sustentabilidade da vida no planeta.

    Empresas devem se adaptar às regras de conscientização ambiental para estarem inseridas no mercado nos próximos cinco anos. “Nosso objetivo é atrelar a sustentabilidade à uma realidade verdadeira de consumo”, diz Ricardo Guggisberg, idealizador da Eco Business Show 2009, acrescentando que “além de ter uma feira de econegócios, daremos a oportunidade de venda aos expositores e de consumo consciente aos visitantes”.

    Para conquistar reciprocidade e confiança no consumidor de que produtos sustentáveis devem ser atrelados à prática de seus hábitos de consumo tanto para bens de primeira necessidade, como para bens duráveis, a feira pretende entender a percepção dos consumidores em relação à responsabilidade social empresarial para estabelecer uma tendência de um consumo consciente. “A idéia é a de que o público saiba o processo do ciclo de vida dos mais diversos produtos, como sua fabricação, consumo e descarte”, comenta Guggisberg. O empresário explica que a feira será uma grande vitrine para entender melhor as relações entre consumo e meio ambiente, como é feito o processo desde a matéria-prima até os bens de serviço e quando um produto é considerado sustentável. Os consumidores conhecerão também como utilizar e reaproveitar materiais e sistemas não poluentes, que consomem menos matéria-prima de recursos naturais não-renováveis e menos energia; uso da reciclagem, eficiência energética; origem de recursos renováveis; racionalização em água; gestão de resíduos; impactos globais, entre outros assuntos.

    ECO Business Show 2009
    A Feira e Congresso Internacional de Econegócios e Sustentabilidade reúne pelo segundo ano consecutivo empresas e lideranças comprometidas com econegócios. O evento que ocorre entre os dias 1 e 3 de setembro, no Centro de Exposições Imigrantes, São Paulo, abre espaço para o benchmarking, aprendizado, reflexão e socialização de informações voltadas ao assunto. Com o tema Negócios e Cidades Sustentáveis, o grande destaque deste ano é o Green Supply Chain – cadeia produtiva verde. Serão três frentes para discussões: construção civil, transportes e indústria com foco em energia, matéria-prima e tecnologia, o objetivo é mostrar que é possível minimizar os impactos nocivos ao meio ambiente e oferecer a sociedade produtos e serviços economicamente viáveis e ambientalmente corretos. As inscrições para o evento já estão abertas e podem ser feitas pelo site http://www.ecobusinessshow.com

    Serviço:
    Data: 1,2 e 3 de setembro de 2009
    Local: Centro de Exposições Imigrantes, São Paulo (SP)
    Mais informações: http://www.ecobusinessshow.com

    Informações à imprensa:
    Contato Comunicação & Marketing
    Claudia Dias – (11) 3251-2359/ 9301-6061/ 7093-9968
    claudia@contatomcg.com.br
    Marcela Martinez – (11) 3288-7108 – (11) 8672-6959
    Pauta3@contatopauta.com.br

     
  • 27 ago

    Curso Gratuito sobre Sustentabilidade 

    Quais são os papéis e habilidades de um gestor responsável para a sustentabilidade?

    Podemos dizer que uma empresa que está a caminho da sustentabilidade corporativa é aquela que, além de declarar em sua missão, valores e objetivos, também consegue instigar em seus públicos de interesse, a vontade de realizar as ações para o seu crescimento, de forma sustentável. Neste caminho, o papel do gestor responsável para sustentabilidade é o de promover o ambiente favorável para que isso ocorra. Mas como fazer com que este caminho dê bons frutos?

    Neste sábado venha participar deste desafio!

    Data: 29 de agosto
    Local: C&C Casa e Construção – Nova Loja Tietê
    Horário: 15h ás 17h
    Inscrições:http://www.cec.com.br/Ecommerce/Cursos/DetalheCursos.aspx?idCurso=493&idLoja=0

