Atualizações de março 2009 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Teclas de atalho

  • 31 mar

    O Viver Sustentável 

    Na semana passada, tive a oportunidade de participar de um evento sobre sustentabilidade em uma academia na Zona Oeste de São Paulo, que vem se diferenciando no mercado pelas suas ações voltadas para promoção de uma conscientização sobre tema.

    Este momento proporcionou que eu realizasse algumas análises que gostaria de compartilhar neste espaço. Coloco-me aqui no papel de observadora do comportamento das pessoas que freqüentam a academia, neste aspecto, dividi a minha análise pelos 03 períodos de freqüência da academia e também pelo perfil do público conforme os horários.

    1) Na parte da manhã, o perfil dos alunos da academia são na maioria crianças que ao perceberem que existe algo novo em seu espaço habitual de lazer e entretenimento ficaram especialmente atônitas com as explicações dos expositores que frisaram as questões de preservação ambiental. Essas crianças demonstram um grau de atenção máxima, recolheram o que podiam de materiais distribuídos no evento para levarem para suas casas. Este comportamento já nos aponta que a geração futura tão falada nos discursos de sustentabilidade já tem uma consciência diferenciada da nossa geração atual e trata com muita seriedade as questões relacionadas ao planeta.

    2) No período da tarde, os alunos eram os jovens (teens) e apresentaram um comportamento curioso: pelo incrível que pareça até na forma de se vestir é possível perceber que eles usam camisetas de projetos ambientais, sacolas recicladas, muitas de entidades que lutam pelas causas sócio ambientais. Eles pararam na maioria dos stands e perguntaram detalhes sobre cada produto ou serviço que foi demonstrado durante o evento. Estes jovens também já apresentam uma mudança de atitude, pois estão curiosos e já traduzem em suas vestimentas as preocupações com meio ambiente.

    3) Já no período da noite, os executivos que freqüentam a academia, antes de entrarem no clima da malhação, percorreram os stands, selecionaram o que lhes interessa e muitos pararam para perguntar ou até questionar sobre as questões de sustentabilidade no bairro onde a academia está localizada e até mesmo para trazerem questões relacionadas a empresa onde trabalham. Estes profissionais são mais desconfiados e já estão mais conscientes que infelizmente estamos tomados pelo marketing verde presente na mídia do que pela verdadeira mudança de atitude que se faz necessária.

    Voltando para o dia a dia, no decorrer da semana, percebi que existe sim uma nova realidade social sendo construída em função das questões que envolvem sustentabilidade. Quando poderíamos imaginar que uma academia de ginástica que hoje se preocupa em proporcionar aos seus alunos o conhecimento das novas tecnologias sustentáveis e melhores formas de vida para um “viver sustentável” poderia exercer um papel de educadora e na influência do comportamento das pessoas que a freqüentam.

    O sucesso dessa atitude talvez esteja até mesmo na capacidade que a academia tem de reunir este público tão seleto e formador de opinião, pertencente à classe média paulistana preocupada e engajada com a sustentabilidade.
    O viver sustentável é mais que uma vontade é um novo comportamento que nasce na sociedade através de influências que impulsionam uma mudança social tão necessária. Coincidência ou não na mesma semana, o governo federal está empenhado no lançamento do pacote para habitação, onde estão previstas a construção de 1 milhão de casas populares incluindo itens de sustentabilidade como o sistema de aquecimento solar que no final do mês em conjunto com outras medidas tem condições de proporcionar a redução dos custos mensais das famílias que serão beneficiadas com essas habitações. Estudiosos da construção sustentável apontaram por toda mídia questões muito importantes também em função dos hábitos das pessoas, tais como: infra-estrutura necessária para instalação das casas como: água, esgoto e transporte público urbano, acesso ao local de trabalho qualidade dos materiais utilizados durante a construção que deverão proporcionar condições agradáveis aos seus moradores, pois caso contrário poderá levar a patologias sociais já conhecidas na nossa sociedade como endividamento, alcoolismo, depressão entre outros. Sobre essas análises nos resta o otimismo mesmo diante a crise, pois se a sociedade já começa a mudar comportamentos e outras instituições como a academia de ginástica assume novos papeis que antes eram do governo, e da escola e com isso consegue influenciar no comportamento das pessoas, podemos sim acreditar que é possível promover a mudança necessária para conseguirmos retribuir ao planeta tudo aquilo que nos oferece, com ética, respeito e dignidade. Autora: Vivian Aparecida Blaso Souza Soares César, Relações Públicas, especialista em Sustentabilidade

