Atualizações de dezembro 2008 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Teclas de atalho

  • 19 dez

    Qual seria o momento atual da sustentabilidade nas empresas? 

    Caros Amigos,

    Qual seria o momento atual da sustentabilidade nas empresas?

    Como já afirmamos anteriormente, podemos dizer que apesar de banalizado o conceito ainda não está internalizado no DNA das empresas – nas pessoas.

    Em pesquisa recente que realizei em grupo, no curso da Fundação Dom Cabral, GRS – Gestão Responsável Para Sustentabilidade, sobre indicadores de sustentabilidade, foi possível perceber através da pesquisa de campo do projeto aplicativo, pontos relevantes que merecem o destaque quando falamos de sustentabilidade nas empresas brasileiras ou multinacionais com atuação local:

    Os indicadores de sustentabilidade são utilizados como ferramenta de gestão pelas empresas e tem ajudado a inserir o tema na gestão contribuindo para o estabelecimento de metas para se alcançar os resultados;

    As empresas são influenciadas a utilizar os indicadores pela solicitação de stakeholders, de acionistas e melhoria da sua imagem perante a sociedade;

    Nas empresas pesquisadas há um distanciamento entre a estratégia e política de sua prática no qual chamamos de procedimentos, mas se por outro lado já existe essa intenção é sinal de que o caminho para sustentabilidade está aberto;

    Os indicadores vêm sendo avaliados com periodicidade de um ano o que é bem interessante, pois metas tem sido implementadas a partir da sua análise o que contribui para a melhoria das práticas de sustentabilidade nas empresas;

    Os indicadores são respondidos e preenchidos pelos responsáveis das áreas, o que talvez não reflita a realidade da empresa, talvez fosse necessário a inclusão de outras pessoas neste processo para uma visão mais sistêmica da realidade;

    O percentual de indicadores avaliados por organismos independentes ainda é baixo considerando que 56% das empresas responderam que os indicadores são validados pela alta administração;

    Praticamente 50% das empresas não possuem política para comunicar resultados negativos, o que apontam cada vez mais relatórios de sustentabilidade sendo utilizados como promoção de imagem institucional das empresas;

    Os indicadores tem ajudado as empresas ao direcionamento estratégico para sustentabilidade;

    Os indicadores têm sido utilizados também como ferramenta de marketing para comunicar resultados da alta administração, público interno e stakeholders;

    Dentre as maiores dificuldades encontradas na empresa para análise dos indicadores, destacam-se a gestão de processos, controles internos e disponibilidade de dados;

    Apenas 10% das empresas encontraram dificuldades por questões financeiras para análise dos indicadores de sustentabilidade.

    Dentre estes pontos que foram destacados alguns deles nos remetem ao ponto inicial dessa discussão sobre a banalização do tema e o seu distanciamento entre o discurso sustentável e as práticas de sustentabilidade. Como profissional de marketing e comunicação, não poderia deixar passar em branco a responsabilidade cada vez maior com a ética e o discernimento na hora de comunicar com os seus stakeholders as ações de sustentabilidade.

    As pressões estão cada vez maiores nessa direção, principalmente porque o varejo começa a incorporar estes aspectos e a catequizar ou educar os consumidores sobre os temas pertinentes a sustentabilidade. Em publicações anteriores destacamos o Pão de Açúcar com Exemplo de Varejo Sustentável que começou os seu trabalho desde a edificação, ou seja a partir da construção do empreendimento. Diferente de outras redes, o Pão de Açúcar conseguiu mostrar para seus usuários os conceitos aplicados na construção e também as ações tomadas pela empresa desde a seleção dos fornecedores tanto na fase de obra como na fase de operação com critérios de sustentabilidade.