    Vagas limitadas! *Todos os participantes receberão certificados
     
  • 26 ago

    Brasil ganha novo Parque Eólico 

    No ultimo dia 20 de agosto, o Brasil ganhou um novo Parque Eólico, localizado no Ceará. O empreendimento é fruto da aliança entre dois grandes líderes no setor energético na América Latina: Cemig e IMPSA. Com 325 hectares e 19 aerogeradores, o Parque Eólico de Praias de Parajuru é o primeiro de três usinas a serem construídas no estado. Ainda serão instaladas as centrais: Praia do Morgado e Volta do Rio, no município de Acaraú. Juntas, terão capacidade para gerar 99,6 MW. A intenção é que nos próximos 20 anos esta energia gerada seja comercializada para a Eletrobrás. Limpa e renovável. Assim é a fonte eólica, considerada a mais natural do planeta. Essa alternativa é gerada em parques que concentram vários aerogeradores – turbinas em forma de cata-vento ou moinho instaladas em regiões de ventos fortes. É utilizada para substituir combustíveis naturais (não renováveis e sujeitos a escassez), como o carvão, petróleo e gás natural, auxiliando na redução do efeito estufa e, consequentemente, no combate ao aquecimento global. Pioneira na operação de usina eólica no País, ao construir a Usina Morro do Camelinho, em 1994, a Cemig tem mais de 90% de fontes limpas. O presidente da Companhia, Djalma Bastos de Morais, destaca que a participação nos parques eólicos está em conformidade com a estratégia da empresa e do Governo de Minas que é de “crescer de forma sustentável, econômica, social e ambiental.” Líder latino-americana em energias renováveis, a IMPSA considera o Brasil um mercado chave. A empresa argentina está trabalhando na implantação de mais outros 10 parques eólicos no País, na região de Santa Catarina. “Pretendemos desenvolver uma matriz energética mais equilibrada e limpa no País”, diz o representante da IMPSA no Brasil, Luis Pescarmona. Os parques eólicos fazem parte do Programa de Incentivo a Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa), desenvolvido pelo Governo Federal, sob coordenação do Ministério de Minas e Energia (MME). A iniciativa visa fomentar o desenvolvimento das fontes renováveis como as eólicas, biomassas, solares, e de Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH’s).
     
  • 25 ago

    Empregos Verdes na Construção Civil 

    O II Simpósio Brasileiro de Construção Sustentável, reuniu hoje no WTC Convention Center em São Paulo mais de 500 profissionais do setor.
    EMPREGOS VERDES E A TRANSFORMAÇÃO DO PERFIL DOS EMPREGOS NO MUNDO
    Apresentado por Paulo Sergio Muçouçah da OIT – Organização Internacional do Trabalho o tema Empregos verdes na construção civil foi destaque no evento.
    Definições de empregos verdes:
    São empregos que reduzem o impacto ambiental das empresas e dos setores econômicos a níveis sustentáveis.
    Trabalho na agricultura, na indústria, nos serviços e na administração que contribui para conservar ou restabelecer a qualidade ambiental.
    Sintetizam a transformação das economias, dos ambientes de trabalho e dos mercados laborais rumo a uma economia sustentável, que proporciona um trabalho decente com baixas emissões de carbono.
    Definição de trabalho decente:
    Um trabalho produtivo, adequadamente remunerado, exercido em condições de liberdade, equidade e segurança, capaz de garantir uma vida digna aos trabalhadores e trabalhadoras e suas famílias.
    Conceito de Empregos Verdes do Programa Global da OIT – Organização Internacional do Trabalho:
    Empregos Verdes = Trabalho Decente em Atividades Ambientalmente Sustentáveis.
    Oferta de Empregos Verdes no setor da construção em alguns países:
    •Alemanha : 220.000 empregos
    •França: 216.000 empregos
    •Inglaterra: 110.000 empregos
    Cada milhão de euros investido em retrofit dos edifícios gera entre 11,3 a 13,5 empregos verdes na Europa
    Projeção para 2020 na Europa e nos EUA: 3.500.000 empregos verdes
    No Brasil – Programa Minha Casa Minha Vida
    •Instalação de painéis solares em 500 mil casas pode vir a gerar 18.000 novos empregos verdes
    •O setor de aquecimento solar empregava 19.800 trabalhadores em 2008
    Autora: Vivian Aparecida Blaso Souza Soares César, Relações Públicas, especialista em Sustentabilidade
     
  • 25 ago

    Nokia Booklet 3G traz mobilidade total para o mundo dos PCs 

    Espoo, Finlândia, 24 de agosto de 2009 – Após mais de 25 anos como pioneira e líder na indústria de mobilidade, a Nokia leva seu rico legado e conhecimento de mobilidade para o mundo dos PCs, com o novo Nokia Booklet 3G, baseado em Windows. O netbook traz um eficiente processador Intel Atom, com até 12 horas de trabalho sem uso de energia.

