Atualizações de setembro 2008 Ativar/desativar aninhamento de comentários | Teclas de atalho

  • 29 set

    Nokia apresenta software móvel para auxiliar serviços sociais no Brasil 

    A Secretaria de Saúde do Amazonas é a primeira a utilizar a nova tecnologia móvel para monitorar a dengue

    São Paulo, 29 de setembro de 2008 – A Nokia, líder mundial em mobilidade, anuncia a primeira aplicação do Nokia Data Gathering (Nokia Coleta de Dados), uma solução de software para ajudar organizações a coletar dados de pesquisas de campo de forma rápida e enviá-los em tempo real. A nova tecnologia, que substitui formulários em papel, garante resultados mais seguros e será utilizada ainda este ano pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), órgão da SUSAM (Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas), em um projeto de combate à dengue na região metropolitana de Manaus.

    Desenvolvido no Brasil, o Nokia Data Gathering, que não terá custos para organizações do setor público e ONGs, permite às organizações criar questionários detalhados para distribuição em diversos aparelhos móveis por meio da rede celular. Agentes podem preencher o questionário no visor do aparelho e mandar as informações em seguida para um servidor central. O sistema também permite o uso do geotag (marcação geográfica) com informações de GPS, que permitem identificar em um mapa os pontos exatos onde a coleta foi realizada. Este recurso garante uma tomada de decisão mais precisa para obter uma localização com mais detalhes das condições do local.

    “O formato convencional de pesquisas exige o transporte de muitos formulários, além de existir sempre o risco de preenchimento incorreto e conseqüente demora na análise e compilação dos dados”, diz Luciana Souza, gerente de responsabilidade social corporativa da Nokia do Brasil. De acordo com Luciana, a coleta de informações em dispositivos móveis desempenha um importante papel social em comunidades isoladas ao redor do mundo. “Trata-se de um serviço que usa a modernidade com excelente custo-benefício e traz enorme facilidade de uso para o pesquisador. Em campos como a saúde, por exemplo, o acesso às informações faz a diferença na hora de combater possíveis epidemias”, complementa.

    Combate à Dengue
    A SUSAM irá usar o Nokia Data Gathering para auxiliar na prevenção de doenças. A partir de outubro, 50 especialistas sairão às ruas da região metropolitana de Manaus, munidos de aparelhos Nokia E61 e Nokia E71, emprestados pela Nokia por comodato, para obter e registrar dados sobre comportamentos preventivos e sintomas da dengue. A fase piloto de implantação da nova tecnologia foi realizada nos últimos dois meses nas zonas Norte, Leste e Oeste, em bairros escolhidos com base nos dados de presença de mosquitos e larvas, e no número de casos da doença.

    Os dados recolhidos ao longo da campanha servirão de suporte aos inquéritos bimestrais realizados para o levantamento rápido de presença de larvas do mosquito Aedes Aegypti em residências e outros edifícios. “A Secretaria de Saúde do Amazonas mantém uma série de programas para enfrentar doenças endêmicas na região e a tecnologia da Nokia vai facilitar a coleta e análise de dados epidemiológicos”, afirma o secretário estadual de saúde, Agnaldo Costa.

    A tecnologia do Nokia Data Gathering envolve a transmissão de dados quase em tempo real, por meio da conexão GPRS das redes GSM. Em locais onde não há rede, os dados ainda podem ser armazenados em um cartão de memória e enviados quando o sinal se restabelecer. Ainda há a possibilidade de envio de dados para um computador via bluetooth (sem fio), cabo USB ou pelo próprio cartão de memória.

    “A transmissão das informações logo após as entrevistas, além de garantir melhor agilidade e segurança. Evita o preenchimento manual, que costuma ser mais trabalhoso e demorado”, diz o secretário. Para o ano que vem, o objetivo é expandir o projeto, envolvendo os 600 agentes de saúde que cobrem todo o estado do Amazonas, obtendo dados também para prevenir e combater a malária e febre amarela. Ainda há a previsão de uso da tecnologia do NDG para campanhas de vacinação e ações de vigilância sanitária e ambiental.

    No início deste ano, o Governo do Amazonas elaborou o Plano de Impacto para o controle da dengue, visando reduzir os riscos de epidemia em Manaus. A capital responde por mais de 90% dos casos registrados no Estado.