     
  • 30 mar

    Fundação Dom Cabral recebe inscrições para o GRS – Gestão Responsável para Sustentabilidade 

    “O GRS – Gestão Responsável para Sustentabilidade promovido pela Fundação Dom Cabral é mais que um curso, é um momento único para reflexão sobre o Ser e Saber fazer. A partir dessa experiência, foi possível compreender que para os caminhos da sustentabilidade não é necessário apenas saber fazer é necessário também viver e compartilhar com as pessoas a sua volta as verdadeiras motivações para mudanças sejam nas empresas ou em nossa vida pessoal. A metodologia utilizada durante o aprendizado facilitou o meu dia a dia na empresa onde trabalhava conseguindo me adequar aos horários para compartilhar o aprendizado no sistema de educação a distância com meus colegas do curso. Além deste compartilhamento único com profissionais que vivem em maior ou menor escala os dilemas da sustentabilidade o GRS proporcionou um ganho significativo conhecimento técnico através de embasamento teórico e metodológico oferecidos pelo curso. Muitos dos colegas do GRS compartilham da mesma visão “ Este curso possui um formato tão especial que e possível que ele se repita para a mesma turma por várias vezes, em função das discussões e aprendizados sobre sustentabilidade”. Hoje, tenho minha empresa de consultoria em sustentabilidade e estou totalmente engajada com o tema e considero que este curso representou um marco na minha vida profissional. Vivian Blaso, ex aluna do GRS em 2008, atualmente Diretora de Marketing e Sustentabilidade da Conversa Sustentável Consultoria e Assessoria Mercadológica e Responsável pela área de comunicação e eventos do CBCS – Conselho Brasileiro de Construção Sustentável”
    Gestão Responsável para a Sustentabilidade
    Seleção / Inscrição
    InscriçãoA inscrição para a primeira turma deve ser feita até o dia 01 de abril de 2009. Após essa data, ficará condicionada à disponibilidade de vagas, que são limitadas. Para se inscrever no GRS, o candidato deve preencher a ficha de inscrição e enviá-la para análise da FDC. Para mais informações, entre em contato por meio do e-mail atendimento@fdc.org.br ou ligue para +55 31 3589 7300 / 4005 9200 (principais capitais) / 0800 941 9200 (demais localidades).
    http://www.fdc.org.br/pt/programasabertos/gestao_responsavel_sustentabilidade/Paginas/estrutura.aspx
    SeleçãoA admissão para o programa GRS obedece a critérios que se baseiam na criação de grupos homogêneos, em nível e diversidade de experiências. Dessa forma, permite que as empresas participantes encontrem interlocutores para o processo de intercâmbio e de aprendizagem. Caso a FDC constate que o GRS não é o programa mais adequado no momento, poderá indicar um outro que atenda às necessidades da empresa e do participante.
    CancelamentoCancelamento somente será aceito se comunicado com até 30 dias de antecedência da data de início do programa. Após essa data, serão aceitas substituições, desde que o perfil do candidato seja adequado ao programa.
     
  • 27 mar

    1° Workshop Conversa Sustentável, mudou a data, horário e o local e agora será gratuito. 

    Destinado a Profissionais, Gerentes, consultores, empresários, líderes de associações profissionais, fundações, instituições, estudantes e entidades de classe que desejam incorporar os temas da sustentabilidade em suas práticas de gestão o evento será realizado na 2ª Semana do Meio Ambiente da Livraria Cultura. O Tema da semana será “Terra, lugar para morar”.
    Data: 03 de Junho
    Horário: 10h30 ás 19horas
    Local: Livraria Cultura – Bourbon Shopping Pompéia – Rua Turiassú, 2100

    As inscrições são gratuitas e as vagas limitadas!