    Ao oferecer a experiência de um PC com todas as funções, o novo netbook pesa 1,25 quilos, mede um pouco mais de dois centímetros de espessura e tem uma grande gama de opções de conectividade – incluindo 3G/ HSPA e Wi-Fi –, que dá aos consumidores acesso em alta velocidade à Internet.

    “Um número cada vez maior de pessoas deseja o poder da computação do PC integrado a todos os benefícios de mobilidade”, diz Kai Oistamo, vice-presidente executivo de Dispositivos da Nokia. “Nossos negócios estão centrados em conectar pessoas e o Nokia Booklet 3G representa uma evolução natural para nós. A Nokia tem uma longa e rica tradição em mobilidade e com a grande vida útil da bateria, o design exclusivo e a conectividade ininterrupta durante todo o dia, criamos algo irresistível. Vamos tornar o computador mais social, mais útil e mais pessoal”, completa.

    O netbook conta com porta HDMI para saída de vídeo HD, câmera para videoconferência, Bluetooth e leitor de cartão SD. Além disso, o aparelho traz outros recursos especiais, como o monitor de alta definição de 10 polegadas e A-GPS integrado, que permite mostrar a posição do usuário em segundos e dar acesso a uma verdadeira experiência de mapa pessoal.

    O Nokia Booklet 3G ampliará o portfólio da Nokia, atendendo a uma necessidade dos canais de operação e trará outro importante ingrediente ao movimento da empresa de se tornar uma companhia de soluções móveis.

    Informações adicionais, incluindo especificações detalhadas, disponibilidade no mercado e preços, serão anunciadas durante o Nokia World, o maior evento global da Nokia, no dia 2 de setembro.

    Sobre a Nokia
    A Nokia é pioneira em mobilidade e líder mundial na fabricação de dispositivos móveis. Hoje, conectamos pessoas de novas e diferentes formas – aliando tecnologia avançada a serviços personalizados que lhes permite estar próximas do que as interessa. Oferecemos informações de mapas digitais por meio da NAVTEQ e equipamentos e serviços para redes de comunicação por meio da Nokia Siemens Networks.

    Nossas soluções também podem ser encontradas na Nokia Store SP (Rua Oscar Freire, 849, Jardins – São Paulo) e em nokia.com.br/loja. Siga o perfil @nokiabrasil no Twitter e saiba antes das novidades da Nokia. Para mais informações, acesse http://www.nokia.com.br.

    Informações para a imprensa:
    LVBA Comunicação – http://www.lvba.com.br
    Rodrigo Padron – rodrigo.padron@lvba.com.br – Tel.: (11) 3039 0669
    Luís Joly – luis.joly@lvba.com.br – Tel.: (11) 3039 0677
    Eduardo Contro – Eduardo.contro@lvba.com.br – Tel.: (11) 3039 0663
    Mauricio Oliveira – mauricio.oliveira@lvba.com.br – Tel.: (11) 3039 0695

     
  • 21 ago

    Nokia N97 desafia consumidores 

    Concurso “Desafio Nokia N97” dá o smartphone para o primeiro consumidor que ligar para aparelho exposto na Nokia Store SP
    São Paulo, 21 de agosto de 2009 – A Nokia, líder mundial em mobilidade, lança hoje o “Desafio Nokia N97”. Para participar do concurso, os interessados deverão acertar o número de telefone do modelo, que está exposto na Nokia Store SP, na rua Oscar Freire, 849, em São Paulo. O primeiro a acertar a combinação e completar a ligação ganha o smartphone.

    Para ajudá-los na tarefa, a Nokia revelará no blog Sem Limites pistas para que o consumidor chegue ao número da linha. As dicas serão mostradas em vídeos. Os oito dígitos estarão escondidos em seis diferentes filmes que destacarão o conceito de convergência e as principais características do lançamento da Nokia.