    Exemplo do que fez o Pão de Açúcar em realizar um rico trabalho de marketing e educação com os usuários, podemos dizer que para que os profissionais de marketing e comunicação esteja um grande desafio: Atender a pressão de acionistas e tratar as questões de sustentabilidade com ética, cautela e respeito ao consumidor, que no final se torna sempre o refém do que encontra nos pontos de venda. Facilitar a linguagem, esclarecer os pontos de sustentabilidade e, sobretudo abrir um canal direto para esclarecer as dúvidas e as demandas que irão surgir talvez sejam os direcionamentos corretos a serem seguidos por estes profissionais que queiram se destacar em sua profissão sem pecar pelo excesso, mas com cautela e muita responsabilidade. Contudo, este assunto não pretende se esgotar neste artigo, mas pretende provocar uma discussão profunda aos profissionais de comunicação e marketing, e, sobretudo aos profissionais que demandam essas atividades para os “marketings” das empresas. Existe aqui um viés entre o que é demando e o que é atendido pelo marketing. Será que não estamos no momento de questionarmos sempre o porquê antes de tornar as ações de sustentabilidade em marketing comercial?

    Autora: Vivian Aparecida Blaso Souza Soares César, Relações Públicas, especialista em Sustentabilidade
     
    • Letíciα 16:13 em 19 de dezembro de 2008 Link permanente | Faça login para responder

      Pαrαbéns , se suα estrelα nαo brilhαsse mαndαriα você jogαr purpurinα nelα , mαis você é umα pessoα q nuncα vαi deixαr de brilhαr , αfinαl teem todαs αs quαlidαdes pαrα continuαr !
      Só nαo fαlo que você é d+ poorque você nαo sobrα , nαo é resto , e nαo vαi pro lixo , sαko?

      ~ Continue αssim!
      #Tee αmoo

    • Jair Marcos 20:36 em 22 de dezembro de 2008 Link permanente | Faça login para responder

      Prezada Vivian, muito prazer; ótimo artigo, estou fazendo uma matéria sobre sustentabilidade corporativa para a revista Construção & Negócios, da Editorial Magazine, e preciso de sua ajuda. Meu dead-line já estourou (!). Será que posso te entrevistar? Por favor, ligue para mim: 2601-5954/9787-8271/9307-1214.

      Grande abraço!
      Jair Marcos Vieira
      Jornalista – Mtb 22190 – SP

    • vanessa dantas 19:24 em 5 de junho de 2009 Link permanente | Faça login para responder

      Olá me chamo vanessa e estou fazendo um artigo sobre “A importância da sustentabilidade para a imagem institucional”.

      se puder me indicar algum texto eu agradeço

      desde já obrigada

  • 18 dez

    CAVERNAS BRASILEIRAS RUMO AO BURACO!!! 

    O recém-publicado Decreto 6640 quer definir as cavernas brasileiras em subjetiva “relevância”!Isto abre a possibilidade de destruição de muitas cavernas, cuja importância e valor científico serão categorizados de forma estranha…Relevância alta…protege…será?
    Relevância baixa…dinamite nelas! Não podemos permanecer passivos ante o lobby econômico de setores empresariais interessados, e o descaso do governo para com este importante patrimônio natural!

    MANIFESTEM-SE!!
    PROTESTO DOS CAPACETES: NÃO AO DECRETO 6640!!DIA: 22/12 – ÀS 18:O0 HS

    LOCAL: AVENIDA PAULISTA, São PauloConcentração no ESPAÇO PÚBLICO DO MASP, Seguida de caminhada para a FIESP e IBAMA. Com os capacetes acesos!
    ESPELEÓLOGOS E SIMPATIZANTES DA CAUSA:A força vem do grupo, mas a responsabilidade é de cada um de nós!
    TRAGAM SEUS CAPACETES!
    Realização: REDESPELEO Brasil Apoio: SBE
    http://www.redespeleo.org.br

     
    • Letíciα 22:38 em 18 de dezembro de 2008 Link permanente | Faça login para responder

      Pαrαbéns , see suα estrelα nαun brilhαsse mαndαriα voolsê joogαr purpurinα nelα , mααis voolsê é umαα pessoα q nunkα vαi deeixαr de brilhαr , αfinαl teein todαs αs kuαlidαdess pαrα continuαr !
      Só nαun flo q volsê é d+ poorq voolsê noom sobrα , nαun é resto , e nαun vαi pro lixo , sαkolé?