    Com ações integradas de saneamento, educação em saúde e combate ao mosquito Aedes aegypti, realizadas de fevereiro a junho, o Plano gerou uma queda de mais de 40% nos casos registrados neste período. As ações foram desenvolvidas por órgãos públicos estaduais e municipais, indústria, comércio e Forças Armadas, sob a coordenação da FVS.

    “Conseguimos controlar a dengue, mesmo com todos os fatores favoráveis à expansão da doença, como a circulação dos três sorotipos, o clima e a proximidade com estados onde houve epidemia em 2008”, afirma Evandro Melo, diretor da FVS. Segundo ele, os casos entre junho e julho foram 47% menores que os registrados no ano passado, quando a doença estava totalmente estabilizada.

    Formulários customizados
    A tecnologia do NDG foi criada para diversos fins, indo além do campo da saúde. “Por exemplo, a obtenção remota de dados é fundamental em áreas como agricultura, censos, serviços emergenciais e até suporte a crianças carentes. Trata-se de um serviço com diversas possibilidades”, reforça André Erthal, gerente do INdT (Instituto Nokia de Tecnologia). Os formulários e questões podem ser totalmente customizados de acordo com a necessidade de cada instituição. “O próprio responsável pela pesquisa pode criar os formulários digitais e transferi-los para o aparelho via Internet, SMS, cabo de dados ou bluetooth”, diz Erthal.

    A Nokia irá licenciar o software do NDG sem custos. “Esta solução mostra o verdadeiro potencial da tecnologia móvel para entregar benefícios sociais”, acrescenta Luciana Souza. “Quanto mais crítico é o tempo para obter as informações, mais importância ganha uma solução baseada em um aparelho móvel”, diz.

    Entidades e empresas interessadas em mais informações podem acessar o site do NDG (file://www.nokia.com/datagathering).

    Sobre a Nokia
    A Nokia é líder mundial em mobilidade, contribuindo para a transformação e o crescimento das indústrias convergentes de comunicação e Internet. Oferecemos dispositivos móveis com serviços e softwares que proporcionam experiências de música, navegação, vídeo, televisão, imagem, jogos e mobilidade corporativa. Outro foco de negócio da Nokia é o desenvolvimento de serviços de Internet, assim como nossas soluções corporativas. A Nokia também desenvolve equipamentos, soluções e serviços para redes de comunicação por meio da Nokia Siemens Networks. Para mais informações, acesse http://www.nokia.com.br/. Os produtos Nokia também podem ser adquiridos pela loja virtual: http://www.nokia.com.br/loja.

    Informações para imprensa:
    LVBA Comunicação (11) 3039.0660 – http://www.lvba.com.br/
    Luis Joly (11) 3039.0677 / / (11) 8555.8323 – luis.joly@lvba.com.br
    Théo Filipe (11) 3039.0669 – theo.filipe@lvba.com.br
    Vitor Vieira (11) 3039.0695 – vitor.vieira@lvba.com.br

     
  • 28 set

    Quais os papéis e habilidades de um gestor responsável para sustentabilidade? 

    Podemos dizer que uma empresa que está a caminho da sustentabilidade corporativa é aquela que, além de declarar em sua missão, valores e objetivos, também consegue instigar em seus públicos de interesse, a vontade de realizar as ações voltadas para o seu crescimento, de forma sustentável. Neste caminho, o papel do gestor responsável para sustentabilidade é o de promover o ambiente favorável para que isso ocorra. Mas como fazer com que este caminho dê bons frutos?

    O primeiro passo para o gestor responsável para sustentabilidade será o seu empenho específico no conhecimento profundo da realidade de seu negócio. Para isso, não basta mergulhar nas rotinas e processos pertinentes à sua área, e sim em todos os processos da empresa, além de ouvir e dialogar com seus públicos de interesse como as comunidades locais, fornecedores, clientes, funcionários, imprensa, governo, entre outros.

    O segundo passo será utilizar suas habilidades interpessoais para lidar com conflitos, interesses, pessoas, processos, ou seja, ser capaz de permear todas as áreas com a intenção de ajudar a enxergar oportunidades onde só se vêem problemas no campo da sustentabilidade.

    O terceiro passo é cuidar da imagem da empresa como se fosse a própria imagem. O gestor deve realizar um trabalho de relações públicas e se preocupar para que a organização tenha coerência entre o discurso e as suas práticas. Agindo dessa forma, ganhará a confiança dos stakeholders e uma conduta ética para a gestão da sustentabilidade na organização.