    Cada vídeo terá ao menos um número escondido. Após encontrar todos, o participante ainda deverá decifrar a ordem correta entre eles. Para isso, contará com novas dicas postadas no blog. A primeira pessoa a completar a ligação para o telefone levará para casa o novo e esperado Nokia N97.

    O aparelho estará pronto para receber chamadas a partir das 12 horas do dia 3 de setembro, momento em que as pistas já terão sido publicadas. Para quem desejar acompanhar toda a ação, uma câmera filmará a redoma, 12 horas por dia, e transmitirá tudo o que acontece na Nokia Store SP, em tempo real, pela internet, no hotsite http://www.nokia.com.br/desafion97.

    Nokia N97
    O novo Nokia N97 integra o máximo em convergência e experiência de web. O modelo traz funcionalidades e serviços, como Nokia Mapas e a licença Comes With Music, que traz um acervo de cinco milhões de músicas para que o consumidor baixe suas faixas preferidas no aparelho ou no computador durante um ano. Além disso, vem com câmera de 5 megapixels com lente Carls Zeiss, Wi-Fi, 3G e uma ampla tela de 3,5’’ sensível ao toque e integrada com um teclado QWERTY físico, características que fazem deste aparelho de 32GB (expansíveis para até 48Gb) um poderoso dispositivo multimídia.

    O produto já pode ser adquirido em pré-venda até o dia 26 de agosto, em nokia.com.br/loja e na Nokia Store SP. Quem adquirir o aparelho também receberá um convite para o coquetel de pré-lançamento do produto na Nokia Store SP, no dia 28. Além disso, ganha um fone de ouvido Bluetooth Nokia.

    Preço sugerido: R$ 2.399,00

    Imagens em alta resolução: http://www.nokia.com/press/media_resources/photos/devices/showphotos?category=n97

    Sobre a Nokia
    A Nokia é pioneira em mobilidade e líder mundial na fabricação de dispositivos móveis. Hoje, conectamos pessoas de novas e diferentes formas – aliando tecnologia avançada a serviços personalizados que lhes permite estar próximas do que as interessa. Oferecemos informações de mapas digitais por meio da NAVTEQ e equipamentos e serviços para redes de comunicação por meio da Nokia Siemens Networks.

    Nossas soluções também podem ser encontradas na Nokia Store SP (Rua Oscar Freire, 849, Jardins – São Paulo) e em nokia.com.br/loja. Siga o perfil @nokiabrasil no Twitter e saiba antes das novidades da Nokia. Para mais informações, acesse http://www.nokia.com.br.

    Informações para a imprensa:
    LVBA Comunicação – http://www.lvba.com.br
    Rodrigo Padron – rodrigo.padron@lvba.com.br – Tel.: (11) 3039 0669
    Luís Joly – luis.joly@lvba.com.br – Tel.: (11) 3039 0677
    Eduardo Contro – Eduardo.contro@lvba.com.br – Tel.: (11) 3039 0663
    Mauricio Oliveira – mauricio.oliveira@lvba.com.br – Tel.: (11) 3039 0695

     
  • 20 ago

    Ética, Sustentabilidade e Comunicação 

    Nos dias de hoje falar sobre sustentabilidade tornou-se tarefa “fácil” basta abrir os jornais com os anúncios dos lançamentos imobiliários e pronto é capaz até do jornal virar uma árvore outra vez. A facilidade com que se fala deste tema tem colocado os profissionais de comunicação frente a um novo desafio: como comunicar sem banalizar?

    “Segundo o Relatório de Brundtland (1987), sustentabilidade é: “suprir as necessidades da geração presente sem afetar a habilidade das gerações futuras de suprir as suas”. Isso é muito parecido com a filosofia dos nativos dos Estados Unidos, que diziam que os seus líderes deviam sempre considerar os efeitos das suas ações nos seus dependentes após sete gerações futuras”. “O termo original foi “desenvolvimento sustentável,” um termo adaptado pela Agenda 21, programa das Nações Unidas. Algumas pessoas hoje, referem-se ao termo “desenvolvimento sustentável” como um termo amplo pois implica em desenvolvimento continuado, e insistem que ele deve ser reservado somente para as atividades de desenvolvimento. “Sustentabilidade”, então, é hoje em dia usado como um termo amplo para todas as atividades humanas.(Wikipédia, a enciclopédia livre)”.