      ~ Continue αssin!
      #Tee αmoo

    • Amanda 16:15 em 19 de dezembro de 2008 Link permanente | Faça login para responder

      Parabéns pelo seu trabalho!!!
      Continue assim aprendendo e postando tudo que você aprende nesse blog, porque assim muitos poderão ler e aprender também!!!

      ~~ Continue assim ~~
      Beijos

    • Thais 12:31 em 7 de janeiro de 2009 Link permanente | Faça login para responder

      Vivi, tô com saudade!
      Passei por aqui pra desejar que 2009 seja uma ano espetacular para você e para o Conversa Sustentável!
      Muuuuuuiiiiito sucesso pra você!!
      Beijo grande!
      Thais

  • 17 dez

    PROGRAMA NA MÃO CERTA 

    O Programa Na Mão Certa, uma iniciativa da Childhood Brasil (Instituto WCF) que visa reunir esforços para mobilizar governos, empresas e organizações da sociedade civil no enfrentamento mais efetivo da exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias brasileiras. Em parceria com o Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, o Programa lançou um Pacto Empresarial Contra Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Brasileiras. A adesão de empresas é voluntária e gratuita. Para assinar o Pacto e obter maiores informações acesse o site: http://www.namaocerta.org.br ou envie um email para atendimento@namaocerta.org.br

    COMO IMPLANTAR O PROGRAMA NA MÃO CERTA

    O Programa Na Mão Certa é uma iniciativa da Childhood Brasil que visa reunir esforços para mobilizar governos, empresas e organizações da sociedade civil no enfrentamento mais efetivo da exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias brasileiras.

    O Pacto Empresarial contra Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Brasileiras é uma ferramenta do Programa criada em parceria com Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social.

    A adesão das empresas é voluntária e gratuita. Esta assinatura deve ser feita através do preenchimento do formulário “Assinar o Pacto” no site http://www.namaocerta.org.br

    A partir da formalização do compromisso de adesão através da assinatura do Pacto Empresarial, o Programa apresenta as seguintes dicas de implantação para orientar e facilitar as decisões gerenciais:

    1º Passo – Divulgação interna e na cadeia de valor

    Encontram-se à disposição diversos arquivos com peças de comunicação que podem ser utilizados para divulgações internas e anúncios em veículos especializados.

    Na área restrita do site existe um espaço exclusivo para as empresas signatárias, com uma galeria de anúncios e materiais de divulgação para download gratuito de arquivos finalizados em PDF para veiculação ou impressão.

    Em caso de dúvidas sua empresa pode enviar e-mail para: atendimento@namaocerta.org.br

    2º Passo – Atuação do Ponto Focal na empresa
    O Ponto Focal é o colaborador cadastrado no momento da adesão ao Pacto Empresarial como representante da empresa junto ao Programa Na Mão Certa. O Ponto Focal tem a responsabilidade (determinada pela empresa) de olhar para o Programa embora, devido à diversidade de empresas, nem sempre esteja diretamente ligado à área de responsabilidade social corporativa, ou seja, o responsável pelas futuras ações de educação dos caminhoneiros.
    O Ponto Focal pode indicar outras pessoas, ou formar um comitê na empresa, para conduzir a implantação das ações.
    Para ajudar os Pontos Focais nessa tarefa, o Programa Na Mão Certa oferece um Guia para Empresas – Compromissos e Ações. Este Guia é entregue aos Pontos Focais nos encontros do Ciclo de Workshops. Informe-se periodicamente quando acontecerão os próximos encontros através do site do Programa.
    O valor para formação de um ponto focal num Ciclo de Workshop Regional é de R$ 200,00 (duzentos reais). O Programa também oferece a possibilidade de realizar uma formação “in-company”. Para este módulo é necessário solicitar um orçamento, pois envolve a contratação de consultores especialistas. O valor estimado desta formação é de R$ 3.000,00 (três mil reais) para um grupo de 2 a 10 pessoas.