    PROGRAMAÇÃO CONFIRMADA

    Painel 01 – Gestão e SustentabilidadeISO 26.000 – Aron Belinky – Secretário Executivo Grupo de Articulação das ONGs Brasileiras ISO 26000
    Grupo Santander – Marcelo Torres – Superintendente de Desenvolvimento SustentávelInstituto Jatobás – Luiz Alexandre – Vice PresidenteInstituto Ecodesenvolvimento – Isaac Edington – PresidentePainel 02 – Sustentabilidade, Tecnologias e GestãoGrupo Pão de Açúcar – Paulo Pompilio – Diretor de Relações CorporativasC&C Casa e Construção – Evandro Luiz Lopes – Diretor Regional e Lauro Carvalho Engenheiro CivilTecnisa – Roberto Loureiro – Gerente de Redes SociaisObras On line – Wagner Dias – Diretor

    Inscrições estão abertas! *Vagas Limitadas! (Sujeita a confirmação)

    Faça sua inscrição através do site: http://www.conversasustentavel.com.br/workshop.htm

    Maiores Informações: 55 (11) 3804 1705 Falar com Atanácia Email: inscricao@conversasustentavel.com.br

     
  • 26 mar

    Prêmio Ethos-Valor, 9ª edição
    Inscrições abertas entre 09 de março e 13 de abril!

    O Prêmio Ethos-Valor – concurso destinado a professores e estudantes universitários para trabalhos acadêmicos sobre responsabilidade social empresarial e sustentabilidade aplicada às empresas traz novidades em 2009!

    Em sua 9ª edição, o Prêmio quer mobilizar e aprofundar conhecimentos, disseminando o conteúdo da Carta da Terra – que é uma referência histórica na defesa da construção de uma sociedade planetária sustentável – e aproximando ainda mais a pesquisa universitária do desafio da implementação de uma gestão sustentável das empresas.

    Para a categoria Estudantes, o desafio será o de desenvolver artigos relacionando – obrigatoriamente – a gestão da responsabilidade social empresarial (RSE) e/ou o desenvolvimento sustentável (DS) aplicado às empresas com os princípios e artigos da Carta da Terra. Para quem já tem um trabalho em desenvolvimento ou pronto, é plenamente possível se inscrever, apenas apontando no sumário executivo do mesmo a relação entre o conteúdo do trabalho acadêmico sobre RSE e/ou DS e o conteúdo da Carta da Terra.

    Na categoria Professores, o tema para o artigo será Educação para a Sustentabilidade. Os trabalhos devem abordar uma formação universitária que prepare os estudantes para lidar com o desafio da sustentabilidade no trabalho e na vida.

    A principal inovação na 9ª edição é a criação da categoria Mista e Temática. Para tratar de temas emergentes e das questões mais críticas para as empresas, o concurso propõe que grupos formados por no máximo cinco (5) pessoas, que incluam obrigatoriamente professores e estudantes, inscrevam trabalhos sobre Como as Empresas Podem Contribuir para a Redução da Pobreza.

    Num momento de crise econômica e que exige a criação de novos modelos e caminhos, a reflexão acadêmica pode contribuir para o desenvolvimento de saídas para uma sociedade mais justa e sustentável.

    Inscrições
    Pré-Inscrições: de 9 de março a 13 de abril de 2009.
    Envio dos trabalhos: até 14 de abril de 2009.
    Não há limite de inscrições por autor, categoria ou instituição de ensino.

    Mais informações, regulamento e inscrições: http://www.premioethosvalor.org.br/ ou premio@ethos.org.br.

     
  • 23 mar

    Manuais Madeira 

    Caros Amigos,

    Os manuais distribuidos no evento de Lançamento Programa Madeira é Legal, estão disponíveis para download no site http://www.anggulo.com.br/madeira/retro/manuais.htm e são gratuitos.