    Em uma reportagem sobre o perfil dos líderes para sustentabilidade, foram citadas diversas características pertinentes ao gestor responsável. Destaco algumas delas:

    “Coragem para mudanças”
    “Elevado senso de justiça”
    “Coerência”
    “Valorização das pessoas e dos recursos naturais”
    “Diálogo”
    “Liderança servil”
    “Ética”
    “Paixão, envolvimento e habilidade para enxergar oportunidades onde se vêem crises”

    Essas características nos ajudam a concluir que não basta querer ser um bom gestor para sustentabilidade. É necessário entusiasmo, persistência e conhecimento de que o caminho é longo, mas que não tem volta.

    Leonardo Bof, em seus livros, declara que “Se não temos utopias, nos perdemos nos interesses individuais”, neste sentido podemos estabelecer mais uma conexão entre habilidades e papéis de um gestor para sustentabilidade: A capacidade de sonhar. Em uma sociedade se não tivermos essa capacidade certamente iremos perder os interesses individuais e os interesses grupais. Nas organizações a lógica acontece da mesma maneira, o gestor para sustentabilidade não pode perder a capacidade de sonhar, ele deve instigar em sua equipe a vontade pelos ideais de sustentabilidade tais como processos produtivos mais limpos, equidade social, melhoria da diversidade, governança corporativa, ética, respeito às pessoas e ao meio ambiente. Para as organizações que estão iniciando em seu processo de gestão o tema sustentabilidade a sensação é de que tudo é utópico, está escrito apenas nos murais e no site da empresa em sua missão, entretanto, é necessário mudar o estilo de vida, os processos a maneira de fazer as coisas acontecerem para conseguirmos os sonhados ideais de melhoria da qualidade de vida das pessoas, igualdade, justiça e tranqüilidade para nossa geração e as gerações futuras. Portanto, o gestor responsável para sustentabilidade tem a dupla missão de mudar o jeito de fazer as coisas acontecerem na empresa e de mudar o seu estilo de vida instigando as pessoas a desejarem os mesmos ideais em busca da sustentabilidade na empresa e em sua vida.

    Autora: Vivian Aparecida Blaso Souza Soares César, Relações Públicas, especialista em Sustentabilidade

     
  • 21 set

    Diversidade e Liderança 

    O termo diversidade tem sido discutido nas organizações sob 02 aspectos: um sob cumprimento legal das quotas de pessoas com necessidades especiais e outro sobre a diversidade voluntária, ou seja, uma mudança na cultura da empresa onde não existe preconceito, e o direito a concorrência nas vagas de emprego são colocadas em condições similares das pessoas que não possuem necessidades especiais. Entretanto, existe também outro ponto que tem começado a fazer parte das discussões nas organizações que estão no caminho da sustentabilidade,o respeito as diferenças e as divergências de pensamentos.
    “O termo diversidade diz respeito à variedade e convivência de idéias, características ou elementos diferentes entre si, em determinado assunto, situação ou ambiente.
    A idéia de diversidade está ligada aos conceitos de pluralidade, multiplicidade, diferentes ângulos de visão ou de abordagem, heterogeneidade e variedade. E, muitas vezes, também, pode ser encontrada na comunhão de contrários, na intersecção de diferenças, ou ainda, na tolerância mútua”.
    (Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre)

    O banco real utiliza o tema “ diversos somos todos” e faz uma metáfora entre os seres das mesas espécies para mostrar que todos somos diversos porque somos diferentes. Este asssunto nos faz relembrar a retórica do conceito sobre liderança. Liderança e influencia “é sua habilidade de inspirar as pessoas a agir. Significa conquistá-las por inteiro: espírito, coração, mente braços, pernas… E aí está a diferença entre poder e autoridade. Quando você tem poder, as pessoas fazem a sua vontade mesmo que não desejem. Quando você tem autoridade, as pessoas voluntariamente fazem a sua vontade, por causa da sua influência pessoal. Isso “é que faz um grande líder”
    (Revista Você sa).

    A riqueza em trabalhar este tema sob a ótica da sustentabilidade, nos leva para um caminho sem preconceitos, e em busca, sobretudo de um entendimento melhor para trabalharmos os dilemas do desenvolvimento social, pois, temos a oportunidade incluirmos pessoas nos processos, combatermos os preconceitos e igualarmos as oportunidades.