    O Ponto Focal também tem como papel o preenchimento dos Indicadores de Acompanhamento dos Compromissos do Pacto Empresarial no site http://www.namaocerta.org.br, logo após a adesão ao Pacto Empresarial, com o objetivo de estabelecer o “marco zero”. Para ajudar nesta tarefa dispomos de um manual de indicadores que orienta as etapas de preenchimento.
    3º Passo – Multiplicadores e Caminhoneiros
    Uma das principais estratégias de atuação do Programa Na Mão Certa é a educação dos caminhoneiros que são ou podem vir a ser clientes da exploração sexual de crianças e adolescentes, para que eles se transformem em agentes de proteção co-responsáveis pela eliminação do problema.

    Para atingir este objetivo, o Programa Na Mão Certa desenvolve campanhas de comunicação informativas e de valorização destes profissionais da estrada, reforçando o posicionamento de que, juntos, vamos acabar com a exploração sexual de crianças e adolescentes nas estradas.

    No âmbito da educação, desenvolve um Projeto de Educação Continuada, operacionalizado por Multiplicadores das empresas signatárias do Pacto Empresarial e que busca estabelecer um ambiente de troca de experiências, informações e conhecimentos com os caminhoneiros.

    Para tanto foi criado o Guia Na Mão Certa – uma coleção de cartilhas educativas e ilustradas – que levam informação e orientação sobre o tema aos caminhoneiros e, ainda, aborda outros temas de cidadania que são de interesse desta categoria profissional. A coleção é composta de 8 volumes e o valor unitário do Guia está estimado em R$ 0,44 (quarenta e quatro centavos).

    Outra estratégia é a capacitação das empresas para a realização dessas ações de educação, por meio de um Ciclo de Workshops Regionais com oficinas presenciais e o “Guia do Multiplicador”. A partir destes encontros, as empresas estão instrumentalizadas para criar ações e implantar o Projeto de Educação Continuada nas estruturas operacionais.

    O valor da inscrição para formação de um multiplicador num Ciclo de Workshop Regional é de R$ 150,00 (cento e cincoenta reais). O Programa também oferece a possibilidade de realizar uma formação “in-company”. Para este módulo é necessário solicitar um orçamento, pois envolve a contratação de consultores especialistas. O valor estimado desta formação é de R$ 3.000,00 (três mil reais) para um grupo de 2 a 10 pessoas.

    4º Passo – Aquisição de materiais educacionais

    O Programa Na Mão Certa oferece diferentes formas de aquisição dos materiais educacionais. Envie um e-mail para atendimento@namaocerta.org.br informando suas necessidades.

    5º Passo – Boletins periódicos

    O Programa Na Mão Certa tem boletins informativos periódicos. A partir da adesão de sua empresa, todos os colaboradores da empresa cadastrados no momento da assinatura do Pacto Empresarial passam a receber os informativos por e-mail. Caso você queira cadastrar outros colaboradores, acesse o link “Assine o boletim” no site http://www.namaocerta.org.br.

    6º. Passo – Apoio com recursos financeiros

    A coordenação do Programa encaminha às empresas signatárias oportunidades de apoio às diversas ações planejadas anualmente. A empresa signatária pode realizar a doação de recursos financeiros voluntariamente e, como contra-partida, ter sua marca divulgada nos materiais e/ou ações propostas.

    A Childhood Brasil é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público – OSCIP, possibilitando abatimento de Imposto de Renda (IR) no limite de 2% do lucro operacional bruto para doadores pessoa jurídica.

    Contamos com a adesão da sua empresa!

    Central de Atendimento
    Programa Na Mão Certa
    atendimento@namaocerta.org.br

     
  • 11 dez

    FELIZ 2009 

     
    • Paulo Ariel 21:12 em 11 de dezembro de 2008 Link permanente | Faça login para responder

      ótima mensagem, obrigado. Feliz 2009 para o Conversa Sustentável e para a Vivian.

      Precisamos mais e mais desses espaços para estimular essa idéia.. Sustentável.