    O que banaliza a sustentabilidade talvez seja a grande exposição da mídia sobre o tema que ao invés de propor reflexões sobre métodos, processos e modos de gestão necessários para sua implantação nas empresas divulga ações pontual voltadas à preservação ambiental o que muitas vezes já é uma obrigação da própria empresa para que ela consiga operar as suas atividades.

    O tema sustentabilidade sugere uma quebra de paradigmas, uma reinvenção, ou seja, inovação.

    Michael Serres aposta na inventividade: é preciso exercitar a criatividade e se não conseguirmos, não vamos reinventar a universalidade do homem proposto pelo autor. Essa reflexão da qual me refiro, precisa de momentos de solidão e de auto conhecimento. Está relacionada a um momento do homem com ele mesmo, e não a reflexão exclusivamente pragmatizada sobre a metodologia, o dinheiro e o retorno que a aplicação da sustentabilidade proporcionará as empresas no médio e no longo prazo.

    Mais do que isso, a sustentabilidade nos sugere uma nova forma de pensar e agir, como acredita Serres na Hominescência capaz de religar cultura, ciência e filosofia é uma ruptura ao modelo cartesiano, ocidental e tradicional que colocava cada um no seu quadrado dentro das empresas,

    “O ocidente acabou por transformar o mundo. A Terra, no sentido do planeta fotografado em sua globalidade pelos cosmonautas, tomou o lugar da terra, como a gleba cotidianamente trabalhada. Essa figura separou no final do último século de todo o tempo passado desde o neolítico, já transformou nossos relacionamentos com a fauna e a flora, com a duração das estações , o tempo que passou, com o tempo que faz, com as intempéries, com espaços e lugares, com o habitat e nossos deslocamentos. Essa fissura também transformou os relacionamentos sociais;coletivamente não vivemos mais da mesma maneira, desde o desaparecimento do cordão nutrimental comum ao campo, ás propriedades, à vegetação e aos animais, à ocupação dos territórios, a sua defesa e á guerra;nem sequer morremos mais da mesma maneira,pois, por falta de espaço nas cidades, preferimos incinerar nossos mortos a enterrá-los sob o suor de nosso trabalho”.

    Talvez hoje, essa ruptura do modelo ocidental cartesiano que separa cultura, indivíduo e sociedade também seja o grande paradigma da ciência contemporânea que busca sair do velho paradigma do homem como centro do universo para o homem que está integrado ao todo.

    Por outro lado, temos um homem blasé, (conformado com a situação atual, indiferente) e dessa forma questiono: Como podemos quebrar essa barreira de pensamento tradicional para um pensamento sistêmico, trasdiciplinar que integra e interage com todas as esferas da vida no universo? Este é o desafio atual.

    Vivemos um momento onde as profissões tecnológicas têm ganhado cada vez mais o lugar das profissões das ciências humanas e sociais aplicadas.

    O que impera este medo de se aproximar das ciências que estudam o homem e a sociedade?

    O inovar sugere arriscar se redescobrir, portanto, como é possível se distanciar das ciências que estudam o homem para tentar cada vez mais controlar o universo através do tecnológico?

    Este é o grande paradoxo do nosso século. Como podemos quebrar os sistemas atuais para reinventar processos, inovar arriscando os métodos tradicionais de produção para se aventurar em novos métodos que sugerem produções mais limpas se estamos condicionados em uma sociedade de consumo?

    Este novamente é o ponto de inovação que muitos cientistas atuais como Robert Happé nos propõe: é o questionamento sobre a Felicidade!

    Será que para ser feliz precisamos cultuar a cultura do “ter” justamente a cultura que nos coloca no centro de tudo?

    Vejo que o pensamento sistêmico sugere um rompimento do pensamento tradicional, pois nos mostram que existem outras possibilidades, outras formas de expressar nossos sentimentos que não sejam através do consumo de bens e serviços.