     
  • 23 mar

    SEMANA DA CONSTRUÇÃO EM SÃO PAULO 

    REVESTIR E FEICON PROMETEM NOVIDADES EM SUSTENTABILIDADE
    NO SETOR

    A partir de amanhã, serão realizados dois eventos que fazem parte da agenda da Construção em São Paulo: FEICON BATIMAT 17º Feira Internacional da Indústria da Construção e a Revestir Feira Internacional de Revestimentos.

    Diferente do ano passado, a Revestir 2009, pretende mostrar aos participantes as novidades em Sustentabilidade. Para o setor, o mais relevante são os aspectos ambientais, pois o processo de fabricação das cerâmicas apresentam impactos significativos no meio ambiente.

    A Cerâmica Lepri, trabalha com matéria prima a partir da reciclagem de lâmpadas fluorescentes, que hoje representa no Brasil um grande problema em relação ao seu descarte, pois existem poucas empresas que conseguem no processo de reciclagem extrair o mercúrio um metal pesado que pode causar danos a saúde do homem e da natureza.

    Outras iniciativas do setor estão na redução da queima do gás natural que segundo o inventário da CETESB, uma das industrias cerâmicas do estado é responsável por 60.381 toneladas ano de CO2 na natureza. E a Eliane traz para a feira o porcelanato , feito com até 60% de massa reaproveitada e uso consciente de energia limpa (90% de água reaproveitada do processo e até 50% de economia de energia elétrica). Outras iniciativas sustentáveis estarão em exposição na feira

    http://www.exporevestir.com.br/

    A Feicon Batimat, promete trazer novidades em Sustentabilidade, durante o evento estão previstas a realização de 02 seminários sobre Sustentabilidade além a apresentação da Casa Aqua, uma iniciativa da Inovatech.

    A Inovatech Engenharia, o projeto é uma iniciativa conjunta da Missão Econômica da França no Brasil, da Fundação Vanzolini e da Reed Exhibitions Alcântara Machado. A casa foi concebida para atender aos critérios do Referencial Técnico de Certificação da Construção Sustentável – Processo Aqua (Alta Qualidade Ambiental), lançado em abril do ano passado pela Fundação Vanzolini, inspirado no sistema francês HQE (Haute Qualité Environnementale) e adaptado à realidade brasileira.Nesta ocasião, será possível conferir os sistemas que tornam a casa sustentável, tais como reaproveitamento de água, automação com vistas à redução de consumo de energia e conforto ambiental, utilização de energia solar e de produtos e materiais recicláveis, entre outros.

    SEMINÁRIO BRASIL/FRANÇA: CIDADES SUSTENTÁVEIS, CONCEITOS E APLICAÇÕES PRÁTICAS
    Local: Hotel Holiday Inn Parque AnhembiData: 24/03/2009 (terça-feira) Sala São Paulo I

    SEMINÁRIO GREEN BUILDING COUNCIL: “CONSTRUINDO UM FUTURO SUSTENTÁVEL”

    Local: Hotel Holiday Inn Parque Anhembi Data: 27/03/2009 (sexta-feira)
    Maiores Informações:

    http://www.feicon.com.br/home/index_pt.php

    Autora: Vivian Aparecida Blaso Souza Soares César, Relações Públicas especialista em Sustentabilidade

     
  • 21 mar

    Ecofit realiza primeira mostra de soluções sustentáveis 

    Academia expõe o trabalho de organizações que apresentam alternativas para minimizar impacto ambiental

    A Ecofit Club, única academia ecológica do Brasil, realiza no dia 23 de março, das 8 às 21 horas, a primeira feira com soluções sustentáveis. O evento acontece no living da academia e reúne mais de 20 organizações que, assim como a própria Ecofit, assumem posturas ecologicamente responsáveis e realizam um trabalho que visa minimizar os impactos ambientais.

    “A Mostra de Práticas e Tecnologias Ecoeficientes pretende alertar as pessoas e empresas sobre os benefícios da adoção de medidas empresariais sustentáveis, além de novidades no assunto. A preocupação com o meio-ambiente acompanha a Ecofit desde a concepção do projeto e queremos propagá-la para outras organizações”, declara Antônio Gandra, sócio da Ecofit.