      Grande abraço

  • 10 dez

    Mario Monzoni, da FGV, lança “Impacto em renda do microcrédito” dia 11/12, na Bovespa 

    O microcrédito, importante ferramenta de combate à pobreza que tem no Grameen Bank, criado em Bangladesh, a experiência pioneira, é tema de Impacto em renda do microcrédito, de Mario Monzoni, coordenador do Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getulio Vargas (FGVces). O lançamento acontece dia 11 de dezembro, às 17h30, na sede da Bovespa.

    Sobre o lançamento
    O livro de Mario Monzoni será lançado durante o , realizado pelo programa New Ventures Brasil para, entre outros objetivos, facilitar a transferência de capital empreendedor a empreendimentos que aliam rentabilidade a impactos socioambientais positivos.AGENDALançamento do livro” São Paulo Confia.
    Segundo o economista Ciro Biderman, Doutor em Economia pela FGV e especialista em desenvolvimento local, autor do prefácio, o livro “deve ter um papel relevante para aumentar o foco em soluções alternativas (e complementares) aos programas tradicionais de distribuição de renda e de seguro social que hoje representam uma parcela considerável do orçamento público.”Abaixo, disponibilizamos o texto de orelha e o sumário da obra de Monzoni. Orelha:O movimento de globalização iniciado na década de 1990 trouxe incontáveis desafios para os países em desenvolvimento e jogou luz sobre questões fundamentais para o desenvolvimento integrado das nações e a interação entre elas.Um dos aspectos que parece ter se tornado mais evidente desde então é a desigualdade social e a pobreza, cuja visão dramática se impõe ao mundo globalizado por seus parâmetros extremamente críticos. Para fazer frente aos índices inadmissíveis de miséria e desigualdade de oportunidades, fortaleceram-se, desde então, ao redor de todo o planeta, estratégias de distribuição de renda e de microcrédito – algumas novas, pioneiras, e outras reinventadas.Foi nesse cenário que se festejou, por exemplo, o sucesso de um empreendimento surgido ainda nos idos de 1970, o Grameen Bank, criado por Muhammad Yunus em Bangladesh. Embora já se tenha notícias do papel fundamental de instituições financeiras de crédito na redução da pobreza desde 1950, foi a partir de 1990 que, inspirado no pioneirismo de Yunus, o instrumento veio a aperfeiçoar-se e aproximar-se de um modelo sustentável.Ainda que a nova geração de organizações de microfinanças abordadas neste livro traga significativas inovações institucionais que reduziram consideravelmente o grau de inadimplência do sistema, o modelo precisa amadurecer em vários aspectos. É necessário ainda encontrar a combinação certa entre o microcrédito e estratégias de transferência direta de renda capaz de efetivamente fazer diferença no alívio à pobreza.Neste livro, Mario Monzoni nos oferece uma visão rica e integrada do panorama das microfinanças a partir dos dados coletados no Programa São Paulo Confia. Aqui estão reunidos também os resultados de observação do funcionamento e das práticas de outras instituições de microfinanças, como o já citado Grameen Bank e o Banco Sol, da Bolívia, que têm muito a ensinar ao futuro das políticas de distribuição de renda, entre outras razões porque são empreendimentos que miram a sustentabilidade, como o fazem também as experiências brasileiras.O que Monzoni nos facilita ver neste seu estudo é que, embora as políticas brasileiras de microcrédito sejam modestas, mostram-se, por outro lado, extremamente promissoras em seus resultados e apresentam enorme potencial de crescimento.Trata-se de livro fundamental para compreender como os mecanismos de microcrédito podem tornar-se ferramentas poderosas de alavanca para o desenvolvimento e a inclusão social no Brasil.Este estudo tem certamente papel relevante na reflexão sobre o desempenho dos programas de microcrédito como medida alternativa ou complementar aos programas tradicionais de distribuição de renda e seguro social.
     
