Atualizações de fevereiro 2009 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Teclas de atalho

  • 24 fev

    Evento inédito em São Paulo reunirá Cases de Sustentabilidade. 

    Data: 03/06/09
    Horário: 10h30 ás 19h
    Local: Livraria Cultura Bourbon Shopping Pompéia
    Inscrições Abertas: http://www.conversasustentavel.com.br/workshop.htm

    Programação Confirmada
    Painel 01 – Gestão e Sustentabilidade
    Iso 26.000 – Aron
    Grupo Santander – Marcelo Torres – Superintendente de Desenvolvimento Sustentável
    Instituto Jatobás – Luiz Alexandre – Vice Presidente
    Instituto Ecodesenvolvimento – Isaac Edington – Presidente

    Painel 02 – Sustentabilidade, Tecnologias e Gestão
    Grupo Pão de Açúcar – Paulo Pompilio – Diretor de Relações Corporativas
    C&C Casa e Construção – Evandro Luiz Lopes – Diretor Regional e Lauro Carvalho Engenheiro Civil
    Tecnisa – Roberto Loureiro – Gerente de Redes Sociais
    Obras On line – Wagner Dias – Diretor

    “Tivemos a preocupação de escolher para este evento empresas que estão fazendo algo pelas questões da sustentabilidade, além disso, todas as empresas reunidas possuem casos práticos que podem servir de benchmark para qualquer empresa que deseje investir na melhoria de seus processos e seus serviços sob os aspectos de sustentabilidade. Ainda não tivemos em São Paulo um evento que reunisse tanta expertise num mesmo debate”, afirma Vivian Blaso Diretora de Marketing e Sustentabilidade da empresa.

    Acesse agora mesmo nosso Hot Site: http://www.conversasustentavel.com.br/workshop.htm
    Maiores informações: conversasustentavel@conversasustentavel.com.br

     
  • 15 fev

    Formas mais verdes de se viver 

    Com dicas que podem tornar sua vida mais sustentável, o manual busca aplicar na rotina formas mais “verdes” de se viver .A Believe Comunicação Viva, junto a Fundação Getúlio Vargas, lançou o Manual SOS Sustentabilidade. O guia visa uma conscientização das empresas e sociedade em geral sobre a importância das práticas socioambientais no dia a dia. A agência de comunicação, com foco em projetos de sustentabilidade corporativa, afirma que o manual é um bom começo para a mudança ou manutenção de hábitos sustentáveis.
    “O manual é interativo e de fácil leitura para os iniciantes e também instrutivo para aqueles que já têm hábitos sustentáveis”, recomenda
    Lincoln Paiva, diretor da Believe Comunicação Viva e idealizador do Manual.
    O guia pode ser usado em empresas, ONGs e comunidades, além de escolas e bibliotecas públicas para a formação de alunos e orientação de professores e diretores.
    Pequenas ações para um mundo sustentável .Exemplificando como uma pessoa pode dar pequenos passos rumo a uma responsabilidade socioambiental mais consistente, o guia de prática sustentáveis apresenta de maneira simples algumas dicas que podem levar a uma efetiva mudança. Da água utilizada em casa aos produtos de limpezas que em sua maioria não são biodegradáveis, o guia dá um subsidio didático para quem quer contribuir com um ambiente de vida mais saudável e preservado. A Believe Comunicação Viva, que idealizou o manual, utilizou ao longo do ano passado uma manutenção interna direcionada a uma rotina mais eco-friendly: “Na agência, já havíamos definido que publicaríamos um livro de dicas sustentáveis, algumas práticas da própria agência que havíamos realizado ao longo de 2008, mais algumas dicas para implantação de um programa de mobilidade sustentável dentro da empresa”, afirma Lincon.

    Faça o download do manual

     
  • 15 fev

    O que fazer com essa tal de sustentabilidade? 

    Caros amigos, novamente estamos vivendo um momento de vários dilemas sobre sustentabilidade. Em função da crise, tenho ouvido do mercado algumas frases que tem chamado a atenção principalmente porque minha atuação profissional é como consultora em marketing e sustentabilidade. Mas afinal, o que fazer com essa tal da sustentabilidade?

    O ano passado vivemos um verdadeiro vendaval de revistas, reportagens sobre práticas de sustentabilidade, sustentabilidade corporativa, construção sustentável, responsabilidade social e muitos outros termos que deveriam de alguma forma ter feito parte dos chamados orçamentos nas empresas para 2009.

    Uns acreditam que realmente é apenas um modismo, um vendaval que vai passar… outros acreditam que vai acontecer como o movimento da qualidade no passado, e outros acreditam que não é como aconteceu com o marketing, todo mundo faz uma MBA e acha que sabe fazer marketing, aliás, é até engraçado, pois existem algumas funções que entendem como pré requisito que o profissional tenha que ter especialização em marketing muito comum nos cargos de vendas e gestão de vendas, mas que na verdade o que se deveria ter é habilidade de negociação e não marketing.