    Na prática das organizações este tema se torna verdadeiro quando são tomadas algumas medidas para inclusão de pessoas com necessidades especiais como a preparação de infra-estrutura adequada para a convivência nas mesmas condições das demais, inclusão através da contratação de alunos beneficiados pelo programa do governo federal a estudantes de baixa renda nas universidades – PROUNI – PROGRAMA UNIVERSIDADE PARA TODOS, divulgação de vagas internas nos murais da empresa com transparência sem qualquer tipo de discriminação (raça, sexo, gênero).
    Estes aspectos práticos alinhados com o respeito mútuo, sobretudo preservando a diversidade de pensamentos entre as pessoas da mesma organização, são alguns caminhos que poderão ser seguidos pelos líderes da sustentabilidade que desejam exercer seu papel de influência não pela coerção, mas pela adesão voluntária de seus seguidores.

    A diversidade nas organizações possui terreno fértil e produtivo, uma vez que o papel dos líderes é o de motivar as pessoas a agirem proporcionando a elas um confortável ambiente para mudanças. Considerando a ética e o respeito mútuo, as organizações terão condições de promover a igualdade e conseqüentemente uma sociedade mais justa

    Contudo, podemos concluir que os conceitos de diversidade e liderança convergem para os mesmos caminhos respeito às diferenças e inspiração das pessoas a agir.

    “Saiba Mais” – Lei no 7.853/1989

    “As principais disposições acerca do tema, encontram-se consubstanciadas no Decreto n.º 3.298/1999 (que regulamentou a Lei no 7.853/1989, que dispõe sobre a Política Nacional para a Integração das PPD`s).O comando legal alude, dentre outras estipulações, traz em seu bojo regras destinadas à inclusão das PPD`s no mercado de trabalho, tanto assim, que seu artigo 36 I (repetindo o texto do artigo 93 da Lei 8.213/91), determina que as empresas, com 100 (cem) ou mais empregados, devem preencher de 2 (dois) a 5% (cinco por cento) de seus cargos com beneficiários reabilitados da Previdência Social ou com PPD`s.As empresas que não cumprirem os percentuais de contratação declinados acima poderão sofrer sanções na esfera administrativa (multas).E não é só. Como esse direito a certo percentual de vagas aloca-se no rol de direitos difusos e coletivos, o seu descumprimento, por parte da empresa, pode acarretar, o ajuizamento de Ação Civil Pública proposta pelo Ministério Público ou pelas associações afins”.
    (Fonte: http://www.boletimjuridico.com.br/doutrina/texto.asp?id=1267

    Autora: Vivian Aparecida Blaso Souza Soares César, Relações Públicas, especialista em Sustentabilidade

     
    • Ellen Blaso 16:43 em 22 de setembro de 2008 Link permanente | Faça login para responder

      A diversidade está em toda a parte, nas culturas, nas sociedades civis, as diferenças são muitas, mas o foco é um só. Assim é com o nosso meio ambiente, atraves da diversidade de pensamentos temos que reuniar as competencias e trabalharmos para a melhoria continua do nosso planeta. Vamos ser lideres em nossas vidas para conquistar o nosso objetivo. Ellen Blaso blaso@tecnohidro.com.br, ellenblaso@gmail.com

  • 9 set

    Simpósio Brasileiro de Construção Sustentável aponta os caminhos e ferramentas para a sustentabilidade no setor 

    A Sustentabilidade na construção civil tem sido pauta das principais discussões do país. No último Simpósio Brasileiro de Construção Sustentável, realizado em São Paulo nos dias 04 e 05 de setembro, alguns pontos da discussão chamaram a atenção:

    Ética e Legalidade

    Oded Grajew, Conselheiro do Instituto Ethos deu seu depoimento como empresário e mostrou ao público, que é possível ter sucesso trabalhando na legalidade com ética e responsabilidade social. Oded chamou a atenção que “Estamos vivendo uma época que as empresas e as pessoas já têm os recursos, já conhecessem os riscos e já sabem as soluções para a mudança o que falta é mudar, mudar a cultura das pessoas para a sustentabilidade”.

    A sociedade civil quando organizada em redes tem condições de promover essa mudança, hoje às políticas públicas são insuficientes para a cultura da sustentabilidade é necessário a mudança no dia a dia das pessoas e das organizações. Além disso, a inclusão do tema de forma transversal proporciona maior conhecimento do assunto e possibilidades de esclarecimentos que a sustentabilidade não é apenas impacto ambiental dos produtos.

    È necessária uma mudança na função social da empresa, ou seja, um retorno para todas as partes interessadas (stakeholders) para que isso ocorra é preciso alinhar as estratégias das empresas com a sociedade, ou seja; gestão sustentável do negócio, relacionamento ético e transparente e cidadania corporativa.