    O pensamento sistêmico sobre a sustentabilidade, não pode deixar de fazer parte de reuniões de diretoria, pois os líderes da organização quando se reunirem para discutir os seus próprios dilemas deve incluir na pauta a reflexão sobre a sustentabilidade. Este pensamento traz reflexões sobre os valores, a ética, a responsabilidade social, ambiental e comportamental. É um resgate a moral, entretanto, será necessário se permitir sair da forma e descobrir coisas novas para inovar e criar novos mecanismos de sobrevivência sem necessariamente precisar do ter para ser feliz.

    E por falar sobre a Ètica ela exige reflexão, religação como diz Morin, entre indivíduo, espécie e sociedade. E para que essa religação ocorra é necessário o auto conhecimento e reflexão.

    “A palavra Ética é originada do grego ethos, que significa modo de ser, caráter. Através do latim mos (ou no plural mores), que significa costumes, derivou-se a palavra moral.[1]. Em Filosofia, Ética significa o que é bom para o indivíduo e para a sociedade, e seu estudo contribui para estabelecer a natureza de deveres no relacionamento indivíduo – sociedade”. “Define-se Moral como um conjunto de normas, princípios, preceitos, costumes, valores que norteiam o comportamento do indivíduo no seu grupo social”.

    Alguns dos questionamentos propostos por Morin, estão relacionados a essa dificuldade do homem de religação, pois o nosso pensamento não é sistêmico, mas departamentalizado, dessa forma estamos incapacitados de ver o todo e sendo assim, incapacitados de religa-se ao todo. Essas incapacidades nos levam as irresponsabilidades e a falta de solidariedade que caracteriza os seres humanos como mais individualistas do que altuístras.

    Agindo sob a ótica do “EU”, do “agora” o que caracteriza essa sociedade cada vez mais “liquida” proposta por Bauman, talvez seja a Ética do certo sob apenas um único ponto de vista. Neste estágio, podemos dizer que o os valores sempre são valores sob um único olhar, ou seja, sem essa capacidade de religar indivíduo, espécie e sociedade como é possível pensar para agir sob os princípios de Liberdade – Igualdade – Fraternidade de maneira que um princípio não seja mais importante que os demais?

    “Todo conhecimento (e consciência) que não pode conceber a individualidade e a subjetividade, nem incluir o observador na sua observação, não tem forças para pensar todos os problemas, sobretudo os problemas Éticos. Pode ser eficaz para a dominação dos objetos materiais, o controle das energias e a manipulação dos seres vivos. Mas se tornou míope para captar as realidades humanas, convertendo-se numa ameaça para o futuro humano.” P.62

    Sob este pano de fundo, podemos perceber que Morin e Michel Serres já nos apontam à necessidade do homem se religar, reconectar com a sociedade, meio natural e com nós mesmos para compreendermos que essas atitudes individualistas não nos levarão as atitudes Éticas capazes de pensar sistemicamente o quanto tais atitudes poderão impactar na solidariedade de uma sociedade.

    Podemos começar por exemplo reconectando indivíduo, espécie e sociedade sendo adeptos a campanha proposta pelo governo federal “SACO É UM SACO” onde cada um de nós podemos através de uma postura Ética optar pelo uso de sacolas retornáveis ao invés das sacolas plásticas.

    Os sacos e sacolas plásticas são produzidos a partir do petróleo ou gás natural, que são extraídos de fontes não renováveis que no seu processo de extração emitem gases causadores do efeito estufa, além disso, o tempo médio de decomposição dos sacos plásticos é de 100 anos. È muito comum também encontrarmos peixes, e tartarugas marinhas se alimentando de plásticos ao confundi-los com alimentos. Outro problema é quanto ao seu uso, muitas pessoas usam os sacos para descartar o lixo o que muitas vezes é desnecessário em função de alguns destes lixos serem recicláveis aumentando o seu tempo de vida útil e evitando que se retire da natureza recursos que não são renováveis.

    O difícil não é pensar individuo espécie e sociedade, mas sim as atitudes éticas que este pensamento de Morin e de Serres nos propõe: pensar o passado vivendo o presente e olhando o futuro onde nossas ações impactam sobre a vida do outro e logo na sociedade.

    Portanto, não podemos deixar que a banalização do tema sustentabilidade seja um desvio na rota do caminho para a inovação nas empresas, mas como profissionais de comunicação devemos sugerir o diálogo e o incentivo a reflexão e auto conhecimento como modo futuro de sobrevivência e posterior evolução da nossa espécie na terra.