    Bem, no meio desse turbilhão de alguma forma as empresas têm sido pressionadas a incluir no seu dialeto a lógica da sustentabilidade. Então, separando um pouco a onda sustentável da necessidade premente de se produzir incluindo a sustentabilidade de maneira transversal aos processos das empresas, nos resta achar alternativas plausíveis com a realidade, sobretudo das empresas que dependem intrinsecamente de recursos naturais não renováveis para se manterem no mercado. Como encontrar formas de reinventar os seus processos, sem investimentos e reduzindo custos? Este é o desafio que separa empresas e profissionais da onda sustentável das empresas e profissionais que verdadeiramente enxergam oportunidades de negócios na sustentabilidade.

    Como dito anteriormente, a sustentabilidade vem arraigada de vários dilemas e talvez para se vencer o primeiro dilema, um diretor ou um gestor de processo, deva fazer o que todo livro de gestão ou quase todo nos ensina “ Colocar as pessoas para pensar, repensar, compartilhar expertises, idéias, pensamentos sobre o processo fazendo com que este processo seja mais otimizado, reduzindo custos como energia, e água evitando desperdícios desnecessários e claro reaproveitando matérias primas e até mesmo reaproveitando ou oferecendo para outras indústrias o que antes chamávamos de lixo.
    Aqui vai uma dica para aqueles profissionais que não sabem ao certo o que fazer com a Sustentabilidade, mas tem sido pressionado a dar resultados práticos sobre sustentabilidade em sua gestão.

    01) – Convicção esteja convicto de que este caminho é irreversível, você como gestor pode até não acreditar muito neste novo conceito, mas terá que respeitar os outros que encararem como desafio que poderá mudar os rumos de uma organização;

    02) – Seleção eleja 01 processo que necessite de mudança, por exemplo, a fabricação de uma linha específica de um produto ou até mesmo um modelo de fabricação de um empreendimento imobiliário;

    03) – Envolvimento convide as pessoas envolvidas neste processo a participarem de um laboratório de sustentabilidade sobre este processo de forma voluntária e conduza a reunião de forma que as pessoas troquem informações que sejam pertinentes para se alcançar um processo mais sustentável para este produto;

    04) – Não descarte nenhuma idéia, ao final da primeira reunião, eleja com o grupo os pontos mais relevantes que combinem com as idéias de otimização, redução, desperdícios, reciclagem etc. Feito isso estabeleça tarefas para o grupo com os seus respectivos responsáveis para a próxima reunião;

    05) – Evolução após a evolução das ações sugeridas pelo grupo, é hora de colocá-las em prática e mensurar os resultados. Após a mensuração e o sucesso no processo convide a diretoria para tomar conhecimento oficialmente dos resultados e sugerindo que deva ser estendido a outros processos da empresa;

    06) – Comunicação com o mercado, após a validação dos resultados práticos encontrados pelo laboratório de sustentabilidade a empresa passou a inserir o tema em um dos seus processos e pretende ou não dar continuidade a este processo com objetivo de se alcançar os melhores resultados.

    Para aqueles profissionais que ainda estão em dúvida quanto o que fazer com sustentabilidade, aqui vai mais uma dica, por que não, contratar empresas especializadas no assunto e convidá-las a realizar um Mini workshop ou treinamentos sobre sustentabilidade para inserir este tema na gestão da sua empresa?

    Essa opção tem sido mais econômica e tem ajudado grandes organizações a repassarem seus processos sob a ótica da sustentabilidade.

    Entre em contato conosco para maiores informações sobre treinamentos customizados, mini work shops e palestras.
    Site: http://www.conversasustentavel.com.br/

    Email: conversasustentavel@conversasustentavel.com.br

    Autora: Vivian Aparecida Blaso Souza Soares César, Relações Públicas especialista em Sustentabilidade

     
  • 8 fev

    SUSTENTABILIDADE NAS PRÁTICAS DE UMA ESCOLA 

    Caros amigos há uns 15 dias atrás recebi através do Blog dúvidas de um proprietário de uma pequena escola no interior da Bahia interessado em adotar práticas de sustentabilidade na sua gestão e para os seus alunos.

    O objetivo deste texto não é encerrar o assunto, mas, sobretudo apontar caminhos que facilitem a vida principalmente de empreendedores que tenham a vontade de inserir o tema na prática empresarial. Dividimos o texto em alguns passos conforme adotamos em nossos projetos de consultoria em outros segmentos.

    Lembrando-se de que para que a sustentabilidade crie raiz é necessário que se tenha como base na gestão princípios e valores éticos com todos os seus públicos de interesse sejam eles: alunos, professores, pais de alunos, comunidade vizinha, imprensa, governo, mídia dentre outros.

    O primeiro passo
    Levantamento dos Stakeholders serve para empreender práticas de sustentabilidade na gestão de uma escola. O importante é dar bons exemplos de cidadania, não adianta a escola propagar a cultura da sustentabilidade se não fizer a lição de casa. Então, o primeiro passo é levantar todos os diálogos que são estabelecidos com alunos, professores comunidade, pais de alunos, desde a preparação de uma reunião até o preparo da aula pelos professores.