    Greenpeace Brasil, SOS Mata Atlântica e WWF Brasil são algumas das ONG´s confirmadas. Além de Patrícia Totaro Arquitetura de Resultados, Econoágua e Supergreen Ecomateriais, e outras empresas que desenvolvem produtos e tecnologias visando o bem do planeta.

    Entre as práticas e tecnologias alternativas apresentadas destacam-se o aquecimento solar; a energia fotovoltáica, obtida por meio da conversão da luz solar em eletricidade; as lâmpadas LED (caracterizadas por sua alta durabilidade aliada ao seu baixo consumo energético) e a neutralização de carbono. Alimentos orgânicos e reciclagem também estarão em pauta.

    A feira acontece um dia depois do “Dia da Água” e os cuidados para o consumo consciente desse bem natural serão uma das prioridades do evento, com a apresentação de empresas que adotam métodos para o seu uso racional. É o caso da Ecofit, com o projeto economia de água e educação para o seu consumo.

    Idealizado por Ester Ribeiro, o plano contempla a instalação de chuveiros com arejadores e de “ampulhetas” para medir o tempo dos banhos. Segundo a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), uma ducha de 15 minutos, com o registro um pouco aberto, gasta cerca de 135 litros de água; enquanto uma com duração de cinco minutos consumiria 45 litros. A academia também adota a captação de água da chuva, que é direcionada para a descarga dos vasos sanitários.

    O evento é gratuito e para efetuar as inscrições os interessados devem enviar e-mail para cadastro@ecofit.com.br. Todos os que cadastrarem-se até 20 de março concorrerão a prêmios e aqueles que forem até o evento de bicicleta ou a pé também concorrem a um prêmio especial.
    Serviço:
    Ecofit Club
    http://www.ecofit.com.br

    Organizações participantes:

    Abrapan – Associação Brasileira de Produtos Artesanais, Naturais & Bem Estar
    Associação ReciclázaroAteliê do Café – Daterra – Café Sustentável
    Conversa Sustentável Consultoria e Assessoria Mercadológica
    Econoágua
    EcoScooter – Watts & Volts
    Envolverde – Revista Digital de Meio Ambiente e Desenvolvimento
    Escola de Reciclagem
    Espaço Zym
    Girassol Aquecedor Solar
    Greenpeace Brasil
    IBDN – Instituto Brasileiro de Defesa da NaturezaInstituto 5 Elementos
    Instituto Paulo Freire
    Jasmine AlimentosLemca LED Solutions
    Patrícia Totaro – Arquitetura de Resultados
    PenseEco – Consultoria, Eficiência Energética e Processos Ecossustentáveis
    Projeto Biodiesel – Secretaria de Meio Ambiente de Osasco
    Revista Água – Gestão e Sustentabilidade
    Sharewater – Uso Racional da Água
    SOS Mata AtlânticaSupergreen – Ecomateriais
    Tamiso Orgânicos
    Viaje Verde
    WeledaWWF Brasil

    Mais informações para a imprensa:
    Germinare Comunicação
    Roberta Vieira
    (11) 3661-2593
    robertavieira@germinarecomunicacao.com.br

     
  • 17 mar

    Banco Real recebe quatro novas certificações ISO 14001 

    A agência de Fernando de Noronha (PE) é a primeira da América Latina a obter a certificação. Mais três prédios administrativos – dois em São Paulo e um em Belo Horizonte (MG) – também recebem certificação