    Não temos aqui a pretensão de achar que somos exclusivamente o reflexo da construção social da história dos indivíduos que formam este emaranhado cultural global ao qual pertencemos, mas, sobretudo, que somos atores sociais e desempenhamos multi papéis com o poder de multi influências na construção desse novo pensamento e, portanto na construção dessa nova sociedade.

    Contudo, o que falta é uma revolução cultural no sentido da percepção da vida para uma verdadeira transformação da realidade atual, seja na vida, seja na sociedade ou nas organizações. Se existe este vazio entre discurso, ou seja, na comunicação e a prática das organizações é porque nós legitimamos o comportamento blasé em conformidade com as situações conseqüentes das relações entre capital e trabalho.
    O poder econômico sobrepõe às outras dimensões propostas pela sustentabilidade: dimensão social e dimensão ambiental. Pensar sob a ótica sistêmica é deixar antigos comportamentos e práticas para desvendar o novo que essa reflexão nos sugere. A questão inicial que motivou a escrever este texto só poderá ser respondida se de fato nós estivermos preparados para desvendar o novo.

    Autora: Vivian Aparecida Blaso Souza Soares César, Relações Públicas, especialista em Sustentabilidade
     
    • Anonymous 19:07 em 20 de agosto de 2009 Link permanente | Faça login para responder

      Olá Vivian, parabéns pelo Blog e pelo texto. Trabalho com comunicação da sustentabilidade empresarialmente e minhas pesquisas acadêmicas também são nessa área. Tenho que concordar com você que a banalização do debate pode ser um grande risco.
      Para muitas pessoas, a divulgação das ações sustentáveis nas empresas é apenas marketing, um esforço para associar a imagem da organização a uma postura responsável. Se não elevarmos o nível da nossa comunicação, essa imagem irá se consolidar e o tema deixará de ter a credibilidade e a relevância que merece.
      Parabéns mais uma vez. Aproveito para também lhe oferecer meu blog. Nele procuro tratar especificamente a Comunicação da Sustentabilidade. Quando tiver um tempinho, faça uma visita.

      Abs

      Leandro Tadeu Novi

  • 18 ago

    INÉDITO – EMPRESA LÍDER NO SEU SEGMENTO DE ATUAÇÃO QUER CONTRATAR OS PRÓXIMOS LIDERES PARA SUA ORGANIZAÇÃO. PARTICIPE! 

    Uma empresa super ligada a valores de sustentabilidade quer incentivar candidatos a se inscreverem no Programa Próximos Lideres cujo o processo seletivo é extremamente legal.

    A empresa não vai divulgar sua identidade para evitar que os candidatos possam apresentar uma postura artificial em relação a sustentabilidade.

    Assistam o vídeo da campanha e encantem-se com este programa http://www.youtube.com/watch?v=As68Fh81NPk

    Este é um dos maiores desafios da atualidade : Encontrar pessoas que tenham verdadeiramente estes valores como modo de vida em todos seus aspectos. Já em posts anteriores falamos sobre a Ètica e este resgate a valores universais que a humanidade tanto precisa.

    Portanto, se você é daqueles que acredita que pode sim mudar o mundo comece agora!

    Acesse o site do processo seletivo http://www.proximoslideres.com.br/ e faça a sua inscrição neste programa desafiador!

    Há e não esqueça que você ainda pode ser o grande líder da sustentabilidade do qual o mundo tanto precisa! .

     
  • 11 ago

    Cursos Gratuitos – 1º Home Center Verde do País agora quer ampliar a formação da consciência sustentável em seus consumidores 

    C&C e Conversa Sustentável juntos na promoção da consciência sustentável
    1º Home Center Verde do País agora quer ampliar a formação da consciência sustentável em seus consumidores

    A Nova Loja Tietê, 1º Home Center Verde de Construção do país na implantação da sustentabilidade na construção da sua nova loja agora quer ampliar a consciência de sustentabilidade aos seus clientes.

    Promovido pela C&C Casa e Construção na nova Loja Tiete em parceria com a empresa Conversa Sustentável serão realizados cursos gratuitos abertos ao público sobre sustentabilidade. Os cursos são tem a intenção de disseminar através de conhecimentos práticos a sustentabilidade no dia a dia das pessoas.