    Nestes diálogos, a escola tem condições de incluir práticas e exemplos de uma conduta ética, de respeito ao próximo e ao planeta? E o mais importante quem são estes públicos com os quais a escola se relaciona? Quais interferem direta ou indiretamente no negócio ou são afetados por ela?

    O segundo passo
    Formalidade/Legalidade, o segundo passo é verificar se a escola atende todas as leis ambientais, municipais, se possui alvará de funcionamento, ou seja, o objetivo dessa tarefa é verificar se a escola está atuando de forma legal respeitando as legislações e se está em dia com impostos etc.

    O terceiro passo
    Engajamento com os Stakeholders, neste passo é fundamental comunicar de forma clara e objetiva os motivos pelos quais a escola está preocupada com a sustentabilidade. Por exemplo, é possível viabilizar através da implantação da coleta seletiva um engajamento com todos os stakeholders e até solicitar a equipe de professores para criar uma gincana solidária convidando todos os stakeholders para uma ação social de mobilização contra o desperdício, campanhas de combate a Dengue? Estes são exemplos de práticas de envolvimento social que apresentam grande retorno no engajamento com o tema.

    O quarto passo
    Formação de um comitê de sustentabilidade, neste passo é fundamental envolver pelo menos 01 pessoa de cada processo da empresa assim terá um grupo formado por multistakeholders com o olhar e a visão de cada processo. O importante é estabelecer 01 líder para este comitê e fazer com que este comitê entenda que sustentabilidade por ser um conceito transversal o maior desafio do grupo é fazer com que este conceito seja entendido por todos os stakeholders. O líder deverá estabelecer 01 reunião por semana até a implantação do programa e também metas e objetivos claros para motivar a equipe.

    O quinto passo
    Indicadores de Sustentabilidade, o comitê de sustentabilidade deverá avaliar dentro da realidade da empresa se já trabalham com alguns indicadores que sejam relevantes ao processo de sustentabilidade e também quais seriam os indicadores que hoje conforme a disponibilidade no mercado está mais apropriado para ser implantado como ferramenta na gestão da escola. Hoje temos: ISE – Índice de Sustentabilidade Empresarial, Ethos, GRI – Global Reporting Initiative, IBASE, dentre outros. Todos eles são amplamente difundidos e utilizados e muitas empresas também adotam o desenvolvimento e implantação de indicadores próprios.
    O Ethos é gratuito basta fazer download no site: http://www.ethos.org.br/docs/conceitos_praticas/indicadores/default.asp.

    O grupo deverá aplicar os indicadores de sustentabilidade. Estes indicadores servem como diagnóstico sobre todos os grandes temas que envolvem sustentabilidade tais como: Valores, Transparência, Governança, Público Interno, Fornecedores, Consumidores e Clientes, Comunidade, Governo e Sociedade.

    O sexto passo
    O grupo de sustentabilidade deverá estabelecer as metas e os objetivos que irão fazer parte do programa de sustentabilidade da empresa e também deverão consolidar essas metas com os multistakeholders e com a alta direção e a partir daí se preparar para a elaboração do programa de sustentabilidade da escola.

    O sétimo passo
    Implantação do Programa de Sustentabilidade e Comunicação. Após a validação pela alta administração o comitê ficará encarregado de liderar a implantação do programa, além disso, de reportar aos seus públicos o que está acontecendo. Por isso, a comunicação neste aspecto é utilizada como ferramenta estratégica para gestão da mudança organizacional.

    O oitavo passo
    Comunicação / Relatório de Sustentabilidade, a publicação do relatório de sustentabilidade é muito importante, pois além de agregar valor a marca serve como ferramenta para avaliação da gestão da empresa para tomada de decisão, o ideal é que este relatório seja publicado com periodicidade entre 01 a 02 anos.

    Veja mais informações sobre sustentabilidade no Blog:

    http://conversasustentavel.blogspot.com/

    Outros links interessantes sobre sustentabilidade:
    http://www1.ethos.org.br/EthosWeb/Default.aspxhttp://www.ecodesenvolvimento.org.br/colunas/vivian-blaso

    Autora: Vivian Aparecida Blaso Souza Soares César, Relações Públicas especialista em Sustentabilidade
     
    • Francis David 14:36 em 9 de fevereiro de 2009 Link permanente | Faça login para responder

      Acredito que cada vez mais será frequente empresas com essa preocupação, achei bem interessante quando inaugurou em SP um supermercado “verde”.

      Tudo isso parte da conciencização da população que acaba procurando ou dando preferencia para empresas conciêntes.

c
Compor novo post
j
Próximo post/próximo comentário
k
Post anterior/comentário anterior
r
Responder
e
Editar
o
Mostrar/Ocultar Comentários
t
Ir para o Topo
l
Ir para o login
h
Mostrar / Esconder ajuda
shift + esc
Cancelar