  • 8 dez

    Sinduscon Promove Seminário de Normas Técnicas 

    Em maio deste ano, foram publicadas as normas NBR 15575 que definem requisitos de desempenho para edifícios residenciais e representam uma grande mudança na forma de projetar, especificar materiais e sistemas construtivos e garantir a qualidade ao usuário final. As implicações de seu cumprimento e a sua forma de aplicação devem ser de conhecimento de toda a construção civil.O 3º Seminário Normas Técnicas será promovido pelo SindusCon-SP em conjunto com o Secovi-SP, como decorrência natural de toda a atuação das duas entidades na elaboração destas normas. Mais uma vez reunidos num objetivo comum, os dois se juntam nessa nova empreitada, dada a relevância do tema e a necessidade de reunir o máximo de representantes de empresas incorporadoras e construtoras.
    Data e horário16 de dezembro de 2008, das 13h às 19h
    LocalSede do Secovi-SPRua Dr. Bacelar, 1043 – Vila MarianaSão Paulo-SP
    Investimento R$ 100,00 associados SindusCon e Secovi de São Paulo e de outros estados
    R$ 120,00 cadastrados Secovi-SPe participantes do PQ
    E R$ 150,00 não associados,
    Informações e inscrições SindusCon-SP(11) 3334-5600 ou caa@sindusconsp.com.br
    Secovi-SP(11)5591-1304/1305/1306/1307
    Veja aqui a programação completa
     
  • 5 dez

    Lista Suja do Trabalho Escravo 

    A Organização Internacional do Trabalho, o Instituto Ethos e a ONG Repórter Brasil desenvolveram este sistema de busca facilitado com base no Cadastro de Empregadores da Portaria 540 de 15/10/2004 – a chamada lista suja divulgada pelo governo federal. Dessa forma, as empresas signatárias do Pacto Nacional para a Erradicação do Trabalho Escravo podem consultar se determinada propriedade está na relação. A ferramenta é de grande importância para que o setor empresarial cheque com rapidez quais fazendas devem ser suspensas das listas de fornecedores.
    O acesso a esse banco de dados é livre e as informações são constantemente atualizadas com base nas informações fornecidas pela Secretaria de Inspeção do Trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego. (
    Lista Completa) http://www.reporterbrasil.com.br/listasuja/index.php
    Digite a informação que você quer consultar:
    Nome da propriedade
    Ramo de atividade
    Nome do empregador (pessoa jurídica e/ou física)
    CNPJ ou CPF ou CEI (apenas os números)
    Município
    Estado
    Observação: Nem todos os ramos de atividade das fazendas estão identificados.
    Apoio:

     
  • 5 dez

    Lançado o Portal EcoDesenvolvimento 

    Essa semana foi lançado em fase experimental o portal http://www.ecodesenvolvimento.org.br/. Uma iniciativa inovadora com a proposta de oferecer a sociedade um completo veículo de comunicação online de abrangência nacional que apresenta os mais diversos temas e conteúdos relacionados à Sustentabilidade, tudo em um só lugar. Com design arrojado e uma ampla rede de colaboração no Brasil e exterior, o portal disponibiliza Notícias, Vídeos, Podcasts, Foruns, Entrevistas, Debates, Biblioteca e uma acervo de importantes documentos, acordos, protocolos e relatórios relacionados à temática da Sustentabilidade.
    Nunca foi tão importante a temática da sustentabilidade em meio a crise que assola o mundo numa clara demonstração da forma insustentável como que a sociedade vem se desenvolvendo. Portal é uma iniciativa do Instituto EcoD, uma organização não governamental sem fins lucrativos, presidido por Isaac Edington, tem o jornalista Fábio Góis como editor responsável e Inês Carvalho nas Relações Institucionais. Em breve será veiculada a campanha nacional desenvolvida pela Agência Tudo, presidida por Maurício Magalhães do grupo ABC.
     
c
Compor novo post
j
Próximo post/próximo comentário
k
Post anterior/comentário anterior
r
Responder
e
Editar
o
Mostrar/Ocultar Comentários
t
Ir para o Topo
l
Ir para o login
h
Mostrar / Esconder ajuda
shift + esc
Cancelar