    O Banco Real, instituição que integra o Grupo Santander Brasil, é mais uma vez reconhecido por seu comprometimento com a sustentabilidade. Neste mês, a agência de Fernando de Noronha, em Pernambuco, e três prédios administrativos – Álvares Penteado e Boa Vista, na capital paulista, e Savassi, em Belo Horizonte (MG) – receberam a certificação ISO 14001, que estabelece diretrizes sobre a gestão ambiental das empresas. Também foram re-certificados os prédios do edifício sede, na Avenida Paulista, da Avenida Brigadeiro Luiz Antônio e da Rua XV de Novembro, todos localizados em São Paulo e certificados pela primeira vez em 2006 e 2007, respectivamente.
    “Ganha a sociedade como um todo, pois com este tipo de certificação há a garantia que a organização identifica e controla seus impactos no meio ambiente, bem como está engajada em diminuir seus consumos de recursos naturais”, afirma Alexsandro Paschoal, responsável pelo Sistema de Gestão Ambiental e pelas certificações do Banco Real.
    A norma ISO 14001 é reconhecida mundialmente e estabelece uma série de processos a serem adotados pelas organizações, visando minimizar/evitar impactos ao meio ambiente. O escopo da certificação envolve as áreas de manutenção predial (civil, elétrica, mecânica e geral), limpeza, controle de pragas, jardinagem, alimentação, ambulatório médico, segurança predial e gestão de resíduos.
    Os benefícios das certificações, que têm validade de três anos e contam com análise anual de auditoria externa realizada pela DQS do Brasil, refletem o empenho do Grupo Santander Brasil na busca pelo aperfeiçoamento da gestão e práticas de sustentabilidade. Além disso, garantem o cumprimento da legislação ambiental pertinente e estimulam o desenvolvimento e compartilhamento de soluções ambientais, capacitando assim toda a cadeia envolvida (clientes, funcionários e fornecedores). De acordo com Alexsandro, “nossa constante atuação sustentável contribui para a construção de uma sociedade melhor e também busca inspirar pessoas a agir de maneira sustentável e empresas a buscar o equilíbrio entre os aspectos sociais, econômicos e ambientais no dia-a-dia de seus negócios”.

    Sobre o Grupo Santander Brasil
    O Grupo Santander Brasil, que reúne os bancos Santander e Real, em dezembro de 2008 contava com ativos totais de R$ 315 bilhões, R$ 204,3 bilhões de captações totais – R$ 124 bilhões em depósitos e R$ 80,4 bilhões em fundos de investimentos, mais de oito milhões de correntistas ativos e uma rede de 3.592 pontos de venda, entre agências e postos de atendimento.

    Sobre o Grupo Santander no mundo
    O Santander (SAN.MC, STD.N), com sede em Madri, tem como atividade fundamental o banco de varejo, o qual complementa com desenvolvimentos globais em banco de atacado, cartões, gestão de ativos e seguros. Ao final de 2008, o Santander tinha €1,168 trilhão em ativos administrados de mais de 80 milhões de clientes atendidos em mais de 14 mil agências. Fundado em 1857, o Santander é o primeiro grupo financeiro na Espanha e na América Latina e conta com uma importante presença na Europa Ocidental e no Reino Unido. Em 2008, o Banco obteve um lucro líquido atribuído de € 8,876 bilhões, um crescimento de 9% em relação ao mesmo período de 2007 sem incluir os ganhos extraordinários. Para mais informações, acesse o site http://www.santander.com.
    Na América Latina, o Santander é responsável pela gestão de um volume de negócios superior a US$ 200 bilhões (incluindo créditos, depósitos, fundos e patrimônios administrados), por meio de 6.089 agências. Em 2008, o Santander obteve na América Latina um lucro líquido atribuído de € 2,945 bilhões, um aumento de 10% em relação a 2007.

     
  • 12 mar

    Lançamento do Programa Madeira Legal dia 18 de março 

    No dia 18 de março, será lançado o Programa Madeira é Legal, uma iniciativa do Governo do Estado, Governo Municipal, IPT, Sinduscon, WWF e entidades apoiadoras. O CBCS Conselho Brasileiro de Construção Sustentável é um dos signatários do termo de cooperação que visa combater o uso da madeira ilegal no setor da construção civil , um dos principais consumidores de madeira.O CBCS tem como objetivo induzir o setor da construção a utilizar práticas mais sustentáveis que venham melhorar a qualidade de vida dos usuários, dos trabalhadores e do ambiente que cerca as edificações. Neste sentido, defende a necessidade do uso racional e sustentável da madeira na construção civil, minimizando os impactos na extração, beneficiamento, utilização e destinação de resíduos. O uso racional deve considerar aspectos como qualidade; durabilidade; evitar desperdícios, quer seja na sua fabricação, quer na sua utilização; e o uso de produtos para preservação da madeira que não causem danos ao meio ambiente e à saúde humana.Durante o evento também será lançado a segunda edição do Manual: Madeira, Uso Sustentável na Construção Civil elaborado pela SVMA / IPT e SindusCon-SP e o Manual elaborado pelo WWF com orientações para a compra de madeira de origem legal e madeira certificada.Participarão do evento o Prefeito Gilberto Kassab, o Secretário de Meio Ambiente do Estado Xico Graziano, o Secretário de Meio Ambiente da Cidade de São Paulo Eduardo Jorge e representantes das entidades signatárias.O evento de lançamento do Programa Madeira Legal é gratuito e será realizado no Centro Cultural São Paulo (próximo a Estação Vergueiro do Metrô), das 10h30 às 13horas. Inscrições: http://www.cbcs.org.br/redir.php?mace2_cod=93&pess2_cod=287&lenc2_cod=&url=http%3A%2F%2Fwww.anggulo.com.br
     