    Educação

    A educação continua na pauta de discussões no setor, como fonte propulsora da diminuição dos acidentes de trabalho nos canteiros de obras, em São Paulo em parceria com o Sinduscon SESI e SENAI é realizada a Mega Sipat que dentre seus objetivos está o de levar conhecimentos necessários para qualidade de vida no trabalho.

    Integração entre as equipes de projeto e equipes de operações dos empreendimentos

    A relação de interdenpencia que a sustentabilidade nos propõe também apresenta a necessidade de integração entre as equipes de projetos e operações o diálogo entre as partes interessadas faz minimizar os esforços para transformar os empreendimentos em sustentáveis. Essa integração possibilita medidas simples na fase do projeto como redução de uso de água, energia, ar condicionado, implantação da coleta seletiva de lixo, qualidade interna do ar, acessibilidade dentre outras. Estima-se que os edifícios em operação são responsáveis por 40% da energia do planeta e que os atuais consomem aproximadamente 16% a mais que os edifícios de 25 anos atrás sendo o grande vilão o ar condicionado. O prédio verde que não produz economia na operação não pode ser considerado sustentável. Dessa forma, sustentabilidade é mais que certificação é parte do negócio das organizações.

    “Greewash”

    A sociedade começa a ter consciência dos “Greewash” ou “Verniz Verde” passa a não tolerar as meias verdades das empresas que se dizem “verdes”.O Conselho Brasileiro de Construção Sustentável, apresentou durante o Simpósio um trabalho desenvolvido pelo comitê de materiais onde é possível identificar através dos 06 passos fornecedores e insumos com critérios de sustentabilidade. “Mais do que orientar para a seleção de produtos, a estratégia é focar a escolha nas empresas”, explica o professor Vanderley John, membro do comitê.

    Os seis passos da ferramenta do CBCS são:
    verificação da formalidade da empresa fornecedora (CNPJ);
    verificação da licença ambiental da unidade fabril;
    respeito às normas técnicas que garantem a qualidade do produto;
    consulta do perfil de responsabilidade socioambiental da empresa;
    identificação da existência de verniz verde (‘greenwash’);
    análise da durabilidade e do ciclo de vida do material.
    A ferramenta está disponível de forma gratuita através do site

    http://www.cbcs.org.br.

    Autora: Vivian Aparecida Blaso Souza Soares César, Especialista em Sustentabilidade

     
    • Anonymous 19:26 em 15 de setembro de 2008 Link permanente | Faça login para responder

      Oi Vivian,

      Parabens pelo blog, muito legal.

      O lance do passaporte hj que tinha tudo pra ser um saco ficou bem mais tranquilo…

      Bj

      Marcelo

    • Marcia 20:34 em 15 de setembro de 2008 Link permanente | Faça login para responder

      Prezada Vivian,
      Este blog é a materialização do seu visível conhecimento e da importância que você aufere ao tema e à causa da sustentabilidade. Espero sempre poder comentar e agregar nas discussões propostas aqui. Acredito que consciência coletiva se constrói assim: compartilhando experiências e buscando alternativas inteligentes. Façamos todos a nossa parte. Um forte abraço e muito sucesso a você!

    • Marcia 12:19 em 18 de setembro de 2008 Link permanente | Faça login para responder

      Vivizinha Querida!!!
      Que bom vc ter visitado meu blog desmiolado e ter gostado!
      Me passa seu email Ví, pra gente combinar a missa no domingo! Olha, ficamos muito felizes com a presença de vocês lá em casa, quando foram embora todos nós comentamos o quanto vocês são maravilhosos como pessoas e como amigos também! E desejo que muito em breve você possa visitar sua família na terrinha querida. Como vc mesma disse, a gente precisa muito de “energia de mãe”. Energia de irmã, de pai… de família!
      Beijocks querida! Take care

    • ellen 16:51 em 22 de setembro de 2008 Link permanente | Faça login para responder

      Preciso de um asugestao de um libro que trate da sustentabilidade, das comunicações em rede e meio ambiente, para o contexto sustentável Atual. Aguardo sua indicaçao.

      Att. Ellen Blaso

c
Compor novo post
j
Próximo post/próximo comentário
k
Post anterior/comentário anterior
r
Responder
e
Editar
o
Mostrar/Ocultar Comentários
t
Ir para o Topo
l
Ir para o login
h
Mostrar / Esconder ajuda
shift + esc
Cancelar