    No dia 22 de agosto será realizado curso inédito “Práticas Sustentáveis em Seu Lar” que irá oferecer uma série de dicas de como implantar a sustentabilidade nos cuidados com o lar. Já no dia 29 de agosto será realizado um curso aberto sobre sustentabilidade com intuito de esclarecer aos participantes este conceito que tem sido tão divulgado pela mídia. “Realizar estes cursos na nova loja Tietê é dar continuidade aos trabalhos que tem sido feitos pela empresa em relação à sustentabilidade, além disso, os participantes poderão conhecer de perto os recursos e produtos utilizados pela C&C para construção da sua nova loja o 1º Home Center Verde de Construção do País” afirmar Marcos Preto gerente da nova loja.

    Palestrante: Vivian Blaso – Graduação: Comunicação Social – Habilitação em Relações Públicas Unicentro Newton Paiva, MBA: Gestão Estratégica de Marketing – UFMG Universidade Federal de Minas Gerais, Disciplina eletiva: Mestrado em Administração “Seminário em Marketing de Serviços” UFMG, Aperfeiçoamento em Gestão Responsável para Sustentabilidade – Fundação Dom Cabral. Mestranda em Ciências Sociais pela PUCSP. Atualmente Diretora de Marketing e Sustentabilidade da Conversa Sustentável e responsável pela comunicação do CBCS – Conselho Brasileiro da Construção Sustentável. Atuou, mais de 04 anos, como coord. de marketing e sustentabilidade na Cerâmica Gyotoku sendo responsável pela inserção da sustentabilidade na gestão da empresa.

    As pessoas interessadas em participar dos cursos podem obter mais informações pelo site (www.cec.com.br).

    CURSOS ABERTOS SOBRE SUSTENTABILIDADE

    Realização: NOVA LOJA TIETÊ e CONVERSA SUSTENTÁVEL
    Data: 22 de agosto de 2009
    Tema: Práticas Sustentáveis em seu lar

    Data: 29 de agosto de 2009
    Tema: Curso Aberto sobre Sustentabilidade

    Local: Nova Loja Tietê
    Endereço: Av. Pres. Castelo Branco nr. 7.207 – Barra Funda – São Paulo / SP.
    Horário: 11:00h às 13:00h / 15:00h às 17:00h
    Informações: http://www.cec.com.br

    Vagas Limitadas
     
    • Biosfera 02:41 em 12 de agosto de 2009 Link permanente | Faça login para responder

      Legal o tema… mas fiquei a pensar seria mesmo “consciência” a palavra ideal para o encontro?

      Parabéns pelos textos!
      Abração

      Visite-nos também 😉

    • Peter 19:07 em 12 de agosto de 2009 Link permanente | Faça login para responder

      Olá Vivian!

      Ótima iniciativa!
      Sábado (22/08) estarei lá.

      Estive na conversa na palestra sobre a loja conceito da C&C e tive contato com os conceitos da loja.

      Trazer isso para a consciência do lar é o primeiro passo para a atitude também fora do lar.

      E respondendo ao comentário do blog Biosfera, por que não consciência, já que ela ocorre a partir do entendimento de algo, e após implantarmos medidas sustentáveis no nosso Lar, podemos, a partir das consequencias de nossas ações entender o quão importante é buscarmos ações sustentáveis em nosso dia-a-dia.

      Acho que os cursos trarão para a prática os conceitos que tantos ainda não conseguem acionar.

      Parabéns pelo Blog Vivian.

      Até sabado!

      Pedro Henrique C. N. Göpfert
      Estudante do 2º Ano de Sistemas de Informação da Universidade de São Paulo

    • Diêgo Lôbo 03:55 em 13 de agosto de 2009 Link permanente | Faça login para responder

      Olá, legal o blog…
      realmente gostei de ver alguém de RP, assim como eu, nessa onda sustentável… parabéns!

c
Compor novo post
j
Próximo post/próximo comentário
k
Post anterior/comentário anterior
r
Responder
e
Editar
o
Mostrar/Ocultar Comentários
t
Ir para o Topo
l
Ir para o login
h
Mostrar / Esconder ajuda
shift + esc
Cancelar