  • 10 mar

    ISO 26000 Responsabilidade Social 

    Caros Colegas,

    Na semana passada participei de um evento promovido pela ABNT, sobre ISO 26000, a nova ISO Mundial da Responsabilidade Social. Alguns pontos relevantes do evento merecem ser compartilhados neste espaço:

    Este processo teve seu inicio em setembro de 2002 e a sua aplicação está sendo preparada para qualquer organização no mundo que deseje inserir a Responsabilidade Social em sua gestão;

    A Responsabilidade Social é uma necessidade das gerações futuras;

    A Responsabilidade Social se ajusta com a estratégia da ISO de desenvolver normas que sejam relevantes para a Sustentabilidade;

    Diferente das outras ISOS não será uma norma com fins de certificação ou gestão, sua adesão será voluntária;

    Seu grande desafio está em assegurar a relevância das partes interessadas (stakeholders), por isso seu processo também é evolutivo e complexo;

    Perfil dos stakeholders que estão discutindo a ISO 26000

    85% Indústrias
    28% Governo
    23% ONGS
    5% Trabalhadores
    3% Consumidores

    As diretrizes da ISO de Responsabilidade Social são:

    • Responsabilidade; • Transparência,• Comportamento Ético;• Consideração pelas partes interessadas;• Legalidade;• Normas Internacionais;• Direitos Humanos.

    Além dos princípios, os temas centrais do documento envolvem as áreas de Direitos Humanos; Práticas de Trabalho; Meio Ambiente; Práticas Leais de Operação; Combate à Corrupção e Propina; Consumidores e Desenvolvimento aliado a participação comunitária. As empresas terão de aplicar ações de cada área citada em suas gestões.

    Durante a reunião, foram apontados pelos grupos de stakeholders 10 pontos mais relevantes que serão apresentados na próxima reunião do comitê que será realizado em maio no Canadá junto ao comitê gestor da ISO, essa reunião será pautada no avanço ou não de mais um estágio para sua implementação que está prevista para 2010.

    A questão da ISO de Responsabilidade Social está nos entraves que ela pode causar nas empresas em assumir de fato co-responsabilidades de sua operação em muitos aspectos que envolvem seus multistakeholders.
    Será que a ISO 26000 servirá para um novo direcionamento junto as organizações que quiserem seguir por um caminho mais responsável e que não sabem por onde começar?

    Pra mim, voltamos ao mesmo dilema, será que é preciso dar diretrizes para empresas agirem com responsabilidade causando menos impactos ambientais, sociais e econômicos visando seu desenvolvimento sustentável?

    Este dilema que nos cerca, pra mim, vem na mesma direção dos anteriores já questionados neste espaço será que a humanidade não está precisando de fato de um resgate de valores como a ética, o respeito e a responsabilidade com seus públicos?
    Autora: Vivian Aparecida Blaso Souza Soares César, Relações Públicas especialista em Sustentabilidade

     
c
Compor novo post
j
Próximo post/próximo comentário
k
Post anterior/comentário anterior
r
Responder
e
Editar
o
Mostrar/Ocultar Comentários
t
Ir para o Topo
l
Ir para o login
h
Mostrar / Esconder ajuda
shift + esc
Cancelar